FolheandoLendo

Superpato O Legado | As Espantosas Façanhas de Fantomius – Ladrão de Casaca – (Indicação)

O tempo voa quando se tem uma pilha gigante de quadrinhos em atraso para ler. Parece que foi ontem que adquiri Superpato: O Legado quando a Editora Abril ainda lançavam estes excelentes encadernados temáticos em formatinho e a preços acessíveis a quem se interessasse em conhecer um pouco mais de um material que normalmente fecha tão bem assim nas publicações mensais. Só que essa é uma edição lançamento em setembro de 2013, já se passaram 4 anos!

Este volume especial marca a estreia da série As Espantosas Façanhas de Fantomius – Ladrão de Casaca – aqui no Brasil. Uma série que perdura até hoje na Itália e que estreou por lá em novembro de 2012. Atualmente as histórias desse universo são publicadas esporadicamente na revista mensal do Tio Patinhas.

Só a título de curiosidade, para melhor contextualização, o encadernado não contém três HQs que precederam a criação da série: O Tesouro de Dolly Páprika (saiu em Tio Patinhas 573 – Abr/2013), O Segredo de Fantomius (Tio Patinhas 574 – Mai/2013) e O Passado sem Futuro (Tio Patinhas 577 – Jul/2013).

Dá para ver que essas história saíram nas revistas de linha da editora meses antes da chegada do encadernado, como uma espécie de “esquenta” para ele. Na época foi uma boa ideia, mas certamente quem for procurar esse material para ler hoje em dia vai penar um pouco pelo fato dele ter sido picado de tal maneira. E é meio que importante ler as três HQs mencionadas acima para entender melhor quem é Fantomius.

E quem diabos é esse tal de Fantomius? Em uma rápida explicação, esse é um personagem que sequer tinha um rosto quando foi mencionado pela primeira vez em 1969. A menção desse personagem surge em uma história de origem do Superpato, versão super herói do Pato Donald. HQ que consta nesse encadernado por sinal.

— Um parênteses então: muita gente não gosta do Superpato, pelo fato de achar muito discrepante a personalidade do herói para com a própria faceta original do Donald e… isso não vem meio que ao caso aqui. Superpato é uma coisa, Fantomius é outra.

Donald encontra esse diário do tal Fantomius, uma figura enigmática que assombrou Patópolis lá pelo início do século XX, em meados da década de 20, que descumpria a lei, zombando dos ricos em forma de protesto pelo forma supérflua como a alta sociedade vivia na época. Para tal o personagem usava uma máscara e um uniforme, este que acabou sendo adaptado pelo Donald para que ele se tornasse o Superpato, onde inicialmente ele também zombava dos mais afortunados diante do fato do próprio Donald ser abusado em situações com o Tio Patinhas e seu primo sortudo Gastão. Eventualmente a Itália achou que ele poderia ser mais herói e menos vingativo, por isso o Superpato passou por algumas transformações ética. Fantomius não.

E é meio que essa a proposta da série do Fantomius. Uma viagem no tempo, para uma Patópolis há mais de 100 anos atrás, onde não existe Mickey, Patinhas, Donald e outros alter egos dos mais famosos personagens disneyanos. Aqui o retrato são novos personagens, novas figuras para compor histórias de época, mesclando crimes sobre o pretexto de ser uma crítica a alta sociedade, esnobe e metida. Histórias criadas pelo desenhista e roteirista italiano Marco Gervasio.

Nestas HQs a paleta de cores muda um pouco das histórias convencionais, são um pouco mais opacas, dando aquele gostinho de história de época. Há todo um cuidado em retratar a tecnologia e a atmosfera de como é Patópolis no começo do século XX.

O protagonista é um lorde britânico chamado John Lamont Quackett, ou simplesmente Lorde Quackett. Ele é Fantomius, o ladrão da alta sociedade que rouba dos ricos, faz pouco caso do comissário de polícia e deixa um cartão na cena do crime para afirmar e desafiar as autoridades que nunca conseguem lhe pegar. Fantomius conta com a ajuda de Dolly Páprika, sua namorada, e também com a ajuda de Copérnico Pardal, ancestral do Prof. Pardal, para a construção de aparatos que permitem suas façanhas.

Legal apontar que Lorde Quackett quando não está com sua fantasia furtiva, aplicando seus golpes, participa de eventos e encontros com suas vítimas, sob a alcunha de Lorde Quackett e para tal, o personagem sempre finge ser um desastrado, em momentos onde quase sempre machuca alguém, sendo sua principal vítima o Comissário Pinko, que sequer suspeita da real identidade de Fantomius.

É interessante essa forma como o autor da série retrata Lorde Quackett, pois ele brinca um pouco com essa faceta do azar que existe no Pato Donald, mas de uma forma onde Lorde Quackett age de forma proposital, enquanto o Donald é um azarado convicto. Quando Fantomius assume tudo isso desaparece, tal qual o Donald se leva mais a sério quando está como Superpato (ainda que desastres ocorram as vezes), o que também dá a entender que é tudo uma questão de auto confiança, em especial quando se olha como o Donald muda ao se tornar o Superpato.

Enfim, neste volume de Superpato O Legado são apresentado as cinco primeiras histórias da série solo do Fantomius, sem referência a Pato Donald ou a Patópolis do presente. São histórias desconexas, que não necessariamente precisa de uma ordem de leitura específica para serem lidas e nem são obrigatórias para se começar a ler o universo de HQs de Fantomius. As outras três HQs mencionadas lá no começo da matéria são mais importantes nesse sentido.

São pequenas aventuras de crimes e peças que o personagem prega aos antagonistas de cada HQ. São boas histórias de roubos, na qual o autor está sempre tentando criar uma reviravolta inteligente ao final. As vezes o Fantomius é enganado, mas dá a volta por cima, em outra ele brinca em revelar a sua identidade ao mundo, há uma que se passa em um cruzeiro então a lista de suspeitos gera conflitos na trama, enquanto em outra ele realmente encontra um adversário a altura do desafio. Por fim, há uma HQ basicamente muda, que homenageia grandes nomes e sucesso do início dos filmes e do cinema como arte (é a mais fraquinha, mas também a mais carregada de elementos históricos).

São histórias com um bom trabalho de roteiro e que quebram o ritmo de um tradicional HQ Disney. Quem não curte Pato Donald, Mickey & cia talvez curta as histórias do Fantomius, pois elas são inspiradas em outros personagens da literatura e quadrinhos, baseados em grandes e famosos ladrões desse gênero. O encadernado contém páginas extras onde o autor fala mais sobre isso.

De resto o encadernado fecha com outras três HQs bem clássicas do Superpato, a primeira com a origem de tudo e uma baseada em um clássico do personagem com base em um castelo. Uma fase em que o Donald ainda era mais vingativo do que herói. São histórias interessantes pelo contexto na qual foram criadas. O Castelo das Três Torres é de 1972, enquanto O Castelo dos Segredos é meio que uma sequência homenagem a ela produzida na Itália em 2013. Como o encadernado se chama Superpato O Legado e não apenas Fantomius, acaba sendo um material que faz sentido para o mesmo.

Enfim, como li recentemente esse encadernado, tive essa vontade de vir aqui comentar um pouco sobre essa série. Acredito que em algum momento futuro a própria Editora Abril deva encaderná-lo em uma edição de luxo especial em capa dura, tal como vez fazendo com tudo de qualidade atual da linha de quadrinhos Disney. Vai ser uma oportunidade legal para quem perdeu esse começo. Em todo caso, novas e inéditas aventuras com Fantomius podem vez ou outra serem encontradas na mensal do Tio Patinhas. Fique de olho!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.