Assistindo

Seeking a Friend for the End of the World

21.12.2012 – No, God! Nooo!

O Mundo esta acabando, todo mundo sabe e acredita cegamente nisso. Com o fim à vista é impossível não repensarmos nos nossos acertos e erros, em como poderia ter sido diferente. Afinal, Crepúsculo é um filme que não consegui entender ou é ruim mesmo? Será que aconteceria um Apocalipse Zumbi um dia, caso não terminasse agora? Existe vida pós morte (esse descobriremos (ou não))? Porque gatinhos fazem sucesso na internet? O Google dominaria o mundo se houvesse mais tempo?

E o Cinema Indie é bom, é ruim, é incompreendido?

 Esse que antes era um simples gênero que tratava de assuntos tabus, por uma ótica que conseguia nos trazer até breves sorrisos, acompanhando a vida de um e não da situação em si. E que agora começava a entrar num universo de gêneros, catástrofes, apocalípticos e mantendo o seu tabu.

E aqui entramos em Seeking a Friend for the End of the World (Procura-se um Amigo pra Passar o Fim do Mundo).

Tratando de um assunto bem comum no nosso dia a dia, (ainda mais agora que é real e esta próximo) o filme vem com sua ótica afetuosa e nos faz parar de pensar no fim do mundo, passamos a pensar nos relacionamentos, nas emoções e no que fazer com o que temos.

Lembrando produções como 50/50, Pequena Miss Sunshine, Juno, 500 Dias com Ela (um dos meus filmes preferidos), Melancolia, talvez.

O filme mostra um cenário apocalíptico onde um Asteroide esta vindo em direção a Terra e não existe forma de evitar o fim. A primeira reação das pessoas é aproveitar seus últimos momentos ao estilo Sexo, Drogas e Rock’n Roll. Mas nem todos pensam assim.

É o caso de Dodge (Steve Carell) que após ser deixado pela mulher, passa a esperar o fim. Então encontra Penny (Keira Knightley) sua vizinha, que de forma bem rápida se aproxima de Dodge e ambos vão passar o fim do mundo, reencontrando seus familiares. Afinal, é uma história de pessoas solitárias.

Por ter Steve Carell no elenco fico a espera de uma comédia, mas não essa comédia romântica que me oferecem, fico a espera de gargalhadas, tal qual The Office. Não é disso que se trata e é bom que não esperem isso.

A dica é sentar com paciência, com pipoca, sem ansiedade e euforia e apreciar um filme lento, com dois atores bons, fora de seu ambiente. Apreciar um encontro entre grandes atores como Steve Carell, Keira Knightley, Rob Huebel, Tonita Castro, Leslie Murphy, Connie Britton, Rob Corddry, Melanie Lynskey, Martin Sheen e tantos outros. A lista aqui poderia ser enorme.

E o mais importante, não tentar adivinhar pra onde o filme quer ter levar, só deixe que leve. E torça para o lado que preferir.

Não quero deixar esse texto muito longo, porque ainda preciso fazer outras coisas antes que tudo termine, por isso aqui vai a minha despedida ao pessoal que acompanhou o Portallos durante todo esse tempo, a equipe do site que sempre se dedicou a trazer o melhor pra cá e sempre compartilharam suas experiências. Caso o mundo não acabe (o que acho difícil), desconsiderem essa última parte.

21-12-2012

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Senhor Coruja

Adoro cinema e não consigo escolher o filme da minha vida. Me tornei viciado em séries quando conheci Friends, já bem tarde. Leitor esporádico de mangás, hqs e livros. Sou ligado a tecnologia, tal qual Lain. E se existe algo entre Old School e Tempos Atuais, esse sou eu.Tempos Modernos, talvez.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios