Indicações e Resenhas de LivrosLendo

Imaginários Volume 3: steampunk, cyberpunk e o que há de melhor na literatura fantástica nacional [Livro]

A Editora Draco, apesar do pouco tempo de existência, já ganhou o meu respeito com a fantástica coleção Imaginários que ela vem lançando, uma seleção de contos de ficção científica, fantasia e terror escritos por autores nacionais com exceção dos autores portugueses que, às vezes, aparecem. Eu já falei por aqui sobre o Volume 1, uma coleção com muita ficção científica e muitas histórias de alienígenas. Comentei também sobre o Volume 2, que aliviou um pouco nos contos de alienígenas e trouxe um pouco mais de fantasia para nós. Ambos são excelentes, mas hoje é chegado o dia em que, finalmente, falarei sobre o terceiro volume dessa coleção.

Nesse volume, você irá descobrir como morreu o último astro pornô da Terra, conhecerá um Pinóquio feito de circuitos integrados e dotado de inteligência artificial, se surpreenderá com um belo conto de ficção retirado de uma revista de 1929, e viajará em universos steampunk e cyberpunk!

Antes de qualquer coisa, me vejo obrigado a elogiar o belo trabalho que o ilustrador Roko tem feito ao longo desta coleção. A capa desse terceiro volume é sensacional, a melhor capa de Imaginários até então, daria uma ótima uma história, não é mesmo? Você pode conferir o  portfólio online onde o Roko expõe alguns de seus trabalhos. Vamos aos contos então.

Os spoilers foram completamente exterminados desse post, você pode prosseguir livremente.

Bonifrate – Douglas MCT

Eu não farei um resumo desse conto, a história é revelada gradualmente seguindo as descobertas do protagonista e provavelmente teria muitos spoilers para quem ainda não leu, muitos mesmo. Portanto, apenas a minha análise.

Uma obra de ficção científica com elementos steampunk. Quando li, a primeira coisa que me veio à mente foi a história de Pinóquio e até mesmo de O Homem Bicentenário. No caso de Bonifrate, Carlo, o protagonista, é um androide que vive o dilema de se tornar um ser humano de verdade algum dia. Temos também uma organização que tudo ver e a todos controla, talvez 1984 de George Orwell tenha servido de inspiração. De fato esse é um dos contos que merece destaque nessa coleção, tanto pela narrativa quanto pela ambientação. Esse vale a leitura e a releitura.

O Primmeiro Contacto – Fábio Fernandes

Mais uma obra com ambientação steampunk. Nesse conto é mostrado todo o desenvolvimento da indústria aeroespacial e a batalha entre terráqueos e alienígenas. O conto não é de autoria de Fábio Fernandes, segundo uma nota no livro, o conto foi retirado de uma revista de 1929, o autor se identificou com o pseudônimo Dr. Eleutherio Penna Filho. Fábio adaptou o texto para melhor entendimento, mas manteve a ortografia original.

Mais uma grande história deste volume! Não há muito que dizer, a narrativa é ótima, a ambientação é inigualável e o final é sensacional. A trama toda, até por conta da ortografia, tem um ar histórico com direito a presença de personalidades da época como, Alberto Santos-Dumont, Howard Hughes, Orville e Wilbur Wright, Fernando Pessoa e muitos outros. O conto que mais me surpreendeu nessa coletânia. No final eu ainda fiquei querendo mais… Será que teremos a continuação dessa história no próximo volume? Estou torcendo para que isso aconteça.

Maria e a fada – Ana Cristina Rodrigues

A história que se passa na Idade Média. A tradicional família de Borgonha tem o costume de ensinar aos entes mais jovens um conto de fadas que supostamente deu origem à família.

Não tenho muito a comentar sobre este conto. Começou muito bem mas do meio para o fim a trama se perdeu um pouco. Não houve nada de surpreendente longo da história, na verdade senti que faltou um pouco mais de ousadia ou até mesmo criatividade por parte da autora, também achei que o desfecho não fez muito sentido. Contudo, destaco o início e a ambientação da história, é só.

Dies Irae – Lidia Zuin

Ambientada em um futuro não tão distante, nessa história você irá acompanhar a fuga de uma hacker que está sendo caçada por todos os lados após divulgar pelo mundo todo vídeos reais de assassinatos e torturas de seres humanos.

Um conto no bom e velho estilo cyberpunk, um prato cheio para quem gosta desse estilo. A narrativa é bem intensa, não temos tempo para respirar nem por um segundo, o grande ponto positivo. Por outro lado o final da história ficou muito a desejar. Ainda é feita uma referência à banda Combichrist com a música abaixo, resume muito bem o espírito da estória.

Vida e morte do último astro pornô da Terra – Marcelo Galvão

A história se passa uma época em que os androides fazem o maior sucesso na indústria de filmes adultos e ninguém mais quer saber de atores de carne e osso “contracenando” nos filmes. Por conta disso Nick Dick, que era o maior astro dos filmes pornográficos até então, acaba ficando desempregado e acumulando altas dividas com agiotas.

Que título hein?! Assim que vi fiquei curioso e corri logo para ler esse conto, foi o primeiro que li, inclusive. Uma ótima história, com muita ação, muito humor e um suspense básico no finalzinho. O que mais me intrigou foi o spoiler tremendo no título, logo de cara já sabemos que o protagonista acabará morto. Mas, quer saber? Isso pouco importa. O final é surpreendente! Um dos melhores contos deste volume, diga-se de passagem.

Uma segunda opinião – Fernando Santos de Oliveira

Renata é uma garota pouco popular no colégio, sempre foi considerada certinha por tirar boas notas e não se meter em confusão, muito discreta. Certo dia, no pátio do colégio, Renata flagra a sua principal rival beijando o garoto que ela (Renata) sempre foi apaixonada. Procurando se esconder por tal vergonha chega à biblioteca do colégio, um local pouco frequentado por outros alunos, é assim que ela faz uma amizade muito sinistra.

Uma história bem simples mas muito envolvente. Só achei que ela poderia ter sido mais bem desenvolvida. O final também não me surpreendeu em nada, eu já havia matado a xarada desde o comecinho da história. Contudo, é uma bonita história, com uma mensagem interessante que nos faz refletir um pouco, mas, infelizmente, ficou muito abaixo dos outros contos.

As Noivas Brancas – Rober Pinheiro

Um ser humano viciado em drogas alucinógenas é o líder de uma nave interestrelar. Ele é contratado para roubar uma “carga” valiosa em um planeta remoto. Agora, ele e sua tripulação de alienígenas se dirigem até o local do roubo.

Uma história de ficção científica bastante rica em detalhes, o ponto forte desse conto. Contudo, a história ficou bem curta e foi pouco desenvolvida, não houve muita criatividade no roteiro e nada que me surpreendesse. Eu esperava um pouco mais da trama, até pelo começo bom que teve. A capacidade de descrição do autor é o que faz valer esse conto. Ah! E o protagonista ficou mais parecendo um Han Solo dependente químico! Pronto, falei. 😀

Breve relato da ascensão do Papa Alexandre IX – Marcelo Ferlin Assami

Um conto bem complicado de ler e entender numa primeira leitura. A trama tem uma narrativa não linear, mas não só isso, o problema é que o leitor fica vagando pelas três histórias que são contadas de maneira simultânea, são dados saltos sem nenhum aviso ou motivo aparente, não temos nenhuma linha condutora para nos orientar. Um conto meio confuso da primeira vez, mas numa releitura o conto fica muito bom e um pouco menos complicado. Devido a essa complicação toda não resumi esse conto também.

Corre, João corre – Cirilo S. Lemos

João é um sujeito simples que gosta de levar sua vida no maior sossego, um cara discreto. Em uma bela tarde, tudo o quê ele pretendia era “passar um tempo” com a sua linda esposa, dona de um quadril tentador. Só que, ao invés de sexo relaxante num finalzinho de tarde, o quê ele ganha é uma louca aventura. Seu filho, ainda um bebê, começa a ter uns trecos esquisitos, passar mal. Por conta disso o dia de João é pura correria para chegar ao hospital.

Logo no inicio da história eu já simpatizei com o estilo de escrever do Cirilo. O conto é recheado de humor e situações absurdas, o tipo de história que a gente imagina que pode acontecer de um tudo. O pior foi que eu estava lendo em público e fiquei parecendo um maluco rindo alto no meio da rua e as pessoas foram se afastando de mim como se eu fosse um louco. Mas apesar do bom humor no inicio, há uma quebra de “clima” no meio do conto e a trama começa a ficar tensa, levando a um final surpreendente e emocionante. Foi o segundo conto que eu li, realmente muito bom. Ah! Título curioso esse também, quando vi pensei que teria alguma relação com o filme Forrest Gump, ou então com o alemão Corra, Lola, Corra, mas creio que não.

Imaginários Volume 3 ainda trás mais um conto chamado A Torre das Almas, uma autoria de Eduardo Spohr, esse conto é um spin-off de seu livro A Batalha do Apocalipse. O que tem isso? Bom,  é que eu ainda estou lendo esse livro e só depois de terminado eu vou conferir o conto. E como A Batalha do Apocalipse certamente será discutido por aqui, eu aproveito para comentar sobre o livro e o spin-off no mesmo texto. E, assim que o post estiver no ar, eu colocarei o link para ele aqui também.

Atualização (05/11/2010): Como prometido deixo aqui o LINK para o post sobre A Batalha do Apocalipse e uma breve análise sobre o conto A Torre das Almas.

Onde comprar:

No site da editora Draco tem uma lisa completa dos locais onde você pode conseguir um exemplar da coleção. Recomendo a todos os amantes de histórias  fantásticas. 😀

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.