Jogando

15 minutos de Splatterhouse: Muito sangue, carnificina, cabeças voando… e só! [PS3/X360]

Para falar a verdade nem estava acompanhando as notícias envolvendo este game, tão pouco me lembro de tê-lo visto durante a E3 deste ano, mas como o lançamento ocorre hoje, alguns sites divulgaram um vídeo com os primeiros 15 minutos do jogo e claro, não pude deixar de dar uma olhadinha. O que achei? Bom, não consigo encontrar outra palavra para descrever Splatterhouse, extremamente tediante, os gráficos estão de bom tamanho, a franquia que era originalmente da Namco, recebeu também uma ajudinha por parte da parceira Bandai.

Com exceção dos gráficos (claro) as diferenças entre os clássicos e este remake não parecem ser muitas, (para quem não sabe Splatterhouse teve seu primeiro game lançado em 88, clique aqui e refresque a memória), basicamente você bate e anda, idéia já batida com a desculpa de espancar monstros, para a época o gênero de terror e muito sangue devia ser uma novidade e tanto, até porque o cinema já explorava muito isso na época, mas com exceção do monstrengo explodindo e tendo suas entranhas detalhadas na tela durante a introdução, não vi nada demais, são 15 minutos de gameplay, e bastariam apenas (ou até menos) os mesmos 15 minutos para que eu desligasse o console e lamentasse profundamente por ter comprado Splatterhouse, parece uma tentativa barata (e frustrada) de agradar quem jogou God Of War ou Castlevania Lord Of Shadows, a movimentação do personagem não tem nada de especial, muito pelo contrário, parece um tanto precária e aliada ao fato do personagem ser um verdadeiro armário ambulante, as coisas só pioram, aliás personagens parrudos assim são os que menos me cativam num game.

As habilidades de Jack ao pôr a misteriosa máscara também não ajudam, ou melhor, ajudam e muito na hora de espalhar sangue pelos cenários, mas a graça pára por aí, é tudo muito repetitivo e o vídeo mostra que você mais aperta botões ao acaso e decepa cabeças, do que qualquer outra coisa, reparem no quanto é frustrante sair toda vez que o protagonista é cercado pelos monstrinhos. Outra coisa que achei ridículo foram os loadings, que diabos é aquela tela com aqueles dois bichos horrendos se beliscando hein, se o carregamento fosse ágil, não diria nada, mas fala sério. Deveria ter jogado a demo para formar uma opinião melhor a respeito, mas desisti vendo esse vídeo, não é o tipo de game “saia batendo em tudo que vê pela frente” que me empolgaria,  Splatterhouse não tem uma ampla liberdade de movimentos, não me passa realismo nesse aspecto, nem mesmo uma diversidade de golpes que valha a pena, o game chama bastante a atenção com todo esse sangue e cabeças voando, mas fica só nisso.

Claro, opinião minha, e vocês o que acharam? Alguém aí foi com a cara do Jack?

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

K o n S a m a

Do ser sem razão a essa explosão de emoção, do preguiçoso leitor ao (meia-boca) escritor, do tímido calado ao ator inquieto, do caminho já traçado à esquina do destino incerto. Tentei me definir, mas sem sucesso. Games, filmes, música, animes, são só o começo desse quebra-cabeça sem nexo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.