Japão

Sugestão de anime: Casshern Sins

Passando pra deixar uma dica de anime pro pessoal: Casshern Sins. A história é uma releitura da vista no anime original, Neo-Human Casshern, de 1973. Na história original, Casshern era um super herói ciborgue que lutava contra os robôs criados pelo vilão Braiking Boss numa Terra pós-apocalíptica. Já na história apresentada em Casshern Sins, a situação é virada do avesso: a Terra está em destruição e o culpado é Casshern, que não tem memória alguma, mas que é caçado pelos robôs ainda “vivos” por acreditarem que “quem matar Casshern será salvo da Destruição”. Ele é acusado de matar Luna, e isso teria sido o estopim da Destruição. Dito assim parece tudo meio confuso, mas é essa a sensação que você tem ao assistir aos primeiros episódios do anime: confusão.

Saiba mais sobre o anime depois do continue.

Há dez vezes mais perguntas do que respostas, e novos personagens vão sendo introduzidos a cada episódio, tudo sem você conseguir adivinhar se eles vão morrer daqui a 20 minutos (tempo real) ou se vão durar até o final do anime. Sim, morrer. Casshern Sins é, acima de tudo, triste e melancólico. Nos primeiros episódios, quando Casshern ainda não tem a menor ideia do que se passa, ele apenas vaga por um mundo em visível degradação. Outra diferença dessa releitura em relação ao original é que aqui os robôs são uma raça viva, e não apenas criações mecânicas contruídas para destruir alguma coisa. A espécie humana está praticamente extinta, e muitos robôs têm aparência e emoções humanas, o que é outro motivo de sofrimento para eles. Isso faz você ficar ainda mais em dúvida sobre quem são os inimigos e quem são os aliados, e até mesmo se o culpado é mesmo Casshern.

Uma pequena garotinha robô chamada Ringo pode ser considerada a outra protagonista da história, mas no início você vai se apegar a ela só pelo fato de ela não morrer no final dos episódios em que aparece, sendo recorrente em outros e, no final, desempenhando papel fundamental. O mais próximo de um par romântico para Casshern é Lyuze, mas durante mais da metade do anime ela será como os outros robôs e perseguirá Casshern, porém não para matá-lo para viver eternamente, mas por uma vingaça pessoal. Além dessas duas personagens, há o cachorro robô Friender, que já existia na história original; Ohji, o senhor que toma conta de Ringo; Dio e Leda, os personagens mais próximos biologicamente de Casshern; e Luna, que é tida como “a fonte da vida”. Todos eles, e muitos, muitos outros, são analisados profundamente durante os episódios, e você vai acabar gostando até dos vilões de tal maneira que será impossível não chorar em diversos momentos.

Casshern se verá desesperado em muitos momentos, pois seu corpo é imortal e, portanto, seu sofrimento é infinito. Se deixou matar muitas vezes, todas sem sucesso, até que finalmente descobre um sentido para sua existência. Por estar sendo sempre perseguido por robôs que querem destrui-lo, Casshern vira uma máquina de matar no instante em que se sente ameaçado, de forma até bem semelhante ao extinto “Ichigo Hollow”, do mangá/anime Bleach. Quando está pacífico, porém, não costuma mostrar nenhuma outra emoção, também.

Casshern Sins não é um anime para todos, porém. As cenas de luta, que não são poucas, são todas espetaculares, mas o que brilha de verdade é a ambientação e a exploração de um novo personagem a cada episódio. Durante quase todo o anime, Casshern é uma espécie de andarilho, e em seu caminho encontra muitas realidades distintas, mas todas com o mesmo fim certo: a Destruição. Ringo parece ser a única “pessoa” feliz da história, e vê-la triste é quase como perder totalmente a luz. Eu advertiria ainda que há uma tensão sexual forte o suficiente que seria possível tocá-la no ar. Tudo muito bem escondido de forma implícita, mas que mesmo assim atordoa pela intensidade dos desejos humanos que se manifestam em robôs.

O anime tem 24 episódios, e eu não saberia dizer qual o “momento forte” dele, já que é todo muito intenso. Minha recomendação é que escolham um final de semana e o assistam de uma tacada só, de preferência num quarto bem escuro, só não vá virar emo depois disso (nada contra, não me matem). Eu poderia dar muitos outros detalhes, fazer uma análise detalhada de cada personagem, mas em Casshern Sins, cada pequeno detalhe representa uma grande descoberta, então prefiro não estragar a surpresa. Fica, portanto, a recomendação de um anime extremamente bem feito, com cenas de ação dignas de cinema e que certamente figurará na sua lista de favoritos depois que você assisti-lo até o final. É um anime diferente do padrão Shonen Jump de ser, muito mais sombrio, intenso, profundo e “significativo”. A trilha sonora merece destaque, também, principalmente o tema de abertura, que você confere no vídeo no final do post.

Eu assisti aos episódios traduzidos pelo fansub Aya, que disponibiliza seus animes no tracker Anime Central, e digo sinceramente que achar tradução de melhor qualidade é perda de tempo. Seus episódios estão em formato MKV (matroska) e variam entre 280 e 350 MB, mas não se intimidem por isso, por favor, afirmo que vale a pena! O link para o pack completo do anime é este aqui e ele ainda está como Golden Torrent, o que quer dizer que não afetará seu ratio.

Fiquem, então, com a abertura e um trailer do anime:

Nota: a imagem que abre o post é uma fanart retirada do site deviantART, feita pelo usuário cuson.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Dakini

Viciada em RPGs, sejam eles Final Fantasy e Tales of ou Mass Effect e The Elder Scrolls! Fã incondicional de animês e mangás, e ousem criticar meus favoritos sem bons argumentos! Fora isso, podem me chamar de “a dama dos wallpapers”, hahaha.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.