Jogando

E enfim chega Xenogears! [PSP/PS3]

Ainda na empolgação da comemoração dos 3 anos do Portallos (os banners ali na direita para quem quiser conferir), saí um pouco das sombras para postar aqui. Era para ter criado ontem o texto, mas não quis tirar os tantos posts especiais do topo da home! O motivo desta notícia, pelo menos para mim, ser empolgante: 2 anos e meio após ter saído na PSN japonesa, Xenogears, clássico da Square Enix, dá o ar da graça aqui no ocidente, por U$ 9,99. O Paulo citou na atualização da PSN desta semana, mas não pude deixar de criar um post especialmente para esse game.

Para ser sincero, faz tanto tempo que joguei Xenogears, que não lembro muito bem. Mas algumas coisas ficam na memória, como o enredo incluindo temas complexos (inclusive religiosos), o sistema de batalha com combos (misturado com o famoso active time battle), gráficos estilo anime, os gears, a introdução com seu clima de ficção científica que nunca canso de ver. É um jogo excepcional, e como não tive oportunidade na época de terminar dois dos melhores RPGs do Super Nintendo (Final Fantasy III e Chrono Trigger), considero Xenogears dos melhores games que já joguei, lado a lado com Final Fantasy VII e Vagrant Story. A Wikipedia ainda cita de forma elogiosa a trilha sonora, e confesso que é algo que não me recordo bem =)

Resumindo bem a história e com ajuda da Wikipedia, tudo começa no continente de Ignas, onde duas nações, Kislev ao norte e Aveh ao sul, estão em guerra. Ethos, entidade responsável por preservar a cultura desse mundo, cuida de escavações de uma civilizações antigas, de onde são encontrados os Gears, estes utilizados como armas na guerra. Embora Kislev estivesse em vantagem, uma misteriosa força militar denominada Gleber decide se unir à Aveh, o que causa uma virada nos rumos do conflito, com ambos avançando pelo território de Kislev. O jogo inicia em Lahan, durante uma batalha entre Gleber e Kislev, com Fei Fong wong, o protagonista, lutando para proteger a vila (utilizando um Gear), em meio aos gritos desesperados de seu amigo Citan para o perigo que isso representa para a cidade. Logo depois o tomamos controle de Fei, algum tempo antes da batalha acontecer.

Obviamente tive de comprar assim que ficou disponível. Como foi a primeira vez jogando um PSOne Classic no PlayStation 3, tive de me acostumar com algumas coisas. Primeiramente, assim como no PSP, o padrão é mostrar o jogo em Full Screen: se a TV for widescreen fica pavoroso, faça um favor para ti e mude essa configuração, apertando o Home a qualquer momento, entrando na opção ‘Other Settings’. Como a resolução do PSOne era baixa, deixar a imagem ‘esticada’ não fica legal. Nesse mesmo menu tem a opção Smooth, que suaviza serrilhados, mas funciona melhor quando o gráfico é todo poligonal, e como em Xenogears os personagens são sprites, não faz tanta diferença, depois de muita dúvida desativei.

Aliás, os próprios gráficos são de se estranhar a primeira vista, demora um tempo até se habituar. Assim como os controles, juro que não lembrava, mas acho que era assim mesmo: analógicos não funcionam (!), triangulo pula (!!), quadrado é o menu (!!!) … é MUITO estranho. Não sei se não achei ou se realmente não tem um menu de configurações. Dá agonia não poder mexer na velocidade com que aparecem os diálogos! Mas tem que acostumar, não tem jeito. Chega até a ser engraçado, acho que vira parte do charme do jogo. Girar a camera com R1/L1… ok, vou parar por aqui =P

De resto é a mesma experiência do primeiro PlayStation. Achei incrível como me diverti com pouco menos de uma mísera hora de jogo que pude passar antes de vir aqui. Com certeza vou terminar novamente só para poder relembrar a história. Quem por aí não teve a chance de experimentar na época, e não se importa com as limitações técnicas de um game antigo, mais do que recomendo. Não só pela história, mas pelo combate (MUITO) viciante, os Gears, as maravilhosas cenas em CGs/Anime (tudo bem, talvez as CGs nem tanto, mas mesmo delas eu gosto).

E devem aparecer em pouco tempo à venda na PSN o Vagrant Story (outro dos meus favoritos) e Legend of Mana (na minha opnião longe de ser tão bom quanto Secret of Mana, mas o estilo gráfico era diferente e muito bonito, e o jogo tinha suas qualidades). Para finalizar, segue vídeo com a abertura e o começo do jogo!

Ps: imagens retiradas do zerochan.


Etiquetas
Isso também pode lhe interessar
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios