AssistindoSeriados

The Event começa nos EUA fazendo mistério e trazendo uma narrativa diferenciada! [1×01] [PdS]

The Event: Ano 1, Episódios 01! Foi exibido nos EUA dia 20 de Setembro:
I Haven’t Told You Everything

Enquanto isso no Brasil: Está marcado a estréia para dia 18 de Outubro, as 22h, no canal Universal!

Aviso: Esta matéria é apenas sobre o primeiro episódio, claro que terá spoilers, mas são irrelevantes neste ponto da história e servem para saber o que esperar da série!

Não conhece o Papo de Série? Basta clicar aqui e ficar por dentro do projeto. Depois do “continue”, a gente conversa mais.

“I Haven’t Told You Everything”

Sempre fui fã de séries como 24 Horas, Prison Break e Lost. São as famosas tramas continuadas, onde o telespectador precisa assistir toda a temporada sem perder nenhum episódio. A dinâmica e ritmo destas séries é bem diferente daqueles que trazem episódios fechados, com começo, meio e fim e que por muitas vezes, você pode perder 2 ou 3 episódios, que eles não fazem falta algum para a história em geral.

E a chamada “Fall Season” começou nos EUA, onde as séries renovadas retornam em uma novíssima temporada e também novas séries e novas tramas surgem para ocupar o espaço daquelas que foram concluídas ou canceladas no começo deste ano. The Event surge para suprir a lacuna deixada pelas séries que citei no começo da matéria, porque convenhamos, não tem nada parecido com estas na grade americana atualmente. Nenhuma série de ação desenfreada, suspense e mistério. Flashfoward que deveria ter esse papel, falhou vergonhosamente ano passado.

Vi o primeiro episódio de The Event semana passada, e durante o episódio em si, foi inevitável já ficar com saudades do Jack Bauer gritando pra lá e pra cá durante a trama, e até uma pequena lembrança de Lost pipocou na cabeça (devido a cena na ilha paradisiaca) e quando eu menos esperava, a série fecha o primeiro episódio com um evento de ficção: um avião desaparece no ar! E a mulher misteriosa do episódio diz ao presidente “Eu não lhe contei tudo”. Rá! Pronto, a série me conquistou, resta agora torcer para o clima da trama continue assim!

Mas vamos com calma. Outro ponto interessante sobre o piloto de The Event e que espero que continue assim por todos os outros episódios da temporada é que a história é contada em blocos de personagens. Ou seja, uma tela preta surge na tela, aparece o nome de um personagem, e a história segue esse personagem por um tempo. Aí no próximo bloco, aparece outra tela preta, e outro nome de personagem, e aí vemos a versão dele dos fatos. Muitas vezes as historias se cruzam. E aquilo que não ficou claro no bloco anterior, passa a ficar quando o outro lado da história é mostrado.

É uma narrativa que exige atenção, é verdade, porém adoro séries que não tem narrativa linear. The Event começa assim, não só contando a história em blocos, ams também trazendo flashbacks dentro dessa narrativa, que explica mais ainda, o que diabos está acontecendo. É um quebra-cabeça, as peças não se apresentam na ordem certa, e com isso as perguntas e dúvidas levantadas durante a história, vão sendo respondidas aos poucos, enquanto as maiores, de plano geral da temporada, vão ganhando foco e perspectiva aos poucos.

De fato o primeiro episódio não explica certas coisas, como o que é O Evento que dá nome a série? Ou quem são as pessoas mantidas como prisioneiras do governo dos EUA? Como é possível um avião desaparecer no ar (teleporte ou viagem no tempo?)? O que aconteceu com a namorada do protagonista da série? São boas premissas para um começo, e a forma que os roteiristas arranjaram para contar a história, me empolgou muito.

Quanto a história, deixa ver se consigo dar uma resumida aqui. A trama começa com um rapaz qualquer num avião. Esse personagem aparenta ser o protagonista da série, seu nome é Sean Walker (interpretado pelo ator Jason Ritter). De repente, Sean se levanta e toma o avião. Dá aquela impressão de que ele está sendo coagido a tentar tomar o avião. Essa é o foco principal do episódio, contar como Sean chegou a aquela situação.

Em contrapartida, temos o presidente dos Estados Unidos (imagem abaixo), Elias Martinez (interpretado pelo ator Blair Underwood). A trama do presidente ainda é bem superficial no primeiro episódio. Ele está num evento, onde a mídia foi convocada para um depoimento dele. O flashback entra para contar que ele descobrira um segredo obscuro do governo, onde algumas pessoas estavam sendo mantidas como prioneiras. Não explica exatamente o que são estas pessoas, eu pensei que fossem terroritas ou algo assim, mas não parece ser o caso, dado os eventos do final do primeiro episódio, enfim, a trama deixa a gente imaginar o que é. O presidente está convencido que estas pessoas precisam ser soltas, terem a suas liberdades restauradas, por isso a convocação da mídia, enquanto isso outras pessoas dentro do governo estão desesparadas tentando convencer o presidente de que isso é uma péssima idéia e de que estas pessoas estão presas por um certo motivo e que ainda são um risco em potencial. É um clima onde quase nada faz sentido, mas serve para mostrar que o presidente é um cara bacana, que acredita na justiça. Na verdade é difícil não pensar em David Palmer, de 24 Horas, mesmo que seja óbvio que a idéia é um presidente negro devido ao Obama ser presidente dos EUA no momento. Mas pra mim parece mais David Palmer do que Obama, talvez porque eu não more nos EUA.

A trama ainda mostra um agente da CIA, chamado Simon Lee (interpretado pelo ator Ian Anthony Dale), mas ele faz apenas pequenas pontas no episódio. Ele estava tentando impedir que o avião em que Sean está decolasse, conhecia o segredo dos aprisionados pelo governo dos EUA e no final do episódio ainda fica um pouco mais enigmático. Mas tudo bem, a série mal começou. Vai ter tempo para desenrolar esta trama.

Voltando para Sean. O flashback do personagem, mostra ele e sua namorada, Leila Buchanan (atriz Sarah Roemer) numa ilha paradisiaca. Estão de férias. Passeando pela ilha, eles encontram um outro casal, em apuros, a garota caiu no mar e bateu com a cabeça nas pedras, e o cara está com o braço quebrado. Sean pula no mar, salva a garota, o casal ficam amigo de Sean e namorada e ambos acabam embarcando num cruzeiro, a convite da dupla. É aí que tudo fica estranho.

Encurtando a história, a namorada de Sean desaparece depois de alguns eventos. O navio não tem registro dele ou dela, o quarto em que estavam, agora pertence a outro passageiro, seus pertences sumiram. O casal de amigos também. O que diabos aconteceu? O primeiro episódio não conta com detalhes, deixando o mistério e a tensão ainda para serem mostrados futuramente. Nesse meio tempo, ficamos sabendo que a família da namorada também é sequestrada por bandidos, e o pai de Leila, que é piloto, é coagido a pilotar o avião onde no presente da trama, Sean está e nisso surge a revelação de que Sean não está tentando sequestrar o aviao, mas impedir que seu futuro sogro arremesse o avião onde o presidente está neste momento. Só que como revelei lá em cima, quando o avião está prestes a cair, ele desaparece no ar!

Enfim, aí fica aquele mistério de primeiro episódio. O que aconteceu com os passageiros do avião? O que a mulher aprisonada pelo governo, não contou ao presidente (já que ela vê o avião sumir e diz “eles nos salvaram”)? Cadê a namorada de Sean e o casal suspeito? Quem realmente são os vilões da série? O que querem?

Não é uma trama original ou que vá arrancar os cabelos da sua cabeça, mas o formato da série é agradável, o suspense te prende enquanto está assistindo o episódio, e na ausência de séries como 24 Horas, The Event parece ser entretenimento garantido. Só não pode agora, enrolar e embaçar nos episódios seguintes. Também não gostaria que modificassem a trama, gostei mesmo da narrativa não linear mesclada por blocos de personagens e flashbacks. Acredito que vale acompanhar o começo. Fica a recomendação então! 🙂

Para fechar, um vídeo de 4 minutos, com o preview de The Event que a NBC divulgou alguns meses atrás:

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios