Afinal, vale a pena comprar Fairy Tail no Brasil? Com três volumes lançados, meu veredito!

Vejam só, finalmente Fairy Tail sendo absorvido por uma coluna do Portallos! O pessoal que acompanha pela internet vive pedindo para que entre no Conversa de Mangá, mas como o Thiago já explicou, ninguém da equipe está pau-a-pau com o Japão. Eu mesma nem leio mais na internet, dropei há um tempo atrás (não porque não estivesse gostando), e aí logo anunciaram a versão nacional e “deixei pra ler em mãos”.

Assim, sobra o Mesa dos Quadrinhos para comentarmos sobre a série. Li vários comentários de leitores dizendo que não tinham começado a comprar os volumes da JBC porque estavam esperando uma opinião aqui no Portallos, fico muito feliz que tenhamos tanta influência! Peço também desculpas por termos demorado tanto pra enfim escrever sobre Fairy Tail por aqui, mas foi realmente complicado. Considerando a “importância” do lançamento de um mangá assim no país, nosso chefe TMT é que faria seu MdQ, também falando sobre toda a polêmica que surgiu em torno da tradução do Briggs. Enfim, por falta de tempo, nosso motivo mais frequente infelizmente, acabou que esse primeiro post nunca saiu e os volumes começaram a acumular. Pedindo permissão a ele e tendo o volume 3 em mãos, resolvi adotar o mangá e começar de vez os MdQs. Espero que não se importem!

Depois do continue, então, minhas impressões sobre a edição nacional. Vou me focar mais nisso mesmo, e deixar a história até agora em segundo plano, até para que quem ainda não começou a ler não tenha muitos spoilers. 😉

Guilherme Briggs e o uso excessivo de gírias!

Começando pelo que causou mais rebuliço na internet: a tradução de Briggs do mangá. Não vou ficar linkando a quantidade de matérias que apareceu blogs a fora, mas a coisa foi realmente feia. Ver gírias em mangás nacionais não seria assim tão problemático e pouco aceito, mas da forma exacerbada e, no mínimo, regional como foi feita, acredito que a grande maioria dos leitores que compraram Fairy Tail #1 nas bancas sem conhecer a série tenha levantado as sobrancelhas algumas vezes durante a leitura. A frase mais famosa, dita pelo mestre Makarov, “O conselho que vá descobrir quem pintou as zebras que eu não tô nem aí!!!” foi desnecessária, mas mais do isso, foi sem sentido, forçada. Era um momento importante na história, com ele dando esporro em todo mundo e então aliviando a tensão num quadro de surpresa pro leitor, mas eu não pude deixar de rir! Era pra ter ficado “Wah! Que foda!” e não “Pff, que merda é essa?!” então é triste mesmo.

O primeiro volume foi com certeza o que mais sofreu. Além do exemplo acima, tivemos “Viu!? Falando no diabo, olha aí o rabo!!”, “Ah! Foi mal! Você não sabe lhufas do mundo da feitiçaria, né?” e “Bwaah! Tô cheio até a tampa!, fora a informalidade generalizada em quase todas as falas, “Diz aí, Happy… cê acha que […]”, “Ai minha nossa”, “Aê, voltei!!!”, “Aí!!! macaco!!! Cadê o Macao?!”, etc. A informalidade não atrapalha a leitura, fica mais é a dúvida se os personagens realmente falaram desse jeito ou se é só exagero da tradução pra “dar impacto”, mas as gírias realmente me incomodam, não só por eu nunca sequer ter ouvido algumas (zebras?), mas porque de fato ficam “fora do lugar” no meio do mangá. Dá sim pra expressar as coisas sem recorrer a isso.

Os outros dois volumes, felizmente, tiveram uma diminuição desses casos mais “graves”. Ainda vemos “é meio bizarro”, “sou fãzaça”, “tô ligado”, “da hora” e coisas assim, mas a leitura no geral ficou bem mais coesa e menos interrompida por frases sem contexto. Melhorou bastante, na minha opinião, e consigo ler tranquilamente sem ficar triste pensando que estou acompanhando uma tradução inferior/alterada. Ainda assim, preferia que o mangá estivesse sendo traduzido direto do japonês, e esse é outro motivo pelo qual rejeita-se o trabalho de Briggs, que não sabe japonês e então traduz do inglês. Pode ser competente como dublador, mas eu realmente preferiria que o tradutor de Fairy Tail lesse o original do Mashima.

Tradução de termos!

Partindo para o segundo ponto, a tradução dos termos. Vi gente reclamando de usarem “feiticeiros” ao invés de “magos” (se bem que vi os dois sendo alternados no mangá), e até entendo que seja ruim ler de forma diferente da que estamos acostumados, mas acho bobagem rechaçar a obra por algo assim. Foi mais uma questão de já ter se juntando tanta reclamação sobre a edição da JBC que qualquer coisinha era motivo de birra, imo. De qualquer forma, algumas coisas, como “Guildas das Trevas” realmente soam mais bobas do que deveriam. Sobre os golpes, foram traduzidos, mas há notinhas no rodapé com o nome original. Nada diferente do que vemos em Tsubasa ou outros títulos da editora.

Agora, uma coisa que me incomodou muito como alguém que lia Fairy Tail na net e que era fã do Happy: gente, “aye” nem sempre pode ser traduzido como “é”! Fiquei bastante frustrada com a tradução indiferente que deram pra essa marca do gato. “Obrigado pela comida!” “Aye!” (1º caso: retificação. Sentido próximo: [2]!), “Brigada, Happy!” “Aye!” (2º caso: sendo cool. Sentido próximo: Não por isso!), “Gostoso?” “Aye!” (3º caso: afirmação. Sentido próximo: Sim!). “É!” simplesmente não se encaixa. E ainda mais em toda e qualquer situação! Se não queriam manter o termo original, que, vejam vocês, não é em japonês e portanto faz parte da ideia do autor de como Happy fala, que mudassem cada “aye” pra algo que fizesse mais sentido ao menos. Pra ser menos injusta, às vezes fica bom, sim, como “Estão atrasados!! Já tá tudo resolvido!!” “É!”, mas mesmo nesses casos, podemos ainda lamentar por terem descaracterizado o personagem. Essa sou eu sendo chata, mas realmente não gostei, e quero o Aye de volta.

Ah, sim. Sobre “Elza” ao invés de “Erza”, esperneiem, mas tá certo. Praticamente todos os scanlators traduziam com “r”, mas mais de uma vez apareceu desenhado no mangá o nome da personagem com “l”, inclusive nesse volume três, na plaquinha de apostas Natsu x Elza. Vejam na net se acham que a JBC editou a imagem, haha. Esse tipo de diferença é comum em traduções, só ver a quantidade de gente que se divide entre “Ruffy” e “Luffy” ou praticamente todos os nomes de D.Gray-Man (Ravi/Lavi, Rinali/Lenalee, Krory/Crowley), que só se definem com cartazes de procurado ou com o nome atrás dos botões dos exorcistas. E mesmo assim muitos tradutores não mudam a forma de escrever os nomes, então… divide os fãs mesmo, é questão de costume.

Qualidade de impressão!

Dentro do padrão JBC, por mais inferior ao da Panini que seja. Não vou me estender nesse ponto porque o Thiago já fez uma comparação bem bacana com material das duas editoras neste post. Eu queria contra-capas (e até páginas) coloridas, eu queria freetalks. A JBC não faz isso. Pena que não foi a Panini que lançou. É basicamente o que se tem a dizer. Fica chato pra uma grande editora como a JBC, que se orgulha do contato que tem com o Japão, com sede lá e tudo mais, ficar sempre em segundo na preferência dos leitores, mas convenhamos, eles vendem mangás mais caros e com menos capricho que a Panini, então não há o que fazer.

Fora a falta de conteúdo padrão, porém, o mangá tá bem feito. As capas tão bem bonitas e têm um efeito brilhante/espelhado legal, as lombadas tão bem alinhadas e coloridas, as páginas tão limpas, sem aquelas zonas escuras que se vê em alguns mangás nacionais, a edição dos balões tá boa, a tradução das onomatopeias não apagou os desenhos originais, enfim, tá tudo bem direitinho.

Veredito e um pouco sobre a história!

Então, afinal de contas, mesmo com todas essas questões pesando contra, vale a pena comprar Fairy Tail no Brasil? Olha, é uma questão bem pessoal. Posso nomear, entre fãs de longa data e leitores que nem tinham ouvido falar, gente que tá super feliz de poder ler FT no Brasil, de poder ter os volumes em casa e colecionar, e gente que compraria só pra ter o prazer de rasgar e queimar a edição da JBC, então não posso responder em nome de alguma coisa. Posso, porém, dar minha opinião, e eu tô gostando de ler. Quem lia pela net ou até quem acompanha o animê sabe que a história é muito legal, com personagens bacanas, inimigos realmente maus ou inimigos que ficam bonzinhos, diversos momentos de comédia pura e simples, traço bonito, etc, etc. Estando ainda no terceiro volume, não tivemos nenhuma grande saga até agora, e também ainda não passamos por nenhum dos momentos mais “cansativos” que o mangá vai ter mais pra frente (não é nada muito acentuado, mas tenho a impressão de que no animê a coisa ficou pior, considerando os relatos de quem parou de assistir).

A pergunta em questão, pra mim, é “Recomenda a leitura de Fairy Tail?” Sim, recomendo! E nisso não vou dizer “Sim, mas não compre a edição nacional, porque ficou uma porcaria.” Realmente não acho que seja o caso. Algumas coisas me incomodam, sim, e claro que eu gostaria que tivesse sido publicado pela Panini, mas a cada volume que compro e leio, me sinto mais “nossa, Fairy Tail era legal mesmo” me lembrando da época em que eu pela net. Se tivesse tão ruim assim seria mais algo como “nossa, que horror, achei bem melhor quando li por scans”, mas não é essa minha impressão. Como eu disse, vai ter muita gente discordando de mim, reclamando e mandando a JBC “descobrir quem pintou as zebras”, mas eu digo que, tirando o primeiro volume, a qualidade tá boa sim, e melhorando. Vale os R$ 10,90 mensais que pago, e sem choro.

Bom, tem ainda muita coisa boa pra rolar no mangá, com a guilda sendo mostrada mais a fundo, outros personagens ganhando destaque, o passados de alguns, enfim… a história progride! Acho que eu parei foi no meio/fim da saga da Oracion Seis, e não lembro bem o porquê. Isso deve ser lá pelo volume 17/18. Por onde anda o animê? De qualquer forma, agora que adotei o MdQ, nos veremos por aqui todos os meses comentando sobre Natsu e companhia. Quem não sabe o que vem a seguir é bem vindo, e quem está pau-a-pau com o Japão também! Até a próxima!

P.S.: Sobre Kekkaishi, perdi o volume 7 na banca e na net não tem na Banca 2000, então só vou ler quando passar por uma loja aqui na cidade que tem tudo em estoque… Vai levar uns dias ainda. Desculpem.

Isso também pode lhe interessar

124 Comentários

  1. Não compro FT, não é um manga que me anime (comecei a comprar HxH e Naruto e resolvi parar p não gastar, n seria FT que me varia gastar a grana apesar q ainda penso em comprar os outros dois).

    YYH acho foda quando tem gírias, Yusuke é um marginal de 15 anos que vive brigando e as gírias p ele e para o Kuwabara caem como uma luva.
    Nunca li FT mas concordo com quem reclama na internet para o usos delas, mas sou a favor de algumas adaptaçoes como usar metaforas nacionas em vez das japas quando possivel e não ter a necessidade de ficar depois colocando explicação sobre oq queriam ter dito ali.

    Mas não aguento mais os otakus que reclamam quando trocam o “R” pelo “L”, se os japas falam com R é um problema deles mas se é escrito com L que falemos com L se for um nome “não japa” (Não vejo necessidade de falar Sasuke em vez de Saske em um anime). Lembro quando um grupos reclamava que achava estranho ver o manga da jbc escrito Light em vez de Raito.

    1. Concordo com o fato que a tradução de YUYU foi foda – a do anime original, a do mangá não teve nada de mais. Mas essa é uma exceção ao caso. Via de regra traduzir é matar o trabalho original.

      Alias, saber que uma série que sai por uma editora grande foi traduzida do inglês e não do japonês original me deixa ainda mais chocado. Qualquer um que saiba algo de tradução profissional sabe que isso é pedir pra matar o bom trabalho do autor. P. ex., verifiquem as traduções de clássicos russos que geralmente são traduzidos da versão alemã ou francesa. Quanto mais se afasta da versão original, pior fica.

      Por falar inglês desde cedo e perceber como os filmes costuma ser mal traduzidos é que eu me preocupei em aprender japonês, afinal, a obra original é sempre… Original. Sem distorções, sem absurdos. Pra quem gosta de ver qualquer coisa estrangeira, eu sempre recomendo aprender a língua do povo que cria a obra, nesse caso, aprendam japonês. Vcs vão perceber como é bom respirar o ar da liberdade sem ficar refém dessas aberrações.

      E tenho dito! 😀

      1. Alias, só pra livrar um pouco o Briggs, se ele traduziu do inglês é bem possível que vários termos rídiculos e “nomes de golpes” mal traduzidos já estivessem assim em inglês.

        Culpa da editora de não usar o original.

      2. O mangá do YuYu Hakusho tinha umas sacadas muito boas tipo um carinha na torcida do torneio das trevas que estava segurando uma plaquinha dizendo: “Filma eu Galvão”. Ri muito

    2. Velho o problema é esse a obra é japonesa vc (no caso agente tbm )ta entrando em contato com outra cultura não pode e nem deve meter coisas regionais na zorra do mangá por que vc acha mais legal assim (senhor guilerme briggs) agora muito me admira a falta de sabedoria da jbc de colocar esse cara para traduzir novamente ja que ele foi tão negativado pelos fãs de tejho tenge que a tradução ta uma mer** geral, agora fico em terror constante para saber qual obra a jbc vai assassinar e fico na torcida que nenhum dos mangás que eu gosto de ler saiam por ela (Kenichi air gear, eden no ori, eyeshild 21, medaka box e psyren) a panini ta longe de ser perfeita mas tem um trabalho mais zeloso que a jbc (brasileiros tendo mais cuidado que japoneses parece ate mentira) vc lê e sai informadopuxa os mangas de High school of dead tem um glossario incrivel vc não aprende so sobre o japão mas de curiosidades do mundo tbm. a jbc numa edição de busou renkin deu uma explicação sobre o nome do golpe do kazuki sunlight flash que é na verdade o golpe final do getter robot (uma das series mais classicas de riobo gigante do japão é bem tosca mais é um classico) e a explicação foi quase exatamente essa mangá de go nagai e ken ishikawa WTH são esses dois antes não falassse nada deixasse rolar o manga mais não deram uma dado e vc que se lenhe se vc quiser saber que realmente são esses dois . sinceramente torço para que a jbc mude para melhor ou va a falencia

  2. Eu comprei também os 3 volumes da JBC. Concordo que o primeiro volume colocaram muita “zebra” aí, mas as outras duas edições gostei porque deixou menos gírias. Até acho umas engraçadas xD. Como o Natsu falando: “Seu filho de uma porca”, conseguiram censurar o palavrão e deixar engraçado xD.

    Só que pra mim o problema foi as trudução dos golpes “Punho do dragão de fogo” essas, claro que sempre ignoro e leio a legenda pra não fica esquesito xD. Só que quando eu vi que traduziram o golpe “Ice make” para “Mordar agora”, não aguentei, ficou muito tosco, achei isso uma “zebra” maior que as gírias. Tudo bem eles colocarem também as coisas de gelo que faz em português, só que podia ser “Ice Make *alguma coisa*”

    1. Ficou tenso mesmo o “moldar agora!” haha, parece coisa de Power Rangers, tipo, “Morfar!!”. XD Mas como o Gray ainda não apareceu muito, acabou não me incomodando. Por enquanto.

      E eu ri da porca também. XD

    2. ”Moldar agora” ficou tensoooo, o nome ”Ice Make” era legal (eu achava).
      Moldar agora é coisa de artesão JBC ¬¬’
      ”Seu filho de uma porca” ficou caipira e legal, se bem que palavrões reforçam a idéia de raiva dos personagens…

      1. Moldar Agora? Gray fala isso ,sério? Tenho que ver isso appoaskpaosaksposakpo.
        Que erro feio hein Jbc. Comprar o volume 3 urgente!!
        Caraca , “Moldar Agora” foi foda. O que que tem colocar Ice Make? Poderia ter um glossario falando, como na Panini ¬¬
        Moldar Agora… Essa foi foda

  3. Acho que a informalidade tem seu lugar, não vi o original mas aposto que utilizam expressões informais, justamente por ser um grupo de bagunceiros mal-educados. É estranho no começo, mas não considero ruim.
    Quanto às girias, para citar o próprio Briggs, gírias usadas pelo país INTEIRO eu aceito de boa, melhor em situações mais leves. O que não é o caso dessa das zebras que eu nunca ouvi em toda minha vida (outras também, mas essa se supera.).
    Não estou comprando a edição nacional, (porque só faço isso com mangás previamente lidos quando se trata de um favorito como Hikaru no Go, ou algum bem mais curto, o que não é o caso de FT :x) só li o primeiro volume, mas fico feliz em saber que diminuíram um pouco a “forçação” nos termos, pois pra mim era o único problema da versão.
    Enfim, ótimo post, é bom saber que fazem um trabalho legal quando trazem os mangás pra cá, quanto mais popularizar melhor 😀

  4. Eu também não gostei do primeiro volume…(também parei com o mangá pelo scan parei lá naquela saga da ilha dos monstros eu acho…já faz uns 8 meses.)
    Mas acho que vou comprar os outros dois(se encontrar em alguma banca ou loja sei lá…)

    E quanto as gírias só vi as do primeiro volume e não gostei das “zebras” e umas coisa que a Lucy falava tipo “qualé”…

    O anime não sei a quantas andas mas se alguém puder falar como tá o anime se estiver legal eu assisto.(quem assiste e está pau-a-pau com o Japão fala se vale a pena assistir.)

  5. Fairy tail é o unico dos 16 titulos que coleciono atualmente que fico com um pe atras em comprar o trabalho que a JBC vem fazendo nao me agrada nem um pouco .-.’

    Serio nao consigo ver sentido no que estao fazendo com FT que ao meu ver foi o “maior” lançamento da editora

    Fazer isso com um manga de tal envergadura é jogar dinheiro fora (ou ganhar com a polemica) nao consigo pensar em uma pessoa que leu o manga e viu o anime traduzido por scans e fique feliz com essa adpatação >_>

    Acho que quem nunca leu o manga por scans ou viu o anime nao ira se queixar tanto e ira se divertir sem esse olhar critico 😀

    O fato do manga ter sido traduzido do ingles nao me afeta muito (mesmo sendo a tradução de uma tradução ;x) acho que nisso o manga ta ate acima da media o problema mesmo é com a adptação TOTALMENTE DESNECESSARIA ¬¬

    Você percebe que as girias utilizadas ali nao se faziam necessarias (Zebra?! e_e) e isso acaba acarretando um processo de descaraterização dos personagens muitos acabam perdendo sua personalidade definida pelo autor do manga que deve se esforçar pacas para deixar cada personagem com seus traços bem definidos

    Pra mim alem da falta de competencia da editora a tambem uma grande falta de respeito tanto com o autor e sua obra quanto com os fas

    O pior é que pelo visto o tradutor nao gosta muito de aceitar criticas para melhorar seu trabalho colocando os fas da obra contra parede ou compra ou acaba ficando sem :/

    Fico triste em pensar que a JBC fez uma das melhores adaptações que eu ja vi com YYH e esta fazendo isso com FT

    Torço mesmo que sem esperança de que algo va mudar e que a qualidade do manga comece a subir >_>

    Sobre recomendar a serie bem acho que voce deve ler os comentarios do pessoal aqui mas sem se deixar influenciar totalmente ponha sua conta em risco compre o primeiro volume e venha aqui nos falar o que achou 8D

  6. Li o manga tbm, a primeira edição foi sofrível, a segunda melhorou, mas não li a terceira ainda.
    A editora para mim tem feito trabalhos com qualidade insuficiente, mas nao deixarei de comprar por falta de opção, mas confesso que o uso exagerado de gírias incómoda sim, e a frase clássica do Happy doeu.

  7. QUE PENA QUE NÃO FOI A PANINI QUE LANÇOU
    É basicamente o que se tem a dizer. [2]
    Me desanima bastante a comprar, ainda mais que ainda to meio confuso se Fairy Tail é tão legal assim mesmo, quero alcançar o mangá.
    Dei uma folheada nos volumes 2 e 3 e ainda me pareceu que tem bastante coisa forçada..

    Tava pensando em comprar Tenjo Tenge, dizem que também tem uma tradução tosca, mas fazer o que…

  8. Gosto de Fairy Tail, mais o primeiro volume não foi dos melhores o segundo também e dificilmente vai ficar com a qualidade da Panini. O nome dos golpes de Natsu eles tiraram, a Panini deixa e põe um glossário, eles tiraram o Aye do Happy, era a marca dele, eu falava Aye de vez em quando ¬¬. O pior erro para mim são os golpes e o Aye o resto a gente se acostuma XD

  9. Primeiramente, ótimo post.
    Bom, eu acompanho o mangá pela internet, e estou no ultimo capitulo, e acompanho também o anime e pra mim é um dos melhores que já vi, tanto pela quantidade de personagens diferentes que surgem, quanto pela história que se desenvolve de forma interessante ao meu ponto de vista.
    Eu ainda não tive a chance de comprar os mangás, porém só de saber que existem tantas girias já desanima, pois eu acredito que o modo dos personagens conta muito, pois faz parte de sua personalidade e ao mudar de forma tão significativa, acaba estragando um pouco, por exemplo o “aye” do Happy.
    Sobre a tradução dos golpes, eu acho que deveriam ser originais com tradução em baixo de cada folha, igual nas scans.
    Ainda pretendo comprar os mangás, apesar de que vai ser meio triste ler com tantas modificações.

  10. QUE PENA QUE NÃO FOI A PANINI QUE LANÇOU
    é basicamente o que se tem a dizer[3]
    só li o volume 1 até agora e não comprei os outros 2 pois estou meio apertado de grana no momento mas é bom saber que diminuiram o numero de gírias até pq lembro de ler o volume 1 e uma fala da Mirajane até a fez parecer uma funkeira fútil e espero que o Brigs tenha aprendido que não fica legal citar Cavaleiros do Zodiaco ou outras obras num mangá cuja a sua história não tem nada haver

  11. Não faço a menor questão de ter Fairy Tail na minha estante, mas comprei o primeiro volume porque muita gente tava falando mal. (E ainda dei de presente pra um amigo que queria comprar, mas perdeu o volume)

    Só tenho a acrescentar que fiquei muito incomodado com “cê”, “qualé” e etc. Isso lembrou minha infância. Eu era uma das poucas crianças da sala que não cometia erros bobos de português e devo tudo isso aos quadrinhos que lia. Aprendi como se escrevia certas palavras e tal… Agora me vem o Briggs e junta linguagem coloquial e formal. Se alguém que não gosta de estudar ou ler livros e se amarra em quadrinhos ler essa “salada” de português e começar a escrever dessa forma, como no mangá? A desculpa de “Ah, mas é recomendado pra maiores de 14” não adianta. Acha mesmo que alguém que tem 10 anos não vai comprar isso, ainda mais com o mega campanha de marketing da JBC? Só acho impossível comprar algo de 16 pra cima.

    Bem, pode ser um comentário bobo (e só eu posso pensar dessa forma), mas acho que isso não é aceitável em quadrinhos, assim como não é em revistas e jornais.

  12. Não vou comprar apenas pq não é uma história q me cativa muito, nem ler pela net tenho vontade, fico satisfeito com o anime e assisto msm como tapa buraco quando alcanço os episódios do Japão das séries q gosto. Mas é claro, se fosse uma edição sem esses defeitos citados eu poderia sim fazer um esforço para comprar, oq não é o caso…fora q FT é um daqueles títulos de uma vida inteira, pra poder desistir no meio do caminho pra mim não rola.

    Muito bom o texto Dakini, tirou algumas dúvidas e confirmou oq eu já esperava…outra coisa q esqueci de comentar em outro post foi a forma corajosa q o Thiago falou q eu não estava perdendo muita coisa em não comprar, parabéns. Valeu ae pessoal.

  13. Estou comprando Fairy Tail por ser um shonen cujo qual eu admiro seu autor, apenas por esse motivo. Mas devo concordar com todos aqui que é uma pena que não esteja sendo publicado pela Panini.

    Não entendo o que os tradutores pensam, e talvez nunca entenderei. Devo concordar também que as traduções brasileiras são tanto quanto estúpidas. E como >Synyster disse, às vezes até mesmo desnecessárias. Elas podem realmente descaracterizar o personagem. Não compreendo o porquê de transformarem o “Aye” do Happy em Oi… e até mesmo transformarem o nome Erza em Elza, o que pra mim ficou patético.

    O mais patético é a tradução de algumas onomatopéias’. Alguns mangakás se esforçam tanto para poder “desenvolvê-las” no próprio estilo de traço. Eu admiro isso. Mas porquê as editoras brasileiras teimam em refazê-las? Algumas traduzem-nas apenas, o que creio eu seja uma escolha muito melhor.

    Mas como eu disse antes, Fairy Tail continua sendo uma ótima pedida para quem é realmente fã. Essa é minha opinião.

  14. Acho a qualidade da panini melhor q a da jbc bem melhor sim , mas moro no interior e tenho q levar em consideração o sistema de asinaturas da jbc já q na panini só dá pra assinar turma da monica x( .
    Compro 100% morango da panini de 3 em 3 meses por causa do frete de 15 reais e as vezes alguns numeros já estao esgotados. Prefiro muito mais FT pela jbc podendo assinar tendo 10 % de desconto e frete gratis mesmo com a qualidade inferior.

    E q KHR e one piece venham pela JBC tambem. ^^

      1. pra quem mora no interior sai bem + em conta assinar da jbc, comprando por sites nao importa se é 1 ou 15 mangas no carrinho o frete sai sempre 15 reais

  15. Ah e se alguém do Portallos fazer um MdQ por favor façam um de Summer Wars(se comprarem é claro)pelo tanto que dizem que o filme é bom eu queria saber se o mangá também é.

    1. Summer Wars é um titulo que tenho esperado uma resenha sobre ele para poder compra-lo quando estiver completo sem ter nenhuma surpresa desagradável(como qualidade porca,tradução ruim e etc…) e Dhieferson o filme é excepcional na minha opinião vale muito a pena assistir

        1. Huahuhauah, pior que é, pessoal agora já fica achando que vai demorar quando vem do TMT. XD Pô, sacanagem. XD

          Eu vou comprar também o mangá, mas não devo ler “no ato” porque não vi o filme. Se alguém me passar um link em HD a coisa fica mais fácil, né…

  16. é REALMENTE UMA PENA, que nao foi a Panini que lançou, acho q todos os títulos tinham que ser da panini hehee, o trabalho deles é tão bom.. e FT tinha que ser peça panini, logo ele que é um “gigante” dos mangás.. acho que FMA também tinha que ser pela panini e tal, e espero que se KHR, OP, e outros mangás vierem aqui pro brasil venham pela panini..

    também achei bem ridiculo essas girias e expressões nada a ver.. mas fazer oq.. vou continuar colecionando pq gosto muito da história e passo um tempo bom lendo FT.. qnt ao nome dos ataques.. eu particularmente nem ligo mt.. a maioria dos nomes de atks traduzidos pra ca ficam meio escrotos..

  17. Humildemente, acho que qualquer mangá que for lançado aqui a partir de agora vai passar por isso. Não acho que a leitura de FT tenha ficado ruim. O grande problema é que os fãs já estão acostumados com o original japonês (que será sempre superior – com qualquer obra).
    Fico pensando, por exemplo, se Cavaleiros do Zodíaco tivesse sido lançado no advento da internet: será que teríamos gostado da tradução de “Pegasus Ryu Sei Ken” por “Meteoro de Pégaso”? Dificilmente.

  18. O assunto de traduções de animes e mangás é muito tenso de vez em quando, usar o original devia ser regra, é muito estranho ver algumas palavras, e até em animes algumas traduções são horriveis… Seria bom um canal de anime com os melhores legendados em português e áudio em Japonês XD (seria foda d+)

  19. Concordo com o que foi dito. Não muito o que acrescentar, estou achando que a tradução vem se tornando menos perceptível também.

    Só uma coisinha:
    “Eu queria contra-capas (e até páginas) coloridas,”

    Nem os tankos japoneses vem com as capas coloridas, salvo edições de luxo, então seria meio difícil ver isso por aqui. Eu não sei o que aconteceu com o fatidíco Bleach 19, talvez o tanko tenha saído no Japão assim. Mas em geral as capas são pra chamar atenção na revista mesmo.

  20. Já falaram tudo, o trabalho da JBC foi decepcionante… quando eu li essa das zebras no mangá eu fiquei “WTF?”. Tanta adaptação sem sentido… E como se não bastasse substituiram o “Aye!”, foi a gota d’água.

    Melhorou bastante no segundo volume mas continua péssimo, uma pena que não veio pela panini… Agora vou ficar sempre com um pé atrás antes de comprar mangá dessa editora, melhor olhar na net, ver se está razoável. Tanta publicidade pra isso –‘ que papelão JBC.

    Mangá nesse nível devia custar 8,90.

      1. Com licensa XandeUB foi mal eu sou Cearense e n entendi nada daquilo,então se vc ou alguém estiver lendo esse comentário pelo amor de Deus me responda o que significa aquilo que o makarov falou?Vlw!

        1. Olha, pelo oque eu entendi , Makarov mandou o conselho pra ****. Só que de um jeito infantil…
          No animê ele fala bem assim: “Mas quem liga para os idiotas do conselho?”

          Essa tradução da Jbc foi mal feita, mas acho que é isso essa das “Zebras”!

  21. Comecei a ler Fairy Tail pela internet e estou acompanhando atualmente a saga atual lá fora. Gostei da História e dos personagens. É algo simples, com um enredo que tem muito para evoluir. Por isso, vou gostar muito dessa sessão para discutir as impressões que o mangá passa.

    Quanto a edição nacional, estou comprando. Realmente é uma pena que não seja a Panini que esteja lançando. Mas a JBC não está fazendo um trabalho tão ruim. Conocrdo que o primeiro volume ficou muito estranho, mas os volumes seguintes ficaram melhores.

  22. Eu infelizmente só li o primeiro volume. Estou a tres semanas esperando o volume 2 que não chegou na minha cidade e tive que comprar online. O volume 3 comprei hoje.

    Só pelo primeiro volume, eu não recomendaria nem ao meu pior inimigo. A tradução é pobre mesmo, parece que feita para leitor ignorante mesmo sabe? Odeio esse uso excessivo de “cê” “qualé” “tá” e outras palavras mega abreviadas. Me irrita ver o Happy não dizendo Aye. Me irrita as girias que nada tem a ver com a obra original. Achei FT da JBC uma falta de respeito com a inteligencia do leitor brasileiro. Como se não soubessemos como é o original.

    Briggs é um excelente dublador, mas eu jamais deixaria o traduzir um mangá. Não é a área dele, ele não entende nada. Foi errado a JBC ter convidado o rapaz para o serviço, da mesma forma como foi errado ele ter aceitado e ainda ter feito esse trabalho safado que fez no mangá. Dublar é uma coisa, precisa adaptar. Traduzir não, nisso tem se manter o mais fiel possivel.

    Quando eu ler o vol. 2 e 3 posso mudar de ideia? Duvido. Se o Happy continua com o “é!” até o momento, essa momento triste de FT vai incomodar todo mundo até o fim.

    Não recomendo, não gostei e achei um dos piores lançamentos de 2010. A Panini lançou tanto mangá ótimo, de qualidade, com free-talks e tal e a JBC vem que esse FT pobre de tradução e qualidade editorial? Para com isso JBC! Cria vergonha na Cara!

    One Piece e Kaktekyo Hitman Reborn na Panini NOW!!! Na JBC nem de brincadeira depois dessa.

    Simples assim.

    1. o pior pra mim é pensar que um belissimo titulo como Bakuman venha vir a cair nas mãos da JBC assim que Hikaru no Go acabar já estou a lamentar desde agora

    2. Tiago sabe qual é o principal problema das traduções de mangás?Simples,e que os editores pensam que quem vão lê los são as crianças.Pelo amor de Deus se tiver alguém da JBC ou nesse blog olhando esse comentário,só quem lê mangás são adolescentes e adultos!!!!Então podem traduzir como se estivessem traduzindo algum livro..

      1. Talvez eles não pensem que quem vão ler são crianças, porque eles sempre recomendam pra maiores de XX idade.
        Isso é só uma puta falta de respeito mesmo!

    1. Bah o Kekkaishi tá mesmo atrasado, aqui e POA consegui comprar o meu semana passada, lá por 10 de fevereiro e dentro dele diz que é de dezembro de 2010. Tá 2 meses atrasado! Antes tava só um.

  23. Sou muito à favor de um CdM de FT, mas entendo o porque de não.

    Enfim, não li ainda a versão impressa de FT. Realmente, prefiro online mesmo. Até porque, na minha cidade, o custo de um mangá é caro, ao menos pra mim.

    Ei, talvez com a nova ideia posta em prática no CdM em relação aos próprio leitor fazer o CdM de vez em quando, poderia ser usada para a criação de um CdM de FT, até porque, FT está agradando muito mais do que Naruto, à várias pessoas(inclusive eu). Além do que a discussão no Portallos é sadia e boa. Seria uma boa opção para quem gosta de FT e não sabe aonde postar comentários sobre.

    1. Opa! Fairy Tail ta realmente agradando muito mais que Naruto. Naruto fica aquela coisa , NUNCA ANDA PARA FRENTE!!! Fairy Tail tá ainda mais empolgante,!

      1. realmente FT ta melhor que Naruto não gostei muito da saga de Edolas mas FT se recuperou bonito nesse novo arco em que o mangá se encontra

      2. Discordo!Do meu ponto de vista fairy tail esta muito chato,pois já está começando a virar uma espécie de CDZ onde o protagonista é o bambambam.Não sei quem foi que disse isso,se eu n me engano foi o ranato,mas ele falou algo interessante,que personagens como o Gray que é secundário,estão sendo esquecido e é verdade,tudo gira em volta de Natsu,pô eu sei que ele é o protagonista,mas tem que da importância aos outros.Ex:Nessa saga….como ele vai derrotar alguém que nem o makarov teve chance?E sabe como é né…promessa de protagonista é sagrada,o autor tem que cumprir se não é linchado.

        1. concordo Natsu é o “bambam” da história assim em como todo shonen que se preze ele sempre terá um papel importante em uma batalha mais vale lembra que em Edolas o personagem “protagonista” acabou sendo o Mistygun e creio que essa saga acabará tendo um outro personagem decisivo que deve aparecer para botar ordem na casa que é o Luxus

          1. Meu chapa, é mesmo! O Laxus ainda nem, apareceu xD. Por isso eu disse que nem tudo está definido ainda e que nessa saga ainda nem ta no meio. Eu tinha até me esquecido do Laxus .

            Eu digo E repito, esses arco ainda nem começou direito …

        2. Como eu disse: “à várias pessoas”.
          Isto é puramente questão de opiniões. Prefiro muito mais um mangá novo que esteja seguindo bem com os seus erros, enquanto que o outro dito cujo vem errando à muito tempo e mesmo assim o seu autor não o conserta. Vejam bem. Adoro Naruto. Sou um mega fã do manga. Na realidade, foi ele que impulsionou-me a começar a assistir/ ler mangás/animes. Sou Jirayete até o último fio de cabelo(portanto não mecham com ele, rá).Porém, a trama já está perdida há muuuuuuuuuuito tempo. Se tornou um mangá de altos e baixos. E o pior, muito frequentemente. Não preciso nem dizer o quanto Naruto favorece seus protagonistas não é? Secundários? Nem existem mais. Em FT eu não vejo tanto favoritismo ao Natsu a não ser pelo papel de co-protagonista que lhe é cabido desde o início do mangá. Só ver. Na realidade, acho esse um ponto muito bom de FT. Ele explora sim os personagens, e não os esqueçe. Discordo totalmente da ideia de que não há rotatividade de personagens. Só ver o último arco(O de Edoras), em que praticamente todos os personagens são apresentados e possuem uma batalha ou aparição digna.

          1. É assim que se FALA!! Falou tudo, Mashima sabe criar os momentos certos para seus personagens… E ele não se esquece de nenhum. Valew! Concordo com você
            VALEW!

        3. Bom, essa saga vai ter muitas reviravoltas, Mashima ainda vai trabalhar com todos os personagens…. Pode esperar, poís oque você quer (Personagens secundários com seus momentos de “OWNANIDADE”) você vai ter xD Ainda que trabalhar com dezenas de personagens não é facil. Mas não se preocupe, Fairy Tail não vai decair igual Bleach ou Cdz.

          PODE ESPERAR, QUE AINDA NEM TUDO ESTÁ DEFINIDO NESTE ARCO DE FAIRY TAIL! ^^

  24. Eu relamente fiquei até que triste com o mangá por um certo ponto… o Aye! Pow, o aye de Happy era tão legal, e eles vem com É ? Aff, realmente isso me decepcionou muito no mangá. E a parte dos “Feiticeiros” , eu não gostei, fica aquela coisa de histórinha de criança… É MAGO!!!
    Tirando esses fatos lamentáveis eu recomendo sim o mangá , realmente para um fã , é sempre bom ter o mangá da série em mãos. Eu compro todo mês por eu realmente gostar de Fairy Tail, e vou continuar comprando xD
    Poderia , a Jbc, dar uma arrumadinha na tradução, ou trocar de tradutor òó
    Estou na espectativa de One Piece pela Panini, se um dia tiver, aí eu falo “Ohhh Beleza!!”.
    Mas mesmo assim, isso não tira o brilho de Fairy Tail, um animê show!

    Recomendo a comprarem, e quem é fã não pode deixar de comprar xD

      1. Hum… não vejo muita diferença. Acho que é só mais um caso dos costumes. Sei lá, como quase todas as traduções são com magos, era de se esperar que o mangá oficial também adotasse esse termo.

  25. E o pior é que esse Guilda das Trevas se não me engano foi decidido por ser o vencedor numa enquete da JBC, ou seja, os fãs escolheram o nome!
    Po “das trevas” parece que tá relacionado à elemento, como se o pessoal fosse vilõezinhos. É um negócio clandestino, fora-da-lei, como não escolheram “Guildas Negras”?!

          1. ser politicamente correto na minha opinião é igual a ser preconceituoso… vc está evitando falar de negro e afins pois pode parecer preconceito apenas por causa da PALAVRA, o sentido não é julgar a raça.. se botasse guilda branca NUNCA que iam reclamar..

          2. Mas quem assiste o anime pelo Mdan, eles sempre traduziram como Guilda das Trevas também. Como sempre ouvi assim não achei estranho.

  26. Fiquei conhecendo Fairy Tail aqui no Portallos, nunca tinha visto anime, nem lido mangá na net, mas deu vontade de comprar pois parecia bom. Mas depois de toda essa falação fiquei sem vontade nenhuma de comprar, ainda mais agora que já foram os primeiros.

  27. Nem vou mais comprar Fairy Tail, eu já tava em dúvida porque não sou tão fã assim do mangá (e também porque a JBC já me decepciona o bastante com Tsubasa, eu não aguento outras facadas).

    A Panini, em D.Gray man, deixou o “Lero” do guarda-chuva falante Lero (tirá-lo seria uma idiotice já que é até o nome dele.) O “Aye” é uma marca do Happy do mesmo jeito. Inadmissível isso.

    Afinal, qual é a da JBC? Não significa “Japão Brazil Communication” ou algo assim? Por que todos os títulos são traduzidos do inglês? E por que eles tentam eliminar tudo da cultura japonesa? (Os sufixos, os nomes dos golpes, etc…)

    Que One Piece e KHR venham pela Panini, por favor! Nem me importo tanto com os atrasos desde que eu veja os mangás na prateleira!!

    (Coisa que não aconteceu quando fiquei passando todo dia nas bancas esperando pelo Tsubasa 48 que nunca chegou na minha cidade, foi direto para o 49)

  28. Acho que sou a minoria(bota minoria nisso) que prefere a jbc do que a panini.Calma,sei que a panini é melhor,porém simpatizo mais com a JBC.Concordo contigo Daniki,pra min só o volume um que ficou chato de se lê.Acho que o 2 e o 3 não ficaram da mesma forma por causa das reclamações dos blogs(que pra min não foram vários e sim só o #maisdeoitomil).Eu prefiro fairy tail na JBC,a panini não ia lançar nunca,pois ela não se preocupa muito com os mangás e sim mais com os HQs.Ao contrário da JBC que é voltado a cultura japonêsa e se preocupa com os mangás.Vêja o caso de soul eater,onde a panini possui os direitos de lançar a anos,mas não lança.Por quê?

    1. Talvez porque a line-up da Panini já esyeja grande demais e ela esteja esperando algumas séries terminarem para lançar outras, evitando assim que um titulo concorra com outro dela mesmo nas bancas.

      Eu mesmo tenho que selecionar o que comprar e o que não comprar, proque tem muito manga bom sendo vendido atualmente.

      1. Você pode ter razão mas…vc já viu a porrada de shoujos que a panini tá lançando?Ela anunciou recentemente que ia lançar um novo chamado kimi ni todoke.Poxa na minha opinião soul eater é um mangá de potencial, por que ela não lança logo?Quero ter ele na minha pratileira logo!!!

        1. Sempre rolou um boato na internet a respeito de certas condições pra um mangá do braço editorial da Square Enix ser lançado em algum país. Dizem que o anime (se houver um) tem que ser licenciado antes do mangá, para que este último possa ser publicado. Se pensarmos bem, o mangá de FMA só apareceu aqui depois que o anime foi exibido pelo Animax… Além disso, tem o mangá de Kingdom Hearts que também só pode dar as caras no Brasil caso o jogo seja oficialmente lançado. Talvez (Sim, TALVEZ) isso seja verdade, o que reduziria as chances de Soul Eater ser lançado aqui. Torço muito pra que seja só boato de fóruns mesmo…

        2. cara shoujo normalmente são curtos por isso é normal que haja substituição de titulos com mais frequência enquanto os shounens da Panini em sua maioria são “infinitos”(Naruto,Bleach,D.Gray Man e etc…) portanto até essas séries acabarem ou entrarem em hiato aqui no país dificilmente veremos novos shounens por aqui

      1. Olha vc pode até estar certo em relação ao preço mais caro,que realmente é chato,mas os materiais usados em ambas as editoras são praticamente do mesmo nível.É sério.A única editora que foi boa nos materias,foi a conrad e atualmente a newPOP.Vc já leu a edição definitiva do dragonball e os primeiros volumes de one piece?As folhas tão branca até hoje e a tradução excelente!!!!Em relação a tradução,a jbc ta no mesmo nível que a panini,o problema dela são as gírias…

        1. NewPop gostei muito do trabalho ;D
          Mais as edições definitivas de DB acho muito foda, é o único mangá da conrad que tenho, acho muito bom o trabalho dela no DB edição difinitiva, porém ela parou a publicação, eu fiquei extremamente puto com isso… Não peguei o tempo de OP na Conrad, comecei a ver animes, mangás por causa da edições definitivas de DB, e o anime de Yu Yu Hakusho… Então torço muito para OP seja republicado por qualquer editora (panini) porque quero muito ter OP (todo mundo quer HEHE)

          1. Concordo contigo.Por min se one piece vier pro Brasil em formato original pra min ta bom.Não importa a editora,só quero que ele volte.

        2. JBC no mesmo nível de tradução que a panini? Discordo veemente, acho que assim como a maioria, gosto de tudo o mais próximo possível do original, e a JBC traduz tudo o que pode, muita coisa fica forçada, sem sentido, repetitiva e retira aspectos da cultura japonesa enquanto a panini mantém bem próximo do original, respeitando o leitor como se deve, cria um glossário para não encher a página de legendas, e nos nomes dos golpes escreve em japonês e em português, além de cobrar mais barato.

          A tradução da Conrad pra mim perde para a da panini por omitir os sufixos (eles não tem tradução exata e são parte da cultura japonesa) assim como a JBC.

          Além disso os volumes de One Piece atrasaram milhares de vez antes de pararem sem dar satisfação e ainda mudaram o papel usado por um mais barato, se era pra usar o papel diferente usasse desde o começo.

  29. pra mim a JBC exatamente por ser uma editora voltada para a cultura a japonesa seu trabalho com os mangás deveria ser o melhor coisa que não acontece nem de longe

    1. rsrs é verdade cara, porra o carro da chefe da editora são os mangás e ela ainda vacila nisso, fica estranho msm. Tipo, eu não acho q a JBC seja tão ruim assim como dizem por ae, o lance do FT é um caso a parte, onde o vacilo foi grande msm…mas eu tenho uma certa consideração pela JBC, por ter sido uma das pioneiras no ramo dos mangás, por eu ter começado por ela, e a Panini meio q entrou na festa quando já estava bombando…mas é claro q agora a JBC ficou pra trás, e um marketing negativo pode acabar não tendo mais volta, um título mal publicado de tamanha importância como é o caso, pode colocar tudo a perder das coisas boas q eles fizeram.

  30. Primeiro devo dizer que o post está muito bom, bem detalhado e tals.

    Quanto às gírias, devo concordar que algumas são desnecessárias ou mesmo forçadas, mas eu confesso que nada me atrapalhou na leitura. O problema, na minha opinião, é que normalmente os fãs de mangá querem tudo o mais próximo possível do japonês, incluindo expressões como “-san” e “-chan”. Isso é uma coisa bem errada, como diz na capa, é uma edição brasileira, então nada mais natural que ter algumas adaptações ou gírias, mas como já disse, algumas ali foram exageradas. A informalidade é mais que natural, considerando o cenário da história, seria totalmente estranho se os personagens “falassem” um português formal dentro de uma guilda, isso levando em consideração a ideia do Mashima de fazer uma história em que os personagens se reunissem em algum bar para festejar e tudo mais (palavras do autor).

    Também fiquei bem triste com a questão do “aye” do Happy, mas isso não me deixou decepcionado. Acho que se uma pessoa quer ler o original numa obra traduzida e adaptada para o Brasil SEMPRE vai se decepcionar, então, se é tão fanático assim que fica achando vírgulas erradas e tudo mais, aprende japonês e lê o original, assim não tem mais do que reclamar. Mas como a maioria das pessoas por aqui, no Brasil, é acomodada e só compra quando vem traduzido e mastigadinho, acho difícil sair reclamando.

    Mas é claro que eu não nego que traduzir do inglês é uma coisa meio ruim, a tradução de uma tradução sempre sofre algumas perdas, seria interessante que traduzissem direto do japonês, mas eu não fiquei triste, nem bravo, nem “meu deus, que lixo, não vou ler FT da JBC”… Eu vou sim, tanto que fiz a assinatura do mangá e não me arrependo. Também recomendo o mangá, para aqueles que não tem preconceitos linguísticos, é claro.

    Mas, isso tudo é apenas a minha opinião, que não deve valer muita coisa.

  31. Cara, sempre me sinto remando contra a maré! Sempre fui a favor de traduzir tudo, e adaptar piadas orientais! Lembro de adaptações de sucesso com One Piece pela conrad ou Yuyu hakusho na manchete, quando yuyu hakusho era transmitido, um programa na globo chamado Sai de Baixo fazia um puta sucesso! Nesse programa tinha uma personagem chamada Solineuza, e lembro que ela tinha uma fala que ficava mais ou menos assim:
    -MAS O QUE?….AH MEU DEUS
    MAS É QUE…AHHH MEU DEUS
    MAS NÃO PODE…..AHHHHHH MEU DEUS!
    Era hilário rsrs, e os dubladores de yuyu sacaram isso e colocaram na dublagem como fala para os personagens! Eu ria litros, pq isso criava uma conexão com a realidade que vivia! No caso de One Piece isso, via as piadas ditas pelo Luffy, muito similar as piadas do chaves, com sacadas bobinhas e inocentes, mas muito engraçadas! Com relação a golpes, sempre fui a favor de traduzir quando a mesma tem um significado para nós do ocidente! Casos como entidades orientais devem ser respeitadas mas casos como clone de sombra, bola de fogo ou demais golpes deveriam ser traduzidos! Um ótimo exemplo disso foi citado por outro leito no comentário abaixo, onde o mesmo lembra que CDZ o seiya solta meteoros de pegasus, ao invés do nome em japonês, e ninguém reclama pq conheceu a serie assim! Em Fairy tail o caso do “Ice Maker” é usado como um prefixo para o golpe não é?! Se me recordo ele diz isso e depois inseri o nome do bicho ou arma que ele molda correto? Não precisava ser “moldar agora” mas poderia e acho que deveria ser adaptado como “Moldar…faisao, tigre, repolho….. pq é isso que o autor quis dizer! Se acham tosco, deveria achar tosco a palavra em qualquer idioma, pois o significado não mudou! O caso do Aye realmente é burrice…. e sobre usar gírias, agora que o mundo ta perdido!!!
    EU POSSO FALAR VC VAI CÊ LASCAR!!! Agora algo que é impresso e distribuído deve ter o português correto! Onde já se viu…….
    Agora sobre o Fairy Tail, não compre e nem vou comprar pq não gostei do rumo da série!
    Fairy tinha tudo pra ser quase perfeito pra mim! O autor chupinhou o traço do Oda e já garantiu minha simpatia! Era bem estruturado, tinha vilões convincentes, aliados legais, um rival a altura, um objetivo a alcançar, um exemplo de força a seguir e um universo de fácil expansão para explorar! Tudo ótimo, mas o autor conseguiu o feito de perder a mão e cair no trivial! Eu imaginei que ia levar anos até natsu alcançar força e chance de uma missão nível S! Achei que ele ia demorar pra chegar ao nível da elza e dos outros dois fudidões da guilda! Imaginei que ele e o Gray iam caminhar lado a lado! Um superando o outro nos momentos certos e depois o natsu mostrar ser maior forte! Mas o autor acelerou tudo! Transformou a serie na aventura do natsu, onde ele faz tudo, pode tudo, alcança tudo e supera tudo! Toda hierarquia criada pelo autor foi quebrada por ele mesmo pondo natsu vencer vilões que nem os três mais estavam vencendo! Seu rival ficou no chinelo em duas sagas! Na quarta saga do mangá, uns cem capítulos mais ou menos e o natsu já tinha lutado com o luxus, tinha vencido um guerreiro fortíssimo que nem elza conseguiu, tinha vencido o lider de uma guilda negra fortíssimo e despertado umas chamas especiais e tava no pais do Happy…… a partir dali parei de ler!!! Então não recomendo Fairy tail a ninguém que espere que essa seja uma serie foda como naruto, one piece ! Mas se quer entretenimento então não irei me opor huauhauha

    1. “Não precisava ser “moldar agora” mas poderia e acho que deveria ser adaptado como “Moldar…faisao, tigre, repolho….. pq é isso que o autor quis dizer!”

      Discordo. O autor quis dizer “Ice Make” porque até em japonês é Ice Make.
      Tipo, Bleach, não sei como é o mangá da Panini mas acredito que deixem no original. O Kubo tá lá fazendo o mangá em japonês, resolve colocar uns nomes em espanhol, vão lá e traduzem tudo como se fosse uma coisa só?
      Só não sei como fica pros espanhóis.. xD

      1. Minha opinião é parecida com a sua, o que é japonês deve ser traduzido. Agora se tá em inglês em um mangá japonês, é porque o autor teve alguma intenção, nem que seja simplesmente dar um ar mais cool ao personagem. Então se tá inglês lá, pode muito bem ficar por aqui. Quer um exemplo? Goku quando criança tinha o costume quando criança de falar thank you para agradecer. A Conrad manteve o thank you e não traduziu para um obrigado. Achei o mais correto.

        1. Mas ai vocês estão pensando só em vcs, é dificil acreditar mas tem menino que nao sabe nada de ingles além do verbo to be!
          E como falei, nao importa a lingua que o autor escreveu, ele não colocou ice maker apenas pq tem boa sonoridade, ele colocou pq isso tem a ver com o golpe! O significado da palavra é o que ele quis usar! Entao Ice maker é tosco em ingles, japones, polones, portugues… pq o significado que ele representa é tosco!
          mas enfim, sei que nesse sentido to contra a grande maioria rsrsrsrs

          1. Ummm… quando vc disse que traduziram o golpe do Seiya para “Meteoro de Pegasus” realmente não ficou ruim.

            Mas como traduziriam o Genki Dama ou Kamehameha? Tem coisas que não dá pra traduzir. 🙁

            E quando há alguma palavra em espanhol ou inglês no mangá de Bleach, eles deixam sim no original, e para os que não souberem, eles colocam a tradução e significado do termo no glossário. 8D
            Sempre foi assim, por isso curto bastante o glossário deles.

          2. Não acho que seja um problema o fato de uma criança não entender o significado do nome de um golpe. Eu brincava de Dragon Ball e “soltava” Kamehamehas, mesmo sem saber o que significava. E a mesma coisa vale pra Genki Dama, Taioken e outros…

    2. Bom, Renato, Natsu chegou ao nível S? Certeza? Até porque, Erza é uma maga santa, logo, se tu falastes que Natsu é mais forte que Erza, ou do mesmo nível, estará dizendo que Natsu possui o nível do Makarov. Chegar ao nível de Gildartz? Gildartz poderia ter matado Natsu se não decidisse ter parado a luta e mostrar que a verdadeira força de um mago, está em ele próprio se superar, coincidentemente, o que está acontecendo com Natsu.

      Ganhado do Luxus? Não vi o Natsu vencer o Luxus. Vi, após o Mistgun ter forçado um pouco a resistência do Luxus, Natssu E Gazille vencendo o Luxus. Os dois.

      Qual vilão fortíssimo? Se refere-se ao arco Phantom Lord? Porque SE for ele foi derrotado pelo Makarov e a Erza não conseguiu lutar muito mais, afinal, já havia suportado 2 poderosos ataques de um canhão nas posses da Phantom Lord.

      E carambolas, tu falas como se 100 capítulos mais ou menos fossem pouco para ter acontecido(aconteceu?) tudo o que descrevestes. Mas peraí, FT não possui 22epoucos capítulos? PoizéZé.

      O que eu vejo que acontece com Natsu é a mesma coisa que acontecia(acontecia?) em Naruto, em que no momento crítico, o personagem(Ahvá que não é o Naruto) despertava o poder da motivação e ganhava a até então perdida luta. Porém em Naruto, nós víamos a transição de força da personagem, o que não acontece tanto em FT, onde não vi(acho) até agora, um verdadeiro treino pesado. Porém, nem por isto, as lutas deixam de serem coerentes.

      Outra coisa que sinto falta em FT é o exploramento(?) de outros lugares. Digo, um arco, hummm, que não tenha a Guilda sobre destaque, como verdadeiro destaque.

  32. Eu vendi meus 14 Ranma 1/2 na época pq não tava mais gostando e abri espaço pra mangás novos e antes de uma viajem decidi comprar Fairy Tail volume 1 pra ler no onibus e adorei, só o que eu conhecia antes era o que tinha lido aqui no Portallos, já li o 2 e tow com o 3 pra ler ainda, e passei a acompanhar o anime já vi até depois do Laxus (soa melhor que Luxus, então eu chamo de Laxus mesmo xd) tow gostando demais, melhor que Naruto, mas não melhor que HxH obvio, isso nunca vai mudar (Togashista safado)

    Conheço tanto a tradução nacional quanto a que o pessoal gosta, e acho as 2 demais, tem algumas meio exageradas mesmo mas no geral deixa as partes de comedia até melhores do que na tradução do anime por exemplo, quanto aos golpes, o do Gray seria algo como Criar Gelo – Escudo! Na JBC meio q só inverteram, Escudo de Gelo – Moldar Agora! não achei ruim nao xd

    Poxa é Fairy Tail, antes esse da JBC com alguns detalhes a primeira vista estranhos do que nao ter nada, tow achando mt foda! Recomendo a versão nacional sim. *Mas adoro o AYE! do Happy, só não gostei de terem mudado isso*

    1. Valeu, Killua! E é bom ver que mesmo quem não se importa com o resto dos “problemas” da edição nacional ao menos concorda em relação ao “Aye!”. A JBC podia ao menos considerar mudar isso. =/

      1. Na verdade eu não ia comprar, com medo do que o pessoal tava reclamando no inicio, mas uma amiga comprou e falou que não tinha visto nada de mais (depois que eu falei do “cavaleiros do zodiaco” “zebra” e talz foi q ela percebeu, mas ela gostou e recomendou, aí eu resolvi dar uma chance e comprei o volume 1 e estranhamente eu gostei, eu ocstumo reclamar tbm, mas acabou que nem liguei pras gírias e talz hauahaha mas acho que o “É” vai acabar ficando assim mesmo, infelizmente, parece que tá meio tarde pra mudar, tinha que ter sido no volume 2 pelo menos..*MDQ de FT é uma ótima ideia mesmo*

  33. Quanto ao anime, é uma pena não ter sequer 1 gotinha de sangue, nesse ponto o mangá causa mais impacto, mas o anime é muito bom tbm, só me incomoda um pouco os personagens fazerem uma apresentaçãozinha meio Power Ranger antes de dar um golpe e aqueles círculos que parecem FMA. Se não me engano, alem da plakinha de apostas, aparece escrito ELZA no falso tumulo depois da saga da Torre no anime, o nome dela não foi alteração da JBC não. Quanto ao traço, o Mashima manda mt bem, pegou o estilo mais arredondado do OP e na minha opniao fez algo mt mais bonito, é um traço limpo, pelas imagens dos CDMs, OP parece ser mt muvucado, FT é mais organizado, e eu gostei dos personagens terem testão ahuhaua, enfim, é um mangá que eu planejo ir até o fim, a historia e os personagens são mt bons.

  34. Concordo completamente também em vários pontos, incusive no veredito final da Dakini, realmente estranheio muito várias adaptações no estilo, sei lá, carioca de conversa, me parece q ao invés dos personagens serem heróis energéticos eles são malandros conversando na rua. Erros de adaptação grosseiros, de quem nem se deu ao trabalho de conhecer a série antes de trabalhar com ela, como o “moldar agora”, Rídículo!! Não sei como não mudaram o nome do Happy para “Feliz”…Além do pior de todos os ERROS DE ADAPTAÇÃO: O HAPPY NÃO FALA “É”, CACETEEE! É “AYE”, JBC, É “AYE”, BRIGGS!!

    Agora vamos para o outro lado da conversa… Apesar de rídiculos os erros ou as gírias que o tradutor aprendeu com a avó dele antes de colocar no mangá. Pode-se notar que a intenção da JBC é popularizar o máximo possível o estilo editorial mangá e eu acho q é válido sim adaptar um pouco, claro, dentro do limite do humano q não é o caso do primeiro volume de FT, até pq existem muitas gírias regionais no Japão tbm e podem não ser plenamente entendidas aqui.

    Mas seria tão simples, se o mercado de mangás fosse organizado por gente mais inteligente e mais ligada em tendências, principalmente na internet, que é onde o principal público consumidor deste produto está… Infelizmente quem cuida dos mangás não está muito longe de quem faz um “artigo” para a Capricho… Pra mim o que falta é gente que realmente conhece dessa área lá dentro das editoras. Apesar de tudo quem faz o melhor trabalho no Brasil é a Panini, que respeita mais o leitor do que a JBC, a finada Conrad e outras juntas.

    Quero One Piece (mesmo estando condenado no Brasil), Reborn!, Bakuman e Air Gear na Panini!!
    Gostaria muito também de ver One Piece na Panini, mas esse já é um problema. A nossa grande amiga Conrad ainda possui os direitos dela apesar de ser uma empresa de garagem vagabunda quando nos referimos a mangás, mas quem sabe não acontece o que aconteceu com Evangelion? Vamos torcer!

  35. Acabei de ler o volume 3 e tomei uma decisao irei dropar esse manga
    Na minha opiniao FT nao vale os 10,90 gastos ;x

    Realmente houve uma melhora de qualidade entre os volumes nao uma melhora muito significativa pra mim de MUITO RUIM o manga ficou apenas RUIM xD

    Primeira coisa que li quando abri o manga foi se tinham tirado o Briggs da tradução e puxa uma pena que nao seria sonhar demais com isso >_>

    Foda FT tinha tudo para ser um dos melhores lançamentos da jbc e se tornou esse manga zuado ;x

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.