JogandoRedes Sociais

Minipost | Iniciando a leitura de Duna (de 1965)…

Miniposts são pequenos aperitivos em forma de imagens ou vídeos com pequenos textos compartilhados pelas redes sociais do Portallos. O feed (origem e ordem cronológica) destas publicações é nosso Instagram.

Primeiro contato

Dei inicio há alguns dias a um novo livro. Bem, um velho livro, mas que nunca havia tido a oportunidade de ler até então – e se assisti ao filme de 1984 não me lembro de nada a seu respeito. A Editora Aleph está relançando Duna novamente no Brasil, dando assim uma nova oportunidade para aqueles que não conhecem o livro de 1965 de Frank Herbert. Uma edição bonitona, em capa dura e com uma nova arte de capa entre outros conteúdos extras.

Não tenho a antiga versão da Aleph para comparar, mas ficou realmente bonita essa nova versão que está sendo lançado neste mês.

Quanto ao livro, ainda é cedo para dizer algo a respeito. Só tive tempo de ler o primeiro capítulo. Em breve terá uma matéria no site mais encorpada a respeito. Deixo por aqui apenas dois trechinhos iniciais, para mostrar um pouco do clima narrativo ao se iniciar o livro.

Informações adicionais

Um adendo. Pegando pelo início, Duna não parece ser um livro de difícil leitura, mas tal como qualquer livro de ficção científica, haverá momentos em que o autor viaja nos tempos e isso faz o leitor não tão atento se perder um pouco.

Um bom exemplo já no primeiro capítulo é o termo Bene Gesserit. Achei que se tratava de uma família ou um clã, sei lá, me deixou um pouco confuso. Felizmente tem um glossário lá no final do livro que acabou resolvendo essa dúvida em poucos segundos. Está na imagem em destaque aqui o significado.

Normalmente não tenho o hábito de ler o glossário todo. Nem antes ou depois de terminar um livro ou mangá. Mas gosto de saber que ele está ali, justamente para momentos como estes, na qual um ou outro termo acaba precisando de uma breve contextualização para fazer mais sentido.

Isso também agiliza um pouco a narrativa, não fazendo um momento dentro da trama ser didática demais em um momento em que ficaria estranho tais explicações. Ao final do capítulo, por exemplo, mesmo que não tivesse lido o glossário, acaba ficando mais claro o que significa Bene Gesserit.

Universos de ficção são assim mesmo. Possuem regras e nomenclaturas próprias. É isso que as vezes o fazem parecer tão reais. No caso de Duna, há até um mapinha no final do livro e notas cartográficas. Uau!


Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios