Dando Nota!Jogando

Beta | Tom Clancy’s Rainbow Six Siege – Decididamente não é pra mim

Esta rolando há alguns dias o beta fechado de Tom Clancy’s Rainbow Six Siege e apesar de que ele já deveria ter acabado, a Ubisoft resolveu deixar tudo rolando até hoje, dia 1º de outubro. Então quando você estiver lendo estas impressões, talvez o beta já tenha acabado, talvez restem algumas horas para ir lá conferir.

Vou ser bem sincero, eu não joguei o quanto talvez devesse ter jogado para poder me encontrar no jogo e no geral, vi problemas ali que com certeza me fariam decidir não comprar o título em seu lançamento. Algum dia, custando lá suas 99 patacas ou até menos? Talvez, mas nem em uma lista de games a serem jogados nessa geração, pelo que vi neste beta, me interessaria por Rainbow Six Siege. Posso mudar de opinião quando as resenhas do game completo sair? Com a mais absoluta certeza.

E é fato que games que são puramente multiplayer online possuem grandes possibilidades de não atrair muitos jogadores interessados em adquirir no lançamento. Ao menos é o que sinto aqui no Brasil, por comentários nas comunidades e fóruns espalhados aos ventos. E a Ubisoft já avisou, nada de campanha para Tom Clancy’s Rainbow Six Siege, o modo single player consistirá apenas em você sozinho jogar alguns mapas do multiplayer contra Bots do sistema.

Será que ninguém lá viu toda a repercussão ruim que Titanfall recebeu quando foi lançado sem campanha? E olha que Titanfall foi uma das exceções boas, pois mesmo sendo apenas multiplayer, eu joguei muito no lançamento e nos meses seguintes, mas só porque havia fatores ali que me mantiveram online, fatores estes que decididamente não vivenciei ao testar o beta de Siege.

Bem, para começar, faço o registro de que testei os dois modos liberados, um com 5 jogadores contra 5 jogadores e um de 5 jogadores contra 20 bots (aproximadamente) controlados pelo jogo (Tresure Hunt). E ambos me incomodaram muito em um coisa, a demora das partidas se você morre no início dela.

Lembra como as demonstrações do game na E3 e em outros eventos davam a entender o quanto roteirizado e ensaiado eram os gameplays? Então, eram mesmo. No geral os jogadores saem a esmo e fazem o que querem. Das partidas que joguei não vi UM jogador se quer se posicionar como líder e coordenar os demais. Eu ainda tentei ficar junto de alguns e dar cover e assistência, mas via de regra é a desorganização que impera. E vamos ser francos, existem muitos mais jogadores assim, que se reúnem com desconhecidos e que não querem trocar palavras com ninguém do que grupos de amigos que possuem data marcada para entrarem online juntos todos os dias e jogarem naquele mesmo horário o mesmo jogo. É a mesma ladainha das Raids de Destiny sem matchmaking enfim.

Isso significa que em um grupo de 5 amigos, Tom Clancy’s Rainbow Six Siege, deve ser incrível e empolgante. Isso se o time adversário também estiver jogando de forma adequada. É um game que exige postura, de ambos os lados. Caso contrário o resultado é algo… exaustivo e repetitivo. Entrar e sair de um cenário destrutivo contando com a sorte, igual um maluco ou ficar escondido torcendo para alguém aparecer antes da partida acabar. O meio termo disso é bem complicado.

E a pior coisa é morrer! Quando você morre, você se ferrou, pois vai ficar o que parece ser dias assistindo o jogador expert (sim, porque sempre há um em cada time) esgotar até o último segundo da partida tentando vencer a parada sozinho, ou simplesmente resolvendo se esconder até o tempo acabar. E assistir a uma partida é OK, duas até dá, mas na terceira você já começa a olhar suas unhas, ver teia de aranha na parede, volta pra dashboard do Xbox, olha mensagens no celular… ou seja, o jogo está apenas parado jogando sozinho. Eu achei péssimo essa estrutura, que lembra muito antigos games de mata mata sem respawn.

É por isso que o Team Deathmatch faz tanto sucesso hoje em dia nos multiplayer online. Você morre, volta. Morre, volta. Quando acabam as vidas, você já morreu e voltou tantas vezes que esperar a partida acaba é de boa, pois significa que as vidas do time já eram e quem ficou não vai durar muito.

Você pode até argumentar que a ideia de Rainbow Six Siege é justamente combater essa banalização da sua vida no combate online. Bacana, mas a partir do ponto que você morre e nem viu porque morreu, porque o jogo é sobre ficar escondido e pegar o adversário sem que ele te veja, isso torna frustrante a ideia de não conseguir se defender. Fora que se você for lento demais atacando, também entedia o time adversário que precisa ficar esperando você aparecer dentro da zona de invasão.

Por fim, não gostei. Meu tempo para videogame já é escasso, então não quero sentar pra jogar e ficar esperando partidas, ficar vendo outros jogadores jogarem. E você pode dizer “basta não ser ruim e não morrer”. É uma boa, mas infelizmente é difícil competir com jogadores que passam dezenas e centenas de horas dentro de um game na primeira semana do jogo, enquanto eu jogo uma ou duas horas por semana o mesmo.

Resultado? Decididamente Tom Clancy’s Rainbow Six Siege não é um jogo para o meu perfil.

Mecânicas & Gameplay

Bem expurgado esse fantasma, se você não se importa com nada disso do que relatei acima, talvez você goste de Rainbow Six Siege e então é bem capaz que você queira outros detalhes mostrados no beta, correto?

Mecanicamente o jogo é bem interessante e intuitivo. Seja atacando ou defendendo seus recursos são bem naturais. Se você defende, você faz barricadas, algumas fortes, outras fracas. Você não reforça o cenário inteiro, o jogo parece fazer isso sozinho, até porque você tem 20 segundos pra fazer isso antes da partida iniciar, então não conseguiria fazer tudo manualmente.

De outro lado, como atacante, você pode ter bombas e utilitários que quebram estas barricadas. Você destrói muita coisa, exceto metal e concreto puro aparentemente. O jogo passa sim uma boa sensação de que tudo é destrutivo, porém não a ponto de você derrubar a casa inteira e acabar com a partida. Só achei uma pena não poder entrar pelos telhados, apesar de que existem pisos que quebram e você pode descer ao andar debaixo assim, mas eu não vi uma pessoa fazendo isso ou uma situação na qual se fizesse necessário. E até porque os cenários em geral são pequenos e com 3 três a 2 cômodos grandes por andar que se dividem em pequenos quartos, ao menos nos mapas que joguei. Porém eles tem muitos corredores e escadas.

Não achei um level design inacreditável, as vezes é até confuso aonde você está e aonde deveria ir. Deveria ser um pouco mais natural na minha opinião. Eu me perdi com frequência nos mapas do beta. Com o tempo se decora? Sim, e aí talvez fique mais chato pois você sabe onde é o respawn dos times que defendem os pontos de objetivos. Aí perde um pouco a graça, não?

O jogo tem vários classes de personagens, que permitem armas e itens diferentes, como uma classe com um grande escudo móvel de proteção no ataque e um de escudo fixo que se finca no chão na classe defesa. Há diferentes tipos de armas e itens. Entretanto achei meio ilógico não pode pegar munição e armas dos jogadores mortes. A arma fica ali no chão e você não pode pegar. Eu assisti a uma partida onde somente um no meu time tinha restado e ele ficou sem munição, sendo que haviam mortos ao lado dele com as armas ali à mostra. Quebra a imersão, não? E sim, há ao menos um ponto de recarga de munição em cada mapa pelo que entendi.

Eu gostei muito mais de jogar na defesa do que no ataque. Porque é mais fácil defender um ponto do que invadir um lugar. Na invasão você não sabe onde o inimigo está e tem trocentos pontos de entrada. Se você vai por um lugar longe, corre o risco de perder o confronto inicial, você não dá o cover aos aliados e ainda pode morrer de surpresa por um defensor que esteja rondando o local. Se fica junto e vai pelos pontos comuns, o time adversário tem já uma noção do que fazer. Enfim, é bem menos estratégico do que achei que seria, ao menos jogando com desconhecidos que querem fazer o que quiserem.

É legal alguns elementos, como dirigir pequenos veículos que vasculham a casa em busca do adversário. Apesar que você faz isso meio que no começo mesmo, nos 20 segundos que os defensores estão bloqueando tudo. Porque depois que começa, não faz sentido ficar sozinho do lado de fora vasculhando o local. Os jogadores não esperam. Por outro lado, é legal a defesa ter acesso as câmeras e conseguir ver os atacantes avançando e estes podem destruir as câmeras tirando meu campo de visão.

Posso dar uma real? Esse é um game que eu jogaria na boa se fosse free-to-play, ainda que tivesse microtransações para desbloquear armas, itens e novas classes. Eu ficaria ali como recruta, até entender e decorar tudo. Aí gastaria alguns trocados por classes melhores eventualmente. Mas não me vejo comprando um game assim hoje em dia e não pelo fato de ser apenas multiplayer, mas pelo próprio conjunto da obra em si. É como disse, talvez quando o game completo sair, todos os modos forem revelados e os reviews disserem se Tom Clancy’s Rainbow Six Siege manda bem ou não, aí talvez valha uma segunda chance.

rainbow six siege

E os bugs? Há?

Então. É um beta, não? É previsível que haja muitos problemas de comunicação online. E há mesmos. E é terrível jogar assim. Se eu tivesse comprado o game e ele tivesse vindo assim, estaria amaldiçoando todos os desenvolvedores do título.

As partidas demoram para carregar, as vezes o lobby dela mesmo com todos os jogadores simplesmente fica em looping eterno sem conseguir iniciar a partida, jogadores caem (eu fui desconectado uma par de vezes). Não foi uma experiência muito agradável nesse sentido. Me parece que ainda muito que alinhar nesse sistema online do game.

As partidas de 5 vs 5 são em esquemas de round. 3 vitórias e ela acaba. Pode então dirar 5 rounds. A cada round jogadores caiam, ou saiam, e tudo travava. Um novo round não se iniciava, aí mais jogadores saiam e a partida terminava por abandono. Não há muito agilidade entre um round e outro, então os perdedores geralmente pulam fora nesse meio tempo. Falta um melhor trabalho de ritmo.

Porém vale dizer que isso não é uma crítica negativa. Betas são exatamente criados para isso, para que os desenvolvedores verifiquem os problemas que o jogo está tendo e o consertem antes do lançamento definitivo. E há muito que melhorar nesse ponto em Tom Clancy’s Rainbow Six Siege. Ao menos na minha versão de Xbox One testada e com minha internet acanhada de 4MB do Vivo Speedy.

rainbow six siege 2

Sim, o jogo requer amigos e cooperação online, senão parte da experiência vai pro saco
Não é um saco morrer e esperar a partida acabar? Não tenho tempo pra isso!
Para um beta, enfrentei muitos problema de conexão. Que isso seja verificado antes do lançamento!
Falta de campanha solo? Não! Não aprendemos nada com Titanfall?
A destruição de cenários é impressionante. Isso é!
Por que não me deixar roubar armas e equipamento de inimigos abatidos? Pow!
Mas é um beta! Tem que dar uma colher de chá, talvez o game em si seja muito melhor!

Eu já sabia no fundo do meu coração que Tom Clancy's Rainbow Six Siege não ia me conquistar

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!

Artigos relacionados

Fechar