Eddie Murphy: Stand Up com muitos palavrões e tapas na cara do politicamente correto! [+Opinião]

Não vá esperando classe! O “filme” corresponde à piadas baixas, racistas, machistas e feministas, pega pesado com os tabus e fala palavrão em 100% dos casos!

Ou seja, “Eddie Murphy Raw” não é algo para pessoas que se chocam facilmente! Aliás, devo dizer que para mim foi um espanto inicialmente, ver aquele ícone pop falando tais “absurdos”.

Mas, não se engane: Eddie não dá ponto sem nó! O que quer dizer que é tudo pensado, um texto de baixo calão, aliado a uma grande interpretação de todos os quadros, com o jeitão clássico de Eddie: sorrisão na cara, muitos dentes, muitas vozes e estereótipos do negro americano.

Agora, vocês devem estar se perguntando: “por que esse cara está indicando algo assim?”. Eu respondo: porque tem sacadas geniais sobre o real cotidiano e bate na cara dos mais conservadores, puritanos e, portanto, bastante hipócritas.

A parte que ele fala sobre traição é rude meus amigos! Não se enganem! Não há um momento em que ele não mencione os órgãos sexuais de ambas as partes! Mas, ao mesmo tempo, é hilária. É o timming perfeito, de um cara em seu auge no Saturday Night Live, em seus filmes e turnês gigantescas de Stand Up Comedy.

Ou você achou que foi Chris Rock que inventou esse “jeito grosseiro” de bater na sociedade e ganhar dinheiro? (muuuito dinheiro!).

Tudo bem, também não foi Eddie Murphy… Mas, o que eu quero dizer e comparar aqui é o seguinte: ainda nos anos 80 os EUA já não tinham mais medo do politicamente correto. Filmes e produções diversas chocavam pelo “excesso de realidade”, digamos assim.

O tipo de comédia que se fazia invertia os papéis e as pessoas podiam rir delas mesmas e de como eram podres por dentro.

A politicagem, claro, sempre existiu! Mas, desde aquela época já era escancarada! Quando você assiste hoje, David Letterman e ele fala de política e outros assuntos, você sabe, abertamente, qual a intenção dele, qual o partido e o lado que ele apóia. Assim, na lata!.

O que eu acho legal em assistir algo tão antigo e auto-promotor como um filme desses, é ver o tipo de evolução democrática em que ainda estamos inseridos onde TODO apresentador é pseudo muito inteligente e todo comediante (ainda mais com esse “bum” na de “comediantes politizados” pelo Brasil) passa a ter opinião mega respeitada, virando até mesmo ícone, por fazer algumas piadinhas infames – embora não fujam do tão aclamado politicamente correto…

Então, fica a dica para ter a cara estapeada (principalmente se você for americano) e tomar uma aula de como um país pode ser realmente livre ao escutar opiniões de seus ídolos, de não haver tanta censura idiota, descabida e, o mais importante a ser aprendido: é não levar a sério quem não se leva tão a sério. Porque realmente não consigo entender como alguns ícones recentes do nosso país ganharam papel de destaque e capacidade de formar opinião tão grandes só por teremos a língua um pouquinho afiada!

Isso também pode lhe interessar

19 Comentários

    1.  Você consegue achar Eddie Murphy Raw via Torrent bem fácil, o filme completo. E legendas, tem fácil legendas.tv.

      Como nunca nem sequer foi pensado em lançar no Brasil isso, não vejo problemas! XD

    1.  Pois é. Eu citei no texto… Mas, gosto mesmo do Bill cosby – para mim, é um gênio, mais sofisticado e menos apelativo.

      1. Nem vi que você tinha citado o Chris no texto, fui traido novamente pela leitura dinâmica na internet… rsrsrsrsrs… Mas de qualquer jeito foi um belo post, parabéns…

        Vou buscar pelos videos do Bill Cosby, nunca vi, mas sempre ouço falar muito bem…

        1.  É sensacional. Um humor mais familiar, digamos assim, falando das doideiras da família dele mesmo, da sociedade em geral… É muito bom mesmo.

  1.  Poxa, imagino que você seja leitor da coluna do André Barcinski, da folha, então, ao menos, poderia creditar a inspiração do Post para ele, pois foi de lá que teve esta idéia.

    1.  Hein? Qual ideia? De indicar esse filme? De levantar a questão dos comediantes no Brasil? Nunca li essa coluna, não sei que dia sai, nem ouvi falar do jornalista que a escreve…

      Não tive inspiração de ninguém do Brasil.
      Assisti um program de Oprah com participação de Chris Rock, fui atrás de outros stand up comedy em geral e sempre adorei bill Cosby.
      Assisto muito David Letterman quando posso e por isso sei opinar sobre o assunto.

      Perdoe o meu tom dsaforado, mas, realmente me inflamo quando uma pessoa levanta uma questão como essa, sem perguntar antes ou sem conhecer meus outros textos e comentários aqui no blog, os quais sempre comento sobre a politicagem desse país…

  2. “porque tem sacadas geniais sobre o real cotidiano e bate na cara dos
    mais conservadores, puritanos e, portanto, bastante hipócritas.”

    Isso soou meio exagerado, não é legal generalizar deste jeito, existem pessoas conservadoras que nem por isso são hipócritas. Isso vai muito da moral de cada um, o que, também, não cabe discusão.

    1.  Eu acho que tudo cabe discussão e é a minha opinião e ratifico, s epreciso for. Acho que conservadores só são conservadores externamente – me refiro a pregar valores os quais não praticam. É aquela velha história: faça o qu eue digo, mas não faça o que eu faço.

      Por isso acho mesmo que, para os anos 80 (vamos ressaltar isso) o conteúdo bateu na cara de muitos conservadores e/ou preconceituosos quanto ao ser negro, pobre, enfim, diferente dos ícones televisivos da época.

      Generalisar é necessário nesse caso. Por exemplo, você discordaria do fato de dizer que todo político é corrupto? CLARO que deve haver alguma exceção! Mas, para não ficar escrevendo um texto cheio de ressalvas, optei por dizer: conservadores e hipócritas – contudo, é provável que existam exceções também…

      1. Mas então você se refere ao sentido de conservador na política, pois em outros assuntos, como por exemplo, fidelidade, existem sim vários conservadores. Não os que gritam aos quatro cantos que o correto é ser fiel, mas sim aqueles que seguem a fidelidade de acordo com seus principios.

        Eu não vi o show inteiro, só vi mesmo esse trechinho que tem aí no final do post, e em vários aspectos discordo veementemente dos argumentos utilizados para fazer o “humor”, são mais argumentos para causar revolta do que para necessáriamente fazer rir.

        1. Ser fiel não é ser conservador. Não existe principio maior que a sua própria vontade, não adianta se forçar valores fundamentalmente cristão – como no caso da fidelidade, por exemplo.

          Eu acho o filme que indiquei bem engraçado, com partes bem interessantes e claro, chocantes!
          O post todo foi feito em torno disso: de há 30 anos já existir esse tipo de humor livremente nos EUA, enquanto que aqui procuramos o politicamente correto ou os humoristas assumem um papel social que não cabe a eles…

          Acho que é engraçado, especialmente essa parte que postei aqui. É exagerada, mas, genial. E não vejo problemas em chocar, não só por chocar, mas, com algum significado legal por trás…

          Não sei o mundo em que vive, mas, para chegarem a falar algum palavrão na TV brasileira demorou mais 3 décadas!

          Hoje, com a TV Fechada é que chegamos a isso, e alguma coisa na MTV…

          Essa é a razão do texto e de eu ser contra pessoas que se fecham com opiniões “convervadoras”. O mundo muda todo dia, toda hora uma moda, um jeito de agir diferente. E se você se fecha a um principio social – que não é o seu, é se acomodar com o fácil: “poxa, é errado fazer isso”.. Mas, qual o motivo?

          1.  Hum, certo, agora faz mais sentido, antes eu não estava vendo por este lado.

            De qualquer forma, parabens pelo texto ^^, valeu a indicação.

          2. Mas não deixe de conferir Bill Cosby! Esse sim é de primeira! Sem restrições, mais intelgiente e até diria: “de mais bom gosto”. heheh Valeu!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.