Dando Nota!Jogando

Gears of War 4 | Além da campanha, é hora de competir online! (Impressões)

Ficha Técnica

Game: Gears of War 4 (site)
Desenvolvedor: The Coalition
Publisher: Microsoft Studios
Twitter: @MSStudiosBlog / @CoalitionGears / @GearsofWar
Facebook: Gears of War / The Coalition / Microsoft Studios

Plataformas & Preço: Windows 10 & Xbox One (Normal – R$ 199 / Deluxe – R$ 317)
Características de destaque: shooter em terceira pessoa, campanha cooperativa, multiplayer versus e modo horda, violência, brutalidade e personagens desbocados.
Multiplayer: Cooperativo & Competitivo

Uma semana depois do lançamento oficial!

Há uma semana, Gears of War 4 finalmente estava sendo liberado para todos. Nada de apenas acesso antecipado para imprensa e criadores de conteúdo no You Tube, nada de acesso antecipado para quem comprou a versão de luxo do game. A comunidade que não teve tal privilégio finalmente pode colocar as mãos no game, e como foi interessante acompanhar esta semana de descobrimento geral de Gears of War 4 a partir da visão do jogador normal.

Modo online finalmente com o combustível necessário para funcionar apropriadamente, nada dos jogadores dependerem das opiniões prévias sobre o jogo, podendo conferirem por si próprio o resultado da produção. E vieram as opiniões para todos os lados sobre o game, seja por fóruns, redes sociais e em qualquer lugar na qual as pessoas quiseram discutir Gears of War 4! Ainda que ache o fórum oficial o melhor termômetro, pois é lá que estão a comunidade realmente apaixonada e veterana na franquia.

Bom ver que apesar das primeiras críticas oficiais do game terem sido bem mornas em questão de notas, outras que vieram bem depois, como o da IGN US, ressaltaram que mais Gears of War é exatamente aquilo que a série precisa para continuar seu sucesso entre os jogadores. Disse isso em ReCore e digo de novo, os primeiros reviews em sistema de acesso antecipado precisam ser cuidadosos, pois a experiência plena de tudo que o game tem a oferecer ou como ele vai funcionar pós lançamento, as vezes nunca é bem representado nesse momento. Gostei de ver que a IGN lá fora esperou até onde deu, para liberar seu review e nota final.

Gears of War 4 (7)

Não que não seja uma mão na roda receber o game alguns dias antes do lançamento, mas a sangria pelo review no dia de término do embargo ainda é algo que os jogadores precisam tomar um pouco de cuidado ao pesquisarem pelos primeiros reviews. Claro que isso é a minha opinião pessoal sobre o assunto, há quem obviamente pense diferente. Dito isso, não mudo qualquer vírgula que tenha feito no meu review de Gears of War 4, que foi publicado em 6 de outubro lá no Jovem Nerd.

Tomei um cuidado lá para dizer aquilo na qual sabia que já podia ter uma reflexão pertinente para o momento pedido. Foquei naquilo na qual o impacto do acesso antecipado não sairia prejudicado por ter testado o game antes de seu lançamento: a campanha principal e a história criada para trazer de volta todo um universo finalizado ao término de Gears of War 3.

Gears of War 4 (17)

Hoje, nesta nova avaliação do game, não vou repetir aquilo que disse no meu primeiro texto. Peço até que caso você queira saber mais sobre a campanha, a nova história, os novos personagens e os novos elementos apresentados dentro da experiência para um jogador, vá lá no Jovem Nerd. Dê uma prestigiada nessa grande oportunidade que tive de publicar algo lá. Quem sabe não sou convidado a voltar lá mais vezes para falar um pouco mais de grandes games da plataforma Xbox One. Eu certamente gostaria.

A minha intenção na matéria de hoje, é contar a minha experiência online nas modalidades de multiplayer, após a abertura do online e dos servidores para todos os jogadores do planeta. Afinal, depois que se termina a campanha de Gears of War 4, o game não acabou. Pelo contrário, talvez para muitos, o jogo só esteja começando!

Pegue sua Gnasher, e venha para o multiplayer de Gears of War 4! \o/

Microtransações e as cartinhas da discórdia!

O multiplayer de Gears of War 4 começou causando barulho na terça-feira passada. O fórum oficial estava lotado de jogadores insatisfeitos com um novo sistema aplicado aqui ao game e que não estava sendo aceito pela comunidade muito bem: o sistema de compra de pacote de cartas. A The Coalition até precisou se pronunciar, mexendo um pouquinho nas regras e dizendo que estava ouvindo o feedback geral.

Eu não tiro a razão para quem ficou bem insatisfeito com esse esquema. Afinal, Gears of War 4 não é um game gratuito para ser jogado online. Ele custa 60 dólares, ou 200 reais aqui no Brasil. E o sistema de compra de cartas de itens não é nem um pouco barato. Há pacotes que começam em 4 reais e que podem chegar até mesmo ao valor de 317 reais, valor muito superior ao preço do game em si.

Você até por pensar, “ah, mas esse valor é para destravar tudo no game, certo?”. Então, sinto lhe informar, mas não. O que o sistema de cartas libera? Basicamente recompensas, tanto do versus quanto do horda, habilidades de classes do modo horda, skins de personagens e de armas, e emblemas para usar no seu perfil online. Recompensas garantem pontos de experiência, para subir de nível mais rapidamente. Skins e emblemas são itens cosméticos. O mais problemático talvez sejam as habilidades de horda, na qual são cartas que garantem atributos extras ao seu personagem ao jogar horda, como mais saúde, mais dano com recargas ativas etc.

Gears of War 4 (6)

Vi muitos jogadores no fórum oficial reclamando que a Horda agora é um sistema de ter que pagar para ganhar (pay to win). Eu discordo um pouco disso. É verdade que com alguns pacotes de Horda, o jogador consegue algumas habilidades bem úteis, mas a verdade é que o modo Horda em Gears of War 4 é uma das Hordas mais difíceis que a série recebeu. Não é uma parada fácil, especialmente ao se imaginar que todas as classes de habilidades possuem um sistema de level próprio. Ou seja, o jogador começa fraco propositalmente. Se faz necessário jogar muita Horda para poder subir de nível e assim ter mais slots para ter melhores habilidades.

Fora que os pacotes de Horda são um dos dois pacotes mais baratos do game. Custam 4 reais ou 400 CR, a moeda dourada presente no game. Estas moedas são ganhas jogando Horda ou Versus. Ganhando ou perdendo. Veja só: notei que em cada partida vencida em Versus o jogador pode ganhar tranquilamente cerca de 60/70CR, se perder, são 35/40CR.

Ou seja, em 10 partidas ou menos, já se tem o suficiente para se conseguir comprar um pacote de Horda e ter suas primeiras habilidades, sendo que no level de classe 1, o jogador só pode usar uma carta de habilidade, que por sinal não é consumível, ou seja, se você ganhou, a terá para sempre. Não parece tão injusto, parece? A cada cinco level up no Versus, o sistema lhe dá 500CR, o que lhe garante a compra de um pacote de Versus ou de Horda.

Gears of War 4 (5)

Claro que essa atenção aos detalhes, a matemática de todo o sistema, não é algo que todo mundo fica prestando atenção. É mais burocrático do que realmente deveria. E aí chove-se críticas. Fora que, o jogo não dá pacotes por méritos do jogador, como subir de nível, ou abrir conquistas, ou feitos realmente incríveis. Poderiam dar um pacotinho de graça sempre que o jogador chegasse a um certo nível (ao invés de apenas moedas CR), ou que houvesse recompensas ou objetivos semanais que pudessem dar esse aperitivo ao jogador, recompensando-o por estar ali, jogando sempre o game, prestigiando seu modo online. Afinal, sem jogadores, esse tipo de game não sobrevive por muito tempo.

Bem, passado por esse ponto, há outro aqui e que dou total razão a quem está reclamando até agora. O game não destrava nenhuma skin de personagem para ser usado no multiplayer pelo modo tradicional do game. Chegar ao level 50? Matar tantos inimigos? Não há nada assim. E como se ganha um personagem? Comprando um pacote que se chama Pacote de Operações (1.000CR) ou um Pacote de Elite (3.500CR), e mesmo assim, não é garantido que você vá conseguir um personagem. Estes pacotes contém skins e emblemas, mas pode acontecer de vir somente skins de armas e emblemas, por exemplo. Ou de vir um personagem repetido, que você já tenha.

Eu dei uma sorte ao abrir um pacote elite e vir justamente por dois personagens que estava doido para usar no multiplayer, um DeeBee no lado dos Swarns e o Marcos Fênix de armadura no lado da CGO. Mas há vídeos por todo o You Tube e fórum oficial que mostram que as pessoas andam dando azar e não estão conseguindo tirar o que elas querem. Isso é ruim.

Não vejo problema que o game pago tenha um sistema de microtransações, porém não acho que ele deve ser tão restritivo como foi feito aqui em Gears of War 4. Para aproveitar de uma forma plena o multiplayer, há que se abrir caixas, há que se jogar por horas, acumular moedas e torcer pelo seu personagem favorito, ou skins de arma, ou habilidade etc em um sistema bem arbitrário. E mesmo que o game lhe dê moedas que se acumulam para que você não precise gastar um único centavo, me parece que o fornecimento desta grana virtual não vem na mesma proporção recompensadora que estes pacotes quando abertos gratificam os jogadores. Não é uma sensação de reciprocidade. E é por isso que tantos estão reclamando. E dou razão.

Tendo passado a última semana mais entretido com o multiplayer de Gears of War 4, dá para sentir que os jogadores não ficaram muito satisfeito com esse sistema, algo que parece não ter incomodado tanto gente assim em Halo 5 Guardians, que possui um sistema bem parecido (mas que a meu ver, sabe recompensar melhor seus jogadores). Não acho que isso estrague totalmente o multiplayer do game, mas certamente é um baque que sinto que os jogadores não estavam esperando.

O melhor Versus multiplayer da franquia?

Aqui se tem outro ponto que também vi sendo muito debatido pela comunidade ao longo da última semana. Este é de fato o melhor Versus multiplayer de toda a história da franquia Gears of War? Olha, na minha opinião, se não for, está bem próximo de ser.

Uma coisa que sempre me desagradou no modo multiplayer competitivo dos antigos Gears of War eram as dezenas de listas de modos de game. E era tudo em dobro, porque a Epic Games separavam todos os modos em social e por ranking. E colocava novos modos a cada final de semana, enquanto tirava outros. Quando saia um pacote de DLC, triplicava todos os modos de game, refazendo todos eles em listas exclusivas de DLC. Sempre achei isso um pesadelo. Era listas e mais listas, um caos total.

Gears of War 4 (12)

Para os jogadores brasileiros, ter tanta divisão de modos em tantos tipos de regras que os repetiam, só segregava demais a comunidade, resultando assim em muitos modos na qual era impossível conseguir jogar. Nunca se encontravam jogadores. Era muito ruim. Existe essa máxima em nossa cultura gamer nacional de que aqui a gente só sabe jogar mata mata. Imagine então em games onde há quase duas dezenas de salas separadas e listas repetidos? Que terror.

Gears of War 4 soube se organizar muito bem, aprendendo com os erros do passado. Partidas sociais? Há somente uma opção. Você coloca buscar e vai cair em uma partida aleatória de algum dos modos presentes no game, exceto escalada (que foi idealizado para competições de e-Sports). Ao final da partida, os jogadores podem votar em mudar o modo de jogo ou continuar no mesmo em outro mapa e assim continuarem jogando. O lobby de jogadores não se encerram, permanecendo online. Isso é fantástico, pois evita voltar ao lobby para buscar por uma nova partida.

Gears of War 4 (2)

Já nas partidas por raking, está tudo ali, bem dividido. Já notei que aqui no Brasil esta modalidade é um tanto mais demorada para encontrar partidas. Nos primeiros dias após o lançamento da terça-feira, jogar o modo escalada parecia impossível. Algo que consegui tranquilamente neste final de semana antes da publicação desta matéria. E o modo Escalada é realmente demorado, mas incrível (ainda que terrivelmente difícil de se ganhar sem um time conversando via chat, para se organizar taticamente).

Não ajuda muito também o fato de que os servidores de Gears of War 4 são separados por região ao redor do globo. Não há um servidor exclusivo para o Brasil, por sinal, apenas dois servidores na América Latina em geral, o que torna a taxa de ping um pouco mais alta do que muitos gostariam.

Felizmente isso não tem sido um empecilho pra mim, mesmo com a minha sofrida internet (4MB). Deu para jogar de boa. Só acho ruim que o game não consiga ir buscar partidas em outros servidores caso não ache o que você predefiniu como padrão. Tive que mudar em algumas ocasiões para testar se algo assim acontecia e não acontece. Mudei para servidores americanos, o ping é alto, mas partidas por ranking são encontradas bem mais facilmente, ainda que não seja tão bom assim jogar com uma latência maior do que o dos servidores latinos.

Gears of War 4 (9)

Gears of War 4 aliás traz dois novos modos competitivos: Queimada e Corrida Armamentista. A primeira o jogadores puderam testar no beta do game meses atrás. São cinco jogadores contra cinco, sendo que a cada morte de adversário, um jogador morto do seu time volta. Isso cria partidas imprevisíveis, na qual o último jogador pode conseguir virar uma partida por completo se conseguir aniquilar dois ou três do time adversário. É um modo realmente muito divertido, tanto de jogar, quanto de se assistir ao se estar morto.

Só que Corrida Armamentista é melhor! Nesse modo, os jogadores jogam com todas (ou quase isso) as armas do game. É preciso que o time mate três adversários com cada arma, na ordem estipulada pelo game. Vence o time que conseguir matar com todas as armas primeiro. O grande barato é como as armas somem de repente. Em um momento você está com uma espingarda na cara do oponente e ela vira uma sniper em segundos, porque alguém do seu time matou o último do rodízio da espingarda. É frenético, é maluco, soa como algo que faz sentido em Gears of War.

Gears of War 4

Tirando estes dois modos, retorna os grandes sucessos dos games anteriores. Mata Mata em Equipe, Rei do Pedaço, Execução, Zona de Guerra e Guardiões. Aqui, não senti falta de outros modos presentes nos antigos games, ainda que já tenha visto jogadores pedindo no fórum oficial por modos como Wingman (2 vs 2) ou antigo Annex (que ficou bem melhor como Rei do Pedaço na minha opinião). E todos os modos podem e aparecem na rotatividade do partida social, então não há um modo na qual os jogadores não estejam jogando ou conhecendo, o que é bem importante para diversificar as partidas sociais.

Já o Escalada, mencionado mais acima, é um modo mais complicado de se explicar. Uma partida pode demorar até meia hora para ser concluída. São até 15 rodadas, sendo que vence o time que completar 7 vitórias primeiro. Escalada consiste em um sistema mais complexo de Rei do Pedaço. O time precisa dominar anéis, sendo que vence aquele que pontuar mais ou dominar ao mesmo tempo os três anéis de cada mapa. A cada rodada, armas vão sendo acrescentadas ao mapa. Após a sétima rodada, os anéis também mudam de lugar. É um modo bem pensado, altamente competitivo.

Por último, há que se comentar sobre os mapas do modo Versus. A The Coalition já revelou que há planos para mais 24 mapas a serem lançados ao longo dos próximos 12 meses, sendo 2 novos por mês. Isso é muito bom, mas há que se torcer por alguns retornos e também mapas mais inspirados.

Gears of War 4 (4)

Não que os mapas inéditos de Gears of War 4 sejam ruins, mas são um tanto pouco inspirados em relação aos antigos mapas clássicos. A simetria de todos também é algo que andou irritando um pouco a comunidade no fórum oficial. Isso acaba deixando alguns deles bem idênticos, mudando apenas o aspecto visual em si. Fora que alguns mapas, como Impacto e Reaproveitado, não aparecem com a frequência na rotatividade de mapas, enquanto Fundação ou Porto aparecem a todo momento. Isso é ruim, pois há que se esperar que houvesse um melhor equilíbrio nessa rotatividade.

Porém isso é algo para se acompanhar de perto, afinal 24 mapas estão para serem acrescentados ao game, e todos serão gratuitos e poderão ser usados por todos os jogadores no modo online. Apenas será necessário pagar os jogadores que quiserem ter tais mapas para jogarem em partidas privadas.

Para encerrar, antes de ir para o modo Horda, digo que estou bem satisfeito com o modo Versus em Gears of War 4. A progressão de níveis nele não é ruim, ainda que pouco recompensadora, mas o game certamente está bem mais dinâmico. As partidas, no modo social, são encontradas rapidamente, os modos vão mudando, os jogadores estão sabendo jogar e tudo está saindo como esperado, ao menos nesse primeiro momento do game. Me parece que a estrutura do multiplayer não precisou sofrer tantas reformas ou mudanças quanto os games anteriores tiveram ao longo de seus anos.

Claro que boa parte das brigas no modo Versus se resumem ao combate de proximidade, ou seja, tem Gnasher explodindo para todo lado. Os jogadores não ficam em cobertura atirando com a Lancer ou outro rifle no multiplayer, exceto aqueles que dão suporte e cobertura a quem está mais a frente (o que por sinal é uma boa tática). Há aqueles que reclamam disso, mas sinceramente Gears of War no multiplayer pra mim sempre foi isso, andar com a Gnasher em punho, esperando o momento certo para explodir alguém. Não é um multiplayer de rifles e combate a longa distância. Nunca foi.

Há pontuais consertos e melhorias a serem realizados, não adianta tampar o sol com a peneira, especialmente no sistema de cartas e na ausência de objetivos semanais, mas fora isso, está tudo melhor do que particularmente eu esperava para o lançamento inicial do game.

Horda 3.0, novidades, ausências e dificuldade acima do esperado!

Gears of War 4 soube reinventar o modo Horda, isso é fato! A The Coalition aprimorou elementos da Horda dos games anteriores. Por exemplo, as construções, defesas, torretas, sentinelas e outros equipamentos de combate agora podem ser construidos em qualquer lugar e em qualquer um dos mapas presentes no game (ao todo são 10). Não há mais aquela coisa de defesas e construções em pontos fixos, como é em Gears of War 3. Isso dá uma liberdade imensa para os jogadores montarem suas próprias estratégias.

O Forjador também funciona como uma base móvel. Além das construções, a pequena caixa mágica, pode fazer basicamente qualquer coisa. Qualquer arma do game pode ser comprado nele. Recolher a tag de um companheiro morto e levar ao Forjador também o revive, ainda que isso custe créditos de construção.

Gears of War 4 (15)

Estes créditos são obtidos abatendo os inimigos ao longo das 50 ondas presente na Horda. Só que não basta derrubar o inimigo, é preciso ir até onde ele caiu e recolher o crédito. Daí cabe ter uma certa estratégia no modo, pois abater inimigos a longa distância pode causar a complicação de ter alguém do time que vá até lá buscar o crédito. E não basta recolher, é preciso voltar até o Forjador e colocar os créditos nele. Uma vez colocado, o crédito acumulado pode ser usado por qualquer membro do time.

As construções são velhas conhecidas dos veteranos da série, ainda que haja uma ou duas novidades realmente muito boas. Os espinhos e barreiras que impedem ou desaceleram o avanço dos inimigos continua presente no game. Torretas e sentinelas automáticos também. Agora uma novidade muito boa é o armário de armas.

Com esse armário, o jogador pode recolher qualquer arma do game, Mulcher, Lança Serra, Tripod, Boomshot etc, e colocar nesse armário. Isso fará com que a arma recarregue a sua munição automaticamente (leva alguns minutos). O que é uma ótima estratégia para as ondas mais avançadas, na qual os inimigos são muito fortes e ter as armas mais poderosas a disposição é uma mão na roda.

Gears of War 4 (16)

E o esquema do Modo Horda segue bem idêntico aos games anteriores. Na décima onda, sempre há um chefe visto na campanha do game, sendo que após 10 ondas, o ciclo se reinicia, mas com os inimigos mais fortes, mais agressivos e causando mais dano. O Forjador com o tempo também se fortalece, podendo criar melhores construções.

Dentre os chefes da Horda, estão o Brumak, que agora se chama Swarmak, o helicóptero da CGO, o Snatcher e Carrier. Quatro tipos de chefões. Pouco, não? Também tive essa impressão. O fato é que a The Coalition decidiu não trazer nenhum dos velhos chefes, nem os velhos inimigos dos games anteriores.

Entendo aqui a decisão para tal, já que o multiplayer acompanha o sentimento da nova saga, das novas regras desse universo. Porém não tem como não imaginar que legal seria poder lutar novamente contra Berserkers, Reavers e Corpsers neste novo Horda. Até mesmo a ausência de inimigos dos antigos games poderia dar uma outra dinâmica neste modo, já que basta algumas horas jogando para ver que o game não tem tantos tipos diferentes de inimigos a ponto de surpreender o jogador. Depois de algumas horas, dá para sacar o que virá em cada onda, o que combater primeiro e como sobreviver (ainda que saber e entender, não quer dizer que você conseguirá).

Torço para que o modo Horda possa ao longo dos próximos meses acrescentar novos inimigos e novos chefes. Nem que para isso seja necessário trazer de volta antigos chefes e inimigos. Mesmo que não faça sentido eles estarem de volta aqui, imagino que os jogadores não se importariam muito com tais detalhes técnicos. Afinal fidelidade e coerência nunca foram requisitos tão necessários nos modos multiplayers (jogamos com personagens zumbis, alguns já mortos, de épocas diferentes na linha cronológica etc, não há problema e trazer alguns Locusts clássicos para cá, certo?). Imagine que legal seria reinventar a batalha contra o General RAAM agora neste novo modo Horda? Poderia acontecer, e isso não estragaria esse modo de game.

Alias, skins de personagens é algo que também deixa saudades no multiplayer de Gears of War 4. Dizzy Wallin, Tai Kaliso, Jace Stratton, Carmine (todos), Adam Fenix, Richard Prescott, Michael Barrick, Bernie Mataki, Alex Brand, Garron Paduk… vixe, a lista é maior do que imaginei. Todos estes fazem uma certa falta no multiplayer. Na parte dos Swarms, da mesma forma que há BeeDees, poderia ter skins de Locust clássicos também. Espero que com novos mapas, a The Coalition também anuncie personagens antigos da série retornando. Faz total sentido expandir progressivamente detalhes como estes ao longo dos próximos meses.

Gears of War 4 (18)

E antes de terminar de comentar o modo Horda, há um detalhe em específico que preciso mencionar: não há partidas sociais em Horda, o que significa que os jogadores não podem entrar em partidas já iniciadas! O que é muito ruim, já que se alguém do time sair no modo online público, essa vaga não é preenchida, nem por bots, nem por outros jogadores. Exceto se você convidar alguém de sua lista (bem, é esperado que funcione, apesar de não ter tentado).

Considerando que a Horda pode levar até 5 ou 6 horas para ser concluída, especialmente nas primeiras tentativas, jogá-lo online, com outros jogadores desconhecidos, pode vir a ser um problema. A menos que possa se chamar alguns amigos para tapar o buraco deixado pelos jogadores que saírem da partida, que por sinal não há qualquer penalização. Da mesma forma que não é possível começar a Horda de uma onda específica no online. Ela sempre vai começar da primeira.

Me parece um aspecto meio mal planejado. Poderia haver um modo social. Não me incomodaria de entrar em uma partida com a onda 30 ou algo assim já iniciada. Tive uma partida onde estava eu e mais dois jogadores desconhecidos jogando, chegamos na onda 20 e justamente nela, um saiu. Ficou apenas eu e mais um. Ficou impossível continuar com apenas dois jogadores. E não poderia entrar novos jogadores, exceto por convite, o que no momento não havia ninguém online para chamar. Acabamos parando na onda 20, sem terminá-la. É um caso a se pensar se não poderia ser aprimorado essa experiência do online público da Horda.

No geral, a Horda 3.0 apresenta uma dificuldade bem acima da média. Isso graças a certas categorias de personagens presentes no game. Os DeeBees maiores, os Scions e os Bounchers, quando começam a vir, causam problemas e podem desestabilizar o time. O próprio modo normal não é moleza, especialmente considerando algo que disse lá no começo, que a Horda agora tem classes de personagens e eles precisam subir de nível e ter novas habilidades. O recomendando é que os jogadores comecem a Horda até mesmo na dificuldade Casual, e conforme foram melhorando suas classes, vão para os outros níveis de dificuldade (Normal, Difícil e Insano).

Gears of War 4 (14)

Aliás, classes de personagens. Acabei não explicando como funciona, ainda que não seja nada complexo. Agora há personagens com categorias. Batedor, Soldado, Peso Pesado, Franco Atirador e Engenheiro. Cada personagem tem um set de armas e algumas vantagens. O Batedor por exemplo tem bônus de crédito ao recolher os créditos de pontos ao Forjador deixado pelos inimigos, enquanto o Engenheiro já começa com uma arma para reparar construções, e o atirador de elite começa o game com uma sniper. É uma adição bacana ao Horda, que muda certos aspectos da partida. Porém é uma diferença que só é sentida nas ondas bem avançadas e em times bem entrosados. Até porque os jogadores trocam de armas a todo momento nesse modo, e há habilidades que podem compensar certas habilidades de classes fixas. A arma de reparo do engenheiro, por exemplo, pode ser adquirida por qualquer um no forjador.

Horda 3.0 talvez seja a melhor evolução que o modo Horda poderia ter recebido, porém ainda tem seus problemas. Certos aspectos que precisam ser revisados para manter a longevidade do modo pelos próximos meses. E não tenho dúvidas que isso irá acontecer.

Em uma nova casa, um recomeço oportuno

Para terminar este texto, que está muito maior do que inicialmente achei que estaria, posso dizer que Gears of War 4 não é um game perfeito, entretanto, sendo uma das maiores franquias do Xbox, estando em uma nova casa, um novo estúdio e recebendo a difícil tarefa de se reiniciar em uma nova geração de consoles, o trabalho da The Coalition é louvável.

Claro que há problemas em diversos aspectos do título, porém ainda assim nada disso está impedindo que o mesmo seja divertido. Manter o legado não é algo fácil. Seja na campanha, ou no multiplayer online, Gears of War tem uma base de dados gigantesco, então é óbvio que os jogadores veteranos vão sentir falta daquilo que precisou, neste momento, ser deixado para trás.

Gears of War 4 (13)

Essa política de microtransações da Microsoft para com seus exclusivos também é algo que os jogadores precisam ficar atentos, pois o que começou com algo tímido, parece que está começando a se tornar mais abusivo do que deveria. Os sistema de cartas realmente não agradou em Gears of War 4 e não duvido que isso possa afastar alguns jogadores pelos próximos meses, a menos que a Microsoft Studios e The Coalition revejam alguns dos parâmetros impostos. Ainda que, reforçando, o sistema não seja um empecilho para que os jogadores joguem e se divirtam com o título.

Em termos de história, espero que a franquia possa novamente ser expandida para outros produtos de entretenimento. Um filme já foi anunciado dias atrás, porém o que realmente gostaria de ver é uma nova linha de livros e quadrinhos, que pudessem se passar nesta nova era, após o fim de Gears of War 3, que contassem algumas histórias de Sera nestes 25 anos de paz. Até porque Gears of War 5 não deve surgir antes de 2018 (ainda chutaria um lançamento para 2019).

Só que ainda não tem como saber todos os planos da The Coalition para os próximos meses. Gears of War estava vindo com uma tradição de ganhar mini campanhas contando novas histórias via DLC. Até o momento nada disso foi anunciado, porém imagino que a comunidade de fãs adoraria que algo assim ocorresse. Porém, certamente o gancho deixado ao final da campanha só será trabalhado no próximo game.

Gears of War 4 (10)

Gears of War 4 é um destes títulos que os jogadores precisam realmente jogar para entender porque é uma franquia tão adorada por sua comunidade. Porque possui uma atmosfera, um universo tão apaixonante. Porque é tão querida. É um título que os personagens são complexos, interessantes. É um game onde suas mecânicas fluem de forma natural, onde as partidas são divertidas, seja você um jogador casual ou hardcore. É um game completo, que sabe proporcional uma experiência single player ou multiplayer. Tem de tudo um pouco aqui, e isso é muito bom!

Sim, há muito o que melhorar, consertar e aprimorar, mas sendo este o primeiro Gears of War sob a tutela da Microsft Studios e da The Coalition, me parece que é um título que conseguiu muito mais acertos do que erros. E olha que havia reais chances para que o game fosse um desastre completo, ainda mais pensando no que acontecendo com Gears of War Judgment. Felizmente não é este o caso, e Gears of War 4 conseguiu colocar tudo nos eixos novamente.

Como Rod Fergusson (diretor do game) disse há alguns meses antes do lançamento do game: “Faça direito antes de fazer diferente” (do it right before you do it different). E não é que é isso mesmo? É justo.

Gears of War 4 (11)

Trailers e vídeos oficiais!







Campanha que renova todo o universo da série
Novo elenco tem carisma (mas não supera o elenco original)
Modo Versus finalmente com listas organizadas
Exagero nas Microtransações e sistemas de cartas
Horda 3.0 está melhor, porém há pontos a serem aprimorados
Escalada, Queimada e Corrida Armamentista são excelentes adições
Recompensas no multiplayer online são fracas

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Isso também pode lhe interessar
Etiquetas

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!

Artigos relacionados

Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios