LendoMiscelânea

Quadrinhos Disney (jun/12): capas & destaques

Tem tanta coisa nas bancas que você nem sabe por onde começar?

Eu acompanho Disney há mais de uma década. Sei de cor e salteado quais os títulos atuais, qual a periodicidade e qual o foco e propósito de cada um. Mas imagino que o leitor novato deve se sentir confuso e perdido no mar de lançamentos atuais. Por isso resolvi fazer um Checklist um pouco diferente esse mês.

Quem entender melhor como funcionam as publicações nacionais? Como as revistas se diferem, qual o público-alvo de cada uma, qual o preço, periodicidade e títulos atuais? Por onde começar? O que vale colecionar? E para ler regularmente ou casualmente? Tudo após o continue…

Mensais – 06 Revistas

O que preciso saber sobre estas revistas?

  • Todas as revistas mensais tem 50 páginas, exceto Tio Patinhas que tem 80 páginas.
  • Todas as revistas possuem material inédito, ou seja, HQs que nunca foram publicadas no Brasil. Exceto Zé Carioca que vivem atualmente com republicações do personagens e HQs clássicas de outros personagens.
  • São apenas 6 títulos mensais, cada uma tem como foco histórias com o personagem que dá título a revista.
  • As revistas custam R$ 3,20 cada, exceto Tio Patinhas que custa R$ 4,95 por ter mais páginas.
  • As mensais são ótimos títulos para acompanhar o que vem sendo produzido atualmente nos quadrinhos Disney, ainda que algumas vezes elas se dedicam a material clássico jamais publicado por aqui.
  • As mensais sempre são lançadas na primeira semana de cada mês.



Quais os destaques do mês?

  • Pateta #13 traz mais uma das muitas HQs inéditas no Brasil com o Indiana Pateta, primo aventureiro do Pateta.
  • Pato Donald #2407 traz uma HQ com o Pato Donaldo no mínimo curiosa, produzida na Holanda em 2002, ela conta com a presença do Zé Carioca na trama (e por isso a capa em questão). Não é hábito do leitor brasileiro ver o Zé Carioca sendo trabalhado por estúdios estrangeiros. Ainda na edição temos um curioso encontro entre Peninha e o Silva, vizinho do Donald. E ainda uma HQ recente do desenhista Marco Rota, o traço dele é fenomenal, coisa única na produção atual.
  • Tio Patinhas #563 está com uma edição mais histórica, trocando a produção atual por clássicos inéditos do passado. Traz duas HQs italianas da década de 70, um com o traço de Massimo De Vita e outra de Romano Scarpa, grandes mestres italianos. Completa a edição uma aventura dos primeiros anos do Peninha (anos 60) e um mais atual onde o personagem encontra a Maga Patalógika.
  • Mickey #837 traz mais uma aventura inédita com a participação do Tio Jeremias, um personagem relativamente novo no univero disney, que faz o papel de um tio aventureiro que arrasta o Mickey em busca de tesouros perdidos.
  • Minnie # 13 tem a inusitada história “O Grande Mar de Areia” que conta com um impressionante traçado e cores. Desenhos de Stefano Turconi, um italiano que tem pouquíssimo material publicado no Brasil. Vale muito a pena conferir esse trabalho dele com a roteirista Teresa Radice (também desconhecida por aqui).
  • Zé Carioca #2372 continua resgatando material antigo do personagem e de outros talentos do passado. Nada muito impressionante nessa edição porém. Vale talvez por mais um clássico do Morcego Vermelho (alter-ego heróico do Peninha), outro clássico da série A Patada (nome do jornal da cidade gerenciado pelo Tio Patinhas com o Donald e Peninha como repórteres) e pelo resgate de outra raridade de Renato Canini (considerado um dos grandes mestres nacionais que moldou o universo do Zé Carioca nos anos 60).

Almanaques – 04 revistas (+02)

O que preciso saber sobre estas revistas?

  • Todos os almanaques possuem 80 páginas cada.
  • Todos são compostos apenas de republicações. Nenhuma HQ inédita então.
  • Cada almanaque custa R$ 4,95, independente do personagem.
  • Estas revistas costumam ser dedicadas a algum tema específico. As vezes é focado em um desenhista ou roteirista em especial, as vezes em uma série (ou ideia de plot) ou personagem coadjuvante, e nem sempre o tema é destacada na capa. Um leitor desatento as vezes nem nota isso. Óbviamente o almanaque também pode sair sem qualquer tema em específico.
  • Ao todo a Editora tem 10 títulos de personagens para seus almanaques. Donald, Mickey, Zé Carioca e Tio Patinhas são o carro-chefe e novas edições são publicadas bimestralmente (mês sim, mês não). Nos meses em que não saem esses almanaques, geralmente saem 2 edições de outros personagens secundários, sempre nessa ordem: Pluto & Prof. Pardal, Peninha & Super Herois Disney, Pateta & Margarida (são semestrais então).
  • Os almanaques são lançados sempre próximo ao dia 20 de cada mês, ou seja, é muito comum você ir na banca e encontrar 6 almanaques, pois como eles sempre saem quase no final do mês, acabam ficando ao longo do próximo mês também nas bancas.
  • São ótimas revistas para quem gosta de um personagem específico, para conhecer um pouco de certos aspectos históricos e certos temas. Mas não são títulos de leitura obrigatória, podem ser adquiridos de forma bem esporádica.



Quais os destaques do mês?

  • Almanaque do Pato Donald #08 traz histórias com um tema clássico e altamente popular entre os fãs: as brigas do Donald com seu vizinho, o Silva. Todo mundo já teve em algum momento da vida um vizinho indesejado. Aqui as histórias entre essa dupla são sempre levadas ao extremo. Donald ODEIA o Silva e Silva ODEIA o Donald. Não precisa de maiores explicações. Provocações baratas, pegadinhas de mal gosto, um se vangloriando para o outro e as vezes até mesmo chega-se a violência extrema, e nem sempre física, porque o que tem de história onde a casa de um dos dois (ou dos dois!!) explode não é brincadeira.
  • Almanaque do Mickey #08 traz histórias histórias de uma série esquecida no tempo com um personagem que não recebe novas histórias mais: Sir Lock Holmes. Como o nome sugere, Sir Lock, é um personagem criado sob a inspiração de Sherlock Holmes, Mickey faz o papel que no original cabe a Watson, mas temos mais a personalidade do Mickey do que algo parodiando Watson. Esse é o típico almanaque que um leitor novato não precisa essencialmente ler, porque é composto de um material que não recebe atualizações ou novidades há mais de décadas, mas com certeza se o ler irá se apaixonar por Sir Lock e muitas as HQs baseadas em histórias de Sherlock Holmes. Um almanaque voltado ao colecionismo com certeza já que traz uma série raríssima nos dias atuais.
  • Almanaque do Pateta #03; ainda que tenha sido lançado no mês passado, vale dar uma olhada nesse almanaque quem for fã do Pateta. Ele não é temático mas é composto de algumas diretrizes. Ele é quase todo feito com HQs americanas do personagem (hoje em dia os EUA não produzem mais HQs Disney) lá da década de 70/80. Tem um climinha que não existe nas revistas mais modernas com o Pateta. Vale pela nostalgia, mas não é essencial para se entender o personagem nos dias de hoje. Tem um destaque grande com o Horácio como coadjuvantes e dois clássicos do Superpateta.
  • Almanaque da Margarida #03;  é meio incrível como este almanaque é atualmente um dos melhores dos 10 títulos disponíveis. Tem a Margarida refletida em suas múltiplas fases e gênios. Boa diversidade de épocos e produções de vários países. Vale muito a HQ de 3 págs do Don Rosa e também a última HQ italiana com os desenhos da Silvia Ziche (tem uma expressividade cartoonesca), sem contar as várias produções nacionais do passado com a personagem. Para quem conhece muito pouco da Margarida no universo das Comics, essa é uma revista boa para conhecê-la melhor.

Edições Férias – 04 revistas

O que preciso saber sobre estas revistas?

  • São revistas finíssimas, com apenas 36 páginas.
  • Periodicidade trimestral, onde revezam entre o subtítulo Férias e Extra (cada um com sua numeração própria).
  • Possuem em geral 3 a 4 histórias curtas, todas republicações do arquivo digital-
  • Custam somente R$ 1,95 cada.
  • Curiosamente não existem versões fininhas de personagens como Minnie e Zé Carioca.
  • São gibis para um público bem casual, para leitura rápida e leve. São revistas ótimas para aqueles leitores que sempre querem uma coisinha a mais para ler durante o mês. Geralmente a seleção delas é muito caprichada e bem elaborada. Quem não tem as histórias na coleção é um ótimo investimento.
  • As capas dessa linha são em geral as melhores de todas as outras revistas, sempre ousadas, inovadoras e diferentes. Faz o leitor ter vontade de comprar apenas pelas belas capas.
  • Geralmente essas revistinhas são lançadas uma semana antes das mensais, bem na virada de mês.


Quais os destaques do mês?

  • Tio Patinhas Férias #8 consegue em tão poucas páginas ser mais eclético do que algumas outras vezes dessa linha e até mesmo das menais. Abre com uma HQ italiana e fecha com duas dinamarquesas. Histórias bem no espírito do personagem mesmo. Para quem gosta da Maga Patalójika ela marca presença na segunda história da edição.
  • Pateta Férias #7 e Mickey Férias #8 meio que se completam nessa rodada, isso porque ambas as edições trazem histórias de uma fase muito marcante e memorável pra mim, uma fase que aprecio muito da produção dinamarquesa, onde o Mickey usava uma camisa branca e suas histórias eram muito mais coerentes e consistentes do que as atuais, que ficaram levemente mais infantis e os dinamarqueses estão usando o visual clássico original do personagem. A produção dinamarquesa então dos anos 90 dá de 10 a 0 em relação a esse aspecto do universo do camundongo (mas esta é só a minha opinião). A edição do Pateta ainda reserva espaço para um produção italiana que sempre me diverte.
  • Pato Donald Férias #8 não há nada excepcional, porém está longe de uma edição dispensável. Pelo contrário, ela reflete bem o clima e a filosofia da mensal do personagem, serve com um bonito complemente para quem gosta do personagem.

Especiais

O que preciso saber sobre estas revistas?

  • Com as especiais é necessário que o leitor novato tenha mais cuidado, pois elas podem ter dois focos ditsintos: um tema que agrade mais a comunidade colecionadora ou almanacões com um absurdo números de páginas com repetecos que mais interessam aos novatos. Felizmente é fácil perceber para qual lado estes especiais puxam. BIG, Jumbo, Mega com suas 300, 500 e 800 páginas, respectivamente, não seguem um tema, então são almanaques gigantes de republicações.
  • Estes “almanacões”, na falta de um termo melhor, ao contrário dos almanaques de personagens não possuem qualquer tipo de foco. São publicações caóticas, voltadas para todos os tipos de personagens de qualquer época, país ou fase. Tudo numa única revista. São revistas que tem um apelo forte para os leitores casuais, que começaram agora suas coleções e possuem mais e mais vontade de conhecer o universo. Não são leituras obrigatórias para acompanhar as revistas atuais, mas servem de auxílio aos mais curiosos em saber mais.
  • As especiais temáticas por outra lado atendem mais o colecionismo. É um tipo de revista que tem fama internacional. Lá fora se investe muito nestes especiais. Muitas vezes os quadrinhos Disney ficam melhores com temas que o leitor é fã. Esportes, mistério, ação, comédia. É como juntar um ator de cinema favorito com um gênero que também aprecie. Talvez não seja a melhor linha para o leitor novato e casual (ainda mais se o tema não for algo que se aprecie muito), mas nada impede que o mesmo consuma essas revistas que fogem da numeração editorial das demais.
  • O preços e quantidade de páginas destas revistas varia bastante. BIG custa R$ 12,95 (300 págs), Jumbo custa R$ 15,95 (500 págs) e Mega custa R$ 19,95 (800 páginas). Os especiais não possuem preço fixo, depende do tema, do tratamento gráfico, da quantidade de páginas e da seleção de histórias.
  • Os almanacões sempre trazem republicações, porém os especiais nem sempre seguem essa regra, podendo trazer matérias inéditos, mas sempre mesclado com republicações. Como saber qual especial tem material inédito e qual não tem? As vezes o sumário destas revistas alertam, mas o melhor é sempre consultar a internet, seja o Inducks, ou blogs e fóruns sobre o assunto (como o Portallos, Planeta Gibi e o Calisota).
  • Alguns especiais não possuem periodicidade no lançamento. Atualmente os especiais de temas costuma sair próximo do dia 28 no mês em que são anunciados. BIG sai sempre no dia 25 de forma bimestral. Jumbo e Mega ainda não estão totalmente confirmados como revista de linha. Entre a Jumbo 1 e 2 foram basicamente 6 meses, mas isso pode mudar na próxima edição (se houver) pra mais ou pra menos. Mega ainda não se sabe se terá uma segunda edição, mas é muito difícil de acreditar que não terá.



Quais os destaques do mês?

  • Disney Olímpico apesar da seleção de histórias ainda ser um mistério eu, particularmente, tenho muito expectativa por esse especial. Já foi confirmado que trará inéditas e republicações (mas não se sabe a proporção). A capa também terá um tratamente especial. É o primeiro especial, depois de muitos anos, em que se tem tantas páginas quanto Disney BIG.
  • Futebol 2012 traz uma produção que acaba de sair do forna: Street Soccer Squad, uma série nova criada esse ano para a Eurocopa 2012. É algo realmente raro ver o Brasil de mãos dadas com produções que estão saindo neste momento na Europa. Em geral as HQs chegam por aqui com meses ou até anos de atraso. E desta vez nós publicamos até mesmo mais rápido do que os europeus, que estão lançado essa história nesse mês (nós a lançamos na última semana de maio). A edição ainda conta com uma longa HQ inédita do Vicar, desenhista chileno que faleceu no começo do ano.
  • A História de Patópolis particularmente não é um especial que me agradou, mas tem um alto teor histórico, principalmente por ser uma produção genuinalmente nacional. Quadrinhos Disney não possuem cronologias, mas as vezes os artistas tenta ligar alguns pontos ou trabalhar no passado do universo e conectar ou expandir alguns pontos. Esse é um dos casos. Não deve ser considerado como oficial, mas vale a curiosidade imaginativa de mentes como Ivan Saidenberg que criou esse projeto nos anos 80.
  • Disney BIG #15 é muito difícil dar uma geral em poucas linhas sobre estas revistas enormes, minha vontade era a cada lançamento fazer um especial com elas, dando os mínimos detalhes, mas o tempo é curto. Essa edição de BIG marca o resgate histórico de algumas pérolas italianas do passado, em particular uma com o Indiana Pateta. Uma edição que acaba sendo ótima para quem também não conferiu revistas como Almanaque Disney e Aventuras Disney, trazendo HQs longas destas publicações extintas. Além disso muitas HQs curtinhas de várias épocas da produção Disney pelo mundo.
  • Disney Jumbo #2 há basicamente duas grandes e belíssimas atrações: as duas histórias da revista Donald Super, que traz o Superpato num universo alternativo, no que é considerado uma das melhores produções italianas de todos os tempos, mas que nunca saiu de forma apropriada no Brasil (e não é desta vez, pois essas HQs são da terceira versão da série, mas vale pelo valor histórico). A outra atração é uma HQ de mais de 100 páginas da série Patos Galáticos, que quando publicado pela primeira vez no Brasil ocupou 4 edições da mensal do Tio Patinhas e agora está saindo na íntegra numa única revista. Além disso há outras HQs grandes e curtas que recheiam a edição, algumas com alto valor histórico, como as duas com o Vespa Vermelha (um super herói que não tem muita cara de Disney).
  • Mega Disney #1… sinceramente? Eu precisaria de um post somente pra descrever tudo de valor que tem nessa revista. Histórias sequencias com o Morcego Verde e outra com o Mickey e Manhca Negra (produção italiana), Superpato. Mas o que vale a edição com certeza são raríssimas HQs de Carl Barks e Don Rosa e em farta quantidade para vale a compra da revista. O Segredo do Castelo saiu (parcialmente) em 1960 na primeira edição de Pato Donald no Brasil, Uma Carta para Casa do Don Rosa é considerada por quase todo fã Disney como a melhor HQ já feita pelo discípulo de Barks, isso sem mencionar a famossíssa entre os nostalgicos O Xerife do Vale Balaço de Barks. Obras primas aos montes nessa edição. Se você nunca leu Disney, é uma excelente edição para ver de tudo um pouco e algumas das melhores HQs já criadas. Depois de ler essa edição e não gostar de Disney pode desistir porque não consego acreditar que tenha algo melhor que lhe convencerá.

Coleção Semanal – Essencial Disney

O que preciso saber sobre estas revistas?

  • Essencial Disney é uma revista semanal, sendo lançada oficialmente toda sexta-feira.
  • Possui 100 páginas e custa R$ 10.
  • Progamada para ter 20 volumes apenas.
  • Tem uma proporção grande de HQs inéditas por edição. Digamos que 85% da coleção é composta por material inédito e as republicações em geral são de material que nunca foi republicado.
  • Ela segue temas elementais do universo Disney, explorando conflitos, relações ou personalidades das 4 principais figuras da casa: Mickey, Donald, Pateta e Patinhas.
  • Cada edição possui páginas explicativas de contexto do tema do volume.
  • O público alvo? Meu palpite é que são os colecionadores, que anseiam por mais material inédito que não cabem nas mensais raquíticas. São revistas caprichadas, bem encadernadas, com papel branquíssimo. Feitas para se guardar na estante. Mas elas também casam muito bem com o leitor novato e casual, que não quer ter o trabalho de correr atrás de mensais pequenas ou da linha de republicações. É um material para o leitor que quer algo mais caprichado. De uma certa forma se aprende um pouco sobre elementos clássicos do universo dos quadrinhos Disney.



Quais os destaques do mês?

  • Infelizmente o material dos volumes não é revelado previamente, então é difícil apontar destaques de cada edição, mas na minha opinião a coleção por inteira se destaque. Ela não é feita para promover histórias avulsas aqui e ali, mas para se julgar pelo conjunto da obra como um todo. Mas sites como Planeta Gibi e o Calisota comentam toda a semana em torno do conteúdo de cada volume. Vale acompanhar por tais canais.

Mensais de Julho

* as regras explicadas em toda linha de junho se aplicam aqui também…




E os destaques destas revistas de julho?

Sobre elas a gente conversa em julho. Não tenha pressa. 😉

FAQ – Perguntas Frequentes!

1 – As histórias das revistas Disney  possuem cronologia? Preciso ler na ordem ou alguma coisa já lançada?

  • Uma das grandes vantagens dos quadrinhos da Disney é que realmente não existe qualquer cronologia entre as histórias. Não se faz necessário a leitura de qualquer material antigo para entender as histórias de hoje. Isso não significa que não exista uma linha de tempo ou certas características que conectem certos aspectos desse universo, mas o leitor não tem a obrigação de saber ou entender essa linha, com o tempo porém acompanhando você passar a pescar sozinho isso. Você pode começar a ler quadrinhos Disney a partir de qualquer revista, de qualquer época.

2 -Por que numa mesma revista o traço é diferente entres as HQ?

  • Ao contrário de revistas como Turma da Mônica, por exemplo, a Disney tem diversidade de traços, cada país e cada artista retrata os personagens Disney com sua própria visão e traço. Muda o formato de quadros por página, mudam as cores (entre vibrantes ou  mais realistas). Essa diversidade proporciona diversidade e visões únicas dentro de alguns núcleos de histórias. Por isso é fácil encontrar uma edição de um Mickey ou Pato Donald num mês com um artista que lhe agrade e no mês seguinte não curtir. Por isso não estranhe se comprar um gibi e não gostar das histórias, procure conhecer os melhores artistas.

3 – Quadrinhos Disney não são infantis demais?

  • Há muito debate e discussão sobre isso. Mickey e Donald não são personagens adolescentes, são adultos. Possuem trabalhos, obrigações e deveres. Sim, é verdade que as histórias possuem uma suavilização para que as crianças também se interessem pelos personagens, mas elas não são necessáriamente infantis. Elas possuem elementos que agradam um público diversificado, de qualquer idade. Pense nos desenhos antigos de Tom & Jerry ou Looney Tunes e em como eles divertiam uma faixa etária variada. Os quadrinhos Disney vem da década de 30/40 e sofreu várias evoluções nas décadas seguintes, mas os personagens vieram de uma época em que não eram criados pensando exclusivamente nas crianças (como o que ocorre hoje em dia com certos personagens animados). Nos quadrinhos Disney é possível encontrar temas do universo adulto, como trabalhos e profissões, mistérios policiais, conflitos com vizinhos e familiares, aventuras baseadas em mitos, lendas e locações reais. Os personagens também possuem personalidades complexas e as vezes até mesmo politicamente incorreta para os padrões de hoje (principalmente o Pato Donald, um personagem que não é retratado com tal complexidade no universo animado).

(Tem uma dúvida básica não respondida acima? Qual?)

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.