Assistindo

Futurama, "cancelada por idiotas" em 2003, está de volta! E continua espetacular! [6×01-02] [PdS]

Bender: On the count of three, you will wake up feeling refreshed, as if Futurama were never cancelled by idiots and then brought back by bigger idiots. One…two…(snaps fingers)”

Futurama: Ano 6, Episódio 01-02. Foi exibido nos EUA dia 24 de Junho: “Rebirth” e “In-a-Gadda-Da-Leela”.

Enquanto isso no Brasil: Ainda não há previsão da estréia da novíssima temporada de Futurama por aqui. Atualmente é o canal Fox que eventualmente reprisa alguns velhos episódios de temporadas passadas.

Aviso: Continue apenas se você já assistiu ao episódio 6×01-02 de Futurama. Haverão spoilers!

Não conhece o Papo de Série? Basta clicar aqui e ficar por dentro do projeto. Depois do “continue”, a gente conversa mais.

Rebirth

Wow! Mal posso acreditar que finalmente os novos episódios de Futurama estrearam nos EUA no dia 24 deste mês! Estréia especial, com uma hora de duração trazendo dois novíssimos episódios da sexta temporada do show!

O primeiro episódio, Rebirth (Renascimento) se saiu melhor que o segundo episódio, mas não tinha como ser diferente. Adorei a piada inicial, com o hipnosapo (hypnotoad no original) e Bender e a tiração de sarro com o cancelamento e o retorno da série. Rá! Adoro estas tiradas que os desenhos americanos fazem com os canais de TV.

Quanto ao episódio em si: sensacional! Simples assim. Deram continuidade aos eventos do último filme, quando a tribulação da Planet Express entra num buraco de minhoca (ou buraco negro), como se estivesse indo a lugares onde nunca mais o veríamos, servindo assim de despedida caso a série não fosse ganhar uma nova temporada, aí ironicamente, a nave volta a Terra e com isso Futurama está de volta à TV!

O episódio trabalha com o tema renascimento. Todos os personagens da série meio que morrem na reentrada ao planeta, já que estavam fugindo de Zapp Brannigan, as naves acabam explodindo. Claro que isso não significa nada, afinal estamos no ano 3000 e quase tudo é possível para a tecnologia daqui mil anos.

Porém Leela fica em coma, e Fry acaba criando um robô Lelaa, enquanto isso, Bender é obrigado a ficar dançando 24 horas por dia, pois como a sua bateria arriou, o professor Farnsworth acaba colocando uma bateria muito potente nele e caso ele não dance para gastar a energia sobressalente, ele corre o risco de explodir e matar todos. Rá! Como eu adoro Futurama.

O episódio segue nesse ritmo e mais a frente vem as reviravoltas que a série sempre soube como fazer. Lelaa retorna do coma, Fry é quem morreu mesmo, e o que atuou no episódio inteiro é um robô, Bender explode dentro da boca de um largatão, mas não é destruido, Fry de verdade acaba sendo ressucitado e os robôs Lelaa e Fry acabam virando um casal e indo embora.

Gostei das novas diretrizes da série em relação a Fry e Lelaa e este episódio mostrou bastante disso. Fiquei com receio de que os produtores fossem separar o casal novamente, já que na antiga série, Fry nunca conseguiu conquistarLelaa, isso só rolou com o desenvolvimento dos filmes de 2008/2009. Mas a julgar pelo que rola no segundo episódio, o romance do casal continua, mas de uma forma mais tranquila e sem o dramalhão que este tipo de situação as vezes possui. Afinal é Futurama e tem que ser escrachado e maluco e nisso a série mostra que já está nos eixos corretos.

In-a-Gadda-Da-Leela

O segundo episódio, já traz uma nova história. Mesmo impactante que o anterior, mas o primeiro episódio tinha algumas pontas com o filme para fechar e por isso foi mais interessante e divertido. Provavelmente os roteiristas já haviam imaginado com muita antecedência como iriam conectar a história. Agora livre das amarras da trama, o segundo episódio pode voltar a brincar com eventos soltos, como a antiga série brincava.

E para mostrar que o relacionamento de Fry e Lelaa não vai estragar a série, o episódio é quase que praticamente dedicado a Zapp Brannigan e seu amor obcessivo por Lelaa. E com apenas 20 minutos, a história brinca com muitos elementos famosos.

Temos a paródia com Adão e Eva, interpretado por Zapp e Lelaa. Temos a estrela da morte, um elemento famossíssimo de filmes e séries de ficção científica. E temos a brincadeira com censura e os maus costumes dos humanos. Achei hilário a estrela da morte se chamar “V-GINY”, e o pior é que os personagens ficam o episódio inteiro falando o nome dela. Rá!

Eu nunca gostei muito do personagem Zapp Brannigan. Acho que ele tem alguns bons momentos, como naquele clássico episódio do planeta das Amazonas (morte por “snu snu”!), mas no geral as piadas envolvendo o personagem são previsíveis e batidas, mas ainda assim o episódio consegue criar algumas situações novas, adorei por exemplo, a cena da imagem abaixo, com o Fry e um quadro dele mesmo. XD

E Futurama não é Futurama sem cenas no espaço. Ficou engraçado a nave espacial do professor que fica invisível, mas só a nave! os pilotos não! Zapp e Lelaa no espaço e se infiltrando na estrela da morte visualmente ficou sensacional. A piada de que toda estrela da morte tem uma entranda vulnerável também foi ótima!

O episódio ainda teve tempo de brincar em três ocasiões com antigos desenhos animados, em preto e branco, com os efeitos especiais toscos de antigamente. Achei legal a versão de Fry, Lelaa e Bender, que aparecem rapidamente no começo do episódio (imagem em preto e branco mais acima). E os roteiristas souberam encaixar perfeitamente no episódio como uma espécia de sonho de Zapp.

Quanto a parte de Adão e Eva, algumas cenas foram engraçadas, outras enroladas e fiquei com uma raiva do Zapp no final, com aquele “insira aqui a onomatopéia usada” (sou péssimo com onomatopéias) a cada mentira que a Lelaa desmascarava do personagem.

Outra piada muito boa, mesmo que bobinha, foi quando Bender menciona programas inapropriados como “The Pimpsons e Assarama”, brincando obviamente com os shows de Matt Groening! Sei lá porque mas dei uma baita gargalhada quando escutei “Pimpsons”. Futurama me deixa bobão. Alias falando em trocadilhos, o nome do episódio é uma brincadeira com a música “In-a-Gadda-Da-Vida” da banda norte-americana Iron Butterfly.

Enfim, se Futurama continuar assim, pretendo toda semana voltar aqui para falar de todos os episódios. Sou realmente fã do desenho e pra mim é uma das melhores produções americanas já feito nesta década em termos de animações. Acho que o Simpsons depois de 20 anos ficou desgastante e até xarope, fico realmente contente que Matt Groening tenha conseguido trazer Futurama de volta. Pra mim o show dá de 10 à zero nos Simpsons.

E os três próximos episódios de Julho já tem seus nomes oficiais divulgados:

6×03 (1º de Julho) = Attack of the Killer App!
6×04 (8 de Julho) = Proposition Infinity
6×05 (15 de Julho) = The Duh-Vinci Code

Até o próximo episódio!

Obs: Fiquei em dúvida se usava sexta ou sétima temporada no post. No site TV.com é considerado o ano 7 da série, contando os 4 filmes em DVD como uma sexta temporada. Entretanto o site oficial da série (aqui), considera os novos episódios como sexta temporada, então resolvi seguir o que o site do show está considerando.

Fecho o post com um recap de 7 minutos de todas as temporadas anteriores de Futurama!

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios