Afinal, a tradução do mangá Fairy Tail pela JBC lhe incomoda? [Carta Aberta] [Enquete] [Reflexão]

Elenco de Fairy Tail que, segundo a JBC, não sabe falar português corretamente... são moderninhos e jovens demais pra isso.

Até que ponto o português “de rua” (informal) contribui ou atrapalha para a identificação do leitor para com uma obra, seja ela um mangá, uma HQ ou um livro?

Na verdade não existe uma resposta correta para a pergunta acima. No geral editoras usam, por aqui, um português mais correto possivel, sem deixar é claro, que a leitura fique formal demais e descaracterize a obra ou determinado personagem. Por exemplo, não dá para fazer um Chico Bento ou Urtigão falar um português impecável nas HQs. Eles falam caipira mesmo (Isso me incomoda pacas, alias, e já ouve muito debate no passado se esse “caipires” das HQs infantis, se elas não atrapalham o desenvolvimento do português das crianças que estão nessa fase de desenvolvimento da leitura e escrita.)

No caso de Fairy Tail, o elenco principal da série são jovens, então é natural que falem como jovens, certo? Mas até que ponto isso deve transparecer na forma escrita do mangá? Gírias aqui e ali, até tudo bem, elas as vezes são adaptações usadas no texto original japonês, ou explicam uma situação muito melhor do que se fosse usado um português formal. Mas e quando o português é massivamente atacado? “Você” vira “cê” e “vocês” vira “cês”. “Está” se torna “tá” e até “estamos” acaba se tornando “tamos”. Abreviações que usamos as vezes no português falado, mas que soa como uma aberração na forma escrita (na minha humilde opinião). E na tradução de FT pela JBC, os “cês” e “tá” são extremamente usados, não só por um personagem que tenha um vício de linguagem (se fosse esse o caso, seria como um Chico Bento), mas quase todo o mangá é adaptado com esse linguajar mais chulo. Incomoda o leitor isso? Bem, eu fico incomodado.

E olha que acompanho o animê de Fairy Tail, através de fansubs nacionais. E o engraçado é que nunca vi um animê legendado desta forma mais rala de escrita. E nunca achei os personagens velhos ou antiguados por falar um português correto. Adoro o Natsu falando “você” no animê e no mangá da JBC vê-lo usando “cê” parece um tiro no cérebro. Dói mesmo.

E parece que não sou o único incomodado. Hoje pela manhã, o Alex Pikachu, aqui da equipe do Portallos, postou um texto de uma carta que ele mandou para a JBC lá no forum da equipe, reclamando sobre esse português usado nos textos dos mangás por aqui. Pedi a autorização dele para reproduzi-la abaixo:

Olá caros responsáveis da JBC pelos mangás.

Venho por meio deste email demostrar minha insatisfação em uma das suas últimas publicações: Fairy Tail.

É de conhecimento de vocês, muito provavelmente a insatisfação geral de todos que acompanham esta publicação. Todos estamos muito tristes com a tradução e adaptação, principalmente no uso de neologismos, gírias e contínuos mau usos da língua portuguesa que tem tornado a leitura muito desagradável.

Peço que o uso de palavras como “CÊ” no lugar de “VOCÊ”; “TÁ” no lugar de “ESTÁ”; “TAMOS”, “CÊS” e tantos outros exemplos presentes que mostram na minha humilde opinião uma afronta ao uso da nossa língua portuguesa, os leitores em uma parte estão em fase de formação e estudando a língua e publicações assim só prejudicam a formação deles, e incomoda muito a todos os leitores, pois somos mais inteligentes do que isso.

Por favor tenham grande consideração nesta minha queixa e pensem em fazer o manga de vocês cada vez melhor assim, pois sempre gostei de suas traduções e adaptações e faço questão de comprar, inclusive sou assinante, e peço encarecidamente que façam um trabalho com a qualidade de sempre.

Obrigado

Gostou? Pois é, eu também. Mandei também esse mesmo texto para a JBC assim que terminei de ler. O grifado em vermelho foi liberdade minha, pois tenho esse conceito de que editoras tem o péssimo hábito de não lerem direito textos grandes enviados pelos leitores, então sempre que entro em contato com alguma editora, eu grifo certas partes em vermelho. Se a pessoa faz leitura dinâmica nos textos, ao menos ela pesca as partes mais importantes assim.

E como o Alex permitiu, quem quiser pegar o texto acima e também enviar para a JBC, o e-mail da editora é: mangas@editorajbc.com.br. (Quem tiver um outro e-mail, favor deixar nos comentários, que acrescento na matéria).

Acho que se você não curte, assim como a gente, não custa nada mandar um e-mail reclamando. A JBC não tem um histórico de ouvir muito bem seus leitores (e faz as coisas do jeito que quer), mas tem certas coisas que precisamos tentar e quebrar estas barreiras que existem por aqui. Acho que opiniões como estas precisam ser ouvidas e refletidas. Quem tem razão? Não dá para fazer algo que agrade a gregos e troinanos?

Por último, fiquem com uma enquete, para ajudar a visualizar melhor a opinião geral em torno deste tema, já que nem todos os leitores tem o hábito de comentar no blog (seja por timidez, falta de tempo ou preguiça):

[poll id=”6″]

Ah, o Alex deixou um exemplo lá no forum, quem tiver mais exemplos e quiser mandar, fiquem a vontade:

"..Pera.." e "...Que cês tão..." - Dá até pra sentir um neurônio pedindo demissão no meu cérebro...
Isso também pode lhe interessar

165 Comentários

  1. desconheço tal publicação, mas no anime yu yu hakusho, na dublagem em portugues, quando o yusuke mandava uns “huuuuu terere”, “aaaaahhhhh eu to maluco”, e coisas do tipo tudo bem??? todo mundo adorava??? (inclusive eu), na primeira dublagem de um tira da pesada??? e por ai vai…

    1. Conforme explicado no texto, é diferente quando UM personagem faz um estereótipo, reforçado pelo linguajar e quando todo um mangá segue um estilo próprio de portugues chulo.

      E o Yusuke ainda era contido, pois o que ele fazia era tirar sarro da linguagem formal, com girias e piadas nesse sentido feitos pela dublagem… não li o mangá do Yu Yu, mas acharia bizarro se isso se reproduzisse no mangá… tem coisa que funciona na TV, ao vc escutar um personagem falando, e é diferente quando vc está lendo esse personagem.

      É muito dificil acertar sotaques, girias e portugues chulo em textos. É preciso dosar isso com muito cuidado para não deixar a obra carente nesse sentido. E na minha opinião, é exatamente isso que está acontecendo com FT.

      Por favor… um animê não é a mesma coisa que um mangá. A forma de como expressar os personagens não pode ser a mesma coisa.

      Yusuke dublado é ótimo… mas justamente porque é uma dublagem…

      1. Em alguns mangas eles deixam claro qdo o personagem remover uam-acm caipires, o unico q lembro agora é gantz, mas nao acho q seja o caso.

    2. Pra mim essa gírias funcionavam bem em Yu Yu Hakusho ou não se era tão estranho esse tipo de linguagem por alguns personagens(como o Yusuke) serem retratados como delinquentes na história e personagens desse tipos usam gírias o que não é exatamente o caso de Fairy Tail.

    3. Isso acontece em Yu Yu porque eles não conseguiam encaixar as falas com o movimento da boca dos personagens. Aí colocaram essas zueiras pra não ficar aquela cena onde vemos o personagem falando uma frase colossal e o dublador apenas uma sílaba. Tá nem tanto, mas era por aí (:

    4. O caso de YYH é um caso a parte pois meio que se fez necessario essa adpatacao feita pela dublagem onde se precisa “preencher” os espaços entre as falas e a movimentação da boca do personagem

      Porem essa adptação ao meu ver foi um das melhores (se nao a melhor) que eu ja vi em todos os animes xD

      Sem falar que essas falas dos personagens soaram como algo mais natural e tals por isso essa adpatação é tao aclamada pelos fãs da serie ate hj 8D (AH EU SOU TOGURO XD)

      Ja em FT tive que desistir de comprar o manga pois como o RyogaChan falou nao vale a pena dar 10,90 em um trabalho mal feito como esse onde posso encontrar na internet um trabalho feito por fãs e para fãs e o melhor de graça ;B

      Me incomodou demais as girias e o uso excessivo de “ce” totalmente desnecessario :/

      Quando a Lucy nao parecer uma funkeira talvez eu volte a comprar 😡

  2. O problema em Fairy Tail e que as girias e abreviaçoes sao constantes, eu ate gosto delas, mas se usadas com essa frequencia acabam baixando o nivel da obra…
    Uma pena que ja estamos 5º volume e a JBC nao arrumou nada ainda, nao vou deixar de acompanha o manga, mas seria legal se todo mundo enviasse esse exato mesmo email para que a JBC se tocasse ^^

      1. Eita, agora mudou toda a minha opinião… Se o negócio não é contemporâneo (principalmente se for MEDIEVAL), gírias e “abreviações” usadas são realmente muito ruins…

        Imaginem só se, em Senhor dos Anéis, o Aragorn falasse ao final: “Meus amigos… Cês num reverenciam ninguém”. A dor……

        Agora, como falei no meu comentário, eu sou a favor de coisas como “tô” e “tá”, mas em alguma história mais próxima do nosso mundo/tempo (como Harry Potter, que falas formais demais me irritaram muito durante minhas leituras…)

        1. Sim, tem isso tambem. FT não é um mangá urbano… na cidade. Tem essa atmosfera mais medieval, de vilas, florestas, magos e dragões. Os protagonistas são jovens magos (feiticeiros na versão da JBC, o que acho horroroso).

          Alias
          Magos = Usam Magia
          Feiticeiros = Fazem feitiços

          Sem raciocinei assim… porque diabos a JBC resolveu dizer que são feiticeiros de Fairy Tail, eu nunca vou entender… porque na série, ninguem faz feitiço… eles usam magias… são MAGOS.

          Outro Fairy Fail da JBC…

          1. Outro manga da JBC que tem umas girias é Tenjo Tenge, mas lá é o mundo contemporraneo então fica mais plausivel, e até q não tem tanta giria quanto em Fairy Tail.

            Algumas vezes até que não me incomoda tanto (principalmente pq só to conseguindo folear…) mas na edição 5 realmente deu muita raiva, e o pior… com isso quebrou um pouco o clima do arco.

            Já magos e feiticeiros: No D&D os feiticeiros usam magias de modo mais “sentimental” sem ficar estudando, só sentindo a magia porque é algo inato deles. Já os magos ficam estudando o tempo todo, para descobrir novas magias. Nesse caso Fairy Tail combina mais com feiticeiros que usam magia despreocupadamente do que com um mago que fica estudando tomos em uma torre. (inclusive dizem que feiticeiros tem um parente dragão…)

          2. Ara… é mesmo, são magos e não feiticeiros. Dá até um desgosto ver que é “feiticeiros”. Tomara que arrumem logo isso ¬¬

  3. Ora, não vejo problema nenhum nessa tradução. São jovens falando como normalmente falam e o texto tem que demonstrar isso. Seria muito mais bizarro se eles falassem todos formalmente. Ninguém acreditaria que um adolescente falaria dessa forma.

    1. Não discordo, o problema é o exagero no qual os textos de Fairy Tail insistem nesse linguajar popular… o pecado aqui está no excesso.

      O jovem fala assim? É claro, mas não o tempo todo. E um texto pode muito bem passar a ideia de personagens juvenis, com uma comunicação atual e simples, sem apelar como os de FT apelam e exageram no portugues comido (metade das palavras acaba perdendo letras ou sílabas).

      Tem frases que parece que estou lendo textos daquele pessoal que escreve no orkut. Não dá…. tem que haver um equilibrio. Não poder ser formal demais, mas não dá para deixar ser o contrário demais.

    2. Não é porque são jovens que TODOS tem que falar errado a todo santo momento!

      E nem precisa ser formal o tempo todo, mas sim falar o certo.

      E outra, em outros mangás tambem temos crianças,jovens e adolescentes(bleach, naruto, one piece, hitman reborn etc etc) e nem por isso todo personagem fala errado.

      Concordo com o Thiago, se fosse um ou outro personagem isso seria legal. Porque seria uma caracterização daquele personagem especifico, dando-lhe um grau a mais de personalidade(no caso, o jeito de falar).

      Os fãs do mangá tem sim que reclamar com a JBC, senão isso vira mais uma “mania/moda” aqui no Brasil e depois todo mangá virá com essas traduções porcas.

      1. “Os fãs do mangá tem sim que reclamar com a JBC, senão isso vira mais uma “mania/moda” aqui no Brasil e depois todo mangá virá com essas traduções porcas.”

        – pior que isso só se algum dia começarem a vir com “escrita de orkut”. *medo* XD

    3. Um exemplo de mangá que não possui excessos de gírias(apesar de seus personagens serem em grande maioria jovens) e nem por isso a leitura se torna bizarra é Morango 100% da Panini.

  4. Ah, outra coisa. A palavra “chulo” quer dizer que algo é grosseiro, obsceno, de baixo calão, rude, e não é o que vejo nessa tradução. Ela pode ser chamada de “informal”, mas isso não é demérito. Um abraço.

    1. É verdade, mas chulo tb pode ser visto como uma linguagem deselegante, que foi o que quis dizer no texto. Ser informal nem é problema, muitos mangás e quadrinhos de outras editoras tem uma linguagem informal.. mas existe um limite e no geral, é um texto elegante, que não exagera demais na forma como os personagens se expressam… o chulo serve para portugues deselengante no caso… o exagero além da conta do informal.

      Talvez seja um erro meu no texto, mas a ideia é esta.

  5. Ney, O que me incomoda, e muito, é que na imensa maioria de histórias em quadrinhos, desenhos e afins, todo mundo parece falar do mesmo jeito, com o mesmo nível de cultura.
    Tem uma exceção legal, que aocnteceu quando surgiram os Novos X-Men. O time era formado por pessoas de dierentes etinias e níveis culturais. Tinha o camponês russo, o culto alemão, o desleixado canadense. Juntos, formavam uma cadeia de diálogos pouco vista até hoje.
    Acho extremamente chato um ladrão usar a mesma linguagem de um clérigo!
    Somos pessoas diferentes, falamos diferentes, mas a maioria das histórias ignora isso. Aye, quero ver os personagens falando naturalmente!

    1. Nesse caso do X-Men que vc citou Mauri, parece que a ideia de personagens tão distintos requer um vocabulario diferente para cada um, mas ainda assim são personagens que requerem isso pelo esteriótipo que cada um precisa desempenhar na HQ. É uma situação diferente.

      Se cada personagem, em cada HQ, precisasse de um sotaque e vocabulario proprio, coitado do leitor que teria que conviver com uma porrada de distinções linguisticas para entender cada um… não dá.

      Entando essa ideia na qual vc diz, “todos soam iguais”, isso realmente é complicado, mas aí cabe ao autor das historias criar as distinções sem precisar apelar para a linguistica. Eu por exemplo, nunca achei que o Wolverine fala do mesmo jeito que o Peter Parker. O Wolverine tem uma linguagem mais agressiva, mais bruta e o Peter é sarcático… as personalidades de cada um transparecem pelo texto, sem apelar para a informalidade do vocabulario, ainda que cada um use giriais e expressões informais…

      É uma situação de peso e medida. Se o personagem é bem modelado, seu linguajar não vai parecer ordinário (a menos que o autor queira que seja isso.)

    1. ah, boa amigo… quanto perspicácia… um erro de digitação tem tudo a ver com a reflexão sobre a ideologia de tradução de um mangá. Mandou bem!

      Vou lá arrumar pra vc não ficar só atento a isso. Valeu pelo toque! 🙂

  6. Enviei o e-mail, mas com um toque a mais de insatisfação:

    Olá, pessoal da JBC. Encontrei este e-mail em um fórum e compartilho sua opinião.

    Acompanho vocês desde o primeiro exemplar de Inu-Yasha e Fairy Tail é o primeiro mangá que não estou gostando da tradução. Talvez pelo fato de assistir ao anime ou pelo fato de não gostar do excessivo uso de palavras como “cê” no lugar de “você”. Segue o e-mail abaixo:

    “Olá caros responsáveis da JBC pelos mangás.

    Venho por meio deste email demostrar minha insatisfação em uma das suas últimas publicações: Fairy Tail.

    É de conhecimento de vocês muito provavelmente a insatisfação geral de todos que acompanham esta publicação. Todos estamos muito tristes com a tradução e adaptação, principalmente no uso de neologismos, gírias e contínuos mau usos da língua portuguesa que tem tornado a leitura muito desagradável.

    Palavras como “CÊ” no lugar de “VOCÊ”; “TÁ” no lugar de “ESTÁ”; “TAMOS”, “CÊS” e tantos outros exemplos presentes que mostram na minha humilde opinião uma afronta ao uso da nossa língua portuguesa, os leitores em uma parte estão em fase de formação estudando a língua e publicações assim só prejudicam a formação deles, além de incomodar muito leitores mais velhos, pois somos mais inteligentes do que isso.

    Por favor tenham grande consideração nesta minha queixa e pensem em fazer o mangá de vocês cada vez melhor, pois sempre gostei de suas traduções e adaptações e faço questão de comprar, inclusive sou assinante, e peço encarecidamente que façam um trabalho com a qualidade de sempre.

    Obrigado”

    P.S. O Happy fala “Aye, Sir!”

  7. E uma coisa precisa ficar BEM clara: o que lemos nos balões de diálogo é uma representação daquilo que é FALADO. Apenas textos explicativos/Recordatórios/Notas do Autor precisam seguir a norma linguística, a sintática. Os textos falados representados nos balões podem seguir uma linha mais próxima da lexical.

  8. eu acho q em relação ao volume 1 e 2
    o 5 ja esta bem melhor em relação a isso

    acho q vocês estão exagerando no momento

    * sim no volume 1 tava realmente um excesso, mas agora ta praticamente aceitável
    *² é so olhar a cara do Natsu, ele deve falar zoado mesmo rsrsrsrsr

    1. ahhh e a conversa de mangá de One Piece, teve o da semana passada? o dessa semana vai ser duplo? fiquei meio off nos ultimos dias XD

    2. Estou na edição 4, de onde a imagem do post foi retirado.

      Sim eles diminuiram o uso, mas ainda estou me incomodando com o uso, para mim essa prática deve ser abolida.
      Conheço quem está na edição 5 e para eles ainda precisa melhorar mais ainda.

  9. Sei lá nem compro mais Fairy Tail por causa disso…
    Não é porque muitos falam gírias(eu também) que queremos ler uma coisa porca e muito sem noção onde as vezes você fica perdido pensando, quem é o ignorante que faz isso?!

    já vou mandar esse e-mail!
    Vamos ver se a JBC se ajeita!

    1. Otimo ponto… eu tambem uso vocabulario informal com alguns amigos e tal. Mas não significa que gosto de ler esse mesmo informalismo em textos… são coisas diferentes mesmo.

  10. Ah um detalhe que lendo as opiniões nos comentários acabo de perceber. Não estou perguntando se é ERRADO isso que está sendo feito na JBC. Estou perguntando se alguem fica INCOMODADO com a situação.

    Como eu disse lá no começo do post. Não existe uma resposta certo para a questão das traduções e adaptações. Não é ERRADO o que a JBC está fazendo (o exagero talvez seja? nem isso dá pra afimar)… estou dizendo que não só eu, mas outros leitores se sentem incomodados com essa tradução…

    1. Bem levantado Mr. T, não somos donos da verdade, estamos levando os leitores a discutir e pensar quanto ao uso dessas gírias e neologismos.

      O que percebemos é que muitos também se incomodam, e na minha opinião quem não se incomoda, ficará indiferente caso eles arrumem isso e passem a deixar de usar os termos que citamos, porém quem se incomoda, vai se mudar, como o Dhieferson fez e eu estou quase para fazer, cabe a editora pensar sobre isso.

    2. Não é ERRADO colocar gírias, mas também não fica bonito, scans brasileiros fazem trabalhos bem melhores traduzindo do inglês, se uma pessoa que não ganha nada com isso faz uma coisa SUPER-BEM-FEITA, porque uma pessoa que é paga não faz uma coisa BONITA E BEM FEITA?
      E quem fica incomodado é o fã que quer dar uma ajuda a alavancar o mangá no Brasil e fica incomodado, sabendo que tem uma coisa melhor bem feita na internet e que ele pode ler e reler a hora que quiser sem pagar nada.
      =/

  11. não compro o mangá, nem vejo o anime de FT, porém, respondendo a questão levantada eu posso afirmar que ME INCOMODARIA muito ter que ler isto.

    O thiago foi muito feliz quando disse que falamos assim (pelo menos aqui em goiânia) porém falar é uma coisa, ler/escrever é outra totalmente diferente. Mas pera, daí vem alguem e diz, “mas os personagens estão falando, olha o balão” oras, eles podem até estar falando mas eu estou lendo, então quem precisa ser agradado sou eu, e não os personagens.

    Sobre o mangá do chico bento (e até mesmo do cebolinha) confesso que não leio, unica e exclusivamente por conta deste detalhe do português.

    Acredito que nossa língua já é bastante complicada, e única forma de se conhecer o português “correto” é lendo, agora se nem lendo você é capaz de ter contato com algo certo, onde mais você vai recorrer?

  12. Vou comprar Air Gear da Panini, espero q não tenha uma tradução com linguagem formal (principalmente que boa parte dos principais são um bando d “marginais” ao estilo Yusuke).
    Mas não leio FT p opinar sobre a tradução

  13. Me incomoda e muito esse uso excessivo de gírias por parte da JBC. Já basta eu pagar R$10,90 por um mangá não embalado,sem extras,com qualidade duvidosa e ainda tenho que ler um trabalho de tradução pior do que a de scans onde leio de graça é demais pra mim.

  14. Eu me incomodo sim. Dei uma folheada no volume 5 na banca e é muito brochante aqueles quadros de efeito com o Natsu falando desse jeito. Não tem nada a ver com os personagens.Estudo em escola pública e lá o pessoal me chama a atenção quando eu solto uns “nóis vamo” e coisas do tipo, pra mim não cola dizer que é de jovem falar assim.

  15. Na minha opinião, o q aconteceu com a tradução de Fairy Tail da JBC eh q, na tentativa (aparentemente desesperada! xD) de caracterizar os personagens como sendo “jovens”, eles colocaram tantas gírias q parece q eu estou lendo um coroa de 50 anos fingindo ser moderno e atualizado e tentando se enturmar com a “galera” (morôu)! xD AUHAUhaUhaUh

    1. Pois é. A tentativa dos responsáveis da JBC em caracterizar os jovens como “liguístico-desleixados” (XD) desanima os fãs e envergonha a nós jovens.

      Concordo com o que o Mauri disse mais acima. “Nós estamos LENDO o que ELES estão FALANDO. Não tem nada a ver com querer agradar, mas sim ser coerente.”

      Gosto muito da tradução de alguns mangás na internet. Poderia ter a mesma qualidade, ou melhor até, por estarmos pagando.

  16. é exatamente por causa dessas coisas q n compro essa merda de manga e baixo na internet viva os scanlaitors q fazem melhor trabalho que as editoras o/

  17. Ok, eu parei de acompanhar FT mas foi por falta de dinheiro (e a ótima distriubuição que existe no Brasil também ~) cheguei até o volume…1! O maior crime mesmo foi quando eles botaram “E o conselho que vá descobrir quem pintou as zebras.”…………………QUÊ??? Eu prefiriria que eles tivessem colocado “E o conselho que se foda.” do que isso acima, o maior problema é quando a editora não quer escutar pedidos educados de uma mudança de edição, porque poxa, eu acho perco menos neurônios fumando maconha do que lendo Fairy Tail da JBC! Tá na hora de consertar esse problema em JBC? Já foram 5 volumes, se continuar assim, não vou poder deixar o meu priminho ler a edição brasileira de FT…com medo de dificultar a alfebetização dele =P

    P.S: eu não fumo nada…

    1. “Eu prefiriria que eles tivessem colocado “E o conselho que se foda.””

      – Acho que também não ficaria bem essa frase num mangá infantil como FT é, mas em situações assim sempre tem o bem colocado “que se dane!”

      “E o conselho que se dane!” – Pronto… sem foder com ninguém, e sem brincar de pintar zebras… podia pensar em um complemento com uma frase de efeito e maior intensidade… que no caso não foi bem sucedido com as malditas zebras. XD

      1. “mangá infantil”, ué… colocaram recomendação 14 anos escancarada 😛 se crianças compram o problema não é da JBC. O problema é o lucro =X mas era necessário no mínimo um “que se dane!” mesmo, um quadro de efeito com essas zebras foi de matar.

          1. hahahahha cine privê, saudade de quase morrer de sono pra ver peitinhos =D
            mas esse não é o foco do post… mantenha o foco Dhieferson XD

          2. Eu axo a classificação indicativa das coisas aki no lado do ocidente totalmente maluca! Eh como se as crianças aki do nosso lado fossem completos idiotas q naum podem ver qualquer tipo de conteúdo mais “forte” (forte entre aspas, GRANDES ASPAS) q já viram assassinos em série ou desajustados da sociedade!

            Rpz, eu tenho certeza q as nossas crianças são mais inteligentes do q isso! A ABSOLUTA maioria dos pais axam perfeitamente apropriado q seus filhos vejam os filmes e leiam os livros da série Harry Potter. Eu já li a série inteira de HP, e digo q se vc axa q seu filho de 8 anos tem cabeça pra ler qualquer um deles, ele com certeza tem maturidade pra jogar qualquer jogo ou ler qualquer mangá classificado como 14-16 anos!

        1. Tecnicamente Fairy Tail poder sim ser considerado infanti pelo fato de ser lançado numa revista shonen no Japão onde teoricamente é voltado-se para garotos dos 8 aos 15 anos.

  18. Eu fico profundamente incomodado lendo algo tão exagerado assim. Lendo nos aperfeiçoamos várias coisas, e a principal delas é o conhecimento da lingua em questão e se uma obra tem gírias e abreviações em excesso, o leitor ira perder muito nesse sentido, sem falar que tem muita criança e adolescente que ainda está desenvolvendo seu português lendo esses mangás, então é mais um motivo para eu reprovar essa atitude. Acompanho tanto o anime quanto o mangá de Fairy Tail, e eu não vejo NECESSIDADE NENHUMA dessa inserção de gírias, ainda mais sendo de forma exagerada, agora se isso fosse uma característica de algum personagem ou de um grupo acharia muito válido.

    1. mas uma coisa é verdade. Diversos personagens em Fairy Tail tem um linguajar bem informal. A questão é que no japão isso é mais demonstrado pelo modo de falar da pessoa, os tipos de expressão e pronomes que usa e tal Em português é quase impossivel fazer esse tipo de coisa, e o jeito até diria mais correto de transmitir isso é com coloquialismos e girias. Mas não tão exageradas e muito menos tão ridiculo como está sendo em FT! Realmente é de derreter o cérebro certas perolas que estão aparecendo nesse mangá.

  19. Eu já briguei pelo twitter com o tradutor de FT, Guilherme Briggs, exatamente por não gostar dessas “adaptações” que ele faz. Acho que alguns personagens podem sim usar “cê” e “tá”, mas não acho que seja o caso de nenhum dos protagonistas de FT, muito menos Erza e Lucy.
    Eles são jovens e mais “descolados”? Sim. Mas isso não significa que a Lucy tem que falar “é nóis” quando deveria estar dizendo “que legal”.

    1. Lembrou bem. Erza que é uma personagem toda séria falando gírias a descaracteriza totalmente. Assim como quando li a Mirajane falando no volume 1 “Ei, se enxerga ô! Pega sua senha e entra na fila!” parecia ate que ela era alguma dessas garotas que frequentam bailes funks.

      1. Engraçado que o Briggs faz um trabalho excelente com alguns filmes (onde geralmente é diretor de dublagem, n sei se ele é tradutor tbm, mas o diretor sempre se mete na tradução) e nos mangás é essa palhaçada…

    2. O Guilherme Briggs que ta traduzindo??

      Po eu sou fã do cara, mas isso me deixou bem decepcionado saber que um dos grandes dubladores do Brasil ficar cometendo esses erros pateticos para tentar deixar o mangá “na moda”, “cool” para os jovens.

      1. Ele não sabe receber uma crítica. Isso foi mais que provado quando reclamaram da tradução de TenTen e quando ele desligou a câmera que estava gravando a palestra dele no Anime Dreams aqui em SP quando um cara na plateia perguntou sobre a repercussão da tradução de FT.

    1. Aye no caso não é um problema de português, por isso omito (apesar de que na matéria em fase de rascunho tinha uma imagem do Happy e a legenda dizendo – “e nem precisei dizer do pobre do Happy que perdeu uma de suas mais importantes características por aqui: Aye… 🙁 ”

      Mas na versão publicada resolvi tirar para não fugir do foco que é o português em si…. e não a péssima adaptação do Aye do Happy. Mas quando eu soube disse, perdi 60% o tesão de acompanhar FT em mangá…

  20. P.S.S(do comentarista Cidoguita): O Happy fala “Aye!” não “É”, qual a necessidade disso caramba? Quem já conhecia a série, vai ficar feliz em ouvir a frase característica do personagem e quem não conhecia vai gostar (ou não) do jeito que ele fala, pô, eu gostei muito do primeiro “Aye!” dele, e a JBC tá privando o leitor de conhecer uma característica única de um personagem único, ele é uma gato azul que fala e voa! Por que o jeito que ele fala tem que ser normal se nada nele é? Tem coisa que é importante adaptar mas trocar um bordão legal por um “É!” não deve ser feito…bem, pelo menos outras editoras (e se deus quiser a JBC) vão aprender o que não fazer numa tradução de mangá depois dessa.(porque do jeito que tá, um mangá de FT parece uma enciclopédia de como matar a língua portuguesa –“) vamo mudar JBC!!! P.S.S.S:Cadê os Freetalks? Queria Freetalks!

      1. A diferença é que Datebayo é totalmente japonês (mesmo eu num tendo idéia do isso significa) o “Aye” do Happy é diferente, não foi utilizado uma língua real nele pra se basear, um russo pode falar “Aye” que vai ser menos estrando do que ele sair terminando frases com um “Datebayo” e o “Se liga” incomoda um pouco menos do que o “É”

    1. Só lembrando: essa tradução porca não é de hoje. Eu leio Yu-Gi-Oh pela JBC (no momento tenho só os 12 primeiros volumes, pretendo comprar o resto logo. A serie foi concluida faz tempo mas eu sempre tenho outras prioridades pra gastar) e é triste o enorme número de gírias bizarras e mal colocadas. Novamente digo que não acho girias ruins, mas escolheram umas coisas que até hoje só ouvi em filmes de sessão da tarde. Coisas que cairam em desuso lá pelos anos 80 e 90 e hoje só os famosos “Tiozões que querem ser jovens” usam. Coisas como “cê” e “Tá” tambem apareciam, mas (até onde li) de forma menos exagerada e que soava mais natural que está sendo em FT. Jounouchi e Honda são dois delinquentes, seria muito estranho eles falando de forma certinha demais XD
      Alias, já que desviei o assunto, outra coisa que me irrita em YGO é a utilização dos nomes americanos para todos os personagens. Isso é irritante porque apesar do anime ter popularizado esses nomes por aqui, o mangá não tem a minima necessidade de seguir isso, pelo contrário, ele deve ser o mais proximo do original possivel. Apesar de não ser um erro de português, é algo irritante para quem busca algo o mais proximo possivel do original.

      Enfim, fora YGO, existem outros mangás da JBC nessa mesma situação. Em Fairy Tail a coisa piorou (e eu achando que não dava pra ficar pior…), mas a tradução porca e o descaso são marcas da JBC há muito tempo…

      1. Tem que melhorar muito pra chegar no nível Panini. (Eu, pelo menos, nunca tive vontade de bater a minha cabeça na parede por causa da tradução da Panini =P)

  21. Eu sou contra porque muitas pessoas vão acreditar que a palavra “pera”, “tava” são corretas! Pode não parecer serio, mas tem muito moleque que vai ler e vai usar as palavras nos textos do enem da vida. Não precisa escrever de forma tão informal, use palavras das gírias como “tipo”, ou usar velho antes de alguma frase:
    -Velho, foi muito louco!

    não deixa de ser informal e não inventa nenhuma palavra

    é isso que eu acho, ta ligado? auhuha

    ps: não estou zuando não, mas usar a palavra “principalmente no uso de neologismos, gírias e contínuos mau USOS da língua portuguesa” ta correto? O uso não é o mesmo?
    se ta certo blz, mas se tiver errado, pode perder um pouco do credito do texto com eles.

  22. Eu não compro graças a essa maldita tradução..virou um Fairy FAIL!
    Sou jovem, meus amigos também, e não falamos assim, aliás eu nem fico perto de quem fala assim!
    Eu teria que fazer um esforço enorme para falar a mesma frase que a Lucy -que deveria falar prefitamanete, pois foi criada como uma princesa!
    fora, que no japão eles também são jovens, e falam corretamente!

    Esse é um manga que eu JAMAIS recomendaria!…é muita vergonha alheia >.<

    1. Falou uma coisa interessante.
      “NO JAPÃO ELES TAMBÉM SÃO JOVENS, E FALAM CORRETAMENTE!”
      Quer dizer que os leitores do Brasil não falam corretamente? Ou não seriam capazes de entender uma linguagem mais formal num mangá?
      JBC, JBC…

      1. Como já disse, apesar de falarem corretamente, na lingua japonesa existem várias expressoes e palavras com traduções identicas, mas que no contexto daquela lingua soam de forma mais delicada, mais grosseira, informal, etc. Um bom exemplo é ver quantas palavras existem para “Eu” e “Você” e ver como são usadas.

        Não que isso diminua o erro da JBC em colocar TODOS os personagens falando dessa forma. Um ou outro seria aceitavel, mas todo mundo como está sendo feito é ridiculo. Além de estar com uma tradução “informal” demais. Entre aspas porque até quem fala muitos coloquialismos e girias está achando muito ruim essa tradução. Como disseram, parece aquele caso de tradutor tentando aproximar a fala dos personagens do que ele pensa ser o “modo que os jovens falam” e ferrando com tudo.

  23. Sinceramente… é triste fazerem isso com o mangá de Fairy Tail. Como já disseram, é comum no dia-a-dia falarmos girias, mais nem assim falamos tanta coisa errada.
    Eu por exemplo gosto de escrever, crio histórias e personagens e não vejo necessidade de colocar tantas palavras pela metade só pra deixar o personagem com ar de “jovem”.
    Acompanho o mangá pela internet, e acho a tradução sensacional, pois eles não descaracterizam os personagens, diferente do que a JBC vem fazendo e.e
    Prefiro acompanhar pela internet =/

  24. Não leio Fairy Tail, mas sou contra essa linguagem em excesso nos mangás… apenas aceito como a maioria aqui, em personagens especificos…

  25. Olha, não sei. Eu por exemplo sempre fui a favor de colocar linguagem coloquial em FALAS de personagens em qualquer conto escrito. Tudo bem que “cê” ao invés de “você” eu já acho demais, mas “tá” é tão terrível assim?

    Na minha opinião, algum personagem FALAR “Está tudo bem” ou “Estou gostando disso” é simplesmente HORRÍVEL e aí sim me dói os neurônios. É “tá tudo bem” e “tô gostando”, não é tão estranho assim.

    Ok, pelo seu texto, parece que o grande problema é o abuso dessa linguagem pra todo tipo de personagem. Aí eu concordo, tem alguns que, pela personalidade, devem falar mais corretamente, até mesmo nesse exemplo do “está” que eu falei.

    1. O “tá” no começo de uma sentença soa natural… mas usando no meio de uma frase, fica péssimo…dê outros exemplos sem começar com “tá” ou “tô”. 😛

      você está me devendo um favor… adaptando para a linguá de FT fica:
      “cê tá me devendo”

      pow… vai me dizer que não soa horrível isso…?

      sem mencionar o “tamos”… eu juro que NUNCA ouvi “tamos”… é serio. e o “pera”? no máximo um “pera lá” (que tb soa horrivel escrito)

      tem coisa que fica natural é claro… o qual é… sendo usado as vezes como “qualé”, mas não pode ser continuo, senão perde a naturalidade e fica forçado…

  26. todos os mangas q são infantis no Japão recebem aqui no minimo +12anos

    culturas diferentes, fazer o q
    tem manga q la é feito para jovens de uns 13 a 15 anos aqui são os de +18anos

    e por ai vai
    aqui infantil é Ben 10 e Discovery Kids
    ¬¬

  27. Eu não só me incomodo com esse neologismo idiota como também me incomodo com as gírias locais.

    “Ferradão” ( Loki fala isso no volume 4 ) Para mim, sempre será uma palavra a ser usada em uma pessoa que está na lama, acabado, destruído, etc…

    Enfim, eu odeio esse negócio de gíria local. Acho que isso deveria ser tirado, também. E, quer saber… Tirem o Briggs de lá. Desde Tenjou Tenge que eu venho observando… Ele foi quem trouxe essas gírias e neologismos aos montes!

    1. Briggs nunca deveria ter entrado lá para traduzir mangá algum afinal ele é dublador e não tradutor. Assim como a JBC deveria tirar também a(s) pessoa(s) com cargo(s) acima do dele afinal se Briggs comete essas atrocidades com mangás da editora é por que alguém deixa.

  28. bom nem leio o mangá publicado…baixo pela net (hehe)…acho legal mesmo ter algumas abreviações…mas abreviar “voce” pra mim é sem cogitação…algumas abreviações são realmente exageradas…nakela imagem ali postada…”ei pera voces dois! que cês tão fazendo”….qnd li deu uma aflição…a frase parece meio cortada…se eles querem coloca esse tipo d giria tem que colocar de uma forma coerente …sei la…tipo “perai “ai” vocês dois, o que que vocês tão fazendo” se arrumassem algo do tipo até q não fikaria tão mal ….
    é oq eu acho

    1. Eu ri com o “deu uma aflição” xD só que a maior piada é a JBC que sempre se vangloreia tanto pelo contato com os fãs agora não dar o braço a torcer e insistir nessa tradução ridícula de um grande título como FT…

  29. Hoje enviei uma crítica/sugestão através do “Fale Conosco” no site oficial dos Mangás JBC. Creio que se muitas pessoas reclamarem eles farão algo a respeito, mas muitos só reclamam em fóruns ao invés de reclamar a editora. Abaixo o mesmo mimimi de sempre 😀

    “Olá, pessoal!

    Estou enviando este comentário para revelar minha insatisfação com a tradução do mangá Fairy Tail. Acompanho o anime e creio que os personagens estão sendo descaracterizados (não propositalmente) no mangá. Um exemplo disso é o excesso de gírias usadas pelos personagens (Natsu, Lucy e Elza principalmente, utilizando “cê ao invés de “você”) e a falta da fala principal do personagem Happy, pois no anime ele fala “Aye!” ou “Aye, Sir!” e no mangá é traduzido como “é” (“é”, dói ler isso). Desculpem a sinceridade, mas scans online estão fazendo um trabalho de tradução mais próxima ao anime (sei que não são oficiais) e fica difícil comprar um mangá que você não está sentindo prazer em ler.

    Sou fã da série e não gostaria de deixar de comprá-la devido a falta de prazer em lê-la.

    Este não é o primeiro mangá de vocês que acompanho (Samurai X e Inu-Yasha foram muito bem tratados e estão entre os meus preferidos), mas é o primeiro que sinto vontade de deixar de acompanhar.

    Muito obrigado!”

  30. Bom esses erros de grafia me incomodam profundamente também. Desculpa que é um mangá com protagonistas jovens não cola, Naruto, Bleach, One Piece, D.Gray Man, Hunter x Hunter, Dragon Ball e vário outros tem jovens como protagonistas e nenhum deles força a barra como Fairy Tail.

    O fato é que além disso e outras coisas(Aye do Hapy) Fairy Tail está tendo um péssimo lançamento por parte da JBC, e o Briggs deveria voltar a apenas dublar porque como tradutor está saindo uma bela de uma mer…

    Acho que além de enviar o email, o email deveria estar uma afirmação categórica de quem compra o mangá irá parar de fazê-lo. Porque é inadmissível pagarmos por um produto sendo que as traduções gratuita na net dos scanlators é de melhor qualidade.

    E outra

    Mahou = Magia, Mahoutsukai = Mago
    Susumu = Feitiço, Majutsu-shi = Feiticeiro

    Manda o Briggs ouvir a droga do anime e ver ele ouve mahou ou susumu. Inclusive uma música de abertura do anime se chama Egao no Mahou.

    Num dá né…….

    1. Isso isso… eu disse lá em cima em um comentário… mas já tem tanto aqui que tá dificil acompanahr tudo XD só replicando o que escrevi:

      Alias
      Magos = Usam Magia
      Feiticeiros = Fazem feitiços

      Sempre raciocinei assim… porque diabos a JBC resolveu dizer que são feiticeiros de Fairy Tail, eu nunca vou entender… porque na série, ninguem faz feitiço… eles usam magias… são MAGOS.

      Esse detalhe, assim como o Aye do Happy incomoda mesmo o leitor…

  31. Minha reação expressa em emoticons :B

    Fairy Tail chega ao Brasil = 😀
    Manga de Fairy tail pela Jbc = 🙂 (Preferia a Panini)
    Briggs na tradução = 🙁
    Depois de ler o primeiro volume = D’:

  32. Certíssimo! Odeio quando resolvem usar esses neologismos só porque é “revista em quadrinho”. Acho que isso é responsabilidade do diretor de tradução pois quando acompanhei Video Girl Ai pela JBC a leitura era impecável (e recentemente tbm a DNA). Sinceramente se eles soubessem das perdas que sofrem… eu mesma deixei de acompanhar Naruto pela Panini Comics por causa da tradução que era horrível! Passei a baixar o mangá e estou muito satisfeita.

      1. O meu problema com naruto foi que eles traduziram literalmente os termos, ou seja a adaptação. Era Vila da Folha Oculta (a folha é oculta??), “Tô certo” no lugar de “Datte Bayo”, e por aí vai… Sei que a versão que eu baixo tem uma dinâmica muito melhor do que a da Panini que cobra mas faz trabalho meia-boca…

        1. Bom o nome da vila é sim Vila da Folha Oculta, Konohagakure no original. Assim como as outras é areia oculta, névoa oculta, etc. E eu acho que aí a tradução é perfeitamente compreensível.

          Sobre o Dattebayo lembro que teve até uma nota do editor que ele brigou muito com a shueisha para poder manter os nomes dos golpes originais e o dattebayo, alegou que ele conhecia o publico do mangá e sabia que eles preferiam assim. Mas eles não permitiram. Mas pelo menos ouve a tentativa de agradar o público.

          1. Se eu não me engano, é Konohagakure no Sato, ou seja Vila Oculta nas Folhas. Assim como Kirigakure no Sato é literalmente Vila entre a Névoa e não Vila da Névoa oculta (ou Vila Oculta da Névoa que está na versão que acompanho). Ou seja, o oculto está relacionado ao sujeito Vila e a Folha na verdade é o predicado que sofre/faz a ação do sujeito. Apesar de também estar errado na versão que acompanho, acho a tradução mais próxima do real. Enfim, a gnte pode até ficar discutindo adaptação em tradução mas não vai acrescentar muito ao post que fala de neologismo…

          2. Alguns termos traduzidos podem até não estar agradando alguns, mas a tradução de Naruto como um todo, é ótima! Principalmente os golpes que não ficam com o nome original em japonês em uma notinha de rodapé e sim no balão junto com a tradução. Inclusive, alguns volumes que saíram com censura foram refeitos pela editora e relançados nas bancas, diferente da JBC que sabe que não agradou com essa tradução, mas continua lançando do mesmo jeito.

  33. Isso realmente me incomoda, eu leio , e me deparo com “cês”, “tá”! Isso acaba irritando e desagrada o leitor. E o que causou o caos foi a retirada do “aye” do happy, agora é “sim”…A JBC poderia muito bem arrumar uma tradução bem melhorzinha, essa não está agradando não!

  34. Hmm… questão problemática essa, hein?

    De cara, digo logo que não acompanho Fairy Tail pela JBC, e parei de acompanhar pela internet (em algum momento, perdi o interesse, assim como foi com Reborn… epa, (es)tou falando demais. Voltando…).

    Dito isto… não é algo que me incomoda, salvo exageros. Eu sou um tanto quanto favorável a essa questão de colocar um pouco da “representação” de como o personagem fala… gírias, contrações, etc., guardado o bom senso (que não fique difícil ou “volumoso” de ler, isto é, que não se use muitas linhas quando a mensagem é curta).

    Pelo que eu conheço de Erza e Makarov, eles seriam os menos inclinados a usar gírias… isto talvez me incomodasse.

    No contexto do português falado, informal (que é o que eles estão fazendo através dos balões, falando), eu dificilmente chamaria o português deles de “errado”, “incorreto”. “Informal”, “não-culto”, até vai, mas “incorreto”? Eu acredito ser um exagero isso, é como se (es)tivessem tirando sarro do sotaque de alguém.

    Não tão distante do tópico assim, mas… teve uma vez que eu fiquei incomodado, que foi com o “caipirês” que Puck tinha até a edição 6 de Berserk, pela Panini. Eles até tentaram justificar o sotaque “caipira” dele numa nota de tradução lá (como fizeram com a Nel pequena) depois, mas foi uma das poucas vezes que me incomodou (não sei dizer exatamente por que, a Nel pequena não me incomodou…); felizmente, ao menos para mim, quando Puck voltou à história ele perdeu esse sotaque, e continuou informal. Achei melhor.
    Teve outra vez que eu gostei do uso dos diferentes “sotaques” escritos: Dragon Quest IV. Deu aquela sensação de “é outra cidade, outro país”; o inglês escrito dificilmente é o que você vê numa aula de inglês, mas é ainda compreensível, por assim dizer.

    Também poderia bater em outras teclas, como “meus filhos não podem ler isso, vão achar que é português” – levaria a debates bem parecidos como o de “você deixa a tevê educar seus filhos”, “não saber distinguir quando se usar cada português” e coisas do tipo, então não vou tocar neste assunto.
    Alguém mencionou o cenário medieval da história… pode ser só minha mente que funciona assim, mas pôr um monte de jovens no foco da história simplesmente “desfaz” essa ideia na minha cabeça…
    Sobre questão de magos/feiticeiros e “Aye”, há uma certa razão em cobrar mais fidelidade ao mangá original. Apesar de que, se eu não soubesse disso antecipadamente, feiticeiros ou magos, para mim, tanto faria (não saber exatamente a diferença entre os dois ajuda)…

    Duas coisas, p(a)ra terminar…
    A única coisa sobre gírias e neologismos que me incomoda é que… eu geralmente não ouço 80% delas. Ouvir/ler um “mano” é algo que parece forçado para mim, por exemplo.
    E…
    Eu tenho a sensação que, numa possível dublagem/adaptação do anime, o jeito como o mangá foi traduzido/adaptado cairia (quase) como uma luva…

    1. “Também poderia bater em outras teclas, como “meus filhos não podem ler isso, vão achar que é português” – levaria a debates bem parecidos como o de “você deixa a tevê educar seus filhos”, “não saber distinguir quando se usar cada português” e coisas do tipo, então não vou tocar neste assunto.”

      – Eu estava pensando em algo parecido alguns minutos atrás. Muito se fala em ter mais quadrinhos nas escolas e nas bibliotecas, mas um caso como Fairy Tail seria uma aberração numa sala de aula. Uma professora de portugues jamais poderia recomendar isso aos seus alunos.

      Num país onde se torce por uma inclusão mais de sua população aos quadrinhos, até mesmo por meio da educação, FT é uma afronta a tudo isso que muitos estudiosos pedem para que o gorverno dê atenção. Imagina, se vira moda e todo quadrinhos que tem um grupo de jovens a linguagem usada seja essa, excessivamente errada?

      É muito complicado isso. Eu concordo com vc, deve se usar uma linguagem acessível, mas não da forma como é em FT, exagerada e até forçada, como muitos disseram, parecem velhos tentando ser jovens…

  35. Não é pq o mangá é mais voltado para o público jovem ou os personagens do mangá são jovens que tem que fazer essa barbarie. Alguns não se incomodam mas, ler isso trinca meu cérebro. Não é pq os personagens são adolescentes que tem que fazer essas abreviações toscas, nem o autor faz isso. Até as scans na internet são escritas certo, não entendo essa desculpa. Reprovado com certeza!

  36. Gente…sei que vão falar um monte de coisa e tals…mas como a internet é livre eu escrevo meu comentário (claro que este pode ser apagado, mas estamos em um pais livre não, ;P)
    Acho que sinceramente, bom português para obras de bom português. Não é como se estivessemos lendo Camões ou Machado de Assis, é um texto traduzido voltado para as pessoas jovens. Claro que podemos afirmar ser uma visão esteriotipada dos jovens, mas mesmo assim….somos da geração do “vc”.
    Não estou diminuindo o conteudo do mangá nem nada (pq se fosse, precisaria de mais de um comentario), mas não acham que isso realmente é uma bobagem? Se preferem um português “decente” continuem baixando pela internet, mas se querem comprar o mangá, acostumem-se.

    1. Vixe existe uma larga escala entre o portugues normal e uma portugues de Camões ou Machado de Assis amigo. Seu parâmetro está alto demais… ninguém está dizendo que quadrinhos precisam se tratados perfeitos da linguá portuguesa… o que se está discutindo é se a informalidade demais não incomosa os leitores.

      O peso e a medida que você usou nesse seu exemplo está alto demais para os padrões do que se está discutindo como o bom portugues.

    2. Então devemos simplesmente aceitar esse trabalho porco, reclamar é errado… ok.
      Você mesmo disse que vivemos em um país livre ¬¬

      1. Sim disse, mas só reclamar tbm eh osso. E como eu disse, se o trabalho é porco; baixe.
        Agora quanto ao coitado do português, qual o problema de elevar os padrões da conversa, afinal não estamos discutindo o uso da lingua?

        1. “Sim disse, mas só reclamar tbm eh osso. E como eu disse, se o trabalho é porco; baixe.”

          Amigo são pensamentos assim que provam porque o Brasil não vai pra frente. “Ser o serviço é ruim, burle. Se vc não ganha o suficiente, roube. Se vc não acha o trabalho de tradução bom, baixe de graça.”

          Que isso!! O consumidor, fã, leitor, brasileiro tem mais é que colocar a voz pro mundo. Reclamar, fazer mutirão, mostrar para todo mundo a obscenidade que está acontecendo. Pode não dar em nada? Se não dá é porque ainda não teve reclamações o suficiente, e sabe porque faltou demando pra isso? Porque muitos pensa como vc. Vamos cruzar os braços pras merdas do país e usar os meios obscuros que existem por aí para se ter o que não temos.

          Para com isso!

          1. Credo que pensamento retrogrado….vivemos na era da internet, ao meu ver baixar não é roubar. Se não publicar videos do youtube, tbm seria um crime…..entende? Como diria Godard “Não existe propriedade intelectual” , mas isso é uma outra discussão.
            Acredito que esse tipo de pensamento que não leve o brasil pra frente (se eu me exacerbei antes imagine vc agora: roubar….beeeeeeem diferente)

          2. Nós pensamos que baixar não é roubar por que moramos no Brasil o país que não tem nenhuma lei séria contra crimes de direitos autorais para quem faz download. Mas tecnicamente é roubar sim a partir do momento que o que baixamos não gera nenhum lucro para os autores e empresas donas dos direitos de determinada obra.

          3. “Não existe propriedade intelectual”?

            Conta essa pro meu amigo Thomas Edison. Já ouviu falar de Copyright?
            Idéias são sim patenteáveis, e publicar vídeos de empresas ou pessoas sem a autorização das mesmas é sim um crime. Vê quanto tempo dura um vídeo não autorizado do CollegeHumor no youtube, por exemplo.

            Não que eu seja contra esses downloads. Caiu na net, é “da galera”. Só não adianta usar isso como desculpa pra ignorar os problemas aqui do mundo 3D.

  37. As palavras encurtadas pra parecer mais descolado eu relevo.. Por isso votei em não.. Até porque em Japonês eles tambem abreviam palavras e falam de vários jeitos que em português quando se traduz da forma culta de vez em quando fica meio descaracterizado da personalidade do personagem..

    Mas usar girias que são brasileiras, rimas em português, mudar letras de musicas pra rimar em portugues.. aquelas coisas do Yusuke, tipo: “Vou pro mundo que não me chamo raimundo!”

    Esse tipo de coisa sim me diminui um ponto do meu Qi..

  38. Cara acho que o problema dessa tradução tosca tem nome “Briggs” e claro a JBC tambem sendo incompetencia de colocar um cara que ja havia gerado polemica com seu trabalho feito em Tenjou Tenge e é o tp da coisa “nao cai um raio no mesmo lugar duas vezes sem um para raio (acho que era assim)”
    Tenjou Tenge tambem gerou problemas com tradução? -Sim
    Quem estava responsavel? – Briggs

    Eu nao conheço/nem colecionei a serie para realmente falar sobre o que houve cm o manga de Tenten so sei que mesmo a historia se passando em um ambiente urbano nao se justifica essas girias que somente minha vo usa

    Eu coleciono mais de 20 titulos atualmente e não me recordo de ficar tao incomodado (encomodado (?)) com uma traducao/adpatação

    O problema é que parece que o Briggs quer que o povo pense “ei olhem pra mim sou eu que estou traduzindo esse manga ” o resultado é o manga que estamos vendo cheias de piadinhas e girias que ele enche em suas dublagens D:

    Fora Briggs D:

    1. Concordo contigo,mas também não presisa deixar o coitado desempregado.Briggs é um bom dublador,ele sabe fazer muito melhor,só que ele não quer……quer saber fora Briggs. ‘- .-

  39. Quando eu falo sobre linguagem e texto com meus alunos, explico que existe o português de baixo calão (que usa gírias pesadas ou termos chulos); o português informal (gírias do dia-a-dia; expressões, palavras reduzidas; etc), o português técnico (específico de uma área) e o português formal (aquele chamado culto e usado em momentos mais tradicionais; comemorações; palestras; etc).

    Também explico, que como qualquer roupa; também adequamos a nossa fala ao ambiente que frequentamos. E em questões linguísticas, não existe uma fala correta. A tendência nas escolas é ensinar os jovens a saberem, quando precisam usar a linguagem formal. E isso, principalmente, em textos; porque queremos que as mensagens fiquem mais claras; sem ambiguidades. Porque dizemos, que aquilo que está escrito é algo que não se apaga (apesar que hoje em dia, acho essa verdade questionável com surgimento da tecnologia de imagens e vídeos).

    Muitas pessoas, por causa disso, aceitam a informalidade na fala (acham natural); porém, não a aceitam na escrita.

    Então, o que me incomoda na tradução no mangá; não é o uso da linguagem informal; mas sim o excesso dela e com certos personagens. Por exemplo, a Lucy foi muito bem educada; ela pode até ser informal em alguns momentos; mas ela não usaria de repente “cês”. E por causa desse excesso, parece que algumas situações são falsas.

    E quanto a usar quadrinhos em sala de aula; todos os textos podem ser explorados (mesmo o mangá da Fairy Tail); desde que o professor saiba fazer esse trabalho a respeito da linguagem; demonstrando prós e contras. É meio que um trabalho de análise e crítica.

  40. Sabe,o problema não é a editora,mas sim o indivíduo que ela contratou para a adptação e a tradução de Fairy tail.Tem muito mangá bom que a tradução está excelente,ex:Hunter x Huter,CDZ the lost canvas,FMA e xxxHolic.Então o problema é só fairy tail e não toda a editora.Muitos vão generalizar e dizer que todos os mangás da editora são ruins,mas não é verdade.O problema está só nesse mangá.Mesmo que ela ageite o problema o nome dela vai está manchado.

    1. O problema é a editora também, eu tenho quase certeza que eles sabem que o ser que está fazendo a tradução não tá agradando muita gente mas mesmo assim ainda ignora e deixa o cara lá. Se eles ligassem mais para as reclamações dos leitores não ficariam com o nome manchado.

      1. É isso também.Afinal,ela sabe o que está fazendo.O que eu quero dizer também é que não é para ganeralizar e dizer que todo mangá dela é ruim.Ela é uma excelente editora,só que as vezes ela peca em alguns mangás,como esse e em tenjjou tenge(infelizmente).

  41. Por mais que a tradução não incomode a todos, alguns deixam de comprar porque não toleram esse tipo de leitura (por exemplo eu)… Eu estava considerando comprar o mangá quando foi lançado, mas quando fizeram a postagem sobre a tradução aqui no Blog eu desisti… Como já mencionei em outro comentário, algum personagem em especifico ter esse linguajar e falar girias é normal, mas TODOS?

    Lembro de algumas hqs antigas do homem aranha que eu tinha e nelas continham histórias do Quarteto Fantástico também, nela o Coisa usa essa linguagem coloquial, mas por provavelmente ser uma caracteristica dele, os outros do quarteto “falam” normalmente… Lembro que o Rhino, vilão na hq do Homem Aranha, usava essa linguagem, mas era porque ele fazia o tipo ignorante que resolvia tudo na porrada… Isso é usar com moderação, agora abusar desse recurso acaba ficando de mal gosto…

    Veja as traduções dos scans brasileiros, sempre usando um bom português… A leitura fica agradável e de fácil entedimento…

    ABAIXO o miguxês, abreviações, escrita de orkut e msn nos mangás… Deve ser usado apenas com moderação!!!

    1. Desde que li que Fairy Tail chegaria ao Brasil pela JBC sabia que haveria cagdas mas não tantas…e é por isso que a cada dia que passa eu rezo mais para que quando Bakuman vier para o Brasil que venha para a Panini(se Air Gear vai chegar ao Brasil por eles posso sonhar que Bakuman também venha ao Brasil pela Panini) pois de todas as editoras brasileiras é ela que tem o trabalho menos ruim.

      1. Chega a dar um nervoso quando é a JBC que pega um mangá. Se eles não fizessem besteiras como essas, não haveriam tantas reclamações. Realmente uma pena Fairy Tail estar nessa situação.
        Ai, com Bakuman na mão da JBC só vai dar m**. Seria bom se fosse a Panini mesmo mas eu acho que tá longe ainda para Bakuman vir pra cá. Não custa nada torcer para que pelo menos pra esse mangá dê certo.

  42. É triste ver o descaso com o mercado de mangás no Brasil. Algo parecido já acontece nas adaptações de Bleach e Naruto, deu um rebuliço no começo… mas depois q a Panini colocou um FAQ impondo a utilização das onomatopéias ocidentais de to “ta ligado” ao Invés do classico e carismático “Dattebayo”, ngm mais falou mais nada mesmo me incomodando ainda e olha q pra mim a Panini é em uma distância de milhares de anos luz a melhor editora (fico feliz q Air Gear tenha ido pra Panini inclusive, não vejo a hora de colocar as mãos em um XD). Esses não são os unicos momentos de descaso com a qualidade de um mangá. Vale considerarmos a atrocidade que a Conrad fez/faz com os dela.

    E a reflexão que mais me vem a cabeça quando li os comentários (sim, eu li todos) é a de que fãs q não cobram nada fazem um trabalho melhor do que (pseudo) profissionais que ganham para isso. Isso é simples de esclarescer… não importa o que o cara q está lá na JBC faça, com esse tipo de trabalho está na cara q ele sequer se identifica com a área. Ele só está lá pra ganhar dinheiro e por isso TENTA ser ou imaginar um jovem mesmo sem nenhuma noção do que eles esperam ou leem criando um pré-conceito de popularidade falho.

    Pense naquela sua tia/sogra/cunhado barrigudo que assiste Datena escrevendo um post do Portallos tentando ser um jovem escrevendo para jovens. Qual seria o resultado? NOJENTO!

    Quando jovens que amam mangás fazem mangás para outros jovens amantes de mangás o resultado é completamente satisfatório. Essa é a dica para todas as editoras do Brasil, não só as de mangás, para adequar e pensar mais no consumidor. Elas tem muita sorte de não terem um concorrente capaz disso.

    Espero que alguem leia XD o//

    PS: PELO AMOR DE DEUS! Pode colocar a gíria que quiser, Ces, Ta, Tamos… mas POR FAVOR! O HAPPY NÃO PODE FALAR “É”… É “AYE!” “AYE!” (porr*) D=

    1. É mesmo, o Aye do Happy é essencial e aí eles tiram pra colocar “É”.
      E como você disse, realmente quando vem um tradutor fã de mangá, a tradução fica bem melhor.

  43. T_Thiago, o que vou escrever abaixo é só minha opinião pessoal, com meus conhecimentos prévios sobre o assunto. Como estudei sobre isso há pouco mais de um mês, acho que pode ser útil pra abrir a mente do pessoal. Sinta-se livre para discordar.

    Primeiro, uma consideração sobre a Língua Portuguesa:

    Brasileiros no geral tem uma forte tendência a achar que qualquer coisa que foge da variedade culta da língua portuguesa é errada. Essa idéia vem de anos de um ensino do Português nas escolas voltado para a língua portuguesa de Portugal. A gramática normativa brasileira, hoje, reflete muito mais as necessidades linguísticas de Portugal que as da língua falada no Brasil. Toda língua evolui, diariamente, assimilando elementos de outras culturas e novas palavras e expressões criadas pelos falantes, que buscam atender as necessidades de expressão da língua naquele país ou região. É por isso que em Portugal as pessoas ainda falam “Dê-me” e no Brasil falam “Me dá”. Errado? Não, só diferente. Mesmo assim, é senso comum em nosso país que, se fulano não fala/escreve exatamente como ensinam na escola, ele fala/escreve errado.
    Do ponto de vista da sociolinguística, não existe erro de português. O que existe são possíveis inadequações de uso de modalidades da língua. Explicando melhor: O uso de gírias em uma sessão do STF é inadequado, impróprio para o momento, mas a gíria em si não é errada. Ela é tão parte da língua quanto uma palavra presente em um dicionário. Por outro lado, um advogado utilizando linguagem própria para tribunais em um almoço de família seria tão inadequado quanto o exemplo anterior.

    Com base nisso, minha opinião sobre Fairy Tail:

    Terminei de ler o volume cinco ontem, logo depois de ler este post. Concordo que o uso de expressões coloquiais, gírias, abreviações e expressões populares está exagerado na publicação. Concordo fortemente com o que você escreveu aqui:

    “Não discordo, o problema é o exagero no qual os textos de Fairy Tail insistem nesse linguajar popular… o pecado aqui está no excesso.

    O jovem fala assim? É claro, mas não o tempo todo. E um texto pode muito bem passar a ideia de personagens juvenis, com uma comunicação atual e simples, sem apelar como os de FT apelam e exageram no portugues comido (metade das palavras acaba perdendo letras ou sílabas).

    Tem frases que parece que estou lendo textos daquele pessoal que escreve no orkut. Não dá…. tem que haver um equilibrio. Não poder ser formal demais, mas não dá para deixar ser o contrário demais. ”

    Achei o teor do seu comentário diferente do post principal. No post parece que você odeia qualquer fuga à norma culta do português. No post, você foi muito mais ponderado.
    Acho, na verdade, que isso é a resposta certa pra pergunta no título do post. Jovens falam assim, mas não o tempo todo. O mangá tem sim que ter esse tipo de expressão, mas não em 95% das palavras como a JBC tem feito. Não por que atrapalha a formação de jovens leitores (não atrapalha, só pra contar. atrapalharia caso todos os mangás do Brasil fossem publicados assim), mas porque é irreal. Praticamente ninguém fala como os personagens de FT tem falado. Mesmo os adolescentes mais jovens usam uma quantidade relativamente equilibrada de gírias.
    Eu odiaria ler FT com os personagens falando como adultos letrados e cultos sem meia expressão coloquial. Mas não estou gostando do jeito como falam agora, parecendo que só conhecem expressões coloquiais. Acredito que assim que a JBC encontrar o equilíbrio, FT vai se tornar uma leitura confortável.
    Mas, no fundo no fundo, não me incomoda.

    O que vocês acham? Qualquer pergunta sobre o lance da sociolinguística e afins, sintam-se a vontade para perguntar.

    PS: O Happy, definitivamente, tem que falar AYE!
    PPS: Recomendo um livro chamado “Preconceito Linguístico”, do Marcos Bagno. É barato, fino e tranquilo de ler. Vai mudar a visão de quem ler sobre este assunto.

  44. falando em traduções
    na ultima edição do naruto, fui seco ler a declaração da hinata e colocaram:
    Eu gosto muito de você, Naruto!

    em todas as scans eu li que ela falava que amava o naruto!
    alguem sabe se foi erro dos scans ou foi uma suavizada para a mulecada achar que é um lance de amizade?

    1. Cara pior que ficou melhor assim tirou um pouco da dramacidade do momento e tals poreem …

      O Naruto meio que ignorou ela depois (kishimoto filho da puta)

      Talvez os Scans que tenham errado sei la

      1. tbm acho rsrs
        a mina se declara daquela forma e o naruto nem vai conversar com ela depois
        depois nao pega a sakura
        agora pergunta se ele quer deixar o sasuke pra la?…..
        esse menino é esquisito ahuhauhua

    2. Bom, ela falou que ‘ama ele’ realmente. Até onde eu sei não foi erro das scans não. Os caras suavizaram isso aê mas nada a ver, todo mundo sabe que ela gosta dele de verdade, mais do que ‘gosta’ né. xD

    3. Ela falou que o amava mesmo pro Naruto, senão tudo oque ela fez pra ele durante o mangá inteiro teria sido em vão.
      O trabalho das scans brasileiras é bem melhor que os das editoras xD

      1. O que a Hinata fez pelo Naruto durante o mangá inteiro? Tirando ela oferecer a pomada no exame chuunin não lembro de mais nada… ela e Sakura em termos de comparação não saiem do empate em coisas que já fizeram pelo Naruto.

        1. isso eu ja nao concordo
          so de pensar no naruto ela ja fez muito mais que a sakura!
          que só pensa no emo desgramado
          e a hinata sempre acreditou, apoiou, torceu e agora defendeu o naruto
          para uma pessoa que é ignorada pela vila, o que a hinata sentia por ele é muita coisa rsrs

  45. Realmente está sendo publicado de uma forma ofensivamente errada. Tipo, discordo em partes na parte de “usar um português muito formal”, acho que deveriam deixar essa parte para aqueles que tendem a falar dessa forma (geralmente personagens mais velhos), mas há uma grande diferença entre isso e uma abreviação tão informal. Ainda sim acho que você exagerou um pouco na parte do ” em fase de formação e estudando a língua”, todos sabem o que é certo e o que é errado nessa questão, acho que até mesmo com uns 8 ou 10 anos.

  46. meio atrazado, nem sei se vão ler isso. Cês, cê, tamos… isso tudo me incomoda, mas não é um problema de hoje e nem exclusivo dos mangas, inclusive, eu tinha esse problema com HQs antigas… agora Não vejo problema no uso de girias, e linguagem mais informal.

  47.  Bem, eu acho que, o uso exagerado desse tipo de linguagem é péssimo. Mas, acho que ainda há tempo da JBC corrigir esse erro. Me lembro que a Panini publicou uma segunda edição os volumes de 1 a 6 do mangá Naruto, corrigindo alguns erros (que não lembro quais eram). Quem sabe a JBC decide fazer o mesmo?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.