Dando Nota!Jogando

Análise Preview | Ooblets (Early Access)

Disponível para Xbox One e PC

Ooblets é o encontro de jogos como Harvest Moon e Pokémon, com um carisma de simulador de vida de um Animal Crossing. Tudo com um incrível carisma e fofura. O título é uma produção do pequeno estúdio localizado nos Estados Unidos, chamado Glumberland, composto por apenas duas pessoas, Rebecca Cordingley e Ben Wasser. Disponível, nesse momento, apenas para Xbox One e PC (via Epic Games Store).

Importante ressaltar que trata-se de uma obra ainda em desenvolvimento. Ooblets foi lançado no esquema de Acesso Antecipado, também conhecido como Early Access ou Game Preview, o que significa que o jogo ainda não está totalmente pronto. Falta ainda áreas que estão em produção, a campanha e suas missões ainda não estão finalizadas, assim como o refinamento de mecânicas do próprio gameplay proposto. Nessa fase o jogo também pode apresentar bugs e problemas técnicos a qual o estúdio deve trabalhar para arrumar até o lançamento da versão completa do jogo, que normalmente se denomina de versão 1.0.

Portanto leve em consideração que este texto não é uma análise definitiva de Ooblets. O correto talvez seja chamá-lo de impressões de prévia, a qual vou apresentar um pouco dos elementos que compõem o jogo nesta atual fase, e quais expectativas criadas nesse estágio de desenvolvimento do jogo. Afinal, se foi lançado, pode-se opinar do resultado aqui encontrado.

— Este texto foi escrito com base nas versões 0.3.56 e 0.3.64.

Vida atarefada

Ooblets é, como mencionado lá no começo, um jogo que tem influência em diversos gêneros. Sua base principal é um simulador de vida, atrelado a um sistema de fazenda, plantar sementes e cuidar de plantações. Nesse meio tempo o jogador é apresentado a um sistema de missões secundárias que envolve todos os habitantes de uma cidade, executando tarefas para estes personagens, obtendo assim dinheiro, experiência e acesso a novas atividades para se entreter nessa rotina diária.

O charme e destaque fica por conta das criaturas que incorporam esse mundo, os chamados ooblets. Todos os habitantes possuem ooblets, que são pequenas criaturinhas que seguem as pessoas por toda a parte e as entretém em batalhas. Mas não como as lutas de pokémons, mas batalhas de danças, que são traduzidas ao jogador por meio de um divertido sistema de batalhas com cartas. Eventualmente ooblets também auxiliarão o jogador na fazenda, regando e limpando o solo de sua plantação.

Para isso o game conta com um sistema de gerenciamento de itens e construções. É preciso investir em sua pequena fazenda, coletando materiais e recursos que vão a tornar produtiva. Nesse meio tempo se pode melhorar sua habituação, para poder comprar móveis e itens que aumenta seu inventário geral, possibilitando assim armazenar maior itens. Na fazenda, há pequenas construções, como máquinas e casinhas para os ooblets, que empregam tarefa àqueles que ficam na fazenda e não saem andando junto com o jogador.

Quanto aos ooblets que seguem o jogador, oito deles passam a lhe acompanhar em sua rotina diária de andar pela cidade. Estes nada fazem, exceto quando entram em batalhas de danças. Nesse caso o jogador só pode escolher entre as criaturas que estão lhe acompanhando. As batalhas podem ser um contra um ou um tima de ooblets contra outro time. Isso faz diferença na possibilidade de cartas de danças que o jogador pode tirar em seu turno.

Na parte da cidade, o jogador pode interagir com todos os habitantes e assim melhorar seu nível de amizade com eles. Com o passar do tempo, pequenas missões são dadas, como entregar certo item a certo personagem, ou reformar pequenos espaços na cidade que irão lhe dar acesso a novas atrações, como um celeiro de dança ou um balão para visitar novas regiões, que, neste momento atual de desenvolvimento do jogo, só disponibiliza uma única nova região. Neste novo local o jogador conhece novos ooblets e faz uma das missões principal de história, que envolve ativar antenas de rádios.

E sim, existe uma pequena campanha, que envolve ativar todas as comunicações entre as vilas da região, começando por conseguir derrotar um grupo de ooblets que se apossou do local onde fica a antena da cidade em que mora. É um toque interessante para dar um senso de progressão ao jogador, enquanto acho que isso serve apenas para ir apresentando aos poucos as possibilidades de interação dentro do jogo. Não espere por uma grande e impressionante trama. É só algo bonitinho pra server como bússola ao jogador que precisa de objetivos centrais em meio a tantos outros secundários.

O bacana é que ao jogador é oferecido um leque enorme de pequenas tarefas que podem ser executadas com uma certa liberdade de tempo e disposição. Muitas delas sequer são destravadas ao mesmo tempo. O jogo tem uma boa cadência para apresentar novas possibilidades. Há um sistema de dia e noite, sendo que o jogador também possui uma barra de estamina, sua energia diária para executar tarefas. Ao esvaziar essa barra, seu personagem fica sonolento e precisa tirar um cochilo (ainda que seja apenas um período do dia) ou então se alimentar com algo energético, para aguentar um pouco mais os afazeres do dia. Ao certa a noite, todas as pessoas vão para suas casas, as lojas ficam fechadas e só lhe resta dormir até o dia seguinte, a qual o fará acordar totalmente energizado.

Ao dormir, tudo que você fez ao longo do dia se converte em experiência, que pode fazer seu personagem subir de nível, e assim destravar novas missões e novos upgrades permanentes, a qual irei explicar mais a frente. Então o título também apresenta, de uma forma bem casual e simples, elementos de RPG na experiência de jogo. Passar os dias é importante para que o jogo dê seu senso de progressão e você sinta que está melhorando sua vida dentro desse mundinho.

Apesar de poder comer coisas, não existe uma barra de fome ou sede, ou até mesmo de vida. Consumir comida tem como propósito apenas dar um boost na sua barra de estamina e assim executar mais tarefas ao longo do dia. Ooblets é um jogo de vivência, e não de sobrevivência.

Na pista de dança

Uma das mecânicas mais adoráveis do jogo são as batalhas de dança com os ooblets. Esse aspecto do jogo demora um pouco a engatar durante a curva inicial do início do jogo, enquanto se vai aprendendo as regras diárias da cidade e suas missões principais e secundárias. Entretanto, conforme o jogo progride, as batalhas tendem a surgir com maior frequência e se integram a história principal.

Cabe explicar que você chega a essa cidade, querendo uma nova vida, sem nenhum ooblets. Mas a prefeita da cidade é super gente boa e lhe oferece essa fazenda caindo aos pedaços, sob a promessa de que você lhe ajudará nestas pequenas tarefas da cidade. E assim você é apresentado ao um grupo de habitantes que irão lhe permitir escolher um de seus adoráveis ooblets para ser seu companheiro. Depois disso o jogador aprende que é possível capturar ooblets que percorrem diariamente a cidade, com variações mudando todos os dias.

E aqui, “capturar” é somente uma figura de linguagem. Na verdade você os desafia para uma disputa de dança, a qual se o ooblet perder, ele lhe concede uma semente, que você precisa plantar em sua fazenda. Logo se descobre que o um novo ooblets irá surgir dessa planta casulo. Ooblets são plantas que podem sair andando por aí? É o que parece! Mas tem um outro ponto importante em todo esse processo de captura: não basta apenas encontrar com esse ooblets pela cidade, é preciso ter um item que cada espécie exige para lhe conceder uma batalha de dança. Inicialmente os itens são simples, e pode-se encontrar pela cidade, mas conforme novos vão surgindo, os itens para as batalhas vão se tornando mais complexos, como receitas de pratos que exigem múltiplos ingredientes. E sim, também é possível cozinhar itens no jogo.

Pra que ter diferentes tipos de ooblets? Porque cada espécie possui um conjunto exclusivo de cartas que são usados nas batalhas. Quanto mais ooblets diferentes se usar em uma batalha (que pode permitir que se use vários ao mesmo tempo), mais opções de cartas de movimento terá. E claro que os ooblets mais avançados terão alguns sets bem interessantes de cartas.

Já nas batalhas de cartas, estas funcionam com um sistema de turno. A cada turno o jogador tem uma pontuação para se gastar, normalmente 5 pontos. Destes pontos pode se gastar com cartas que custam diversas pontuações, desde 1 ponto a 4 pontos. Acabou seus pontos? É hora de encerrar seu turno e passar a vez para o oponente. E existem diferentes tipos de cartas, que representam movimentos de danças que os pequenos ooblets farão na pista.

Por exemplo, existem cartas que apenas lhe concedem pontos. Cada batalha tem um indicador de pontos, quem chegar a pontuação exigida primeiro vence a disputa. Então cartas que dão pontos são boas, certo? Sim e não, porque também existem as cartas que impulsionam os pontos, como dobrar seus efeitos. Há um sistema que aumenta os pontos das cartas, assim como uma carta de efeito negativo, que diminui tanto o custo de uso da carta quanto o valor de pontos que ela lhe concede. Há cartas que aumentam seu número de pontos para se usar, cartas que roubam os pontos do oponente, ou até mesmo que podem tornar as cartas do adversário mais caras de se usar e que até mesmo diminuem seus pontos. Há cartas que podem paralisar personagens, impedindo que se usa as cartas exclusivas de sua categoria ou até mesmo o time inteiro adversário, o que o faz perder seu turno. Percebe como há um leque de possibilidades que muitas vezes envolve mais do que apenas usar uma carta de dança para ganhar pontos? Você deve atrapalhar o adversário, e obter vantagens e bônus para conseguir ganhar as batalhas.

Porém isso ocorre dentro da proposta dessa jogabilidade. Dito isso porque no geral achei as batalhas de dança do jogo bem fáceis. Foram pouquíssimos casos em que fiquei perto de perder alguma batalha. Fazendo o contra argumento, não imagino que o título pense que esse aspecto precisa realmente apresentar um grande desafio. No geral é pra ser divertido ao se colocar uma variedade de cartas e personagens diferentes. E talvez esse balanceamento ainda vá ser trabalhado em versões futuras do jogo. Há pro exemplo um celeiro com batalhas de danças com pequenos torneios. Lá achei as batalhas um pouco mais difíceis do que as realizadas com ooblets para se obter suas sementes. E conforme a história progride, haverá situações em que os personagens vão pedir para que você batalhe com seus ooblets.

Quanto as faixas de danças que tocam nas batalhas? Gosto de algumas, mais agitadas, enquanto outras, mais lentas, não as achei tão interessantes assim. No geral a parte sonora do jogo parece estar no lugar correto, ainda que acredite que novas trilhas podem surgir até a versão final.

Finalizando, por enquanto…

Ooblets é um título encantador, com uma proposta de jogo para aqueles momentos em que você quer relaxar e precisa de algo para sequer sentir o passar das horas. É divertindo, imersivo e instigante, impulsionando – de uma forma positiva – o jogador a seguir se aventurando pelo seu universo. Sempre atrás de plantar mais uma coisinha, encontrar uma nova criaturinha, explorar mais um pouco a cidade e seguir mais alguns minutos nesse vibrante e colorido mundo sem grandes preocupações. No 2020 da pandemia, essa fuga para realidade mais amigáveis tem dito sua importância para lidar com ansiedades e estresse.

Sendo um jogo ainda em desenvolvimento, isso significa que sua experiência não é plena e completa. Há mais conteúdo que virá ao longo dos próximos meses. Entretanto o que já se encontra disponível nessa versão prévia já é o suficiente para se perder por horas e dias. A quantidade de ooblets disponíveis para se adquirir, por exemplo, já é muito maior do que os desenvolvedores imaginaram, o que causou um problema inicial no lançamento, já que não havia uma opção para mandar embora ooblets a qual o jogador não mais quisesse (sendo que há um limite para o quantos se pode ter na sua casa e lhe acompanhando). Rapidamente uma atualização veio (e já está disponível) a qual possibilita se livrar dos velhos ooblets para conseguir adquirir novos. Ou seja, este também é o ponto em que os desenvolvedores vão ouvir a comunidade para sugestões, assim como resolver problemas que inicialmente eles não imaginavam que poderiam ocorrer.

Trata-se de uma boa prévia que apresenta claramente a proposta do jogo, assim como todas as mecânicas envolvidas nessa mistura de tantos gêneros diferentes. Há conteúdo o suficiente para brincar e se simpatizar com a obra, sem deixar aquela gosto de querer mais e não ter. Aqui há.

Posso dizer que gostei bastante do título. Inicialmente demorei a entender algumas mecânicas que deveriam ser mais óbvias. Por exemplo, o sistema de estrelas que é um recurso monetário para adquirir upgrades permanentes de progressão, como liberar novos ooblets e fórmulas para construção. Esse recurso é realizado em um menu de inventário e perfil, em um pequeno ícone que representa uma fonte de desejos. É uma ideia legal, porém existe uma fonte na cidade principal. Por que não me levar a fazer os desejos por lá? Ok, por um menu, a qualquer momento e local do jogo parece mais prático (e é), mas sei lá… há uma representação literal de uma fonte na cidade. Usá-la seria legal.

Há também a situação de alguns itens que nem sempre ficam óbvios como se obter tais materiais. Levei algum tempo para entender que a pedra obsidian é a mais rara do jogo, e tive que olhar pela internet meios para se obter, já que é um item que barra seu progresso em certos pontos. Por sinal, se estiver interessado em saber: além dela aparecer pela cidade de uma maneira bem rara, as obsidians podem ser obtidas quebrando as pedras do seu jardim. Outro item que também me fez coçar a cabeça forma os clothlets, que surgem uma única vez na cidade e nas missões iniciais se pedem para se conseguir uma grande quantidade. Levei um tempo a entender que deveria plantar clothlets para conseguir.

Na mecânicas de jardim, também fiquei com a impressão de que três dias inteiros para qualquer recurso material crescer por completo um longo tempo. As sementes de ooblets crescem de um dia para o outro. Por mais que vocês não precise regar as plantas por mais de uma ou duas vezes por dia, o tempo de espera para conseguir materiais por meio da fazenda é um pouco grande demais. Torço para que isso seja reajustado eventualmente. Dois dias de espera já seria o suficiente. Uma dia para não esperar demais? Há um item que se pode obter por meio da vara de pescar no litoral da cidade que acelera o crescimento de uma planta de forma automática. Certifique-se de recolher as latinhas (lixo) espalhadas pela cidade e jogá-las no triturador (que as transformam em iscas de peixe – isso faz sentido? Bem, o importante é que funciona, talvez por isso você apenas pesque itens e nunca peixes).

Há alguma sugestão que poderia fazer aos desenvolvedores? Hum, não sei. Talvez mais opções de personalização do personagem do jogador. Há algumas opções, mas as achei bem simples e limitadas. Queria ter conseguido mudar mais meu personagem lá no começo do jogo. Tanto que acabei escolhendo uma personagem feminina porque não gostei dos modelos de personagens masculinos. Mas achei legal que dentro da cidade é possível customizar bastante o vestuário da personagem. Outra coisa que gostaria de ver no jogo, mas acho difícil que venha a ser inserido, seria a possibilidade de fazer batalhas de dança online com outros jogadores. Por enquanto, Ooblets é um jogo puramente single player. Ah, e sem localização em português, algo que também seria bacana se novas opções de idiomas pudessem surgir quando o jogo estivesse perto de sua edição definitiva. Para futuras atualizações, o site oficial é um bom lugar para ficar por dentro.

Ooblets é isso. Um jogo independente realmente promissor, que pode claramente ser jogado nessa sua fase de acesso antecipado e apreciado pela quantidade de coisas que são apresentadas. É um título que pode ser apreciado por jogadores que sejam fãs de jogos como Animal Crossing e Harvest Moon. Os tais ooblets, as criaturas estranhas desse universos não possuem um design tão icônico como os pokémons, mas são estranhamente carismáticas, ainda que parecem ser propositalmente feiosas em alguns momentos. As batalhas de dança divertem e sempre anseiam por mais, ainda que careçam de maiores níveis de desafio. Ainda em desenvolvimento, com mais missões, novas áreas e novos ooblets a serem inseridos no jogo, imagino que o título só tenha a melhorar daqui em diante.

Galeria

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dando uma nota (prévia)

Mundo cheio de carima e charme, que encanta ao se explorar - 8.5
Mistura elementos e gêneros de jogos, desde cuidar de fazenda a batalha de cartas - 9
Ainda em desenvolvimento, mas já repleto de conteúdo - 8
No momento está localizado apenas em inglês - 7
Coletar Ooblets e usá-los em batalhas de dança (por cartas) é bem divertido - 8.5
Algumas mecânicas, como menus e tempo de colheita ainda precisam de melhorias - 7
É um jogo bacana para relaxar e passar o tempo, tem boa imersão - 8.5

8.1

Ótimo

Ooblets é uma ótima diversão descompromissada para tempos complicados. Uma mistura de vários elementos de jogos casuais, com boas ideias na área das criaturinhas estranhas que batalham com danças, em um divertido sistema de cartas. O jogo já é ótimo em acesso antecipado e potencialmente só tende a melhorar até chegar a sua versão final.

Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.