JapãoLendo

Manaka trocando as calcinhas no segundo volume de 100% Morango! [MdQ]

Comprei hoje na banca o quarto volume de 100% Morango e me lembrei que não consegui mais escrever os MdQs deste mangá desde o primeiro volume (que você pode conferir aqui se perdeu o post). Não foi descaso não, foi pura falta de tempo. Nas últimas semanas consegui fazer dois MdQs de mangás que estava atrasado, o de Hunter x Hunter 25 e D.Gray-Man 11, e nessa época o volume 2 do Morango já estava aqui na minha mesa do PC para ser resenhado. Nesse meio tempo acabei lendo o terceiro volume, mas resolvi que não vou comentar sobre ele hoje, porque neste volume, a perspectiva da história muda um pouco, com a chegada de uma nova personagem e da entrada na vida colegial dos personagens. Deixarei para comentar sobre a mudança depois, no segundo volume ainda temos Manaka tentando passar no vestibular, aprendendo a namorar de verdade e descobrindo que nem sempre é fácil entender o que o coração quer. As situações continuam divertidas, com certo toque meio apimentado e bem juvenil. Para curtir 100% Morango, tem que ler descompromissado, sem esperar muito da história, mas se divertindo os jovens amadurecendo e aprendendo mais sobre a vida e o amor. Tem que levar na boa.

Quem precisa de algumas informações básicas sobre a série, a autora ou a época em que foi publicado na Jump no Japão, recomendo a leitura do primeiro volume neste link,  onde dei uma resumida nestes pontos que as vezes vale a pena conhecer. E lá vamos para o volume 2, após o continue:

A Garota dos Sonhos Reaparece!

O título acima, como os mais observadores tevem ter notado, é o nome que a autora dá ao próprio volume. A garota misteriosa que cai  do céu bem na frente do protagonista, Junpei Manaka, logo no primeiro capítulo do mangá é finalmente revelada e todo aquele mistério some, quer dizer no primeiro volume já fica claro ao leitor que a garota trata-se da Aya Toujou, porém neste volume Manaka também se toca que a garota de trancinhas e óculos é na verdade a musa por quem ele gamou logo de cara e a verdadeira garota da calcinha de morango. Neste ponto eu fiquei um pouco surpreso, pois achava que com essa idéia de uma “garota misteriosa” a autora fosse segurar o jogo por mais tempo, deixando Manaka mais maluquinho quanto ao mistério, mas que nada. Fiquei com certo receio de que a história perdesse a graça depois disso, mas pelo menos até onde li no volume 3, ela consegue ser ainda mais engraçada e divertida.

O segundo volume segue dividido em alguns momentos bem distintos. O mais engraçado na minha opinião são os primeiros capítulos deste volume onde a Nishino convida Manaka para ir a sua casa, estudar e jantar, mas as coisas acabam tendo as suas reviravoltas. Coisa de adolescente, e isso realmente acontece, ou ao menos acontecia na minha época. Manaka chega na casa da Nishino todo preocupado em conhecer o pai dela, em saber se ficaria sozinho com a garota, se havia alguma segunda intenção e etc. Pensamento normal de um adolescente e de repente ele descobre que Nishino está sozinha em casa. Ela planejou essa noite para ficar com seu namorado, em nenhum momento no sentido sexual da coisa, apenas um momento onde os dois poderiam ser eles mesmo. Aí é que Manaka pira e as coisas ficam engraçadas.

Achei muito engraçado a reação do Manaka em relação a comida que a Nishino prepara, e com o resultaoo disso ela acaba virando a panela de “sopa” (wasabi na verdade) nela mesmo. Ela vai para o banho e lá vem Manaka com seus hormonios, no final, Nishino esquece a toalha, pede para Manaka pegar uma no quintal e o garoto é confundido com um ladrão de calcinha que esta atacando o bairro! Rá!

Existe um pouco de tara nessa parte, afinal estamos falando de uma personagem menor de idade, que fica de roupa de baixo, aparece semi-nua na porta do banheiro e tal, mas para os japoneses e seus mangás, não chega a ser uma situação fora do normal, até mesmo para a garotada desta idade, não é nenhuma novidade esse erotismo que toda a situação passa, filmes como American Pie retratam muito bem essa situação. E por mais que a autora brinque com essa situação mais quente, em nenhum momento os personagens se pegam nesse sentido. É tudo imaginativo, no mundo do desejo, até aí acho normal e não faz o mangá apelativo demais.

Porém essa logo após esse ocorrido, a história fica um pouco mais séria, quando Manaka descobre que a garota da calcinha de morango do começo da história é a Toujou.

Antes disso, a autora dá uma maneira de mostrar que o protagonista do mangá não é um cara insensível, daqueles que ficam uma garota apenas pela beleza, pois Manaka e Toujou acabam se distanciando, numa situação onde a Nishino acaba entregando a cueca do Manaka para ele na frente da Toujou (pois é, rolou isso também de ter que tirar a cueca molhada de molho lá na situação acima, e o Manaka ainda esqueceu lá na casa da menina). Toujou que tem certos sentimentos pelo Manaka, acaba se distanciando depois disso, sem que Manaka tenha a chance de explicar o que aconteceu.

Ambos voltam a se reencontrar no dia do vestibular e Toujou está com lente de contato e com o cabelo solto, o que é meio que uma surpresa para todo mundo. E aqui começa o troca troca do volume. Manaka gosta da Toujou, antes mesm dele descobri isso, mas agora ele namora com a Nishino, que também tem seus sentimentos e não quer magoar a garota. Nishino realmente gosta do Manaka, mas sente que tem algo errado. É uma situação bem típica de adolescente e normal para a idade. E Manaka entra nesse vórtice de dúvida, até quase o final do volume.

Além é claro de todo o suspense para saber se toda a turma conseguiu ou não passar no vestibular da escola Izumizaka, já que Manaka ficou todo distraido no dia da prova e Komiyama não é lá um cara muito inteligente. Nesse meio tempo, Manaka volta a falar com Toujou e rola uma cena muito bacana no elevador onde ele e Nishino resolvem terminar. Gostei como a autora conduziu toda a situação desse momento, onde em geral é muito delicado, e o motivo disso fica bem claro quando se lê o final do volume 3. Gosto destas pegadas do mangá, onde a história evolui e esse momento onde ambos terminam o namoro, é o momento onde a história amadurece. Ambos crescem um pouco mais.

O volume não deixa muito suspense para a próxima edição. No final, Nishino e Toujou passam tranquilamente na escola almejada, mas Nishino acaba revelando que irá estudar em outra escola, já que ela só queria entrar na Izumizaka por causa do namora com o Manaka. Komiyama e Manaka não são aprovados, porém estão logo em seguida na lista de espera do colégio. Como Nishino não ficará com sua vaga, uma dela passa automaticamente para um dos garotos. A resposta da lista de espera, ficou para o próximo volume. Nesta, fecha ainda com uma nova garota, que mudará tudo quando a história chegar no volume 3.

Concluindo, 100% Morango continua dentro de sua proposta, divertir e mostrar um pouco esse lado adolescente que todos vivenciamos, vivemos ou iremos viver. São situações universais, mesmo que o mangá se passe no Japão, tenha uma certa carga curtural no jeito dos personagens e nas situações, amor juvenil é universal. Todo mundo já se sentiu dividido, pervetido e confuso nesta idade, é assim mesmo. O bacana é que a autora não cria a história de qualquer jeito. Há uma preocupação em amadurecer os perosnagens, em criar linhas de narrativas, em situações engraçadas e originais. Existe um trabalho realmente profissional, assim como o traço e a dedicação nos desenhos, sempre bem trabalhados.

Particularmente estou adorando. As vezes me canso de ler coisas sérias demais, e estas mangás descontraídos são mega divertidos, ainda mais para quem não conhece a história ainda e fica surpreso com os acontecimentos. Já li o volume 3, o 4 comprei hoje e pretendo colecionar até o fim. Fica novamente a recomendação para quem procura uma leitura mais descontraída e semana que vem, já pretendo comentar por aqui sobre o volume 3 e quem sabe o 4, e assim deixar a série em dia por aqui. 🙂

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.