Crítica | Sucker Punch (Mundo Surreal) – Eu Fui!

Depois de trabalhar e estudar feito um condenado durante a semana inteira, nada melhor que uma sessão de cinema para relaxar e se distrair, não é mesmo? Pois bem, enfrentei o inferno que é um Shopping Center em pleno sábado e fui ver Sucker Punch! Filme que há pouco eu nem sabia da existência (embora já tenha sido comentado aqui), mas que assim que assisti ao trailer meu deu uma vontade louca de ir assistir. Portanto, veja o trailer que me levou ao cinema, esse vídeo logo abaixo.

Sucker Punch é escrito e dirigido por Zack Snyder, o mesmo diretor de Watchmen, 300 e A Lenda dos Guardiões. Snyder é conhecido por ser garantia de um filme com visual único, com cenas bem boladas que dão uma estética diferente ao filme. Caso você esteja procurando um filme que tenha cenas de guerra, dragões, gatinhas seminuas, robôs assassinos, megazord, zumbis nazistas, mais gatas seminuas, orcs e samurais gigantes de pedra fique a vontade para clicar no ‘continue lendo’. 😉

Pelo trailer já é possível ter uma noção do que é o filme. Um filme com bastante ação, mas com uma história é bem simples e muito fraquinha, além de muito mal contada. Tudo começa quando a mãe de Babydoll (Emily Browning) morre e deixa toda a herança para as filhas. O padrasto das meninas, de olho na grana, consegue com que Babydoll seja internada em um hospício após a loirinha matar a própria irmã acidentalmente. Internada, Babydoll passa a imaginar que está vivendo em um cabaré onde ela e as outras pacientes do hospício são as “dançarinas” e o médico corrupto é o cafetão explorador.

Toda vez que dança Babydoll entra em estado de transe e é transportada para uma nova realidade (lembrando que o cabaré já é imaginação da personagem). Essa mecânica de imaginação dentro de imaginação deixa o filme muito parecido com Inception (A Origem) impossível não fazer essa comparação com Inception sendo um filme ainda tão recente.

Babydoll planeja como fugir do hospício. Ela passa a imaginar que ela e mais quatro pacientes gostosas formam uma equipe de soldados-espiãs-sayajins capazes de combater zumbis nazistas a dragões medievais. Cada missão é um item a ser coletada e cada item a mais é um passo dado para escapar do hospício. Babydoll, Amber, Blondie, Rocket e Sweet Pea: cinco esquizofrênicas gostosas combatendo o mal no melhor estilo “As Panteras”. É justamente nessas cenas que o filme compensa o roteiro medíocre com as cenas de ação.

É aí que o ingresso comprado começa a valer a pena. Depois de meia hora de filme temos a primeira cena de ação, uma luta entre Babydoll e três samurais gigantes. A cada alucinação de Babydoll a equipe deve completar uma missão diferente. O interessante é que cada tempo/local é sempre algo diferente e inesperado, podendo ser desde um planeta distante até a Terra-Média e tudo pode acontecer. As cenas são realmente espetaculares, entretanto, esse esquema de missão após missão vai se tornando repetitivo e na terceira missão já se torna cansativo. E a trilha sonora também é algo que se deve destacar. Cada cena, cada batalha conta com uma música de fundo que combina muito bem, algumas são cantatas pela própria Emily Browning.

Não procure assistir ao filme esperando por um grande roteiro ou grandes interpretações. Sucker Punch é um filme que se compromete a te distrair com várias sequências de ação (como podemos notar no trailer), muito bem dirigidas, diga-se de passagem, e com várias gostosas desfilando de minissaia e lingerie. Bons atores fazem parte do elenco como, por exemplo, Scott Glenn e Carla Gugino, embora pouco utilizados. Por sua vez a protagonista/ninfeta loirinha de bochecha rosada deu uma aula de como não interpretar. A menina conseguiu permanecer o filme inteiro com a mesma cara de choro, sempre com a boca aberta, que é pra fazer o charminho.

Se você abstrair todos esses defeitos e a falta de estrutura que o filme possui, Sucker Punch com certeza é um título para ser ter em casa. Apesar dos diálogos medíocres, o filme conta com várias referências nerds, como dragões e orcs, robôs assassinos interplanetários, zumbis comedores de cérebros, e tudo o mais. Filme recomendado para os que gostam de cenas de ação pura no melhor estilo testosterona e, o melhor, com gostosas seminuas.

[nggallery id=444]

Isso também pode lhe interessar

30 Comentários

      1. Oura tudo fica melhor se tiverem peitos 8D’

        Foi so eu ou alguem mais ficou com a sensação de que seria um filme de suspense nos segundos iniciais do trailer? XD

  1. “Por sua vez a protagonista/ninfeta loirinha de bochecha rosada deu uma aula de como não interpretar. A menina conseguiu permanecer o filme inteiro com a mesma cara de choro, sempre com a boca aberta, que é pra fazer o charminho.”

    Discordo fortemente. Considere que a personagem matou a irmã, enquanto o padastro tentava molestar ambas. Lembre também que, enquanto alucina, ela já estava lá na “instituição” a uma semana estava sendo arrastada pra lobotomia. Quantas expressões faciais cê esperava que ela fizesse?
    A falta de expressão foi uma parte importante da composição da personagem, discorda?

    1. Concordo quanto a parte dela estar na clínica, aí ela deveria estar com cara de débil mesmo. Mas enquanto as “missões”, quando ela está nas alucinações dela tem que permanecer com a mesma cara? Ao meu ver seriam vários personagens interpretados por uma única pessoa, algo que ela não soube fazer.

  2. cara na moral, não tem como associar um filme de roteiro e interpretações fracas com a origem, por mais que o visual imaginario do filme seja bem trabalhado ou similar(que creio que n seja). Não assisti ao filme ainda e sou radicalmente contra fazer comentarios sobre filme que ainda não vi, mais so pelo trailer e pela dinamica que você comentou do filme dá pra saber que sukcer punch e the inception estão em níveis cinematográficos muito distantes.

    1. a origem, eu pensei q ia ser mto legal, como se fosse um dos melhores filmes que eu já vi, mas nao gostei muito, efeitos visuais legais, mas uma ideia, que apesar de “nova”, é fraca, e que tenta parecer inteligente D:
      sucker punch da enfase na ação, e infelizmente, no final tenta dar uma lição, o q deixa o filme “menos melhor”, o roteiro nao eh mto complexo, mas acho que é uma historia boa, e q dá para entreter

      1. Mano n to dizendo que o filme deve ser ruim, até pq nem sequer assisti ainda, mas acho que pela analise do filme acima e pelo trailer, não se pode comparar os dois filmes em qualquer aspecto de qualidade e descordo com vc, a origem é um filme ótimo, a sua historia é muito bem trabalhada e sincronizada com a ação e roteiro, que além de tudo isso ainda trás aquele questionamento sobre realidade no final, pra mim tudo isso foi ótimo.Acho muito dificil um filme que se foque mais em sequencias de ação com uma historinha de fundo se igualar a origem, mas repitindo, isso seria apenas minhas impressões, tenho conciencia de que o filme pode ser muito bom e até eu vê-lo no cinema não vou me arriscar em mais um coment por aqui por enquanto.

        1. bem, a origem eh um filme bom mesmo, mas esperei mais do filme e acabei decepcionado D:
          e se vc acha q um filme de ação com historia de fundo é dificil de se igualar a origem, ai eu nao tenho o que falar xD, pra min sucker punch eh diferente, nao sei se o filme ainda vai te surpreender por vc jah ter esclarecido sua opiniao quanto a esse “estilo”, o roteiro nao eh grande coisa mesmo.
          não eh um filme revolucionario, apenas uma obra de arte !
          eu recomendo o filme o/

          1. Eu achei A Origem ruim, mas gostei dos efeitos especiais, claro. Mas, enfim… A comparação entre os dois filmes é apenas sobre essa mecânica de “sonho dentro de sonho”, no caso de Sucker Punch é “alucinação dentro de alucinação”. É com se Sucker Punch tivesse pego ponga na ideia usada em Inception. Só isso =)

            Edit: e concordo com o Ruk1z, aquelas frases de livro de auto ajuda matou o final de Sucker Punch.

          2. Outra decepção: “A Origem”
            Na verdade, esperava bem mais desses 2 filmes, tanto que vi ambos no cinema…
            Vou passar a ser mais optativo na hora de comprar meus ingressos…

  3. GOSTEI DO FILME…. dentro de uma programaçao com muitos filmes dramaticos, filmes de prostitutas (hduahdua) e animaçoes, ou seja o que sempre tem passado, esse é um belo filme diferente, que se destaca com belas sequencias de açoes. Não é o melhor filme do ano mas é um bom filme do ano, apesar da baixa bilheteria. Bem ao menos na minha opinião claro.

  4. gostei do filme também,

    a mensagem que passa também,

    sobre o tal anjo da guarda,

    e para quem entende de dissenções e planos superiores,

    não foi tão viajem,

    mas pra quem não manja o filme fica meio vazio mesmo, só menina lolitas e pancadaria over power,

    a melhor cena pra mim foi o chute do samurai xD

  5. Vi o filme agora a pouco gostei muito. Discordo quanto a opinião de roteiro medíocre, achei meio forçado essa colocação. Sem dúvida o destaque do filme são as cenas de ação e é para isso que eu fui assitir, mas achei que o roteiro deu a base necessária para as cenas de ação. Afinal um único lugar possível onde aquelas cenas se passariam seria na mente de alguém.

    A atriz que fez Babydoll realmente não é grande coisa, também fiquei com essa sensação de inexpressividade por parte dela. Em contra partida gostei da que faz a Swett Pea. Só não gostei de ela não usar em nenhum momento aquela espada grande nas costas delas.

    E aquela lição de moral final, totalmente desnecessária.

    No mais filme divertidaço, daria um 8,5 fácil para ele.

  6. Bem, eu não sou tão ligada assim a cenas de video games ou video clips, talvez seja por isso que eu não gostei, aliás achei muito ruim mesmo. A história só estava lá para dar um desculpa para as cenas de mulheres gostosas lutando contra monstros, e nem nisso ela conseguiu sucesso, onde uma mente feminina iria imaginar aquilo? Lutar contra mostros, vestindo roupas minúsculas, isso é tara masculina, não feminina, se os personagem que imaginasse fosse homem eu poderia ter engolido a desculpa, não sei, ou não. Os diálogos são horríveis, e aquele final onde tentava mostrar um lição e se levar a sério, piorou o filme, pois considerando que era só algo de ação que brincava com video games e musica, poderia ter uma visão melhor, mas levar a sério, que nada. Ri demais das primeiras cenas de luta, ri do ridículo da situação,das falas, da lutas que ao meu ver foram tão fáceis para a menina. Na terceira já me cansei, repetia muito, só queria que acabasse para eu ir embora do cinema.

  7. Ahh, um apendice, você comentou no meu blog, e disse para te adicionar no twiter. Mas eu tenho não, assim a gente pode trocar idéia por aqui, ou sei lá, outra rede, tenho facebook, é o mesmo do meu e-mail.

  8. Algo que pode ser visto em Sucker Punch é que assim como o James Cameron tentou e conseguiu impressionar com o 3D de Avatar, Zack Znyder tentou impressionar com a ação, ou será que 300 não fez isso? As intensões são o que devem ser avaliados e desde do inicio sabiamos que era essa a proposta de Sucker Punch.

    Snyder não tentou enganar ninguem isso é algo que deve ser levado em consideração.

  9. Acabei de chegar do cinema extremamente satisfeito e vim ler a matéria do Portallos (que me segurei para não ler desde que foi publicada) e pela primeira vez eu discordo quase totalmente. Achei o roteiro muito melhor do que eu esperava, as cenas de ação foram fantásticas e gostei muito da moral do filme.
    Não achei que a sequência de missões cansou justamente por ser em “mundos” diferentes. E quanto à atuação da guria, realmente não é o apice do filme, mas serviu bem.
    Acho que foi bem mais que apenas um filme de ação.

  10. Queria um game desse filme xD
    Nem curti tanto…um filme “à la Tarantino”, cheio de referências, o que eu geralmente gosto. Mas nesse filme, ficou forçado demais.
    Lindas atrizes mas péssimo roteiro. Super falho, quase cochilei no cinema! As cenas de ação me despertavam hsauhsaassa
    Nota 7,0

  11. eu acho que você assim como 90% das pessoas não entendeu o filme direito. procure as traduções da trilha sonora, e encaixe as letras na sequencia do filme onde ela é tocada. você vai perceber que tudo tem um motivo. das sainhas curtas até a perfeita escolha de casting, absolutamente tudo nesse filme tem um motivo, não cabe a mim explicar. ABRA SUA MENTE, como diz o trailer, e você vai entender

  12. que “critica” chinfrim, se apega as “gostosas seminuas”.. é lamentavel
    esses leitores de manga. nem vou me dar ao trabalho de explicar que cada menina era a representa uma personalidade da babydoll

  13. Acho que todo mundo que diz que não curtiu o filme é porque não compreendeu algo. O filme é complexo. Não é tudo mastigado e de fácil compreensão. Sem contar que abre espaço pra milhares de interpretação. É um filme sombrio e impiedoso. E único. Não tem como discordar disso. Quanto as expressões da Baby, quem assistiu o filme viu que quem narra a história é a Sweet Pea. Logo, talvez a história seja contada como ela imaginou que fosse, pensaram nisso?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.