Pinstripe | Viagem ao pós-vida infernal! (Impressões)

Pinstripe é um jogo de aventura desenvolvido pela Atmos Games (especificamente por Thomas Brush) que chegou em fevereiro deste ano ao Xbox One (versão avaliada) e ao PlayStation 4. O título também se encontra disponível para PC, desde abril do ano passado.

Trata-se de um game que mistura gêneros, mesclando desafios de plataforma e exploração com quebra-cabeças em um ritmo de idas e voltas por ambientes já visitados – como jogos de metroidvania normalmente são. Elementos envoltos por uma narrativa intrigante que contagia o jogador. A equipe aqui do Portallos já me falou algumas vezes que tenho a mania de escolher os games mais “estranhos” para avaliar e… acho que dessa vez não foi diferente.

Mas, o que torna Pinstripe estranho?

Talvez o fato de Ted (o personagem principal) ser um ex-ministro excluído da igreja, que vai até uma região descrita como o próprio inferno para salvar sua única filha… pois é, eu particularmente achei estranho quando embarquei nessa jornada. Sua atmosfera em si. Mas vamos as vias de fato.

Há coisas que merecem que lutemos por elas. Algumas coisas valem a pena caminhar pelo inferno. E o que quer que seja precioso para você, se torna ainda mais precioso quando você perdeu todo o resto.

Aposto que depois de ler a frase acima você começou a tentar entender Ted e o motivo de sua jornada ir tão longe. Porém isso ainda não é o suficiente. Ainda preciso dizer que Ted perdeu praticamente tudo o que tinha. Sua esposa se foi. Ele não é mais aceito pela igreja. E a única coisa boa neste mundo é exatamente a sua pequena filha Bo, de 3 aninhos, que por uma rasteira do destino foi sequestrada pelo Mr. Pinstripe para se tornar a sua… filha.

Mr. Pinstripe é um homem assustador. Muito fino em um terno de risca de giz, que é basicamente o anjo da morte encarnado. Um personagem de mau agouro e portador e todas as coisas ruins.

Mudei o seu conceito correto? Duvido essa narrativa não deixar você com vontade de ajudar Ted e dar um jeito no Mr. Pinstripe, já que todo mundo o conhece e o teme. Por curiosidade, “Pinstripe” traduzido significa exatamente “Risca de Giz”.

  • História cativante

Não dá pra contar praticamente mais nada, além do básico descrito acima – do plot principal ser o sequestro de Bo pela estranha figura do Mr. Pinstripe. Afinal, qualquer coisa além disso pode estragar sua experiência, já que vai revelar fatos e desafios enfrentados pelo jogador ao longo do jogo.

O que acaba cativando em no título e em sua narrativa é que cabe ao jogador, ajudar Ted a desvendar essa região, onde todos estão meio que viciados em um suco entregue pelo Mr. Pinstripe para domina-los e controla-los. Além de encontrar uma forma de resgatar sua amada filha das mãos do terrível Mr. Pinstripe, tentando de uma forma ou outra ajudar as outras pessoas que estão nesse mesmo mundo.

Ted conta com a ajuda de seu cachorro – que milagrosamente pode falar com você – que sabe-se lá porque motivo foi parar lá também. Provavelmente, creio eu, devido as maquinações do antagonista da história. Ted pode maltratar seu cachorro com as escolhas do jogador nos diálogos, mas também pode ser camarada e até comprar roupa para o canino. Tudo depende das suas escolhas morais.

  • Bom ou mau

O jogador pode, então, optar por escolher as opções “boas” ou “más” nos diálogos com outros personagens, e na tomada de atitude frente a algumas situações. Dizer que isso vai refletir no final da história é chover no molhado, já sabemos isso de outros games. Mas fica o aviso: não existe meio termo. Ou você é bom ou é mau em Pinstripe. Mesma as escolhas de diálogo mais bobas podem acabar influenciando no desfecho da aventura.

  • Trilha Sonora

Não espere encontrar músicas muito animadas e cantaroladas aqui. Em Pinstripe as músicas são um reflexo do mundo e da história como um todo. Elas combinam com o ambiente assustador e mudam de ritmo quando acontece algo especifico. Todos os personagens, começando pelo antagonista e até o cachorro contam com vozes marcantes e melancólicas, o que neste mundo combina perfeitamente.

O ponto importante aqui é que o game conta com legendas em português, mas vozes somente me inglês. A música tenta dar uma animada em momentos mais cômicos, e na hora de fazer compras nas lojas. O que dá, momentaneamente, um tom mais leve a jornada de Ted.

  • Replay e gameplay

Altamente recomendado jogar mais de uma vez para se ter uma noção do mundo completo. Isso porque que alguns lugares somente ficam acessíveis após você ganhar um certo item ao completar a jornada pela primeira vez. Amantes de conquistas e troféus já fiquem sabendo que muitos deles só vão vir na segunda ou terceira jornada por este mundo.

Sua primeira aventura vai demorar em torno de umas 5 horas se for com calma e ler tudo, explorar os ambientes e achar as soluções dos quebra cabeças. Montar engrenagens, ajustar relógios, encontrar diferenças em imagens e outras coisinhas nesse sentido. Isso em um tempo de jogo a qual considero normal. Em próximas jogadas não duvido que qualquer um não consiga terminar em menos de uma hora – deu 45 minutos cravados na minha terceira jornada. O que é totalmente esperado, já que o jogador acaba sabendo o que fazer, as senhas e a resolução dos desafios.

Prepare-se para ir e voltar as mesmas áreas algumas vezes. Todas são acessíveis, exceto uma, após uma determinada parte. Aí não se pode voltar mais ao começo em si. Os elementos interativos são fáceis de detectar, mas se misturam ao mundo conectado que exige ao jogador retornar por áreas já visitadas. Os inimigos não são muitos, e para derrotá-los você vai usar a sua arma (um estilingue) ou o clássico ato de pular sobre eles. Morrer pode acontecer, mas é algo raro e com o qual não deve se preocupar.

Vale a pena?

A maioria dos jogos considera que a narrativa está a serviço da jogabilidade. No caso de Pinstripe é a jogabilidade que está a serviço da narrativa. Tenha isso em mente ao jogá-lo.

Pinstripe é um jogo com um pouco de tudo: exploração, escolhas morais, negociações, tiro, pulos, quedas, saltos, idas e voltas pelos cenários, busca por soluções, observação de padrões, saber ouvir as histórias de cada um e tentar ajudá-los ou não, ficar com raiva de Mr. Pinstripe quando ele xingar você e zombar de sua missão, tentar entender o que seu cachorro quer dizer, enlouquecer com alguns personagens e suas doideiras, achar itens escondidos, juntar fragmentos para comprar coisas necessárias ou não (algumas são surpresas), reparar nas mensagens escritas nas paredes e assim por diante. Com tudo isso junto, tente não se esquecer a sua missão principal e ajudar Ted a resgatar a pequena Bo das garras do terrível Mr. Pinstripe. Tudo isso para ao fim… conseguir sair desse pesadelo!

Galeria

9 Visualmente belo
5 Poucos inimigos a serem combatidos
8 Ótima jogabilidade
9 Valor de replay funciona muito bem
9 História cativante (com legendas em português)
8
More from Paulo Roberto L. S.

Skylanders: Spyro’s Adventures chega com um novo trailer extraordinário! [PC/X360/PS3/3DS/Wii]

E esta semana, mas exatamente no próximo domingo (dia 16), vai chegar...
Read More