Dando Nota!Jogando

Lego Marvel’s Vingadores | O playground agora é no Universo Marvel Cinematográfico! (impressões)

Ao longo do último final de semana prolongado de carnaval passei vários dias jogando alguns games de diferentes abordagens e um deles foi o novo game Lego Marvel’s Vingadores, que diferente do outro Lego Marvel lançado há alguns anos atrás – chamado Super Heroes – agora o novo game é baseado totalmente no universo cinematográfico da Marvel nos cinemas e que chega ao Brasil totalmente dublado, ao contrário do outro game citado, que na época veio apenas com legendas em português.

Certamente a dublagem dos atuais games da Lego fazem totalmente a diferença. Eu tinha sérios problemas para ler as legendas em Lego Marvel Super Heroes. Os personagens falam ao longo do gameplay e as vezes a gente tem que prestar a atenção em tantas coisas acontecendo na tela que as legendas acabavam mais atrapalhando do que ajudando. Ter a opção da dublagem é uma mão na roda aqui em Marvel Vingadores para não passar pelo mesmo sufoco.

Sem mencionar que a dublagem torna Marvel Vingadores mais acessível que Marvel Super Heroes para o público mais novinho: as crianças que ainda não estão habituadas com inglês e/ou legendas. Tomo como exemplo o meu filho de 3 anos, já que apesar dele gostar de Lego Marvel Super Heroes, o fato do game estar em inglês e ter muitas falas ao longo do jogo meio que o cansa rápido. Esse então é um problema resolvido então para Lego Marvel’s Vingadores.

E agora com o áudio em português, esse fator também me ajudou a entender outra coisa, ao menos na minha experiência com meu filho. Não é tão somente o áudio em inglês que cansa rápido os menorzinhos. De fato a própria jogabilidade os cansa, pois o jogo é em um ambiente 3D – o Thales, tomando-o como exemplo, se dá melhor em games 2D, como Rayman Legends – e há puzzles que você precisa ficar ao lado auxiliando ou até passando para os menorzinhos não ficarem frustrados. As vezes os adultos mesmo se frustram ao não saber para onde ir no game já que não há indicadores as vezes. No geral a criançada gosta apenas de sair pelo cenário destruindo tudo que tiver pela frente, e nos momentos em que um adulto está jogando, a criançada fica esperando pelas cutscenes com os personagens que elas conhecem, o que Marvel Vingadores parece fazer muito bem, tomado algumas limitações que explicarei mais abaixo deste review.

LEGO® MARVEL Vingadores

Uma última observação para encerrar esse assunto da dublagem: é mais assustador pensar que nem faz tanto tempo assim que o game anterior, Marvel Super Heroes, foi lançado. Ele saiu em 2013. Foi tempo o suficiente para a WB Games Brasil entender que esse é um game que precisa ser localizado para abrir para um público ainda mais amplo. Uma excelente decisão no final das contas.

Legado Lego

Dito tudo isso, me peguei aqui pensando quando foi que comecei a jogar os games da Lego. Faz tempo, tudo começou com os primeiros Lego Star Wars, não? Isso em 2005, fazendo mais de uma década já. Me lembro de ter jogado toda a trilogia de Star Wars, nova e antiga, sob a perspectiva do mundo de Lego. Eram outro tempo para os games de Lego. Tudo era novidade, os personagens ainda não podiam falar na época, tudo era feito por meio de mímica e gestos.

E com o tempo a série Lego foi evoluindo. Migrou para outras séries além de Star Wars, entre elas Marvel e DC, que desde o começo sempre apresentaram um catálogo enorme de personagens dentre vilões e heróis. Me lembro também dos Lego do Indiana Jones e de como era colecionista de todos os extras do game nessa época. Só lamento não ter jogado um dos mais recentes: o Lego Parque dos Dinossauros. Porém ainda aguardo uma promoção para pegá-lo com um ótimo desconto, pois uma das coisas boas dos games Lego é que eles estão sempre por aí, em promoções, tanto as versões físicas quanto as digitais.

Na atual geração experimentei então o Lego Marvel Super Heroes e o Lego Batman 3 Beyond Gotham (que é bem legal também, e um dia falo mais sobre ele por aqui). E agora Lego Marvel Vingadores, que acaba de ser lançado para todas as plataformas da atual e da geração anterior. E quando falo todas é todas mesmo, incluindo PlayStation Vita, Nintendo 3DS e Nintendo Wii U. Assim ninguém fica de fora da brincadeira. E é um game que funciona em qualquer plataforma, então não tem porque não lançar para todas!

Avante Vingadores!

A proposta de Lego Marvel’s Vingadores é revisitar basicamente toda a fase 2 dos filmes da Marvel no cinema, com algumas lembranças da fase 1, como o primeiro filme do Capitão América e o primeiro filme dos Vingadores. Só que ao contrário de coletâneas dos antigas games Lego, aqui a narrativa não é dividida por filme, e sim misturado ao longo de toda a campanha principal.

LEGO® MARVEL Vingadores (2)

Por exemplo, o game abre com a cena de ação de introdução de Vingadores 2 e depois corta para o primeiro filme, enquanto faz pontes com os dois filmes do Capitão América. É uma maneira inteligente de lidar com filmes famosos que todo mundo meio que já sabe de cor e salteado. A gente fica meio sem saber quando é que o game vai pular de uma referência para outra, o que acaba surpreendendo um pouco e quebrando o clima de “eu sei o que vem a seguir“. Não deixa a campanha e história principal do game manjado demais.

O esquema para quem já jogou um game da Lego não muda em Marvel Vingadores. A fórmula se mantém, apenas com pequenas melhorias e mudanças aqui e ali, e mesmo assim é fácil tudo isso passar imperceptível. Você anda por cenários baseados nos filmes, destruindo e coletando peças de legos, enquanto vai resolvendo puzzles que fazem a fase avançar.

A megalomania fica por contra dos colecionáveis, que parece que a cada game aumentam insanamente a quantidade destes extras. Agora até o Stan Lee é um colecionável! Fora que ele aparece quase que a todo ato do game, participando diretamente ou indiretamente da história, fora que você precisa encontrá-lo nas fases. Existem também roupas de personagens escondidos, e muito bem escondidos em algumas fases. Em uma fase que consiste em recriar a cena do primeiro filme dos Vingadores na qual o Homem de Ferro luta com o Thor havia, por exemplo, um pequeno cogumelo na fase que eu precisava pisar e ele sumia e reaparecia em outro lugar. Fazendo o cogumelo desaparecer por três vezes, acabei destravando um personagem secreto.

LEGO® MARVEL Vingadores (3)

E o valor de replay do game continua alto na franquia. É impossível coletar 100% de tudo que as fases escondem na primeira jogada, simplesmente porque ela pede que você jogue com outros personagens diferentes para desbloquear coisas que somente certos personagens com certas habilidades conseguem interagir dentro da fase.

Para os adultos isso pode soar chato, mas pensando no público mais novo, que passa horas por dia jogando e precisa de coisas para fazer para não enjoarem de um game, a quantidade de extras e segredos no game parece o suficiente para incentivar a voltar em algumas fases apenas para ver o que era aquilo que você não conseguiu abrir com os personagens da campanha. Há um equilíbrio nesse espírito de caçar as recompensas do game.

Outra novidade que parece se destacar aqui é a área aberta do game. Como a cidade na qual você pode sair correndo para onde quiser, com o personagem que quiser e descobrir segredos, coletáveis e missões secundárias extras. Lá estava eu andando por uma avenida, tentando chegar ao jato da S.H.I.E.L.D., quando o Cavaleiro da Lua me para em uma esquina e me chama para ajudá-lo em uma missão secundária, paralelo a campanha. Qual legal é esse tipo de situação?

LEGO® MARVEL Vingadores (5)

Também me agrada muito poder usar veículos em certas situações dentro no game. Tem a cena da Maria Hill do primeiro Vingadores na qual ela sai atrás do Loki e do Gavião Arqueiro em um jipe que ficou excelente na versão Lego. Na cidade até helicópteros dá para usar. O repertório de coisas a fazer em Lego Marvel’s Vingadores é realmente muito grande. A engine utilizada para a franquia dos games Lego já é usada a tantos games da série que os desenvolvedores já conseguem fazer praticamente de tudo nela. Personagens diferentes, que se movimentam diferentes, poderes diferentes, com veículos diferentes e fases com design dos mais malucos possíveis. A fase com o Homem de Ferro e Capitão América em que eles precisam consertar a hélice da nave gigante da S.H.I.E.L.D. é um ótimo exemplo de design inteligente de fase, ele é 3D, mas quase um 2.5D. Eu realmente a achei engenhosa, especialmente como ela funciona bem com o Homem de Ferro, que é um personagem que basicamente voa para qualquer lugar.

E o game é grande. Realmente grande. Especialmente para quem gosta do correr atrás dos extras. Mesmo para quem vai passando apenas pelas fases da campanha, ela ainda pode levar bastante tempo. Isso porque cada ato dos 15 que o game possui é dividido em várias fases e cenários distintos, separadas por animações e acontecimentos dos filmes, então leva tempo para um ato ser encerrado. E não se preocupe que o jogo salva automaticamente a cada mudança de cenário de fase.

Quanto aos defeitos, eles permanecem os mesmos de sempre, e não que eles sejam sempre problemáticos, mas são coisas que os desenvolvedores demonstram estar sempre combatendo, como a semelhança de gameplay entre todos os games Lego, independe da roupagem e da franquia abordada.

As mecânicas permanecem sempre as mesmas. Dois personagens em coop ou um jogador que pode trocar entre um ou outro personagem, um cenário 3D onde quase tudo é destrutivo e os puzzles que quase sempre consistem em destruir alguma coisa no cenário e remontar criando algo novo. As vezes você se perde um pouco, no sentido de saber o que deve destruir, que habilidade usar e a ordem que algumas ações precisam ser executadas para avançar. Nem sempre o jogo deixa claro o que você deve fazer.

LEGO® MARVEL Vingadores (4)

Os desenvolvedores tentam compensar estas situações de rotinas parecida entre todos os games criando momentos únicos em cada Lego Game, usando momentos de ação originais, com batalhas de chefes as vezes bem mais engenhosas do que apenas bater no chefe, mini-games, partes de plataformas e assim por diante. No geral acho que jogar mais do que dois atos por dia pode tornar o game um pouco cansativo, por outro lado os games Lego são ótimos para desestressar após um dia de cão. Você chega em casa, o coloca e vai destruindo tudo pela frente, enquanto assiste aos simpáticos blocos de Legos fazerem piadas de cenas e personagens que você conhece, como ver o Thor de Lego caindo após tomar um soco do Hulk Lego e ao invés de pegar seu martelo, acaba pegando um peixe e arremessando na cara do versão, ou quem sabe o Loki enganando o Thor com uma propaganda de cachorro quente para ele entrar na prisão de vidro do primeiro filme. No geral é divertido rever estas cenas com a zoeira do mundo de Lego. É simples o humor, mas funciona.

Reviews internacionais tiveram diversas críticas na limitação que o áudio das conversas do game recebeu, pois os produtores utilizaram apenas diálogos dos filmes, com a voz dos atores para colocar em todo o game, o que criou uma limitação de diálogos, já que os atores não puderam gravar novas falas para o game. Já no Brasil a dublagem acabou sendo totalmente nova, ainda que você lamente um pouco que os dubladores dos filmes não tenham sido convocados para participarem da dublagem do game.

No geral é uma limitação meio boba que o estúdio do game acabou criando para si mesmo. Não precisava ser assim. E o jogador percebe que somente falas dos filmes estão sendo usadas e que os personagens não conseguem fugir dessa prisão. Muitas piadas novas precisam vir de cenas mudas e gags visuais, o que acaba sendo uma tremenda pena. A ideia de usar os diálogos e áudio dos filme foi boa, mas não deveriam ter ficado apenas nisso.

LEGO® MARVEL Vingadores (8)

Há também que mencionar que em relação a Marvel Super Heroes, infelizmente não temos personagens icônicos como o Homem Aranha, Wolverine ou Deadpool entre os jogáveis de Marvel’s Vingadores. O game possui uma galeria invejável de personagens – vale ver o vídeo ao final da postagens – mas alguns acabaram ficando de fora, talvez porque ainda sejam surpresas ou estejam de fora do universo cinematográfico da Marvel no momento. Então nada de Quarteto Fantástico ou X-Men. Faz sentido. No entanto o elenco das séries da Netflix da Marvel se fazem presente no game, como o Demolidor e Jessica Jones, sem falar no time do Hulk de sua série animada (Agentes de S.M.A.S.H.). É uma excelente galeria, mas é impossível não sentir falta de alguns, não tem jeito.

No geral, Lego Marvel’s Vingadores é um agradável game, em mais um da linha de Lego baseado nos personagens Marvel. Me pareceu bem melhor que a versão de 2013, justamente pela localização agora com dublagem e baseado em um universo que é impossível que os adultos e crianças não se identifiquem. É totalmente válido o lançamento!

O único pesar maior talvez fique por conta do preço nacional nos consoles. 250 reais é uma paulada que infelizmente não é todo jogador que aguenta pagar. Já na Steam o preço ficou mais camarada, custando 120 reais. Muito mais amigável o valor.

E não é justo dizer que não vale seus 250 reais se essa parece a nova faixa de preço dos games de consoles aqui no Brasil. Há casos piores até. O caso é que ele é um lançamento completo e cheio de conteúdo quanto qualquer outro título que esteja nesse valor. Mas realmente é complicado aceitar a nossa realidade nacional. Quem tem condições e curte a franquia acaba pegando, independente do preço, agora quem precisa apertar o cofrinho, o melhor é realmente esperar uma oportunidade futura, de uma promoção em mídia física em alguma grande rede de varejo ou uma promoção na versão digital.

LEGO® MARVEL Vingadores (7)

De toda forma, Lego Marvel’s Vingadores recebeu um bom tratamento no Brasil, com uma localização legal e é bacana ver que a criançada finalmente pode curtir o jogo sem temor o inglês que a versão de 2013 possui. O jogo está ótimo, como qualquer game da franquia Lego e nota-se que a megalomania positiva da série continua em ascensão.

E a franquia não deve parar por aqui. Em junho tem Lego Star Wars: The Force Awakens! E lá vamos novamente revisitar o mundo de Star Wars pela perspectiva do universo Lego!

Vídeos

Trailer de lançamento

Trailer dos locais de mundo aberto do game

Vídeo que mostra todos os personagens desbloqueáveis do game

Fórmula semelhante aos outros games Lego
Roupagem dos filmes Marvel cai como uma luva ao game
Megalomania dos coletáveis e colecionáveis
Ótima Localização (totalmente dublado)
Aparições massivas de Stan Lee!
Muitos personagens, porém quem ficou de fora é sentido
Preço em algumas plataformas

Lego Marvel's Vingadores é exatamente o que se espera de um game Lego: simpatia, charme e diversão para todas as idades

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios