Nostalgia tecnológica: A Internet e sua revolução!

Durante o Recrutamento 2010 do Portallos o post que eu enviei tinha como tema justamente a importância da Internet na vida das pessoas, e se ela deveria ser ou não considerada um direito básico aqui no Brasil. Vale a pena conferir o post e também os comentários, gerou uma discussão interessante. 😉

Voltando para o post de cá… Diferentemente dos outros meios de comunicação a Internet não é controlada por classe social alguma. É um veículo democrático, talvez não totalmente, mas ainda sim nos trouxe a liberdade que não encontramos em mais nenhum outro meio. Mas saiba que nem sempre foi tudo muito bonitinho como é hoje. Para se conseguir “surfar” na Internet, como se dizia no meu tempo, era preciso uma boa dose de paciência. Acredite ou não, mas houve um tempo em que não existia Google, MSN, Youtube, Facebook e nem Portallos!

Logo mais esteja preparado para descobrir como as pessoas sofriam para se conectar a Internet, e como era a diversão nessa época difícil. Como fazíamos para baixar nossas músicas preferidas, o quanto eram bizarros os sites da década de 90 e conheça o site de busca brasileiro que fazia sucesso nas pesquisas escolares, quem sabe desbancaria até o todo poderoso Google!

Todos nós sabemos que a Internet tornou-se o principal meio de pesquisa, estudo e de comunicação para muita gente. A Internet se transformou também em fonte de renda e oportunidade de negócios. Aliás, é muito fácil encontrarmos pessoas que ganham dinheiro através da grande rede. O número de lojas virtuais cresce cada vez mais, as transações eletrônicas já é preferência de muita gente (inclusive minha). Mas você já parou para pensar como surgiu a Internet, e como era no começo? A Internet se incorporou tanto às nossas vidas que, muitas vezes, nem nos damos conta disso.

Se formos pesquisar um pouco vamos encontrar que a Internet surgiu a partir da ARPANet em meados dos anos 60. Mas aqui no Brasil a Internet só apareceu em 1987. Lembro de que foi só em 1996 foi quando tive meu primeiro contato com ela, era pouco popular e não tinha nada de interessante, pelo menos para mim. Poucas empresas ofereciam o serviço, era muito caro e, além disso, ainda era péssimo. Mas felizmente, como toda tecnologia, a Internet evolui.

Amada e odiada conexão discada:

Você fica chateado quando sua banda larga cai por alguns minutinhos? Talvez seja porque você não viveu a época da conexão discada! Quem teve o prazer (ou não) de conhecer esse tipo de conexão jamais esquecerá o som de um modem discando:

Pois é, tem coisas na vida que a gente nunca esquece (desculpa o clichê). E esse barulho maldito é uma dessas coisas que não esquecerei. Já tive até pesadelo por causa dele! Nessa época a Internet já era cobiçada pelos olhinhos brilhantes da molecada. Mas nem tudo era lindo. Se sua família não tivesse dinheiro, você só poderia navegar depois da meia-noite e nos finais de semana e feriados, tudo isso para não correr riscos de apanhar quando a conta chegasse no final no mês. Isso porque nesses horários se conectar era quase de graça, gente pagava apenas um pulso telefônico por conexão.

Mas é claro que a Internet discada não morreu, ainda tem muita gente por aí utiliza esse tipo de conexão. Aqui mesmo no Portallos já vi leitores comentando isso. Acho que são verdadeiros guerreiros! Apesar de ter meu modem 56 kbps guardadinho, eu não conseguiria voltar a usar esse tipo de serviço. Era muito instável e muito lento. Não sei se é verdade, mas talvez alguém possa me confirma, falava-se muito que, se uma pessoa ficasse ligando o tempo todo para o seu número enquanto você estava navegando, sua conexão podia ser derrubada. Que perversidade isso, não? Já fiz muito, rá!

Felizmente hoje temos a opção da banda larga, uma enorme evolução. Os preços estão muito mais populares. Hoje podemos contratar um serviço baratinho e nos dar ao luxo de colocar um roteador wireless em casa, para navegar com uma penca de computadores e gadgets andando para lá e para cá.

O que tinha de bom na Internet:

Você pode estar se perguntando qual era a diversão no mundo virtual dos anos 90. Acredite se quiser, mas tivemos muitas coisas boas. Claro que hoje a web tem muito mais opções como, blogs, redes sociais, sites de compartilhamento, vídeo em tempo real e tudo o mais. Mas mesmo assim as pessoas conseguiam aproveitar os poucos recursos que tinham na época. A comunicação era basicamente texto e algumas imagens simples. Por conta disso, creio que tinha sido o tempo de ouro para os fóruns.

Mas afinal, quem não se lembra do Bate Papo da UOL? Ah… Como era bom ser inocente… “tc de onde?” Há ha! Depois de um tempo surgiu o ICQ, que era uma chat muito popular mas demorou muito para evoluir. Ainda em questão de comunicação havia o IRC  (muitos chamavam de mIRC, que era na verdade um programa) que, ainda hoje, considero muito melhor que esses programas que surgiram, como MSN e tantos outros. O IRC é um protocolo de rede que passou a ser utilizado apenas para chats. Era o chat dos nerds da época, e era bastante popular também. Era algo bem simplesinho, mas que cumpria bem sua função. Era mais aberto que os chats de hoje em dia, com maiores chances de se conhecer outras pessoas. Mas era preciso ter certo conhecimento de informática para acessar, tinha que saber alguns comandos de texto. Como muita gente não gosta muito desse tipo de coisa acabava ficando meio de fora. Talvez por isso os programas mais “amigáveis” tenham se consolidado.

Para baixar música era meio complicado, mas um cara muito esperto resolveu o problema criando um programa muito bacaninha chamado Napster. Logo depois esse cara foi preso, depois foi solto, e depois vendeu o Napster, que passou a ser pago. Mas tudo bem, o seu conceito ficou para sempre. Programas como Emule e Kazaa copiaram a ideia e estouraram nos anos 90 com o compartilhamento de arquivos. Através desses programas podíamos baixar música e vídeo para ouvir no Winamp, já que não usávamos Windows Media Player. Esse tipo de download era muito mais rápido, demorava apenas algumas horas para baixar uma música (quando baixava) e não tinha riscos de se perder o download por causa de queda de conexão, algo semelhante ao torrent. Dentre Emule e Kazaa, este último foi o que eu mais usei, por um bom tempo. Mas depois esses programas se toraram uma espécie festa open-bar para os vírus e sua turma. Esses programas eram as únicas fontes de vídeos antes do Youtube.  Aliás, não existia ainda a transmissão de vídeo stream. Vídeo pornô então? No máximo alguns vídeos de poucos segundos da Silvia Saint baixados pelo Kazaa, pelo menos era o que meus amigos diziam. :mrgreen:

Antes do Google:

O Google se tornou a fonte de resposta para todas as perguntas do universo, não é mesmo? Inclusive é minha página inicial, já que faço muitas buscas. Dificilmente a gente pesquisa em outro site de busca que não seja o Google, apesar de existir vários por aí. Mas houve um tempo em que não havia essa variedade toda e os poucos que tinham eram bem fraquinhos. Lembro que meu primeiro contato com esse tipo de site foi no colégio, nas aulas de informática, eu nem mesmo sabia o que era um site de busca. Foi quando conheci o Altavista, o Ask e o Cadê. Este último era brasileiro e o mais popular da época, talvez o primeiro buscador brasileiro. Mas depois foi surgindo uma infinidade desses sites, inclusive o Google, e o Cadê começou a perder o seu espaço no mercado, e foi comprado pelo Yahoo.

Sites e blogs dos anos 90:

Talvez pelas limitações da época, ou por mau gosto mesmo, as pessoas queriam tanto incrementar os sites, que simplesmente fizeram os sites mais bizarros da história. Não é exagero meu. Com as ferramentas que temos hoje, qualquer um é capaz de criar um site bonitinho e organizado. Mas antigamente o pessoal não economizava nos gifs animados e nem musiquinhas de fundo, abusavam mesmo. Era uma mistura de bebê rebolando e operários construindo. Fora que não tinham a menor noção de cores, era um fundo rosa choque com letras verde limão que dava dor de cabeço só de olhar. Todo site tinha como home uma página com a frase “Clique aqui para entrar”. Alguns ainda tinham as maravilhosas músicas MIDI tocando de fundo, para completar o efeito alucinógeno das cores fortes. E como se já não bastasse tanta besteira, nas páginas era comum encontrarmos textos que ficavam se movendo de um lado para o outro. Não sei como sobrevivemos a isso tudo, a época mais brega da Internet. Para provar que não é exagero meu você pode conferir dois sites desse tipo, AQUI e AQUI.

Os blogs já existiam, mas não eram como hoje. Não só pela aparência, mas o conceito de blog era totalmente diferente. Primeiro surgiu o GeoCities, que era um espaço em para cada um poderia criar páginas pessoais. Era mais para quem tinha conhecimento em HTML. Depois esse serviço foi comprado pelo Yahoo, e hoje está encerrado. Era basicamente umas letras de música no meio da página, a música tocando, e um plano de fundo que não combinava com nada. Mas ainda sim os blogs eram apenas páginas pessoais, uma espécie de diário que as pessoas tinham na internet. O blog que realmente bombou nessa época foi o da bruna Surfistinha, mas nunca cheguei a acessar. Só depois começaram a aparecer maneiras mais fáceis para se criar blogs. Hoje é até difícil separar o que é blog realmente e o que é um site.

As redes sociais chegaram depois dos anos 2000. A primeira rede que estourou aqui no Brasil foi o Orkut. Houve um tempo em quer ter uma conta no Orkut era para poucos. Era preciso que um amigo seu, que já tivesse uma conta, te convidasse. E o número de convites era limitado. Hoje não é mais assim, qualquer um pode criar sua conta no Orkut, aliás, em quase toda rede social é assim agora. No inicio o Orkut era basicamente recadinhos de animais coloridos com musiquinhas tocando. Quem afinal não recebeu o recado do mamute? E as correntes? Não sei quantas vezes recebi o recado da Samara, que havia morrido enroscada em um arame farpado na cidade de Cascavel.

Oi meu nome é Samara, tenho 14 anos (Teria se estivesse viva), morri aos 13 em Cascavel-PR. Eu andava de bicicleta Quando não pude desviar de um arame farpado. O pior foi que o dono do lote não quis me ajudar, riu bastante mim após agonizar por 2 horas enroscada no arame eu faleci, através dessa mensagem eu peço que façam com que eu possa descansar em paz. Envie isso para 20 pessoas e minha alma estará sendo salva por você e pelos outros 20 que receberão. Caso não repasse essa mensagem vou visitar lhe hoje a noite assim você poderá conhecer o tal arame bem de pertinho. Dia 15 de Julho Mariana resolveu rir dessa mensagem, uma noite depois ela sumiu sem deixar vestígios. O mesmo aconteceu com Kare dia 18 de Outubro. Não Quebre essa corrente por favor, a não ser que queira sentir a minha presença. 😯

Conclusão:

Eu creio que a Internet tenha sido a conquista mais importante do homem e termos de comunicação e democracia. Ela veio para revolucionar a forma como nos comunicamos. Hoje é possível a comunicação é em tempo real, independente da distância física. Temos as redes sociais, apesar de serem debilmente utilizadas, temos comunicadores de voz e texto, como o Skype e o MSN, e o e-mail. Na grande rede não há censura. Não somos obrigados a consumir informações impostas pela classe dominante. Aqui encontramos um espaço aberto em que cada um tem o direito de opinar e de gostar ou não de algo.

Com a internet a informação e o conhecimento estão ao alcance de todos. Não mais centralizado como antes, para quem apenas podia pagar por ele. A Wikipédia apesar de ser mal vista por muitos, por ser facilmente editável, se tornou a maior enciclopédia do mundo. Já pensou quanto gastaríamos para organizar e imprimir uma coleção com todo o conteúdo que tem hoje na Wikipédia? Sem contar os e-books que são muito mais baratos que os livros impressos. Ainda tem a questão governamental. Hoje temos a nossa disposição vários serviços online oferecidos pelo governo. Não precisamos mais nos deslocar para enfrentar filas e perdermos tempo com coisas desnecessárias. Sem contar que a internet chega a muitos lugares onde o governo de fato não consegue chegar.

A Internet se tornou fonte de renda. Muitas pessoas dependem do comercio online para manter os seus negócios. E a grande rede é uma mão na roda e um empurrãozinho camarada para os pequenos empresários. Hoje o mais fácil é encontrar lojas virtuais que nem mesmo possuem os produtos que vendem. O produto fica apenas exposto no site, quando um cliente efetua o pedido e solicitação em encaminhada diretamente para o fornecedor. Tudo online, na maior comodidade, e você ainda recebe o produto em sua casa.

Por conta disso tudo, eu posso dizer que tenho a maior satisfação em ter vivido em uma época na qual pude acompanhar grandes momentos da Internet aqui no Brasil. Um tempo em que as pessoas eram mais inocentes navegando, ou melhor, surfando. Creio a Internet estará cada vez mais presente em nossas vidas. Não é atoa que muita gente é altamente dependente dala, tanto para trabalho, estudo ou lazer. Como já disse anteriormente, considero a Internet como a maior revolução que tivemos.

Para finalizar deixo você na companhia do grande escritor de ficção científica, Isaac Asimov. O vídeo abaixo foi gravado em 1988. Nessa entrevista Asimov fala um pouco sobre as mudanças da nossa sociedade com a chegada dos computadores. E fala também sobre o impacto que isso pode ter na educação, principalmente sobre a facilidade de acesso ao conhecimento. Lembro mais uma vez que esse vídeo é de 1988, muito antes da popularização da Internet, o que só confirma a genialidade de Asimov, um ícone para todo nerd. 😉

More from Eduardo Carvalho

Não consegue gravar o nome dos personagens de Game of Thrones? Seu problema acaba agora!

Quem está acompanhando a nova série da HBO pode estar sofrendo para...
Read More