JogandoRapidinhas

Darwin Project chegando em acesso antecipado no PC e Xbox One

A primeira vez que ouvi sobre Darwin Project foi na E3 do ano passado, já que foi um dos destaques da conferência da Microsoft na ocasião. Trata-se de mais um título focado em multiplayer competitivo, projetado para se arriscar no mundo das competições de e-Sports. O título está em desenvolvimento pelo Scavengers Studio, fundado em 2015 e localizado no Canadá.

O game esteve ao longo dos últimos meses em testes fechados, alphas e betas, para um pequeno grupo de jogadores, auxiliando assim que os desenvolvedores recebem feedback e testassem nadas funcionalidade ao jogo. A ideia de Darwin Project é desafiar os jogadores para um desafio de sobrevivência. Não é sobre matar outros players, mas ver quem ficará em pé ao final da partida, quando uma série de condições auxiliarem a queda dos outros competidores.

A atmosfera do jogo segue por áreas com o tema de inverno, onde camadas de gelo deixam rastros e jogadores podem afundar e se esconder em montes de neve. Há um pouco de PUBG e Fortnite aqui, pois a arena também encolhe ou redireciona os jogadores para uma área em comum e os jogadores também devem vasculhar casas e quebrar árvores para recolher recursos.

Toda a ideia é que o game é uma espécie de Jogos Vorazes, onde um diretor está gerenciando a arena, escolhendo mudanças e condições dentro da mesma, enquanto espectadores podem ajudar ou prejudicar jogadores. Não cheguei a descobrir se estas figuras (do diretor e espectadores) são códigos de programação do jogo que recria estas regras aleatoriamente ou se poderá haver uma modalidade onde jogadores também possam assumir tais papéis (seria interessante, não?). Em todo caso parece interessante.

Minha única crítica é que, sendo um game de battle royale focado em multiplayer competitivo, as chances é que o game se dê muito bem ou muito mal. A receptividade da comunidade é suma importância para o sucesso do título. Pode haver um lançamento bom inicialmente, mas se não conseguir prender os jogadores ao longos dos meses seguintes pode acabar afundando como tantos outros títulos nessa geração que não duraram o quanto deveriam durar. Gigantic é um destes exemplos que me vem na cabeça agora.

Bem, talvez essa seja a importância de Darwin Project estar chegando em acesso antecipado no PC e Xbox One na próxima semana. Significa que o game está pronto para expandir seu público e assim os desenvolvedores puderem entender o que deve vir a seguir dentro de sua proposta. Só o multiplayer vai ser suficiente para manter o público entretido? Veremos.

Pensando em Fortnite, que também se encontra em acesso antecipado, mas a Epic Games pretende lançá-lo de forma gratuita quando ele estiver pronto para o lançamento completo, um dos pontos mais interessante de Fortnite é justamente sua versatilidade ao apostar em modos multiplayer, enquanto também possui um modo campanha divertido. É algo interessante a se pensar. Os games de battle royale, que atualmente só conseguem apostas na modalidade multiplayer conseguem sobreviver por quanto tempo nessa geração? PUBG é um exemplo fora da curva. Não é toda produção que conseguirá o que PUBG conseguiu, muito menos superá-lo.

Mas não adianta colocar a carroça na frente dos bois. Darwin Project pode vir a ser interessante e pode ter uma comunidade que dê o suporte que o jogo precise. Sem mencionar que seu preço será acessível, custando lá fora apenas 15 dólares (ainda não há o valor do preço nacional). A prova de fogo começa nessa semana do dia 9 de março, quando o game abre seu acesso antecipado ao grande público. Vamos aguardar!

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.