Preview | Pit People – Um caleidoscópio colorido de delicioso caos!

Depois de sete horas acumuladas em Pit People – no primeiro final de semana em que o game foi liberado, nas plataformas do Xbox One e Steam – posso dizer confortavelmente que já encontrei um forte candidato a figurar meu Top 10 ao final deste ano. E olha que 2017 só está começando e sei que não faltam candidatos de peso para brigarem por esta posição ao longo dos próximos meses.

O fato é que a The Behemoth é um estúdio que guardo carinho em meu coração gamer. Adoro todos seus games: Alien Hominid, Castle Crashers e BattleBlock Theater.

Gosto da simplicidade gráfica, lembrando desenhos animados, permitindo um traço forte nas linhas que tornam os personagens caricatos e engraçados. Gosto das histórias, sempre beirando o nonsense e o surrealismo, com aquele toque de violência, sangue, escatologia e bizarrice. Aquele humor adulto, quase como Family Guy, mas com seu próprio toque original e criativo. Gosto inclusive dos efeitos sonoros, sempre com trilhas de impacto e os personagens (quando os mesmos possuem vozes). Como não adorar tudo isso?

E é interessante como o estúdio está sempre indo além, nunca pensando em sequências de seus sucessos. Ainda que imagino que todo mundo amaria um número 2 em todos os games na qual o estúdio já lançou. Só que a The Behemoth está sempre fazendo algo diferente. BattleBlock Theater não é nada como Castle Crashers, que também não é nem um pouco parecido com Alien Hominid. E Pit People não é nada como nenhum destes três. Há sempre o risco de errar fazendo isso, mas… antes tentar e falhar do que nunca tentar? É um bom pensamento. Por sorte, Pit People em nada soa como um fracasso.

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1195858473833174/

Como seria o mundo antes do urso espacial gigante se chocar contra ele? E assim começa Pit People, o quarto game da The Behemoth!

Ainda em desenvolvimento

Antes ir adiante, acho válido explicar que Pit People foi lançamento agora no dia 13 de janeiro para Xbox One e Steam, porém nos programas de Game Preview e Acesso Antecipado de cada plataforma. O que significa que ainda não é o lançamento oficial do jogo completo. O game segue em desenvolvimento, com a The Behemoth dizendo que ainda esperava levar mais alguns meses até conseguir terminá-lo, com a esperança de que alguns meses não se torne mais de um ano. Ou seja, o game deve ficar pronto ainda em 2017! Essa é a expectativa ao menos.

Portanto não estranhe que este texto funcione mais como um preview e não um review. O jogo ainda não contém tudo para aqueles que o adquirirem neste momento. Ainda há conteúdo que será liberado aos poucos, conforme for ficando pronto ao longo dos próximos meses. A campanha, por exemplo, só está disponível até uma certa parte, que é a mesma de quem jogou o Beta fechado do game, que foi realizado no segundo semestre do ano passado.

Aliás, antes de continuar, recomendo que os interessados em Pit People que deem uma olhada no texto que fiz sobre o Beta do game. Pois tem muita coisa que expliquei e me expressei lá que evitarei me repetir novamente aqui. Vale realmente a pena dar uma olhada na matéria de setembro então!

Para quem jogou o Beta, o que o acesso antecipado tem de diferente? Acho melhor listar as mudanças que mais me chamaram a atenção:

  • A missão da campanha é a mesma do Beta, porém desta vez existem mais cenas animadas ao longo e durante estas missões, que trazem mais humor e contexto a história. (veja o vídeo com o Cupcake no final da matéria)
  • O jogo desta vez está localizado em português. Ainda há alguns diálogos que estão sem legendas, mas isso é normal neste estágio, na qual os desenvolvedores ainda estão mexendo no game. O ponto aqui é a indicação que em seu lançamento oficial, o game estará todinho localizado em nosso idioma.
  • Há dezenas de novas missões secundárias. Isso justifica este estágio de acesso antecipado durar tantas e tantas horas de gameplay sem que o jogador se canse ou sinta que está se repetindo.
  • Muito mais personagens e acessórios desbloqueáveis estão disponíveis agora. Há novas classes de inimigos também que não estavam presentes no game na época do Beta,
  • O mapa do game está maior (ou aparenta estar) e há uma segunda variação dele. Outras pequenas adições também são percebíveis por todas as locações e ambientes presente no mesmo.
  • Existem segredos que já podem ser caçados nessa versão antecipada, como localizações secretas dentro do mapa do game, que precisam ser ativadas e que levam a lugares escondidos que liberam novos itens. Há guias já para isso pela web, pois é bem trabalhoso (eis um guia).
  • O Pit, modo na qual o jogador pode batalhar à vontade, agora me pareceu bem mais redondinho, podendo batalhar contra outros jogadores online ou contra a IA do game, que é insaciavelmente cruel!

Importante também dizer que o game em acesso antecipado está com desconto. Pit People está saindo por 29 reais (15 dólares) durante essa fase de venda. Entretanto quando o game estiver pronto para ser lançado completinho, o estúdio irá aumentar seu preço para 20 dólares, o que imagino que fará seu preço subir por aqui para 39 reais. Adquirindo o game agora, o jogador garante esse desconto, não sendo necessário pagar a diferente em seu lançamento.

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1197478927004462/

Já conhece Horatio? Aparentemente ele tem uma suculenta família! Eis o protagonista principal de Pit People. Esse é só o começo da aventura, logo outras figuras excêntricas irão se reunir a Horatio!

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1197480283670993/

Um trechinho do mapa do game, usado para coletar moedas, enfrentar inimigos e encontrar missões extras. O jogador ganha uma carroça após chegar na cidade. O mapa tem essa névoa que não lhe deixa enxergar tudo a sua volta (depois ele abre um pouco mais, porém parte da névoa permanece, deixando a exploração sempre instigante).

O vídeo acima abre mostrando  a Pipistrella, a segunda personagem principal da campanha. Enquanto isso, o narrador, que é o Urso Deus Espacial Cósmico continua destilando seu veneno, com muito bom humor, em torno da jornada de Horatio. E adoro o fato do Horatio responder a narrativa, fazendo meio como uma quebra da quarta parede, na qual o urso está falando tanto para o jogador, quanto para os personagens do game em si.

Mais tempo para explorar

Minha segunda experiência com o game não foi tão diferente da primeira alguns meses atrás. O que senti que mudou do beta para esta versão de acesso antecipado é de que o game está mais redondo, mais consolidado naquilo que será em sua versão final. Já dá para ter uma boa ideia do que esperar de Pit People quando ele estiver completo.

Apesar da missão da campanha ter sido a mesma, tive mais tempo desta vez para explorar o mundo do game. Fiz mais missões secundárias, encontrei mais classes diferentes de personagens, gargalhei com novas situações e diálogos nonsense que foram adicionados desde o Beta.

A experiência de um acesso antecipado é diferente de um Beta, pois aqui não há dias certos e uma data no calendário na qual o game não estará mais acessível. Não é preciso jogar correndo, querendo ver tudo antes do Beta terminar. Sem essa pressão, me senti mais aliviado para brincar mais em Pit People.

Fiquei, por exemplo, um bom tempo do game explorando seu mapa e capturando novos personagens, pois caso você não se lembre, qualquer inimigo do game pode ser capturado e recrutado para seu time. E há aproximadamente 16 classes de personagens, que vão de trolls, duendes, fadas, ciclopes, monstros, robôs, elfos, bolinhos de cupcake e assim por diante.

Mexer com o time faz mudar as estratégias de combate. Isso se tornou muito claro nas batalhas que participei no Pit contra a IA do game. Esse foi um modo que pouco explorei no beta e que aqui me entreteve por horas. O jogo cria times bem diferentes de personagens, ora explorando uma ou duas classes, ora montando um mix improvável de personagens. E não é fácil vencer a IA no Pit, pois são três rounds contra o jogo na qual o jogador precisa sobreviver com seu time de seis personagens, na qual a saúde perdida ou quem morreu no round anterior não é restaurado no round seguinte. É cruel!

Ficou mais claro as diferenças entre os tipos de personagens presente no jogo. Como aqueles que atacam a distância, como arqueiros, fantasmas, robôs e aqueles que são bons em certas particularidades, como o Troll Peludo que arremessa inimigos ou o duende que além de consertar robôs, ainda consegue arremessar aliados para zonas fora do combate. Ou aqueles personagens que levitam e assim podem se posicionar em solos com espinhos ou ultrapassar buracos.  Há uma boa estratégia em Pit People.

Só que mesmo sendo um game de aventura baseado em turnos, o jogo ainda é frenético e ao mesmo tempo descomplicado. É acessível para qualquer jogador, que entende a suas regras rapidamente. O jogo é amigável no começo, explicando, sem soar maçante, todas as mecânicas de jogabilidade. Ele descomplica algo que normalmente deveria ser complicado a quem não está acostumado com esse gênero. E é por isso que me simpatizei tanto com o game, já que também não sou um grande adepto a esse gênero de games de estratégia baseado em turnos.

E é legal ver que existem recursos e macetes que estão ali no jogo para ajudar o jogador. O mapa principal, por exemplo, é cheio de inimigos. Navegar por ele seria bem ruim se todo o combate fosse obrigatório. Não é. O próprio mapa em si muda, pois a sua base (a cidade) muda depois que o jogo (o Urso) percebe que você já está confortável demais com os lugares ao seu redor. O Urso gigante e vilão do game – que ainda não está totalmente explicado sobre sua existência – simplesmente arranca a cidade inteira do lugar e a realoca em outro ponto desconhecido do mundo do game.

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1197481560337532/

“Vai empinar pipa, Benjamina! Temos uma guerra para lutar!!”. Uma das coisas mais cativantes de Pit People sem dúvida é o tom de humor da The Behemoth, seja nos diálogos ou na aparência e nome dos personagens.

Este trecho é uma missão secundária. Aqui já com um time de 6 personagens, em um momento bem mais avançado do game (personagens já passaram do level 20 e já estou com mais de 5 horas de gameplay). As batalhas, mesmo sendo por turnos, acabam entretendo e se tornando imprevisíveis e caóticas na maior parte das vezes. E isso é muito bom!

Vale ou não vale começar a jogar deste já?

Passei um bom tempo nessa semana lendo o fórum do game na Steam, pois os desenvolvedores conversam com os jogadores lá. Algo bem normal nos fóruns da Steam, por sinal. Já que o game estando em desenvolvimento é normal os jogadores relatarem bugs e também perguntarem sobre recursos que ainda não estão disponível no momento. E os desenvolvedores respondem a esse feedback sempre, dado a sua importância, convenhamos.

Uma das coisas que li por lá dizia a respeito do Save atual do game no acesso antecipado. A progressão será mantida quando o jogo final foi liberado? A princípio sim. A menos que a equipe de desenvolvimento trombe com um bug ou problema na qual precise resetar toda a progressão, não está nos planos do estúdio fazer isso com todos que já estão jogando e progredindo no game. Afinal cada personagem tem um level, que sobe conforme vai sendo utilizado em batalha. Resetar a progressão nesse ponto seria cruel.

Existe esse risco, mas me parece bem remoto, mas é sempre bom alertar. De toda forma, para quem gosta dos games da The Behemoth vale sim muito a pena começar a testar e jogar Pit People imediatamente. Aproveitando o desconto do acesso antecipado. O game, ainda incompleto, já vale o preço que está sendo cobrando nesse momento.

Pit People já apresenta uma história interessante, engraçada e bizarra. Que lhe instiga a querer saber mais. Os personagens principais da jornada também são cativantes, com ótimas gags bem humorados, tal qual os muitos secundários que vão surgindo ao longo da jornada principal ou por meio das side quests.

A jogabilidade também já está bem desenvolvida aqui. Há muitos personagens diferentes, combinações de times e batalhas que desafiam o jogador. Há um modo de nível insano que já pode ser ligado e assim a dificuldade do game é elevada ao máximo. O modo online, de batalha entre jogadores já está funcionando, e também batalhas offline no Pit.

Dá para gastar fácil mais de 10 a 20 horas de game nesse primeiro estágio do acesso antecipado, isso sem projetar seus próximos updates que devem acrescentar ainda mais conteúdo ao longo dos próximos meses. Não é um estilo de game que enjoe ou canse rapidamente, especialmente para quem gosta de games com elementos de RPG e estratégia por turnos.

Mal posso esperar pelos próximo updates. Pit People realmente me conquistou!

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1203463893072632/

Avistado um delicioso recruta! No game é permitido recrutar qualquer oponente para seu time. E essa animação inicial? Isso é uma novidade que não estava presente no beta ano passado. Agora as missões da campanha principal possuem estas cenas animadas em certos momentos.

https://www.facebook.com/Portallos/videos/1203470346405320/

Depois da batalha, o último oponente pode ser recrutado para seu lado. Neste caso, é chegado a hora de capturar aquele delicioso Cupcake que recupera a energia do time arremessando sua deliciosa cobertura!

Mais imagens

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
More from Thiago Machuca

Pokémon ORAS | Evento está distribuindo Shiny Rayquaza para todos!

Faz tempo que não falo de Pokémon aqui no blog, também pudera,...
Read More