Jogando

Quantum Break Prévia (2) | Congelamento Temporal! (Ato 2 e sua bifurcação)

No momento em que publico esta segunda prévia de Quantum Break muitos outros sites nacionais e internacionais já publicaram o review final do game. Bem, eu resolvi esperar um pouco mais. O game será lançado oficialmente amanhã e com isso em alguns dias muitos mais gamers terão acesso ao jogo e será um pouco mais divertido conversar e ver as opiniões gerais do game pela web e aí sim vou pensar em minhas considerações finais e gerais em torno de Quantum Break.

Por enquanto, aproveitando esquenta do lançamento do game pelas próximas 24 horas, resolvi fazer o segundo preview do game. Originalmente ele deveria ter sido publicado na semana passada, mas o patch de lançamento do game deu uma atrasada e eu já havia decidido esperar a liberação e o download do tal patch para continuar jogando o game. E foi algo que já tinha alertado aqui na primeira prévia publicado aqui em 22 de março, neste link.

Quantum Break 4

Patch pré-lançamento!

Agora que baixei e instalei, posso dizer que o patch não alterou muita coisa em termos de gameplay. Bem, que dizer, eu já não havia percebido bugs ou problemas técnicos nos momentos do gameplay. Havia uma promessa de melhorar o loading do game, mas não notei uma grande melhora de performance nesse ponto, apesar de que mesmo que o ache um pouco mais demorado do que talvez devesse, não é nada que estrague a experiência que ando tendo com o game. Sem mencionar que o maior loading permanece sendo apenas o primeiro quando o game é sempre iniciado.

De fato o que percebi que mudou e melhorou significativamente foi a parte da série do game. A sincronização da legenda se acertou. Há alguns vídeos no You Tube que ainda mostram o episódio um da série com as legendas fora de sincronia, se alguém estava preocupado com isso, é algo que não precisa mais temer, pois o patch corrigiu isso perfeitamente. Revi o episódio 1 e assisti o 2 e posso afirmar isso.

Também notei uma boa melhora no streaming presente na parte da série, pois para quem não viu essa informação ainda, a série live action de Quantum Break não é baixada junto com o game, rodando por streaming nos intervalos de cada ato do game. Para baixar a série, opção que agora já é viável, o jogador precisa de 75GB de espaço no Xbox One. Achei meio assustador a princípio, porém vendo o streaming do episódio 2 (Prisioneiro) ontem (domingo pré-lançamento do game) e ele não travando nenhuma vez na minha conexão meia boca (Speedy 4MB) fico mais tranquilo em manter a série por streaming mesmo. Até mesmo a qualidade do vídeo melhorou. Certamente uma boa correção para o lançamento do game nesta terça-feira!

Quantum Break 1

Quanto à spoilers? Fiquei tranquilo, assim como a primeira prévia, prometo não entregar nenhuma informações importante da trama no segundo ato do game! Comentarei apenas aquilo que é de conhecimento geral, e sem detalhes profundos para não estragar a surpresa de ninguém.

Congelamento do tempo! (Ato 2)

Quantum Break 5 Quantum Break 10

No momento tenho 7 horas de tempo de jogo registrado no meu Xbox One e 42% da conclusão da história (tenho já começado o Ato 3, na qual não tecerei comentário hoje). Parece um percentual alto para apenas dois atos do game. Hoje mesmo lendo alguns reviews descobri que o game tem ao todo 5 atos. Parece pouco, mas aí fico pensando nas bifurcações temporais que existem e como isso impacta alguns pontos narrativos da história. Por outro lado, já são 7 horas dentro do game, então é um tempo considerável. Em todo caso, ainda parece cedo para discutir a longevidade de Quantum Break, ainda que nesse ponto já estou bem empolgado com a trama e com o que me foi apresentado.

Se o primeiro ato é uma grande introdução e tutorial, conforme relatei aqui, o segundo ato já engata a segunda marcha e apresenta boa parte das mecânicas que a própria Remedy já havia mostrado em antigas apresentações do game em algumas feiras ano passado. Por exemplo, o ato 2 já contém o primeiro momento onde o tempo em Quantum Break congela de vez, deixando o protagonista preso em um grande acidente na qual o tempo entra em um preocupante looping de segundos indo e voltando. Não, não é aquela cena da ponte das demonstrações, mas é tão empolgante quanto!

Quantum Break 9 Quantum Break 8

Quer dizer, essa parte nem é enorme, mas para a primeira vez em que isso acontece no game, causa um belo de um impacto ao jogador. Fiquei bem impressionado com o poder gráfico do game, em manter uma coerência em um grande acidente que se movimenta em lapsos temporais indo e vindo e fazendo com que o jogador tenha que ficar esperto em passagens apertadas e vendo o caminho se construir em tempo real a cada passo dado.

Outro momento bem incrível do segundo ato também rola com o tempo, na qual o jogador anda por uma enorme área, enquanto o ambiente ao seu redor vai mudando, como se o tempo começasse a mudar, dando indícios de passagem de anos em rápidos segundos. Há um motivo para isso acontecer obviamente, mas não vou contar. É basicamente o marco zero do grande incidente que permeia o game. A forma como isso acontecer é realmente de aplaudir a Remedy. Me pego imaginando o quanto tempo esse pequeno momento deve ter demorado para ser criador.

 Quantum Break Prévia Quantum Break Prévia

Além disso o ato 2 intensifica ainda mais os momentos de ação de Quantum Break. O jogo apresenta os primeiros soldados que podem quebrar o tempo, tal como o jogador pode. Porém, estes inimigos só conseguem isso porque possuem um aparelho nas costas, o que o tornam um alvo fácil para o jogador. Bem, não são tão fáceis assim de serem derrotados, mas não são impossíveis. É meio que aqui que o jogador passa a dominar melhor suas habilidades com o tempo e combinar melhor com as armas de fogo.

Só que fica bem claro que Quantum Break não é realmente um game focado em ação. Mantenho a minha impressão inicial da prévia anterior dizendo que a ação acontece em um ritmo bem mais interessante e intenso do que em Alan Wake, porém ela segue um padrão mais arcade, mais pela diversão do jogador do que pelo desafio. O grande barato do game é sem dúvida alguma a sua narrativa.

Quantum Break 6

O ato 2 melhora ainda mais alguns elementos e alguns personagens secundários da história. Revelações importantes são feitos e fica um pouco mais claro o que diabos está acontecendo com a tal ruptura do tempo. Imagine a seguinte situação: e se o tempo congelasse para sempre? A premissa e ameaça que permeia Quantum Break passa a ter um peso enorme a partir do segundo ato. Quando o jogador encontrar o primeiro congelamento temporal isso tudo fica bem mais claro e aterrorizante!

Até o momento Quantum Break parece funcionar graças a sua história. Nem tudo são flores e me parece que há algumas coisas que podem ser consideradas prontos fracos do game. Porém antes de me meter por estes mares, ainda quero avançar mais na história e ver até onde alguns dos elementos podem ajudar ou atrapalhar seu desenvolvimento.

Há alguns jogadores que podem se irritar um pouco com a quantidade de exploração e narração presente no game, deixando se deslumbrar pelas cenas de combate e manipulação do tempo. Eu ainda não posso dizer com todas as letras o quanto o game vai equilibrar estes momentos de ação e de história, mas já dá para ter noção que a parte da história é muito mais importante em Quantum Break do que os combates em si.

Quantum Break 7

Então esteja avisado: Quantum Break é um game que conduz uma história e não um game de combate em terceira pessoa com manipulação temporal. O jogo não pode ser as duas coisas? Aparentemente ele é. Se o jogador souber se divertir com ambos os lados, pode vir sem medo para o mundo do game!

Ao final do segundo ato, mais uma bifurcação temporal! Mais uma decisão do jogador que irá impactar o próximo ato e a história do jogo. Alias a minha decisão do ato anterior impactou o gameplay do ato 2? Ainda não sei dizer exatamente, mas sei que na decisão de não matar uma personagem, ela foi uma peça bem interessante neste segundo ato. Não sei como o jogo se desenrolaria se a minha decisão tivesse sido deixá-la morrer. Acredito que a essência da narrativa aconteceria de qualquer forma, mas parte dos diálogos e situações provavelmente ocorreria de forma diferente. Isso é algo que ainda irei testar melhor nos próximos dias e que retornarei para contar aqui no site!

Quantum Break 12 Quantum Break 13

E pra encerrar, vou lembrar que este texto é apenas mais uma prévia, mantendo um aquecimento para o lançamento que acontece amanhã! Prometo que muito em breve irei liberar o review completo do game aqui no site, com uma avaliação mais completa e satisfatória de toda a campanha e seus aspectos gerais! Aguardem!

 

 

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.