JapãoLendo

Mangás em 2010: O que você gostaria que fosse lançado no Brasil?

Atualmente eu acompanho 05 mangás oficialmente aqui no Brasil. “Oficialmente” significa que compro os volumes lançados por aqui. Não fico apenas lendo-os na internet. São três mangás distribuidos pela Panini e dois pela JBC: Naruto, Bleach, D.Gray-Man, Ranma ½ e Hunter X Hunter.

Existem outros dois mangás que eu adoraria acompanhar, mas por não serem lançados no formato original, mas naquele péssimo sistema de mutilação de Tankobon, eu passo longe de ambos. Seriam Fullmetal Alchemist e Tsubasa Resevoir Chronicle. Ótimos mangás, mas eu odeio “meio-mangá”. Deveria ser abolido para sempre esse formato cretino.

2009 foi o ano em que ganhamos D.Gray-Man e Ranma ½. Outros mangás também estrearam, mas na minha opinião, estes dois foram realmente os destaques do ano. Será que em 2010 teremos algum título peso-pesado chegando no Brasil?

A Panini vem crescendo e muito em sua linha de mangás e seus dois carros-chefes, Bleach e Naruto estão cada vez mais próximos dos volumes japoneses, apesar de que ainda em 2010 eles estão tranquilo. Naruto e Bleach deve ficar pau-a-pau com o Japão apenas em 2011 de acordo com o número de volumes. Na JBC é Hunter x Hunter que está muito perto dos volumes japoneses, inclusive já estamos no mesmo arco onde a história parou o Japão (que alias deve ser retomada agora em janeiro na Jump!). Fullmetal Alchemist também se encontra na mesma situação pelo que andei lendo na internet.

Isso significa espaço para novos mangás no Brasil.  Sendo assim, pesquisei e cheguei à 07 mangás que eu gostaria muito que fossem lançados por aqui. Claro que não tudo de uma vez, senão não há salário que aguente a verba para mangás. Mas seria interessante se pelo menos dois dos sete títulos que escolhi, fossem lançados. A lista não tem critério nenhum, são apenas a minha opinião de algumas coisas que já acompanho não-habitualmente pela internet e adoraria colecionar:

O Peso-Pesado: Katekyo Hitman Reborn!

Reborn! surgiu do nada pra mim esse ano, apesar de existir oficialmente desde 2004. Foi uma sugestão de um leitor do blog, eu corri pra ver o anime, acabei devorando os 150 episódios da série, parando no comecinho do arco “Choice” e atualmente ando lendo os volumes do mangá pela internet. Estou atualmente no volume 7 ou 8, momentos antes de começar o arco de Mokuro.

Katekyo Hitman Reborn! basicamente tem o potencial para ficar ao lado dos gigantes Naruto, Bleach e One Piece.  Sagas enormes, personagens cativantes, batalhas em cima de batalhas, anime com mais de 150 episódios e longe de terminar, mangá perto de atingir 30 volumes e tem todo o selo “Shonen Jump” que serve como toque final em todos os aspectos positivos que a série possui.

O interessante é que Reborn! é uma salada de frutas. Começa como uma série de comédia, com situações até irreiais, passa por alguns momentos mais épicos com batalhas, depois explora viagens no tempo, e já até andou brincando com lutas de ilusões que lembram bem o que Kishimoto faz com seu Sharingan em Naruto e até mesmo batalhas com animais, num estilo muito mais maduro e evoluido de Pokemon. Reborn! basicamente tem de tudo um pouco. E é essa salada de gêneros, situações e batalhas que não deixa a série ficar monótona. O autor, Akira Amano, parece que reinventa tudo a cada nova saga.

Seria ótimo se mais um peso-pesado da Jump fosse lançado no Brasil. Colecionaria sem dúvida alguma!

O Curioso: Soul Eater

Esse eu não tenho o que escrever. Basicamente é um daqueles mangás que despertam a minha curiosidade. A série surgiu em 2003, ganhou um anime com 51 episódios e ainda continua sendo lançado até hoje. É um mangá sobrenatural, seria um ótimo substituto para D.Gray-Man quando a Panini alcançar o Japão.

Soul Eater não é um mangá da Jump, mas é distribuido no Japão pela Square-Enix, atualmente na Monthly Shonen Gangan. Apesar de ter iniciado em 2003, antes de Reborn!, atualmente a série tem apenas 15 volumes lançados, o que significa que a série não era muito regular no início e só passou a ser no final de 2004 quando entrou para a Monthly Gangan, que pelo nome, presumo que seja mensal. Sendo assim, novos volumes acabam saindo a cada 6 meses apenas (os mangás da Jump em geral saem a cada 3/4 meses). Independente disso, a série continua ganhando novos capítulos e não tem previsão para terminar.

Esse é um mangá que tenho vontade realmente de começar a ler e acompanhar. Já ouvi alguns elogios da série. Só está faltando mesmo espantar a preguiça de lado e ver pela internet o anime e os mangás enquanto a série não chega ao Brasil. Quem ficar curioso, dêem só uma olhada na abertura do anime neste link. Eu sou curto esse estilo mais cartoonesco em animes.

A Modinha: Fairy Tail

Fairy Tail é o mangá mais novo na minha listinha. Surgiu em 2006 e já conta com 17 volumes e um anime rolando na TV japonesa que estreou alguns meses atrás. Admito que grande parte da minha vontade de ler o mangá surgiu com a realização do anime da série.

Mas Fairy Tail vem fazendo sucesso pela internet e vem crescendo em popularidade. Crido por Hiro Mashima, famoso por outra série de sucesso Rave Master, a história explora mundos mágicos e personagens com personalidades bem distintas. Vi muitas comparações na internet da série com One Piece, mas admito que não vi tanta semelhanças assim assistindo o anime. Tudo bem que o lado cômico é muito bem explorado, assim como One Piece, mas os personagens de cada série tem suas distinções. Fica realmente dificil comparar. Mas ambos com certeza esbanjam carisma e simpatias, principalmente no traçado dos desenhos.

O gato Happy é genial. Personagem chave para o sucesso da série com certeza. E se é sucesso na internet, pode ter certeza que o mangá oficialmente por aqui seria sucesso garantido também. Seria ótimo acompanhar o mangá oficialmente, até porque ele é meio complicadinho de se achar na internet traduzido por completo (está mutilado em vários fansubs), e isso acabaria ajudando as venda nas bancas.

Que o mangá de Fairy Tail chegará ao Brasil não tenho dúvida alguma. Se chega em 2010? Não sei. Mas seria uma vitória para a editora que conseguisse ser ágil a ponto de obter os direitos de distribuição.

O Injustiçado: One Piece

O maior e melhor mangá do mundo tem que voltar em 2010! One Piece está congelado aqui no Brasil desde a quebra da Conrad. Mesmo a empresa tendo retornado aos negócios em 2009, não nenhuma informação concreta sobre o retorno de One Piece ou qualquer outra série da editora que estiver na mesma situação. Um baita desrespeito com os leitores brasileiros. Faz mais de 2 ou 3 anos que não temos o mangá de One Piece em períodos regulares nas bancas. O mangá parou logo no início da saga Water 7 por aqui.

Os leitores brasileiros não tiveram a chance de ver a melhor e maior saga do mangá, Water 7 e Enies Lobby, não puderam conhecer o passado de Robin, não puderam ver Franky e Brooke entrando na tripulação de Ruffy, não puderam ver o emocionante episódio de adeus à Merry, nem sonham com o Second Gear e o Third Gear de Ruffy, muito menos então com Nightmare Ruffy. Não puderam ver o prelúdio para o novo mundo ou o que o destino reservou à Ace ou a terrível derrota da tripulação do Chápeu de Palha. Uma sonho até distante então pensar nas sagas de Impel Down e Marinford em mangás aqui no Brasil. Uma tristeza de cortar o coração. One Piece merecia um tratamento digno à série.

Espero que em 2010 alguma editora consiga adquirir os direitos de distribuição de One Piece por aqui. Conrad NUNCA MAIS. Seria um milagre ver One Piece sendo publicado novamente no Brasil em formato original pela Panini ou JBC. Nada de meio Tankobon, nada de atrasos, nada de falta de respeito com os consumidores. E se One Piece voltar em 2010 pela Conrad? Dá pra confiar? Vai ser uma tristeza ver o fracasso de uma série pausada por tanto tempo. Eu duvido que todo o público que colecionava irá voltar a colecionar e novos leitores não irão comprar algo a partir da metade. Atualmente One Piece tem 56 volumes publicados no Japão. A Conrad publicou por aqui apenas os 35 primeiros volumes.

One Piece precisa retornar ao Brasil desde à PRIMEIRA EDIÇÃO e em FORMATO ORIGINAL!

O Nostalgico:  Sailor Moon

Se Ranma ½ voltou, porque não Sailor Moon? Eu li algum tempo atrás que os produtos da série, incluindo o anime e o mangá haviam sido retirados do mercado mundial internacional por exigência da autora Naoko Takeuchi. Não me lembro a razão disso ter acontecido e não sei se esse “bloqueio” mundial da Sailor Moon chegou ao fim. Eu soube também tempo atrás que alguns países tinham conseguido o direito sobre algumas coisas a respeito da série, não me recordo se o mangá também, mas seria interessante poder ler o original desse anime que eu assistia séculos atrás na extinta TV Manchete.

Apesar de Sailor Moon ser um anime enorme para a época, com mais de 100 episódios se você somar todas as séries da franquia, o mangá é curtinho. Entre 1992 à 1997, tempo em que o mangá foi criado e concluido, apenas 18 volumes foram lançados. Isso mesmo! O mangá de Sailor Moon tem apenas 18 volumes!

A JBC reviveu Ranma ½ no mercado brasileiro e fiquei realmente feliz em poder ter a oportunidade de ler esse clássico do mundo mangá japonês. Dizem que o mangá de Sailor Moon é completmanente diferente da série de TV, sendo muito mais violento e maduro. Sem mencionar que é meio raro você encontrar o mangá traduzido na internet.

Tudo bem que Sailor Moon não é um mangá para qualquer público. Mas é impossível não sentir um pinguinho de curiosidade na série original se você é um daqueles que cresceu vendo Sailor Moon, Cavaleiros do Zodíavo e Yu Yu hakusho na TV Manchete.

O Mistureba: Gintama

Rá! Gintama é um daqueles mangás onde a graça é não fazer sentido algum. O mangá é meio ficção científica, meio paródia, meio comédia, meio samurai, meia mussarela, meio achocolatado etc. Não que não tenha história, até tem. Mas tudo é jogado de lado em Gintama se a proposta é fazer o leitor rir.

Eu nunca li o mangá pra dizer a verdade. A experiência que tenho com Gintama é com alguns episódios do anime, que é bem engraçado, apesar de não ser um gênero que consiga agradar qualquer um. É uma série da Shonen Jump, ou seja, faz muito sucesso lá fora. O anime já conta com quase 200 episódios lá no Japão, apesar dos fansubs brasileiros estarem longe de conseguirem colocar a série em dia por aqui.

O mangá foi criado em 2003 e já conta com 31 volumes. Eu deixei Gintama em penúltimo lugar da minha lista porque eu dificilmente acredito que ele venha a ser distribuido no Brasil. A série bebe muito da cultura japonesa e é feito especificamente para o povo de lá, em especial para os fãs roxos de mangás e animes. Não seria nada fácil a tradução da série por aqui, a editora que resolvesse publicar Gintama por aqui ia suar com notas de explicações no final de cada volume. Se bem que a Panini já faz algo assim em Naruto e Bleach que me deixa de boca aberta.

Mas Gintama é Jump. E se vem da Jump, com certeza vale a pena dar uma olhada.

O Bizarrão: Bobobo-bo Bo-bobo

Esse sim é completamente surreal. As chances dele chegar ao Brasil diria que são de 0%. Mas admito que gosto dessas coisas bizarronas que as vezes aparece no mercado jopones.

Eu tive muito, mas muito pouco contado com “Bobobo”. Li apenas apenas os primeiros capítulos do mangá em inglês, vi dois episódios do anime. O primeiro contato que tive com essa mangá foi no melhor jogo já lançado no Nintendo DS: Jump Ultimate Stars. Os personagens de “Bobobo” era os mais bizarros do games, o principal, esse cara com o Afro Loiro era muito apelão no joguinho de luta. E os personagens de suporte da série tinham poderes hilários. Depois desse contato no game é que eu procurei saber mais sobre a série.

Mas poucos praticamente nenhum fansub trabalha direito com a série atualmente, seja em mangá ou anime. O surrealismo de Bobobo assustam muitas pessoas, que acabam taxando a série de bobinha e infantil. Não é bem assim. Realmente a série não tenta nem um pouco se série, mas é mais uma paródia non-sense mesmo.Não é pra qualquer um, mas num mundo onde a mesmisse bate à porta todos os dias…

Se fosse ruim, não tinha durado 21 volumes. Foi publicado na Shonen Jump entre 2001 à 2005 e depois disso ganhou uma nova série chamada “Shinsetsu Bobobo-bo Bo-bobo”, que durou mais dois anos e rendeu mais 7 volumes para a franquia. Nada mal mesmo!

Bobobo é difícil de se explicar. O You Tube está recheado das tosquisses da série em anime. Vale a pena dar uma olhada e ver se é seu estilo.

Rá! A paródia do Chaos de DBZ foi muito boa! Não que eu não curta nada sério. Mas uns desenhos assim sem noção as vezes é a melhor coisa pra ser ver na TV depois de um exaustivo dia de trabalho. XD

Bobobo-bo Bo-bobo é praticamente impossível ser lançado no Brasil. A série tem muita paródia em cima da cultura japonesa, muito mais que Gintama. Soma-se isso aos personagens e situações surreais da série e ao traçado mais infantil…. os leitores mais velhos iriam correr de medo de ver um mangá assim nas bancas. Mas eu colecionaria sem dúvida. XD

———————————

Cheguei ao fim. Espero que gostem do post e comentem aí, quais os mangás que vocês gostariam que surgissem nas bancas brasileiras em 2010!!??

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.