Dando Nota!Jogando

Análise | Untitled Goose Game

Disponível para Nintendo Switch e PC

Untitled Goose Game é um destes jogos independentes que justificam totalmente as razões pela qual esse segmento do mercado de jogos eletrônicos precisam continuar existindo. Porque é aqui que boas ideias incomuns surgem e surpreendem jogadores, enquanto que os grande pesos pesados da indústria tem aspirações (justificáveis) bem maiores.

Esta pequena aventura envolvendo um ganso é a segunda produção da House House, um estúdio australiano que estreou com um outro game também um tanto quanto incomum chamado Push me Pull Youque provavelmente vou querer conferir eventualmente -, enquanto sua distribuição global ficou a cargo da Panic, que também publicou o muito elogiado Firewatch. Seu lançamento aconteceu agora no último dia 20 de setembro, chegando ao eshop do Nintendo Switch e no PC, via Epic Game Store.

A premissa de Untitled Goose Game é bem simples, você é um ganso que está atazanando um pequeno vilarejo. Haja como um ganso, grasne como um ganso, roube coisas como… um ganso! A diversão está em ver como o mundo reage as suas traquinagens.

Ganso atarefado

A brincadeira é bem simples: o jogador é um ganso e tem todas as habilidades que um ganso têm: você pode grasnar e chamar a atenção de todos ao seu redor. Seu bico serve para basicamente pegar coisas que você bem desejar. Gansos não pedem permissão. É possível abaixar seu pescoço para passar por lugares estreitos e também bater suas asas aparentando ficar mais ameaçador. Você pode nadar pelas superfícies aquáticas, entretanto não possui a competência para voar. O jogador também pode acelerar o passo, fazendo o ganso correr um pouco.

Untitled Goose Game basicamente começa com esse ganso saindo de um arbusto e indo para um vilarejo. Após um rápido tutorial que lhe ensina o básico dos controles, você chega a um pequeno local onde reside um senhor com um belo jardim. Aqui o jogo lhe dá seu objetivo: uma lista de tarefas que envolvem deixar o jardineiro maluco.

Descubra como entrar no jardim fechado. Roube coisas da sua horta para fazer um piquenique. Consiga pegar o chapéu do jardineiro. Roube suas chaves. Jogue o ancinho no lago. Molhe o jardineiro. E assim por diante. Tarefas bobas, mas é sobre como fazer tudo isso sendo um ganso. Trata-se de um título que consiste em atazanar NPCs, quebrar suas rotinas e ver como cada um vai reagir aos atos do ganso.

Muitas vezes estas tarefas não possuem uma única forma de ser cumprida. Podem haver soluções diversas. Sendo que nem sempre é fácil entender o que deve ser feito, sendo que boa parte das vezes é melhor nem seguir a ordem da lista e fazer o que for mais fácil.

Os NPCs respondem a certos atos do jogador. Por exemplo, há um repertório enorme de coisas que o ganso pode pegar. Se tirar estes objetos de seu local, e o NPC a qual estes objetos pertence notar, ou ele vai correr atrás de você ou vai procurá-los onde estão para colocar tudo de volta no lugar. Saindo de seu trajeto cíclico, o que abre brechas para o jogador aprontar outras coisas e cumprir as metas da lista.

Após cumprir quase todas as tarefas, um tarefa final daquela área é adicionada à lista, fazendo que uma nova área seja destravada assim que esta tarefa for cumprida. É bem engenhoso como o jogo apresenta esse elemento, pois nunca há tela de loading ou qualquer transição. O mundo é interligado. Você pode ir e vir dentro das áreas previamente vencidas.

Dentre as tarefas estão sempre coisas bobas, interferindo na rotina dos habitantes da cidade. Seja despistá-los, incomoda-los, fazê-los saírem de suas posições e afins. E é um ganso irritante. Os habitantes certamente odeiam o ganso. Uma placa de proibido ganso é um sinal de que é hora de ira para uma nova área.

Há uma história? Sim, existe. Mas não cabe aqui revelar. Eu, minha esposa e meu filho rimos muito quando entendemos finalmente o que diabos o ganso desejava desde que resolveu sair de sua moita.

Gameplay criativo

O grande mérito de Untitled Goose Game está em como o jogo é engraçado, inusitado e criativo. O jogador é incentivado a investigar cada área do jogo a afim de criar meios inventivos para cumprir algumas tarefas. Não há apenas uma solução para certas tarefas. Estas não envolvem fazer o ganso apenas grasnar e sair como louco pegando as coisas que lhe dê na telha. Nada disso. Os habitantes vão correr atrás de você e lhe enxotar de lugares em que você está apenas atrapalhando a rotina de cada um.

Objetos precisam ser roubados, mas os habitantes tomam de volta se perceberam que você pegou algo que não lhe pertence, e eles correm mais rápido do que você. As vezes é preciso adotar abordagem furtivas. Observar e explorar ditam uma cadência mais lenta do jogo. Muitas vezes vale se esconder de baixo de uma mesa, ou ir para o lago. Logo seu perseguidor irá desistir de lhe pegar.

Não há exatamente uma punição por errar no jogo. As pessoas não vão tentar lhe bater ou te matar. Eles apenas tomam as coisas de seu bico ou lhe enxotam de lugares. Esse é um ponto interessante, pois torna o título atraente para jogadores menores, permitindo que a criançada teste à vontade os limites do jogo, sem a frustração de que falharam e precisam recomeçar de novo. Torna a mecânica de teste e veja o que acontece muito mais agradável também.

Outro elemento muito bem pensado atrelado ao gameplay está a trilha sonora, que surgem apenas nos momentos em que alguém está lhe perseguindo. O padrão do jogo, quando o ganso está apenas andando, sem aprontar nada, é que não haja qualquer faixa musical, deixando apenas o som ambiente ao fundo. Quando o ganso apronta e alguém o nota, uma trilha de piano surgem, deixando claro que alguém lhe viu, você fez algo que chamou a atenção, ou que é preciso sair correndo para um local mais seguro. De uma certa forma esse tipo de faixa sonora, onde o piano tem diferentes tipos de escalam que ditam a intensidade da cena, me remete aos clássicos desenhos de Tom & Jerry, que também tinham muito dessa brincadeira com o toque do piano ditando o ritmo da ação. Esse efeito cai como uma luva aqui.

No mais, Untitled Goose Game não evolui suas mecânicas básicas. É exatamente o que descrevi aqui, do começo ao fim de sua curta experiência. Pegue coisas e leve para um local. Provoque alguns habitantes, como molhar o jardineiro, enchem o saco de um garoto para que ele perca seus óculos, tranque uma pessoa na garagem, faça um senhor cuspir seu chá entre outras coisas. Abra caminho para novas áreas até chegar ao seu destino final. É um título inventivo e realmente engraçado. É divertido explorar de forma livre estes ambientes e suas possibilidade.

Considerações finais

Untitled Goose Game é um jogo pequeno. É possível finalizá-lo em torno de duas ou três horas se você realmente ficar meio perdido em algumas tarefas. Eu mesmo tive uma ou duas da lista de tarefas do jogo que não consegui descobrir como fazer. Felizmente cada área lhe permite deixar ao menos uma tarefa sem ser realizada, não barrando assim sua progressão.

Ao encerrar o título, novas tarefas vão surgir, mais complexas e difíceis de serem realizadas. Algumas agora irão envolver pegar coisas de uma área e levar para outra. São mais complicadas e adicionam valor de replay ao jogo. Há até mesmo missões que envolvem recomeçar o jogo e bater o tempo do relógio. Diria que isso vai acrescentar mais algumas horinhas de gameplay, ainda que não ofereçam qualquer tipo de recompensa extra para se cumprir. É somente mais para os jogadores que ainda não se sentirem satisfeitos com o jogo.

É certo que Untitled Goose Game é divertido, porém curto. É difícil pensar que existe aqui um leque de possibilidade que não foram muito bem exploradas. É um pena, por exemplo, que não haja qualquer tipo de experiência multiplayer. Seria muito legal se dois gansos pudessem sair tocando o terror e colaborando entre si para realizar as tarefas do jogo (ainda que isso tornaria muito fácil algumas delas, talvez o jogo tivesse que refazer estas metas em um multiplayer). Meu pequeno, de 7 anos, ficou um pouco chateado quando disse a ele que não tinha qualquer tipo de coop aqui. Curiosamente há um vídeo pre-alpha do game que indica que talvez isso pudesse acontecer.

Os próprios ambientes do jogo são pequenos. Ao terminar a campanha fica aquela sensação de que poderia ter mais áreas. Você, como jogador, não se sente plenamente satisfeito. Fica o desejo por mais fases, mais aventuras com esse ganso abusado. O título nem mesmo oferece mini games ou algo assim, o que é normal quando jogos são pequenos. Não há exatamente objetivos secundários. A experiência é realmente bem curtinha e o desejo por coisas novas (e não apenas tarefas mais complexas) é sentido.

Agora pensando em dois pontos que me agradou, posso apontar a localização em português, o que nem sempre é comum encontrar na plataforma do Switch. Até porque mesmo que o ganso não fale, assim como não haja linhas de diálogos entre os habitantes da cidade, a lista de tarefas precisa ser lida. Se estivesse em inglês isso complicaria para algumas pessoas. Gostei de ter encontrado o título em nosso idioma.

Além disso o jogo tem um charme inegável quanto a sua escolha gráfica. Os visuais e o estilo de arte usado para as pessoas, que não possuem rostos detalhados, combina com o jogo. Isso não os torna menos expressivos, apenas mais engraçados. O ganso por si só, se move de uma forma bem impressionante. Parece real, enquanto se mantém super expressivo. O jogo tem uma boa física nesse controle do ganso e na forma como ele interage com as coisas, ainda que nem sempre seja realista um ganso pegando coisas realmente pesadas e sair arrastando elas por aí. Os gráficos simples demonstram que a produção é independente, mas que foi colocado carinho ali. É um aspecto importante.

Por fim, Untitled Goose Game é um jogo encantador. Curtinho, mas que ainda assim vale a pena ser apreciado. Especialmente por aqueles que se divertem com jogos independentes incomuns e extrovertidos, que apresentam uma boa ideia fora da caixa. É um jogo que pessoas vão se divertir vendo-lhe jogar, enquanto também vão lhe dizer o que fazer enquanto assistem. É um jogo que não foi planejado para frustrar o jogador. É testar, errar e testar de novo, sem que você seja punido por isso. Gansos são resistente a fracasso e não desistem facilmente. É um jogo sobre pensar, interagir e ver qual o resultado de suas ações. Seu compromisso é apenas o puro entretenimento, como um videogame certamente por ser. Grasne se você precisar de mais algum argumento para lhe convencer a jogar este jogo.

Galeria

Dando uma nota

Excelente ideia para um jogo indie, totalmente divertido - 9
Sem penalidade, estimula tentativas e erros - 8.5
Visual simples, mas com charme próprio - 8.5
Curtinho, lhe deixa com vontade de mais jogo - 6.5
Há tarefas simples, inteligentes e uma ou outra meio difícil de entender o que fazer - 7.5
Excelentes controles, com um botão para grasnar à vontade - 8
Trilha sonora surge diante da situação, combina perfeitamente com o gameplay - 9

8.1

Honk!

Untitled Goose Game é aquela aventura com um ganso que vale a experiência divertida que o mesmo proporciona. Grasne à vontade, atazane as pessoas que estão em seu caminho. Pegue coisas e resolva puzzles. Um jogo curtinho, mas inesperadamente divertido. Risadas estão garantidas aqui.

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.