Jogando

One Piece Kaizoku Musou | Menos complicação e mais diversão!

One Piece Kaizoku Musou faz mais sentido pra mim agora!

Versão com console dourado no Japão, versão com miniatura do Sunny na Europa e por aqui um singelo lançamento em formato digital, né? Ou pelo menos foi isso o que eu ouvi da última vez que procurei notícia desse jogo, que inclusive depois do vídeo abaixo me animou mais para a compra do mesmo. Mas não exatamente por causa dele e sim porque eu estou vendo que fizeram por esse One Piece o mesmo que fizeram pelo jogo dos Cavaleiros do Zodíaco recém lançado por aqui.

É um hack ‘n slash cheio de inimigos descerebrados, mas o foda do jogo não está aí e sim na diversidade de golpes que você consegue usar. Por exemplo: ouvi muito nego reclamando que no jogo dos cavaleiros o Seiya e os outros estavam usando golpes que eles nunca usaram no anime.

E DAÍ?

Acaso o game teria alguma graça se tudo se resolvesse na base do Meteóro de Pégaso? Com aquelas cenas estáticas, muita pose e ação nenhuma? A graça do jogo está exatamente no dinamismo que ele tem por apresentar um monte de combos que fazem você dar START tentando lembrar como é que se faz o Pegasus Rolling Crash. E não são combos malucos não, como se fosse algo totalmente fora do universo criado pelo autor.

Muito pelo contrário, é como se fossem movimentos que os personagens usariam caso se vissem na situação em que o jogo os coloca. Ou vocês acham mesmo que para proteger a falsa deusa Athena (ludibriados pelo Saga, é claro) só os cavaleiros de Ouro se colocariam na frente da cavalaria de bronze? Achei tudo muito pertinente ao universo da série e até os inimigos conseguem render surpresas mesmo não sendo nada ”OMG”. E chega a ser engraçado isso, porque o simples fato de não apostar todas as fichas no óbvio e rechear o velho bolo de chocolate com algo a mais coloca em poucos minutos um abismo extremamente profundo entre esse jogo dos cavaleiros e aquele de Bleach.

Mas enfim, esses jogos chupados da série Dynasty Warriors perfeitamente travestidos com os temas que eu mais gosto agora sim fazem mais sentido pra mim. Considerando que quem está à frente da produção é a mesma publisher e o fato de que o mundo que rodeia One Piece permite o dobro do dinamismo que eu estou vendo no game dos cavaleiros, eu só posso esperar ainda mais diversão. Esses jogos não são e muito provavelmente nunca serão os jogos mais bem elaborados ou inovadores que eu já joguei, mas em quesito diversão o gênero tem lenha pra queimar sim. A Namco Bandai parece que encontrou a fórmula (ainda que a faça de uma forma um tanto porca).

Seria legal ver ela testando isso com outros nomes de peso.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

K o n S a m a

Do ser sem razão a essa explosão de emoção, do preguiçoso leitor ao (meia-boca) escritor, do tímido calado ao ator inquieto, do caminho já traçado à esquina do destino incerto. Tentei me definir, mas sem sucesso. Games, filmes, música, animes, são só o começo desse quebra-cabeça sem nexo.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios