Silver Spoon | Uma simples colher de prata!

Hiromu Arakawa, célebre mangaká mundialmente conhecida graças a Fullmetal Alchemist, se viu depois do fim de sua primeira obra-prima diante de um mundo aberto e cheio de possibilidades. Como seria sua próxima grande obra? Outra fantasia épica? Outra estória intrincada cheia de mistérios? Para a surpresa (ou choque) de muitos, Arakawa-sensei decidiu criar um mangá sobre um rapaz que perdera de vista seus objetivos e foi para uma escola agrária de ensino médio. E qual não foi a surpresa em constatar que uma estória com um mote tão simples pudesse transmitir tanta sabedoria e amor? Com Gin no Saji (ou Silver Spoon), novo mangá da autora que recentemente ganhou uma adaptação em anime, Arakawa provou não apenas seu talento e versatilidade, mas também que estórias não precisam ser fantásticas para serem inesquecíveis. Viver em si já é uma experiência extraordinária.

Hachiken Yuugo era um rapaz de quinze anos que frequentava uma escola preparatória e, depois de falhar em um teste, reavaliou sua vida. Sentindo-se sufocado por sua família (sobretudo por seu rígido pai) e percebendo que havia ficado tão obcecado em estudar e conseguir bons resultados que não sabia o que queria fazer no futuro, Hachiken resolve se distanciar de sua casa e assim vai parar na Escola Agrária de Ensino Médio Yezo, em Hokkaido. Ocorre desde logo um choque cultural entre Yuugo e seus colegas, quase todos filhos de fazendeiros, e se inicia uma fase de descobertas e crescimento para o jovem.

A inspiração para Gin no Saji veio da própria experiência de vida da autora, que cresceu em uma fazenda em Hokkaido. E é essa experiência que dá grande realismo a Silver Spoon e faz desse mangá uma obra inigualável! Os leitores são colocados no lugar de Hachiken, que vivera até aquele momento com uma visão de mundo limitada e que de repente se encontra tentando entender o mundo pelos olhos de um fazendeiro. E não é só o protagonista que é constantemente desafiado. Personagens que sempre viveram no mundo agrário também têm suas ideologias postas em prova pelos questionamentos de Hachiken. É recomendável se apegar a um animal que será sacrificado? A pessoa que o criou será capaz de comê-lo? Existe maneira correta de se administrar uma fazenda? É errado sonhar quando sua família depende de você? É correto abrir mão de seus sonhos pelo bem de sua família? É ruim não saber para onde ir? É aceitável fugir para sobreviver?

silver-spoon-covers

Talvez o tema que mais se destaque em Gin no Saji seja o valor do trabalho e da comida. São os fazendeiros os responsáveis pela alimentação da população, mas eles precisam trabalhar duro todos os dias e seus esforços não geram lucros muito expressivos. Mas as crianças de uma fazenda jamais devem passar fome! Para garantir isso, elas ganham depois de nascer uma colherzinha de prata. Trata-se de algo pequeno que pode passar despercebido, mas essa colherzinha carrega todo o amor, a esperança e o trabalho de uma família. Gin no Saji não dá respostas sobre a vida. Não existem vilões nessa estória, tampouco se traçam claramente os limites do certo e do errado. Mas o aprendizado e as reflexões que você tira da leitura desse mangá fará com que enxergue a vida de uma maneira diferente. E além de lições duras, Silver Spoon tem muitos momentos de leveza e pura comédia.

A felicidade que parecia tão inalcançável para Hachiken agora lhe agracia em momentos simples e sagrados, como saborear uma refeição depois de um longo dia de trabalho, se divertir com os amigos e passar tempo com a garota de quem ele gosta. Os problemas ainda existem e por mais assustadores que eles sejam, é necessária a coragem para não soltar as rédeas. Mesmo que as pessoas inevitavelmente se firam, isso não significa que elas devam ser deixadas sozinhas. Gin no Saji não é simplesmente um mangá escolar ou um slice of life. É uma crônica sobre a vida e o amadurecimento, em uma narrativa grandiosamente simples.

Com-Gin-no-Saji

Isso também pode lhe interessar

7 Comentários

  1. Por mais que eu gostasse muito de Full Metal Alchemist, na época não liguei para esse mangá da Arakawa. Lendo o post acho que parece valer a pena dar uma olhada.

    1. Eu também não tinha expectativa para esse mangá, mas com a estreia do anime eu comecei a lê-lo e adorei. Já é um dos meus favoritos. 🙂

  2. Belo texto! ^^

    Admito que quando esse mangá saiu eu torci o nariz para ele, principalmente depois de ler uns capítulos e ter achado tudo tão "meh", tão chato, com piadas ao meu ver forçadas. Por isso decidi deixar "Silver Spoon" para lá….Para quem sabe voltar a tentar ler algum dia quando tivesse mais capítulos para ver se tinha melhorado.

    O tempo passou, eu não voltei a ler mais, o anime foi anunciado e bom…Decidi dar uma chance ao mesmo e não me arrependi. Diferente do meu primeiro contato com o mangá, o anime me conquistou logo de cara e é um dos meus favoritos da temporada atual e já estou analisando seriamente em começar a ler a obra.

  3. Acho o mangá uma obra prima, um novo jeito de fazer mangá que prova que não são só os Batle Shonen os queridinhos dos públicos.

    Ansioso para que esse mangá seja publicado no país.

    JBC?
    Pode ser você também Panini.

  4. Confesso que tenho certo preconceito e um sentimento de desperdício, considerando que Full metal é uma das obras mais fascinantes que eu conheço, gostaria muito de ver a autora fazendo outra obra com o mesmo tema.

    Ainda assim, eu não duvido de modo algum que Silver Spoon seja fantástico também – do seu jeito. E seu texto ficou tão bom que me vi obrigado a comentar, parabéns.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.