Assistindo

Lista | As 5 melhores séries de todos os tempos!

Na minha opinião, é claro!

O Portallos EXP desde a sua criação é sobre compartilhar um pouco das histórias e experiências de cada um de nós, seja em nosso mundinho nerd ou então de alguma forma interligado com esse imaginário da cultura pop. Pensando nisso, quis escrever esse texto apontando as séries que representaram muito para mim, as minhas preferidas, aquelas que sempre farei questão de recomendar não importa a ocasião ou lugar.

Não há posição para nenhuma das séries, elas estão lá porque estão. Gosto da maioria delas da mesma forma, embora algumas se sobressaiam em períodos diferentes no meu gosto. Agora enquanto escrevo isso, não consigo tirar uma delas da cabeça, talvez pelo motivo que foi ela que me deu a maior inspiração para começar este post.

Lembrando que são apenas opiniões do autor que vos escreve este post, se tiver uma opinião diferente, basta compartilhar a sua!

Sem mais delongas…

Começar uma lista desse porte é difícil. Até porquê aqui não há noção de posição ou ranking. Então eu poderia estar começando pelo quinto ou então primeiro lugar. Não, ao invés disso, resolvi começar pelas série de comédia, as sitcoms. Das cinco séries que pretendo falar aqui, apenas duas são do gênero, e elas não estão aqui por acaso.

How I met your mother

How I met your mother possui uma sinopse bem interessante e atrativa, afinal acredito que boa parte das pessoas foi assistir o seriado querendo conhecer quem raios é a mulher do título. No meu caso, confesso, não tinha tanto interesse nisso, fui assistir por recomendação mesmo e à procura de uma boa série de humor para assistir, pois já estava acompanhando The Big Bang Theory na época.

Devorei a primeira temporada, vibrei com Ted, um personagem que me identifico muito, e fiquei triste com Marshall com a reviravolta que o personagem apresenta ainda no seu início. Até aí não tava dando a mínima para quem era a tal esposa do Ted, e percebi que eu assistia mesmo para ver as aventuras dos cinco amigos.

É disso que How I Met sempre tratou desde o seu início. Os produtores nos apresentaram ótimos personagens, cada um deles bem diferenciado entre si. A partir disso, temos ótimas situações que vão sendo mostradas no decorrer das temporadas, e até hoje são referenciadas. Afinal, quem não se lembra da aposta dos tapas? Até hoje, ela está incompleta, só para lembrar!

E também, diferente dos sitcoms tradicionais, em How I Met, temos uma evolução constante dos personagens que não ficam presos a mesma forma desde o início. Eles tentam, falham, aprendem com os erros. E destes personagens tiramos também lições valiosas, quantas vezes não aprendemos com as coisas que o Ted fez ou deixou de fazer?

How I Met é incrível, está aí a oito temporadas, trazendo boas histórias e nos colocando a par da vida e dos romances desses cinco amigos que sempre estarão nas nossas lembranças. Legen – wait for it… Queria poder falar mais dessa obra de arte, mas não dá para se prolongar muito, afinal temos ainda outras quatro séries para se falar. Então porque não vamos para a próxima sitcom? Dary! Legendary!

Community

Hum… Eu não dava muita coisa por essa série, ouvia falar dela em algum lugar que eu nem me lembro agora. O que importa é que tive coragem de assistir, e digo com todas as letras que não me arrependi. Após um início mediano, você logo está imerso no que é Community. Um apanhado de referências de todos os tipos a cultura Pop, tudo sendo conduzido por magníficos personagens de um grupo de estudo.

É isso que é Community, um grupo de estudos que frequenta uma faculdade comunitária buscando dar um jeito na vida. Não seria nada demais, não fosse o grande Abed. Não tirando, de forma nenhuma, o mérito dos outros personagens, mas Abed muitas vezes é responsável por comandar boa parte dos plots. Não fosse por ele, não teríamos um dos plots mais divertidos da história da TV, o das dimensões paralelas, que introduziria depois o Evil Abed.

Os outros personagens também são ricos e rendem diversas situações icônicas na TV. Não há limites para a genialidade de Community que já nos apresentou tanta coisa incrível, como o episódio em formato de partida de RPG, o episódio em Stop-Motion e as lendárias partidas de Paint Ball, para não esquecer de mencionar o episódio dentro do jogo em 8 bits. Esses e tantos outros episódios com certeza ficarão marcados na mente de todos que são fãs de Community! É muita genialidade para uma série só!

Game of Thrones

Game of Thrones… O que falar aqui? Quando eu ouvi o anúncio que a HBO iria fazer essa série, não sabia nem do que se tratava. Depois fui saber que era uma série de livros. Ao contrário de todo mundo, não fui seco assistir, isso porque preferi ler os livros antes para aproveitar melhor o conteúdo criado por Martin. E acabei que não vi a série toda, mesmo assim… Bom… Pelo menos não a primeira temporada.

Mas a segunda eu assisti toda, porque já tinha lido o segundo livro. Game of Thrones consegue reproduzir de forma bem adaptada nas telinhas um pouco da obra de Martin que é tão extensa e maravilhosa. A HBO tem grandes méritos por desenvolver tão bem os cenários e os personagens de forma satisfatória, tanto para quem leu como para quem não conhece os livros.

É uma série que têm um padrão muito elevado de qualidade para o tipo de seriado com as quais estamos acostumados. E não digo só em questão de visual e efeitos. Que decisão acertada em transpor o universo de Westeros para as telas da HBO!

Sherlock

Antes de Sherlock, a única série britânica que eu tinha assistido havia sido It Crowd, que por sinal não me prendi muito, não sei porque (só vi a primeira temporada). Deixando isso de lado, Sherlock traz uma releitura da grande obra de um dos maiores detetives da história adaptada para os dias de hoje. Benedict Cumberbatch e Martin Freeman foram os nomes escolhidos para dar vida ao excêntrico detetive e o seu ajudante, Watson, respectivamente.

A série é quase um filme para a TV, a cada episódio, cada um com seus 90 minutos de duração. Cumberbatch está muito bem no papel e é bastante convicente ao mostrar as peculariedades da genialidade de Sherlock Holmes. É incrível como o personagem é palpável, real e carismático, extremamente carismático. Watson não fica muito atrás, dividindo a tela e mostrando-se como grande amigo, é quase um segundo protagonista.

Os casos de Sherlock são intensos e muito bem bolados, sempre havendo algo interligando eles e claro, a apresentação de personagens famosos nos livros, como os também geniais Mycroft e Moriarty. Enfim, é uma série ótima, com padrão de qualidade bem acima de muita porcaria que anda passando na TV. Se não assistiu ainda, corra pra assistir!

Lost

Como fazer essa lista sem falar da série que me iniciou no mundo dos seriados? Lost para mim foi um marco. Podem dizer o que quiserem: Que Lost teve um final ruim e não sei o quê… Tá que ele deixou sim muitas perguntas, mas também jogou pistas. Lost não é o tipo de série que entrega as coisas bem mastigadinhas não, requer um pouco de raciocínio do telespectador, espera-se que ele possa entender algumas coisas que estão sendo abordadas.

Temos a ilha que foi o personagem principal no ponto de vista de muitos. Sim, talvez tenha até sido. Mas se for assim, temos nos coadjuvantes o maior brilho da série. Personagens fabulosos que marcaram na televisão, como Jack e sua as vezes questionada liderança, a genialidade de Benjamin Linus, a banda Driveshaft e o carinho de Charlie por Claire. São tantas as coisas, tantos os momentos… Que ficarão marcados para sempre…

Existem séries que deixaram legados na televisão. Friends foi uma delas, sinal de sucesso que durou 10 temporadas. Lost é outro nome que por muito tempo ecoará e ditará influências em séries posteriores, afinal por muito tempo todos quiseram embarcar na fórmula de sucesso que foi/é Lost.

Para mim Lost sempre será uma experiência… You all everybody…

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Raphael Meltoh

Bio: Gamer desde a infância, mas precisamente desde os 5 anos. Amo séries (comecei pela influência de Lost), e animes. Jogador de RPG e apaixonado por cinema. Descobri recentemente também o gosto por HQ's. Ah! E é claro, fã confesso de Phoenix Wright!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios