Jogando

[Especial] "Back to Live" – 1ª Parte: O novo Xbox 360!

A experiência de ter um videogame conectado a internet, que possibilite jogar on-line com os amigos ou comprar games que só são vendidos via download é difícil de ser explicada em palavras. Leio muito por aí, gamers dizendo que não se interessam por conectarem seus consoles na rede porque não curtem multiplayer on-line, porque acham que games de verdade são somentes aqueles vendidos em caixinhas e mídias físicas, porém já notei que parte de quem diz isso nunca vivenciou corretamente a experiência do mundo on-line dos consoles desta geração. E eu era um destes caras que não davam bola para experiência on-line, até comprar um Xbox 360 lá em meados de 2007. Mordi feio a língua.

O caso é que em 2009 tive um problema com o meu console: as fatais 3 luzes vermelhas da morte. Sabia que esse dia chegaria, pois era um modelo velho do console, anterior a placa Jasper (que acabou com essa doença do console da Microsoft). Vivendo um momento conturbado na minha vida monetária, arrisquei a compra de um novo console, desta vez Jasper, porém destravado, pois não tinha condições para comprar um oficial travado da Microsoft Brasil, que até hoje continua custando os olhos da cara, por sinal. Resultado: o console foi banido da Live lá para o final de 2009 e desde então vinha jogando apenas com o console off-line.

Quebrou o galho durante um ano, mas passado os tempos difíceis, não aguentava mais ficar off-line e continuar perdendo todas as horas de diversão que a Live proporciona. Com Gears of War 3 à caminho, Halo Reach fechando com chave de ouro a era Bungie no console, com as toneladas de títulos originais na Live Arcade e de ter contato com os meus amigos via chat no console. a situação não podia mais permanecer assim. Por isso, umas duas semanas atrás, comprei um novo Xbox 360. Já em seu modelo apelidado por muitos de “Slim”, com HDD de 250GB (pra não faltar espaço mesmo). Desta vez travado, como tem que ser. Estou de volta a Live!

A proposta desta série de posts especiais é justamente fazer uma espécie de diário virtual desse meu retorno a Live. Quero falar sobre o novo modelo do console, os games da Live Arcade que não foram jogados nessa janela de 1 ano (e que merecem ser resenhados), dar dicas sobre configurações e opções da Live, marcar jogatinas on-line entre equipe e leitores do Portallos nos finais de semana, futuramente falar sobre o Kinect (ainda não comprei, mas está nos planos para o primeiro trimestre de 2011). Quero relatar por aqui, a experiência que um console on-line possui e que é totalmente diferente de se jogar apenas off-line. O meu retorno à Live é motivo de comemoração pra mim e nada melhor do que compartilhar esta experiência com os leitores do blog!

Hoje, para a estréia do especial: O novo modelo do Xbox 360. Fotos e minhas pequenas considerações sobre a nova versão do console! Após o continue a conversa segue seu ritmo:

Comprando…

Bem, a primeira coisa que preciso relatar é que não tive paciência em esperar a boa vontade da Microsoft Brasil em lançar seu console no país. Depois de promessas e enrolações, acabei comprando de uma importadora mesmo. Não me arrependo, comprei por um preço menor do que o ofertado pela Microsoft, e mesmo que não tenha a tal garantia de 3 anos, essa loja que comprei me prometeu 3 anos de garantia e assistência técnica por conta deles mesmo. Posso confiar? Bem não dá para afirmar isso com todas as letras, ainda assim achei que o custo benefício valeu à pena. Para quem ficou curioso, eu comprei na Caio Games (site aqui). O Caio é um vendedor bem conhecido lá no Forum da Uol Jogos, tem loja física em São Paulo capital, já atua no mercado faz alguns anos e o melhor de tudo, trabalha com Pag Seguro da Uol, o que me permitiu parcelar (com alguns juros) o modelo 250HDD do novo Xbox 360 em 12X e ainda assim, ele acabou saindo mais em conta do que a versão nacional que a Microsoft prometou vender por aqui, mas se enrolou. Só para deixar mais claro, eu toparia pagar pelo modelo oficial, mas cansei de esperar e não só esperar, mas ficar nessa incerteza de data oficial, sem pré-vendas ou correr o risco de não conseguir comprar devido ao estoque limitado de fim de ano (como aconteceu com o Kinect). O modelo de 4GB está nas lojas já algumas semanas, porém o de 250GB só hoje é que vi no Extra, que é um revendedor oficial, o que significa que só agora é que ele está chegando por aqui. Tarde demais Microsoft. Odeio descaso com o consumidor. Deveria ter agido de forma mais rápida e eficiente para um console lançado em junho de 2010, ainda mais se não tinha intenção alguma de vender os novos modelos em bundle com o Kinect nessa primeira fase. Bem este é o meu ponto de vista, claro que você tem o direito de discordar se quiser.

Alguns pontos…

Mas chega de blá blá blá e vamos falar sobre o novo modelo do Xbox 360. Se você é dono de uma versão anterior, talvez sinta a curiosidade de saber algumas coisas sobre ele. Eu gostei de algumas coisas, outras não fizeram diferença alguma, enfim, é um modelo mais bacana, mas não recomendaria a compra dele se você tem um modelo antigo ainda funcionando em perfeitas condições. Mas vamos relacionar os pontos e você tira sua opinião sobre eles:

  • O console é mais leve e menor que o modelo antigo. Não chega a ser uma diferença monstruosa, mas é notável. Não chega a ser tão minúsculo quanto um Nintendo Wii, mas curiosamente o meu Bly-Ray Player da Philips chega a ser um pouco maior do que o novo modelo na posição horizontal. O modelo também chega a ser o mais silencioso de todas as versões anteriores, praticamente sem qualquer barulho. Ele esquenta? Sim, mas nada diferente do que qualquer outro aparelho eletronico atual, por exemplo, o meu BD Player chega a esquentar quase que igualmente, porém as aberturas laterais do X360 Slim são bem interessantes, pois pra mim pareceu que todo calor excessivo realmente consegue ser jogado para fora do console. Nestas duas semanas não tive problemas com travamentos ou hiperaquecimento.
  • Uma coisa que achei muito bacana são os botões no console que liga o mesmo e que abre a bandeja de disco. Eles são uma espécie de sensor de toque e não um botão de pressão como nas versões antigas. Você simplesmente passa o dedo, tipo desliza mesmo, e o console emite um apitinho de nem um segundo e liga ou abre a bandeja, dependendo de onde você passar o dedo. É realmente legal, pois nunca tive um aparelho eletrônico com esse tipo de sensor. Uma pena que a bandeja continua sendo esse formato de abrir e colocar o disco na mesma, o console ficaria muito mais moderno, tecnologicamente, se fosse como no Wii, onde os discos são “chupados” automaticamente ao se aproximarem do local onde você deve inserí-lo.
  • O controle que usava no Xbox 360 antigo era do meu modelo de 2007, e neste slim veio com controle preto (também wireless). Conforme já havia comentado aqui no blog, eu sou muito fã do controle do X360, a ponto de achá-lo o melhor desta geração (tem quem não concorde) e essa versão em preto é muito legal. Primeiro pela sujeira. Não que ele não fique sujo, mas é aquela velho história de que camisas brancas ficam visivelmente mais emporcalhadas do que camisas pretas. De toda forma gostei do controle, acho que a Microsoft andou dando uma pequenas melhoradas nele ao longo destes anos e por eu ainda usar a versão de 2007 não tinha notado, ou o desgaste atual mesmo me fez esquecer como é show um controle novinho. De qualquer forma achei ele mais preciso e mais gostoso de se usar. Pode ser algo psicologico, da minha cabeça mesmo, por estar com algo novo, mas enfim, eu curti.
  • Essa versão importada veio com um hedset preto, mas sinceramente, que bela de uma porcaria é essa versão. Achei simplesmente descartável. Eu já tenho alguns hedset (comprados ao longo dos anos), até mesmo um hedset wireless, então não faz diferença pra mim, mas realmente achei bem ruim. O plugue é ruim, o encaixe na orelha é desconfortável e nem parece funcionar na mesma qualidade de som do que o modelo antigo que tenho. Realmente este foi o único item do novo slim que não me agradou nem um pouco.
  • Ah e nossa, apanhei para descobrir onde é que fica o HDD externo dessa nova versão. Acabei indo olhar no You Tube – assista aqui –  (mas admito que me toquei de ir olhar no manual do console). Ele fica numa entradinha minúscula na parte debaixo do console (na posição vertical). Ele é bem menor do que o HDD do modelo antigo e agora sim tem cara de HDD e não aquele trambolho gigante da versão antiga.
  • Agora uma das utilidade mais bacanas do modelo é a conexão com internet sem o uso de fio. Mas tem que ter um roteador wireless é claro, sem isso não tem como o Xbox reconhecer uma rede online sem fio. Se você não tem um roteador que faça isso, não faz mal, o console ainda manteve a entrada via cabo na parte traseira. E configurar ele para a conexão com a internet sem fio é moleza, já que ele faz isso automaticamente, só tive que suar pra achar a chave do meu roteador, que por ser com senha, eu preciso dar a permissão para novas redes que tentam acessá-lo. Fora isso, achei a conexão perfeita. Não senti diferença alguma entre a minha internet com cabo e sem cabo, e olha que eu baixei mais de 50 trials nestas últimas semanas de vários games que não joguei ao longo desse ano, assim como também conseguir jogar algumas partidinhas de Gears of War 2 para matar a saudade do multiplayer.
  • Por fim, em relação a fonte de energia ou o cabo de HDMI, não tenho nada a comentar. A príncipio achei que a fonte, aquela caixona, era menor, mas coloquei ela lado a lado com a do modelo antigo e é basicamente a mesma coisa. Talvez pese um pouco menor, mas não é nada significativo que valha o comentário. O cabo HDMI também não é novidade, pois ele existe desde os modelos mais antigos (com exceção do primeiro modelo).

Reativando a Live…

Para terminar essa primeira parte do especial “Back To Live”, vou deixar a minha conta na Live, para quem quiser me adicionar. Ainda estou naquela fase de testar demos, reinstalar games, rejogar alguns (já que retornei num console novo, mas não deu para upar os saves para o novo console), mas aos poucos vou ficando mais ativo e participativo na Live, só me deem mais algumas semanas. Minha lista de contatos estava quase com 100 amigos, que é o limite que ela suporta, mas no final da semana passada mandei uma mensagem para todos meus contatos perguntando quem ainda está na Live e iria continuar sendo meu amigo. Alguns velhos amigos responderam e vou mante-los, mas já deu para excluir muita gente que não entra mais na live já faz alguns meses e quem nem se deu o trabalho de responder minha MP. Ou seja, minha lista de amigos esvaziou bastante. Ainda tenho que limpar alguns nomes, mas vou fazendo isso aos poucos. Mas quem quiser me adicionar, fica desde já o convite.

Já estou com a Live Gold e já corri para adquirir Halo Reach. Mês que vem espero conseguir Super Street Fighter IV, pois só tenho a primeira versão, sem o “Super” no nome. Need for Speed Hot Pursuit também pretendo adquirir para jogar online, mas vou esperar abaixar um pouco para pegar por aqui mesmo. Ainda tenho é claro Burnout Paradise, Halo 3 e Gears of War 2 para brincar online, jogos que nunca me canso pra dizer a verdade. Fora os games de XBLA, que devo ter mais de 50.

Espere nos próximos dias novas edições desse especial. Quero comentar sobre a troca de licenças de games quando se adquire um novo console, sobre a Live BR vs a Live EUA (qual optar), sobre alguns games da Arcade, como Earthworm Jim HD e Shadow Complex (ambos comprados já) entre outras experiências de um console online. Espero que tenham curtido esta pequena prévia do que pretendo trazer (novamente) para o Portallos.

E fecho com a minha Gamertag:

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios