Jogando

Infinity Blade: Gráficos impressionam, mas a jogabilidade… [IP/IPTOUCH/IPAD]

Infinity Blade

O Iphone com o tempo vem se tornando mais uma plataforma de games, correndo por fora frente aos grandes veteranos da área (ou a trindade se preferirem), tanto que alguns dos games vistos nos consoles ou portáteis mais conhecidos acabaram ganhando versões para Iphone, um exemplo bem atual disso é Sonic 4. Este ano com a chegada do Iphone 4 e do Ipad, tanto poder de processamento, como gráfico estão prestes a levar ambos a (talvez) bater de frente com os portáteis mais famosos do mercado e que estarão fazendo a alegria de muitos no ano que vem.

Infinity Blade, desenvolvido pela Epic Games (Gears Of War), é o primeiro game para Iphone a apresentar gráficos avançados, afinal, o game utiliza um port (uma adaptação) do motor gráfico Unreal Engine 3, que tanto foi usado em diversos outros games desta 7 geração, o game se passa numa era medieval e pelos vídeos até então liberados, o personagem terá direito a uma jornada cheia de batalhas e muitos itens para serem comprados, aumentando a experiência e força do protagonista, também foi anunciado que o game terá um modo multiplayer suportado pela rede Game Center da Apple.

Eu realmente me impressionei com os gráficos, mas não curti muito o modo de batalha, aliás, não só não fui com a cara do jogo neste aspecto, como também comecei a me perguntar se o Iphone /IPad poderá permitir uma imersão maior em games de ação com esse. Nos vídeos, a exploração de cenários não é demonstrada, o que já mascarou o game e desviou as atenções para o modo de batalha, que a primeira vista chama bastante a atenção, mas logo em seguida mostra que o game pode perder a graça em pouquíssimo tempo, afinal, que graça tem você se defrontar com diversos inimigos se o modo como a batalha se desenrola é sempre o mesmo? Não há movimentação lateral, não há esquiva (e não estou falando de usar escudos ou algo do gênero) e mesmo que houvesse, acho que seria mais fácil se irritar com os controles do qualquer outra coisa. Se a empresa tem pretensão em lançar games de ação e muita movimentação (estilo God Of War), muito provavelmente estes controles terão de ser revisados ou limitarão a jogabilidade os jogos, se bem que existem alguns acessórios para Iphone que podem ajudar, como aquele teclado lateral que você veste o aparelho e tem botões para jogar, acho que seria uma solução para futuros games na plataforma, só não imagino o que poderiam fazer com o Ipad, embora estejamos falando da Apple, criatividade é uma marca da empresa.

Seguem abaixo dois vídeos, um é de uma conferência da Apple onde demonstraram o poder gráfico do port da Unreal Engine 3 no Iphone 4 através dos cenários e o modo multiplayer (que a princípio parece bem chatinho) quando Infinity ainda se chamava Project Sword, já o segundo é o trailer do título, que como disse lá em cima mascara um pouco o game, revela excelentes gráficos, dá aquela empolgação, mas não demonstra diferencial, aliás talvez esta seja uma das poucas vezes em que a tela sensível a toque do Iphone tenha prejudicado (a meu ver) uma nova aplicação do aparelho, o jeito é esperar por um vídeo de gameplay mesmo, para ver se mudo de idéia ou se é realmente isso.

É realmente de impressionar tamanho poder gráfico num portátil, muita coisa boa vem por aí, o 3D sem óculos do Nintendo 3DS e o misterioso PSP2, que a Sony guarda a 7 chaves enquanto faz um benchmark básico (com certeza está fazendo) antes do anúncio, vamos ver se a Apple fará frente a essas grandes marcas, poder gráfico eles já tem, até demais, eu diria.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

K o n S a m a

Do ser sem razão a essa explosão de emoção, do preguiçoso leitor ao (meia-boca) escritor, do tímido calado ao ator inquieto, do caminho já traçado à esquina do destino incerto. Tentei me definir, mas sem sucesso. Games, filmes, música, animes, são só o começo desse quebra-cabeça sem nexo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.