E enfim chega Xenogears! [PSP/PS3]

Ainda na empolgação da comemoração dos 3 anos do Portallos (os banners ali na direita para quem quiser conferir), saí um pouco das sombras para postar aqui. Era para ter criado ontem o texto, mas não quis tirar os tantos posts especiais do topo da home! O motivo desta notícia, pelo menos para mim, ser empolgante: 2 anos e meio após ter saído na PSN japonesa, Xenogears, clássico da Square Enix, dá o ar da graça aqui no ocidente, por U$ 9,99. O Paulo citou na atualização da PSN desta semana, mas não pude deixar de criar um post especialmente para esse game.

Para ser sincero, faz tanto tempo que joguei Xenogears, que não lembro muito bem. Mas algumas coisas ficam na memória, como o enredo incluindo temas complexos (inclusive religiosos), o sistema de batalha com combos (misturado com o famoso active time battle), gráficos estilo anime, os gears, a introdução com seu clima de ficção científica que nunca canso de ver. É um jogo excepcional, e como não tive oportunidade na época de terminar dois dos melhores RPGs do Super Nintendo (Final Fantasy III e Chrono Trigger), considero Xenogears dos melhores games que já joguei, lado a lado com Final Fantasy VII e Vagrant Story. A Wikipedia ainda cita de forma elogiosa a trilha sonora, e confesso que é algo que não me recordo bem =)

Resumindo bem a história e com ajuda da Wikipedia, tudo começa no continente de Ignas, onde duas nações, Kislev ao norte e Aveh ao sul, estão em guerra. Ethos, entidade responsável por preservar a cultura desse mundo, cuida de escavações de uma civilizações antigas, de onde são encontrados os Gears, estes utilizados como armas na guerra. Embora Kislev estivesse em vantagem, uma misteriosa força militar denominada Gleber decide se unir à Aveh, o que causa uma virada nos rumos do conflito, com ambos avançando pelo território de Kislev. O jogo inicia em Lahan, durante uma batalha entre Gleber e Kislev, com Fei Fong wong, o protagonista, lutando para proteger a vila (utilizando um Gear), em meio aos gritos desesperados de seu amigo Citan para o perigo que isso representa para a cidade. Logo depois o tomamos controle de Fei, algum tempo antes da batalha acontecer.

Obviamente tive de comprar assim que ficou disponível. Como foi a primeira vez jogando um PSOne Classic no PlayStation 3, tive de me acostumar com algumas coisas. Primeiramente, assim como no PSP, o padrão é mostrar o jogo em Full Screen: se a TV for widescreen fica pavoroso, faça um favor para ti e mude essa configuração, apertando o Home a qualquer momento, entrando na opção ‘Other Settings’. Como a resolução do PSOne era baixa, deixar a imagem ‘esticada’ não fica legal. Nesse mesmo menu tem a opção Smooth, que suaviza serrilhados, mas funciona melhor quando o gráfico é todo poligonal, e como em Xenogears os personagens são sprites, não faz tanta diferença, depois de muita dúvida desativei.

Aliás, os próprios gráficos são de se estranhar a primeira vista, demora um tempo até se habituar. Assim como os controles, juro que não lembrava, mas acho que era assim mesmo: analógicos não funcionam (!), triangulo pula (!!), quadrado é o menu (!!!) … é MUITO estranho. Não sei se não achei ou se realmente não tem um menu de configurações. Dá agonia não poder mexer na velocidade com que aparecem os diálogos! Mas tem que acostumar, não tem jeito. Chega até a ser engraçado, acho que vira parte do charme do jogo. Girar a camera com R1/L1… ok, vou parar por aqui =P

De resto é a mesma experiência do primeiro PlayStation. Achei incrível como me diverti com pouco menos de uma mísera hora de jogo que pude passar antes de vir aqui. Com certeza vou terminar novamente só para poder relembrar a história. Quem por aí não teve a chance de experimentar na época, e não se importa com as limitações técnicas de um game antigo, mais do que recomendo. Não só pela história, mas pelo combate (MUITO) viciante, os Gears, as maravilhosas cenas em CGs/Anime (tudo bem, talvez as CGs nem tanto, mas mesmo delas eu gosto).

E devem aparecer em pouco tempo à venda na PSN o Vagrant Story (outro dos meus favoritos) e Legend of Mana (na minha opnião longe de ser tão bom quanto Secret of Mana, mas o estilo gráfico era diferente e muito bonito, e o jogo tinha suas qualidades). Para finalizar, segue vídeo com a abertura e o começo do jogo!

Ps: imagens retiradas do zerochan.


Isso também pode lhe interessar

34 Comentários

    1. O segundo CD então.

      Esse jogo era foda! O que fico puto é que a square abandonou esse jogos fodas do PsOne pra ficar fazendo um milhão de FF por ano, que ja ta no mesmo caminho que Guitar Hero,ou seja a cova.

      1. O problema é quase quase todo mundo responsável por esses outros jogos saíram da Square, só sobrou o Tetsuya Nomura (e até por isso é praticamente a única outra série ‘viva’ fora FF).

  1. como pode isso..o Portallos falando bem de um jogo exclusivo da Sony?
    daqui a pouco o Thiago aparece e bloqueia o conteudo…kkk..

    aqui é lugar de puxar saco da M$ e da Nintendo

  2. Concordo em gênero, número e grau Dadah! Esse foi um dos melhores jogos que joguei na safra do PSOne com certeza.
    A história era muito boa, e o sistema de batalha, realmente gerava um vício gigantesco…fundindo ainda a possibilidade de se usar os mechas nas batalhas…nossa, saudade bate viu.
    Lembro que ele ainda fez parte do “padrão” de jogar jogos em JP, e se saísse em US, jogar de novo para entender a história (Felizmente, sei que não era o único “maluco” que fazia isso xP).
    Futuramente vou acabar pegando o PS3 por causa desses classics, e de alguns jogos exclusivos dele que me agradam muito.

    Agora, estranhar jogabilidade/gráfico/som/etc, é plausível eu acho. Por mais que gostemos do jogo/desenho (insira outro exemplo aqui), acaba que ficamos acostumados com esse “3rd Generation Pattern” de jogos, e quando vemos algo antigo, ficamos impressionados de como é que aquilo podia ser o “Top” da época.

    Fui ver um vídeo de Legend Of Dragoon outro dia e nossa…preferia guardar as saudosas lembranças do jeito que elas eram xD

    Pra não fugir muito, aconselho a quem não jogou Xenogears a desembolsar as doletas e aproveitar a oportunidade. Se gostam de RPG, este é um exemplo de prato cheio.
    Não joguei e não fiquei por dentro das “supostas” continuações da série, mas me disseram que não chegaram a ser tão maneras como o original.

    Dêem uma chance e não vão se arrepender.

    1. Joguei o primeiro Xenosaga e é legal até, especialmente se tu não esperar uma continuação direta de Xenogears, a sim apenas um jogo no mesmo ‘espírito’.

      Muito bom teu comentário =) E eu quase coloquei no artigo que comecei jogando a versão japonesa (não, tu não é o único hahaha), e parei no meio para recomeçar na americana. Acabou deixando de lado para não extender muito.

      1. Thanks =)
        Sou suspeito para falar de jogos que tenham coisas em 2D, pois tenho uma queda por esse estilo…que aliás, está morrendo aos poucos hoje em dia. As pessoas acham que o 3D substitui tudo, e eu já acho que são duas formas diferentes de agradar.

        A troca de imagens realmente foi merecida…mas sabe o que achei mais legal? Foi na segunda imagem ter aquele bichinho pequenino que a gente “desce porrada” pra evoluir durante muito tempo no início do jogo xD

        Diferente de ti, joguei tudo no JP praticamente. Vi um colega zerar em JP (daí desanimei de terminar porque já tinha visto o resto da parte em que tinha parado), e quando saiu em US, eu já tinha vendido meu PSOne.
        Meu único pesar seria para entender duas coisas(ou pelo menos, ter certeza):
        1 – Porque a Emeralda (ou algo do tipo), cresce do nada depois de certo ponto do jogo?
        2 – Porque o Citan troca de estilo de luta depois de certo ponto?
        Nada demais, e até dava pra ter uma noção, mas sabe como é né hehehe.
        Se bem que pra compensar tal informação, eu teria que jogar de novo mesmo para lembrar do resto da história xP

  3. Man. Joguei apenas um pouco desse jogo, se não me engano cheguei até a casa após aquele “campo” de monstros, no início do jogo, não prossegui porque na época estava atolado de atividades “fora dos games” e jogar algo longo já me desmotivava, mas isso não significa que não gostei, pelo contrário. O jogo, os combos e a dinâmica do sistema de batalha ATP me agradou bastante, mas não cheguei a pegar um Gear. 😛

    Enfim, um ótimo jogo, recomendo mesmo tendo jogado pouco. XD

    1. Kos-mos é da “sequência/trilogia(Se lembro bem, se chama Xenosaga)” que fizeram. Ela não faz parte da história original…não sei dizer se isso é uma coisa boa ou ruim, porque mal vi esses outros jogos xP
      Edit: Aliás, a melhor definição para Xenosaga(e que não me vinha a mente de forma alguma) é “Sucessor Espiritual”…mas é do mesmo autor só por curiosidade mórbida.

      1. A parte da equipe que fez Xenogears foi responsável por Xenosaga. Era para ser no mesmo universo, porém como era outra desenvolvedora (Namco em vez de Square), resolveram fazer tudo diferente, com apenas algumas referencias… tendo isso em mente, são jogos legais, que lembram Xenogears, mas só =)

        1. Hum…eu só sabia que o autor era o mesmo, mas do resto da equipe e do fato da Namco ser dona da outra série eu não sabia. Vlw pela info =)

          Se me lembro bem, tinha um amigo (na época logicamente) que chegou a jogar um, ou mais da trilogia, e ele conhecia Xenogears. E lembro que ele nunca elogiou, nem falou mal também…dái se imagina que a série é mais ou menos hehehe. Mas lógico que foi uma concepção sem base em fatos…vejo muita gente que elogia essa série e gosta dele por causa da tal Kos-mos.

          Ai ai…se continuarmos lembrando dessas coisas, vou acabar comprando pra jogar no PSP mesmo daqui a pouco hehehe.

          1. Até hoje tenho Xenosaga I e II, cheguei longe no primeiro e nunca comecei o segundo. Gostei bastante (gosto de cenas intermináveis, muita história e afins =P), mas eu sou viciado em RPGs, então minha opnião não é exatamente isenta hehe Mas eu recomendaria, como parte dos ótimos RPGs que saíram para PS2 (FFXII, Star Ocean, DQ VIII,, Kingdom Hearts, Radiata Stories, Xenosagas e por aí vai)

            Se tu tiver tempo pra jogar compra haahahah

          2. No passado já fui um amante de RPG (90% do tempo era só isso), e depois fiquei meio afastado…mas agora estou tentando retornar…acho que é mais forte do que eu (e provavelmente o fato de não aguentar ver mais tanto shooter no X ajude xP) hehehe.
            Isso explica o gosto batendo e a conversa fluindo fácil pelo visto né?

            Comecei a jogar a maioria do que você citou, as acabei vendendo o PS2 na época. Acho uma falta de sacanagem a Sony ter podado os suporte aos jogos de PS2 no PS3, e não disponibilizar algo tipo os classics do PSOne para contrabalancear.
            Só não cito nenhum RPG para recomendar, porque depois de tanto tempo sem PS, me confundo se os jogos eram de PSOne ou Two xD

            Meio que no ramo do RPG, estou pegando o FF Tactics do PSP agora. Está aí uma ótima pedida de um jogo que aproveitei bastante no PSOne viu. Fiz tudo no jogo…mas é tão bom (principalmente enredo) que vou me animar a pegar de novo…até porque agora vou entender a história plenamente e ainda com CG’s =)

          3. É, pelo vício em RPGs com certeza =)

            Também achei foda a Sony ter tirado o suporte a PS2 (todo mundo aliás, essa idéia tá lá no topo no playstationblog share). Tinha essa idéia de pegar o PS3 60GB, mas qd pude finalmente comprar ele já era mto antigo, se desse problema ia ser mto complicado… só por isso não vou atrás de RPGs de PS2 (tirando o FFXII, que recomprei barato), não vou ter como jogar (meu PS2 tá longe =/).

            Cara, acho que Tactics ganha no quesito horas gastas, só não sei quantas foram pq o contador para nas 99h, mas com ctz foi muito mais do que isso =P Joguei o começo dele no PSP, só parei pq estou dando preferencia para jogos que nunca zerei, mas com ctz volto. Por causa dele que comprei de olhos fechados o Tactics Ogre que saiu agora, é feito pelo mesmo time (a Sony comprou a Quest que fez esse jogo, e logo em seguida saiu o FF Tactics). Mesmo estilo gráfico, mesmo jeitão, to apostando que vai ser tão bom ou melhor que o FF =)

          4. Pois é…console antigo tem esse inconveniente né? Também pensei nisso na época em que estava escolhendo entre X e PS3, mas optei pelo X graças a esses picotes que a Sony gosta de fazer. Daí me vem esse “Slim” ainda por cima. Os outros 2 modelos “Slim” (One e Two) sempre davam mais problemas que os “fats” e tinha o esquema de só poder jogar 3 horas (ou coisa do tipo) e eles esquentavam…daí já fico com o pé atrás nesse PS3 também (aliás, tá aí um motivo de não pegar um PS2 pra jogar coisas que eu queria).

            Estou analisando o que comprar para o PSP aqui, e dos títulos que vieram rápido a mente, FFTactics está no meio.
            Esse TOgre eu já tinha jogado um pouco no emulador de Snes. Não sei se é porque faz muito tempo, mas na época não tinha visto muita graça não. Estava querendo ver alguns vídeos para ver se compensa mesmo…se deram um boost no remake, provavelmente compense sim.
            Fora o FFTactics, algumas versões de Ys, e talvez aquele remake do Lunar(que joguei a demo e ficou muito bom), acho que vou pegar o Legend Of Heroes: Trails in the Sky que vai sair mês que vem…parece muito bom. Enquanto estou procurando o que de melhor posso achar pra ele, vou brincando no Crisis Core e Dissidia pra passar o tempo hehehe.

          5. O PS3 Slim é o que eu tenho, a quase um ano já, e nunca senti que ele pudesse dar algum problema… não esquentou demais, nem travou nem nada. Parece bem acabado =)

            O tactics ogre vi comentários por aí falando ser melhor que FF Tactics, então estou bem empolgado. O Legend Of Heroes: Trails in the Sky, a Dakini me falou dele, tem a mesma impressão que eu, parece ser um bom jogo, mas não temos certeza… estou pensando seriamente em comprar. E 3rd birthday =)

      2. Oh confundo. Bem que suspeitei, não tinha nada da Kos-Mos no texto e não achava que era tão antigo.
        Mas Xenogears, Xenosaga, Xenoblade, quero todos. xD

          1. World Destruction? Sands of Destruction?
            Já fechei! Só é uma pena que o sistema de batalha é zuado, porque gostei de praticamente tudo nele.

          2. Ah complicado, luta é grande parte de um RPG né.
            Mais ainda nesse, que tem MUITA batalha random.
            O chato é que não tem equilíbrio na dificuldade, ou você humilha todo mundo e os inimigos sempre tiram só 1HP de você, ou contra os chefes você mal tem vez – não entendo como funciona os turnos e outras coisas nas lutas, podia ser bem melhor – e não acerta um golpe. Mas aí é só treinar um pouquinho e humilhar ele depois.

            Deixei pra fazer umas sidequests pra quando comprasse original, mas acabei não comprando…

            O mais legal é o resto, história, personagens, músicas. Já vi gente dizendo que achou tudo isso fraco, mas uma crítica que concordo é que tem MUITA cutscene demorada. Dá pra perceber o tipo do jogo? Tu joga mais pra terminar de assistir, e talvez não seja grande coisa mesmo. =/

            Ah e sabia que fizeram um anime dele?!
            A história não é igual ao jogo – e pelo jeito pra pior – mas ainda queria ver, a a abertura é foda! xD

          3. Mas o que?! xD
            Só pra ter certeza que não me entendeu errado, por cutscenes quis dizer conversas com o visual do jogo mesmo, costumam ser dubladas e as vezes dá agonia a pausa entre as falas, não é nenhuma CG fodona ou algo assim. xD

          4. Bom esse mês lançou Radiant Historia pro DS, to achando que deve ser muito bom! 8D
            Foda que é da Atlus, se não comprar logo vira raridade…

  4. Zerei e gostei bastante, mas, por algum motivo, não tanto quanto outras pessoas. É um ótimo RPG, mas tem outros no PS1 dos quais gosto mais.

    Também não lembro muita coisa da história, Dadah, mas considero isso uma coisa boa, porque aí fica mais legal jogar de novo agora hahah.

    E Xenosaga parece ser bom sim. É mais uma de muitas séries de RPG pra PS2 que tenho que jogar ainda e não arrumo tempo pra isso. XD

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.