JapãoReflexões & Opiniões

Animes na internet: uma luz no fim do túnel?

Pesquisa para os fãs de animação japonesa no Brasil está aberta!

SOPA, PIPA e agora desenterraram o ACTA também, a coisa não está muito boa para quem gosta de compartilhar arquivos na internet por conta de um punhado de propostas de lei ridículas para proteger quem não consegue evoluir seus sistemas de negócio com o avanço da internet, ou simplesmente censurar a nossa liberdade de expressão na rede. Como vocês já devem saber, depois do Megaupload uma enxurrada de hospedadores de conteúdo estão ou fechando ou somente desabilitando que terceiros baixem os arquivos de quem upa. Hoje mesmo acordei lendo no Gizmodo BR que o 4shared já está deletando conteúdo afim de não ser caçado pelo FBI também e não está nada difícil achar o resto da lista dos servidores que estão fazendo o mesmo. Nem preciso dizer que nessa dança os animes que a maioria baixa estão no meio. Coincidentemente isso veio de encontro ao meu recente desanimo em baixar anime na net, mas isso eu explico melhor depois do continue.

Eu sou desleixado, odeio organizar as coisas e só o faço quando realmente sou forçado a isso e a coisa toda ficou pior agora que descobri que o meu quarto já não tem o mesmo espaço que antes para guardar meus mangás. Também foi-se o tempo em que eu me empolgava em baixar episódios de Saint Seiya, Naruto ou Bleach e guardar tudo numa mídia de CD ou DVD para assistir quando desse saudade. Foi aí então que resolvi só assistir e deletar os arquivos depois e quem sabe um dia, num futuro não muito distante investir uma grana nos blu-rays (antes disso nunca pensei que fosse seguir aquela conhecida recomendação de deletar caso os direitos autorais do produto não sejam seus), só que isso também já está meio que perdendo a graça pra mim. Não sei se é porque o backbone da porcaria da Telefonica caiu esses dias e deixou a minha conexão mais porcalhona do que ela já é ou se a minha síndrome de bicho preguiça alcançou um novo estágio em sua evolução, afinal é só jogar no Google e você acha e baixa tudo o que quiser depois de poucos cliques.

Não sei, sinto falta da época em que das 17:00 da tarde até mais ou menos umas 22:00 da noite eu esbarrava no canal da Fox Kids e me deparava involuntariamente com algum anime passando, assim no nada, como a novela chata que não pode faltar no canal da Globo. Uma programação diária que se compromete de verdade a não deixar o seu público alvo na mão. Lembro do antigo Cartoon Network (o de hoje eu não aprecio mais) e o saudoso Locomotion mesmo com seus estranhos problemas na hora das exibições e penso o mesmo. Por um tempo até que a Sony e o seu Animax tentaram fazer isso, mas a propaganda tímida feita para promover o canal de TV à cabo me pareceu fraca demais para chamar a atenção. Só não me alargo mais no assunto porque já estava sem TV à cabo na época do lançamento dele, mas quem pôde acompanhar deve ter uma opinião melhor que a minha nos comentários. Fato é que a empresa concluiu que seriado teen e filme mofado deve dar mais lucro que exibir animação japonesa para um público que encontra todo o conteúdo do canal e muito mais na internet, agora se eles tiveram sucesso depois dessa iluminação divina isso já é outra história que eu também desconheço. Mas o pior não é isso e sim ver que outros canais que um dia eu gostei tanto acabaram comprando essa idéia também.

Às vezes gosto de ver alguns canais da TV aberta como a RedeTV exibindo animações e acima de tudo tendo êxito na audiência para dar continuidade ao trabalho, mas nada supera a agilidade dos fansubs na internet, sem contar que com o passar do tempo a dublagem brazuca já não tem me empolgado como há tempos atrás. Talvez esse abismo entre as duas plataformas tenha matado o Animax mais do qualquer outra coisa, e somando isso ao fato de que 2012 muito provavelmente entre para a história da internet como o ano em que novas diretrizes (mais duras ou não) para o livre compartilhamento entrem em cena, particularmente fico muito mais interessado num serviço de streaming que venha para fazer a diferença aqui na República das Bananas quando penso em assistir animes.

O Netflix já está aí e eu só não entrei de cabeça ainda porque a coisa tá feia pro meu bolso no momento e ainda preciso de um cartão de crédito (sempre desprezei eles). Paralelamente a isso vem chegando o Crunchyroll sob o comando da editora JBC, não conheço o serviço direito, no máximo dei uma passada no site em inglês e gostei de ver o conteúdo atualizado que rola por lá. Acredito que a idéia seja fazer o mesmo por aqui, mas não é só por isso que a vinda dele para cá me agrada, também gostaria de ver o serviço resgatando pérolas mais antigas da animação. Me lembro até hoje da frustração que eu senti quando cheguei ao nono episódio de Ashita no Joe e descobri que o fansub responsável pelo projeto aparentemente abandonou o mesmo sem dar nenhuma explicação. Também me me sinto triste por ver que só vou ter uma chance de saber o que é Space Battleship Yamato com o remake que vem vindo aí, mas isso é só o  iinício  da lista de desejos. Se aventurar no inglês e ir buscar o que te agrada em fansubs estrangeiros não rola pra mim e acredito que para mais um monte de gente seja assim também. E a minha insatisfação só aumenta por ver que poucos são os grupos que se interessam por esse e outros materiais mais raros.

Mas ao mesmo tempo eu não posso fazer nada quanto a isso (a não ser tomar vergonha na cara e investir num curso de inglês), é um trabalho de fã para fã, eu não pago para ter acesso a ele, nunca paguei, apenas agradeci todo esse tempo pela vontade desse pessoal em compartilhar o seu trabalho comigo e mais um mundo de pessoas interessadas num produto que não chega até nós de forma oficial e quando chega, vem a preços abusivos demais para todos adquirirem. Hoje eu quero mais que só usufruir do direito de ver os animes do momento e dar sugestões dos clássicos que ninguém se interessa em ver sem uma alternativa de exigir isso. Talvez eu esteja sonhando alto demais e na prática o Crunchyroll talvez não possa nos proporcionar isso, mas só dando uma chance é que vamos descobrir. E se é para apoiar o mercado de animes no país e tentar mudar o cenário atual, adoraria poder pagar pelo serviço aqui no Brasil e nesse momento sim ter todo o direito de fazer exigências cobrando o que eu realmente estou afim de ver.

Continuo gostando muito do trabalho de alguns fansubs e vou continuar admirando sempre, sabendo ou não do que rola nos bastidores, mas eles já não atendem mais às minhas expectativas como antes. Acho que é isso, segue abaixo o press release da editora sobre o assunto.

“Agência Japorama será responsável pela promoção no Brasil. Serviço “simulcast” também estará disponível para alguns títulos, com legendas em português.

Crunchyroll é um serviço de streaming de vídeo online, e uma comunidade que oferece episódios completos e filmes dos melhores animes japoneses. O conteúdo do Crunchyroll é fornecido pelos líderes de mídia asiáticos, incluindo TV TOKYO, Shueisha, Creative Fuji Corporation, Pony Canyon, Yomiuri Telecasting Corporation, Toei Animation, Gonzo, Munhwa Broadcasting of America, entre outros.

Breve, os fãs brasileiros de animes também poderão assinar o Crunchyroll, graças a uma parceria firmada com o JBGroup, grupo do qual também faz parte a Editora JBC. A Japorama, agência de comunicação pertencente ao grupo, será a responsável pela promoção do serviço no Brasil, bem como por sua localização, através da tradução do sistema e das legendas dos animes para português do Brasil. O idioma será o primeiro além do inglês a fazer parte das legendas do Crunchyroll.

O Crunchyroll conta ainda com um serviço exclusivo chamado“simulcast”, onde os animes são disponibilizados para exibição – já legendados – poucas horas depois de sua exibição no Japão. O “simulcast” também estará disponível para alguns títulos legendados em português.

Nos próximos meses, a Japorama irá realizar uma série de pesquisas de mercado junto aos fãs de anime, enquanto prossegue com os preparativos para a implantação do sistema. O cronograma de lançamento, assim como os títulos, serão divulgados posteriormente.” (Fonte: JWave)

A vinda do Crunchyroll para essas bandas não é assunto novo, a novidade é que uma pesquisa rede afora tá rolando para saber o que realmente os fãs de anime aqui no Brasil estão esperando do serviço. Se você gosta da idéia e tem interesse em fazer parte do bolo é só dar uma passadinha aqui e responder algumas perguntas. Assim como quem curte vídeogames, acho que quem curte anime tem todos os motivos para pelo menos dar uma chance de fazer isso dar certo e provar para quem produz o que tanto gostamos que o Brasil não é só lugar de quem tá afim de piratear, que aqui tem tantos fãs quanto lá no Japão interessados em pagar pelo que consomem a um preço justo.

E se no fim de tudo as coisas não correrem como a gente esperava, é só colocar a boca no trombone, reclamar mesmo, esfregar na cara deles onde é que eles estão errando. E o mais importante, desta vez com todo a razão do mundo ao seu favor.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

K o n S a m a

Do ser sem razão a essa explosão de emoção, do preguiçoso leitor ao (meia-boca) escritor, do tímido calado ao ator inquieto, do caminho já traçado à esquina do destino incerto. Tentei me definir, mas sem sucesso. Games, filmes, música, animes, são só o começo desse quebra-cabeça sem nexo.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios