Dando Nota!Jogando

Análise | Pokémon Let’s Go, Pikachu!

Disponível para Nintendo Switch

Não da pra falar de Pokémon Let’s Go sem falar em nostalgia. Um remake de luxo de Pokémon Yellow, a versão definitiva de Red, Blue e Green(JP) que chegou ao Game Boy em 1998. Para quem viveu na época, e pode jogar uma das versões, vai encontrar um remake feito com muito carinho. Respeitando ao máximo os fãs da série, mas também querendo mostrar aos novos jogadores o começo de uma história de sucesso.

(Re)viva os momentos em Kanto

A jornada se passa em Kanto, continente natal de Ash Ketchum, muito conhecido para quem é fã do anime. Em sua jornada o jogador ganha o direito de ter seu primeiro pokémon e sairá em busca das oito insígnias que te darão o direito de desafiar a Elite dos 4, composta pelos maiores mestres pokémon do continente.

Todos os líderes de ginásio clássicos estão de volta, com direito a Brock e Misty em seus respectivos ginásios, para dar um tom a mais de nostalgia para os fãs do anime. Todos os eventos da versão original estão aqui, desde ter que acordar o Snorlax com a pokéflauta, desvendar os mistérios de Lavender ou concluir os desafios de alguns lideres de ginásio antes de enfrentá-los – como o de Sabrina em Saffron City, que ganhou um design mais que remodelado e todo lindão se comparado a versão de Pokémon Yellow.

Após ganhar seu primeiro pokémon, para sair em busca de se tornar o maior mestre pokémon, você encontrará muitos pokémons selvagens diferentes, e terá a chance de capturá-los para fazer parte do seu time. Cada bichinho tem seu tipo específico e ataques diferentes, que podem fazer toda a diferença em uma batalha, abusando das fraquezas dos adversários e de combos de golpes impossíveis de serem parados!

Temos que pegar todos

Nas versões lançadas, tanto em Let’s Go Pikachu quanto em Let’s Go Eevee, o jogador consegue ter até 153 pokémons diferentes (e suas alola forms). Desses 153, você consegue facilmente 150 apenas utilizando a sua versão do jogo e trocando com alguém que tenha a outra versão, já que nem todos os 150 pokémons são encontrados em uma única versão. Como, por exemplo, Oddish sendo exclusivo da versão Pikachu, e Bellsprout exclusivo da versão Eevee. A dificuldade mesmo aparece para completar os 153, que incluem na lista os pokémons Mew, Meltan e Melmetal.

Para esses novo jogo, a Nintendo apresentou dois monstrinhos inéditos, Meltan e sua evolução Melmetal, que são conseguidos via Pokémon Go. Sim, ambas versões do jogo para Nintendo Switch permitem usar a conectividade de Pokémon Go para passar todos seus pokémons da versão mobile para a versão de console, para serem capturados na Safari Zone, onde há até um minigame caso passe 25 pokémons iguais para o console. Assim é possível passar os novos Meltan e Melmetal.

A exclusividade mesmo fica por do Mew, que só pode ser obtido pela Pokébola Plus, acessório em forma de pokébola que pode ser usado no Pokémon Let’s Go da mesma maneira que o joy-con. Comprando o acessório, o mesmo traz um Mew dentro, que pode só pode passado para seu jogo no Switch uma única vez.

Vale ressaltar que o seu Pokémon inicial não evolui e andará sempre com você, o Pikachu no ombro e o Eevee na cabeça. Para ter um Eevee ou Pikachu evoluído é preciso capturar um selvagem para isso, e apesar da exclusividade do inicial para cada versão, você consegue encontrar Eevee’s e Pikachu’s em ambas versões do jogo!

Sistema de capturas diretamente de Pokémon Go

Para quem já estava acostumado com os jogos da série nos portáteis vai estranhar um pouco de início, pois as batalhas contra pokémons selvagens sofreram alterações vindas de Pokémon Go, famoso jogo dos monstrinhos para smartphone.

Os Pokémons não ficam mais escondidos e andam por cima das áreas de captura, facilitando que você fuja de Zubats e faça combos com seu pokémon preferido. Aqui para capturar basta tacar uma chuva de pokébolas com a ajuda de berries, greatballs e ultraballs, até que o pokémon aceite a captura ou simplesmente fuja.

O sistema de captura importado de Pokémon Go deixa de lado a tela de toque e dá novas dinâmicas no Switch, utilizando o modo portátil ou o modo em dock. No modo portátil basta mirar com o sensor de movimento ou analógico e apertar um botão para tentar a captura no momento certo, já no modo dock o joy-con simula uma pokébola e você usa o sensor de movimento para tentar capturar. No caso da Pokéball Plus, acessório em forma de pokébola, ele funciona da mesma maneira que o joy-con – após isso você pode armazenar o seu pokémon preferido do jogo nela para passear por ai e subir níveis, o que torna interessante já que o acessório também funciona com Pokémon Go.

Caso sinta saudades do sistema antigo de capturas, no jogo você terá a possibilidade de capturar Moltres, Zapdos e Articuno, Snorlax e Mewtwo utilizando o modo clássico de captura, sendo preciso derrotar o pokémon para que possa ter a chance de capturá-lo.

Combando para conseguir shiny e bons stats!

Junto de um sistema novo de captura agora temos um sistema bem legal para conseguir pokémons shiny (também conhecidos como pokémons de cor diferente). Basta fazer combos de captura do mesmo pokémon para as chances de vir um bichinho shiny aumentarem, e chegando ao combo de número 31 você atinge o limite máximo de chance para que apareça um shiny. Aí basta ter paciência que uma hora um aparece, só que nem sempre o pokémon que vem será aquele que você está combando, mas shiny é shiny né?

Itens como Max Lure são essenciais para aumentar a quantidade de pokémons que aparecem na tela e vale frisar que com combos, a chance de vir pokémons com stats melhores aumenta e também aumentam as chances de conseguir mais EXP pra sua party a cada captura e doces ou frutas que vira e mexe dropam junto do pokémon.

Os candies você pode usar para aumentar os stats dos seus pokémons, já as berries servem para você usar na captura de pokémons, aumentando as chances de captura, cada berrie afeta o pokémon selvagem de uma maneira diferente. Você também pode simplesmente vender as candies e berries para ganhar uma graninha extra para comprar as famigeradas pokébolas. Caso você tenha completado a pokédex (excluindo Meltan, Melmetal e Mew) você consegue pegar em Celadon o item shiny charm, que também aumenta as chances de conseguir um pokémon shiny.

Deixo em alerta que caso o jogador salve o jogo durante o combo e carregue o novamente o jogo, o combo será zerado. O que vale também para caso capture um pokémon diferente ou que algum pokémon fuja durante o processo!

Mas é legal?

Desde sempre os fãs queriam um jogo da série todo em HD, e agora tem um jogo para chamar de seu, podendo ser jogado no modo portátil ou na TV. Pokémon Let’s Go, Pikachu!Pokémon Let’s Go, Eevee! trouxeram evoluções e mudanças que agradaram alguns, mas também chatearam outros.

O novo modo de captura apesar de agradável para quem vem de Pokémon Go pode ter deixado os fãs da série de RPG um pouco incomodados pela falta de batalha entre os pokémons selvagens ou até mesmo pelo sistema de captura igual ao de Go. No meu caso, que jogo Pokémon há 20 anos, achei uma mudança muito bem-vinda pra série e espero que se mantenha no próximo jogo. A falta de itens carregáveis pelos pokémons para as batalhas e das abilities também deixaram a dinâmica de batalha contra jogadores um pouco mais simplificada, mas ao mesmo tempo fiel a versão Yellow original.

Na questão de multijogador, o jogo traz opções de troca de pokémons e batalhas para multiplayer em rede local ou via internet. A forma de conectar com o seu amigo é bem simples e nada automática, você cria uma “sala” com um código usando 3 imagens de pokémons pré-definidas, e seu amigo “busca” sua sala usando o código você criou. Não há nada no estilo de criar torneios, modo competitivo ou até mesmo sistema de rank.

O jogo também traz um modo co-op onde você pode andar pelo mapa com mais uma pessoa e na hora da captura ambos lançam a pokébola, mas a interação fica apenas nisso, nada de poder batalhar com um amigo com ambos usando seus pokémons em um só jogo.

Um ponto falho foi a falta de suporte ao Pro Controller. Jogando no modo portátil percebi o quanto o jogo se vende sem nenhum uso de sensor. Se a Nintendo pensou que usar o Pro Controller com o sensor igual ao Joy-Con ou com a Pokéball Plus perderia um pouco de sentido bastasse deixar o modo de captura igual ao modo portátil e pronto, haveria mais uma opção para jogar, e seria a que eu teria utilizado.

Se você nunca jogou algum jogo da série ou se ainda está com um pé atrás por conta das mudanças, pode ficar tranquilo que o jogo entrega uma ótima experiência. Em Pokémon Let’s Go, Pikachu! e Pokémon Let’s Go, Eevee! você encontrará todos os lideres de Kanto e a Elite dos 4 intacta como em sua versão original, e se sentirá jogando um verdadeiro jogo de Pokémon RPG. Mas caso as mudanças te assustem ou esteja cansado de andar por Kanto, saiba que a Nintendo já prometeu um novo jogo para 2019, dessa vez dando continuidade a série de monstrinhos mais famosa do mundo!

Galeria

Dando uma nota

Novo modo de capturas dá uma nova dinâmica, mas não vai agradar a todos - 8
Apesar de usar os mesmos sprites do 3DS, é muito bonito ver o jogo todo em HD - 9
Quem é fã da série, e jogou os primeiros jogos, vai sentir uma nostalgia fora de série - 10
Várias formas de jogar, mas sem suporte ao Pro Controller - 8
Multiplayer bem simples e básico na troca de pokémons e batalhas - 7
Co-op básico, mas presente. Otima chance de jogar junto do filho ou daquele irmão menor - 8
Mudar é bom, evoluir também, junta um pouco de cada e temos um remake muito bem feito - 9

8.4

Ótimo

Pokémon Let's Go, Pikachu! não é impecável, mas sabe respeitar os fãs. Tem tudo que um jogo RPG de pokémon precisa, capturas, batalhas, ginásios... tudo está aqui. De uma maneira renovada para todos os públicos.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.