Lendo

Nas Bancas | Disney Gigante é fantástica! Fotos! (Extra: Entrevista Paulo Maffia – Conclusão!)

A primeira vez que comentei aqui no blog sobre Disney Gigante gerou um hype até que inesperado (veja aqui). E é tão refrescante ver algo original, diferente e ousado sendo feito hoje em dia. Alguns podem achar exagero da minha parte, mas desde criança quadrinhos Disney pra mim reflete em duas coisas: formatinho e cores. Disney Gigante não tem nada disso. Ela tem 240 páginas em formatão (21cm x 30cm) e os quadrinhos são preto e branco e o papel lembra demais o utilizado nos mangás, um formato que é altamente popular hoje em dia. É um formato diferente do habitual desde universo. Vai ter gente estranhando, vai ter curiosos querendo saber como ficou, vai ter quem curtiu e vai ter quem acha que sem cores não tem graça. DG estréia no mercado de quadrinhos brasileiro para ser polêmico, para mexer um pouco nesse marasmo editorial que existe hoje em dia. Disney sempre foi significado de HQs para crianças (ainda que esse concetio seja muuuuito errado, mas difícil de convencer as pessoas). Hoje comprei a primeira edição, que supriu as expectativas que estava sobre ela. Me apaixonei à primeira vista, e já estou desejando que a segunda edição venha o quanto antes (e me preocupo em ter que esperar 6 meses pra isso).

Enfim, após o continue mais alguns detalhes de Disney Gigante, uma galeria enorme de 24 fotos, comparando o tamanho dela com mangá, com HQs normais, com cores e sem cores, com closes dos quadros, com as histórias da edição, tudo que me veio na cabeça na hora de fotografar a bendita. E também a conclusão da entrevista com o Paulo Maffia, editor dos quadrinhos Disney na Editora Abril, agora falamos um pouco mais das mensais, dos especiais programados e de algumas polêmicas. Perdeu a primeira parte da entrevista? Basta clicar aqui. Se você já leu, é só continuar após o continue!

Disney Gigante – Primeiras Impressões!

É difícil descrever Disney Gigante em fotos ou pela internet, a impressão que tive ao vê-la na banca foi é meio inexplicável. O formato é maior do que as HQs da Panini de Marvel e DC, em volume de páginas muito mais, com direito a lombada quadrada (muito bem colada por sinal). O traço em preto e branco não é como os mangás, estes são concebidos para serem sem cores, quadrinhos Disney não. Mas é um meio antes da finalização e é interessante ver os quadrinhos nesse formato, ainda mais porque segundo o editorial (imagem acima) o formato é inspirado quase no tamanho da prancha de desenho dos desenhistas, ou seja, inicialmente as HQs são arte-finalizadas nesse tamanho. Ver as HQs nessa forma permite aproveitar o máximo do traço do desenhista e como a primeira edição traz vários desenhistas famosos e HQs com décadas de diferenças, é percebtível as nuances entre cada um e de cada tempo em que foram produzidas. É uma degustação muito interessante.

Não supera as HQs em cores? Talvez não, mas não fica muito atrás. A HQ sem cores ganha na riqueza do traço, seja nos objetos em cena, nos cenários trabalhados ou nas feições dos personagens que se destacam pelo tamanho dos quadros graças ao formato da revista. Não vejo problemas em ler HQs Disney sem cores e não acho que quem curte elas com cores deva se sentir ameaçado com a revista, afinal, ela não vem para substituir as revistinhas em cores ou até mesmo o formatinho. Disney Gigante é para ser algo a mais, um extra diferencial dentro da linha atual da editora. Dito isso, faço muitos votos para que a publicação faça sucesso e que ganhe novas edições.

O papel da revista se assemelha bastante aos dos mangás. Não é branquinho como Clássicos da Literatura ou Disney BIG. Talvez seja um pouco melhor, é difícil dizer já que trata-se de editoras e formatos diferentes. Mas assim “de olho”, me parece praticamente igual aos dos mangás. A impressão do preto dentro da revista também está ótimo, tem umas duas ou três páginas que parece que ele perde um pouco a tonalidade, principalmente quando tem muitos quadrinhos escuros, mas ainda assim não é nada que seja notável ou que estrague a leitura.

A temática do volume são os vilões e nisso toda a seleção de histórias merecem nota 10! Não espero encontrar Tio Patinhas, Donald ou Mickey em demasia na revista, todas as tramas de DG#1 realmente focam nos vilões: Mancha Negra, Bafo e Metralhas. Os mocinhos fazem pequenas aparições aqui e ali apenas, isso quando aparecem. Talvez a exceção seja Os Senhores das Marés, a única HQ que não é inédita no volume, que começa com Mickey e Pateta como destaque, até mesmo a primeira O Retorno do Mancha Negra, coloca o Mancha em perspectiva como um dos maiores vilões do Mickey e tem um espaço enorme. As HQs dos Metralhas também me parece ótima, ainda que o Patinhas só apareça na primeira página. As duas HQs solos do Bafo também superaram as minhas expectativas, mostrando o bandido em seu auge, como vilão mesmo. Já a última, talvez a melhor HQ do volume, coloca provavelmente o melhor desenhista do estúdio italiano Disney para mostrar um dia na vida do Mancha Negra! Lembrando que o Mancha sem seu clássico manto negro, tem as feições de Walt Disney, uma homenagem sempre nostálgica do criador de tudo essa universo maravilhoso de personagens.

Disney Gigante parece ótimo para um público bem diversificado. Quem é fã dos quadrinhos Disney, vai ter a curiosidade de ver como são as HQs sem cores, ainda que as prefira com cores. A criançada vai adorar uma revista com 240 páginas para torrar seus lápis de cores. A galera que adora um mangá também pode despertar uma curiosidade enorme em ver esse universo, muitas vezes prejudicado pelo pré-conceito de ser infantil demais, agora que as HQs de uma certa forma lembram o estilo dos quadrinhos japoneses (ainda que seja totalmente errado classificar ou até mesmo comparar com os mangás). De qualquer forma, é uma publicação que instiga a dar uma olhada e ver o resultado.

Só para terminar, tema questão do preço: R$ 14,95. Muito caro? Não acho. Um mangá da Panini e da JBC tem aproximadamente 200 páginas e custam em torno de R$ 10 e são em formatinho. Gigante tem 40 páginas a mais e é o dobro do tamanho físico dos mangás, ou seja, é 2x maior, com mais páginas, mas só custa em torno de 5 reais a mais. É um preço justo pra mim. A revista Universo DC da Panini com 150 páginas coloridas e em formato americano custam R$ 14,90. E como Disney Gigante dificilmente se tornará uma revista mensal (acho que trimestral seria o ideial), não é um valor caro a se investir numa coleção.

Agora é torcer por boas vendas e que isso permita a criação de Disney Gigante #2! Fiquem com a galeria:

Extra: Bate-papo com Paulo Maffia! [Conclusão] (Editor dos Quadrinhos Disney na Abril)

Chegou a hora de concluir a montanha de perguntas que mandei ao Maffia para a entrevista. Como já informei, quem perdeu a primeira parte dela, o link está aqui. Nesta segunda parte as perguntas são focadas em outros assuntos que ficaram de fora da primeira parte. Claro que gostaria de ter perguntando mais coisas, assim como houve perguntas que acabaram não sendo respondidas (algo que já esperava até, mas o Paulo respondeu muito mais do que achei que ele iria aguentar responder). Existem algumas respostas que talvez não satisfaçam todos os leitores, o que é normal pois nunca estamos satisfeitos (e não acho que seja algo negativo esse fator). Claro que gostaria que o Maffia tivesse dado mais detalhes e maiores explicações, mas fomos até onde foi possível, sem causar qualquer tipo de mal estar. Perguntas cabelucas são sempre complicadas, porque as vezes são interpretadas de forma erradas, ou até mesmo questões que a própria política de uma editora não permite que se discuta com o leitor (eu já vi isso em outras editoras). Então fui até onde consegui. Assim como a primeira parte não teve nada bombástico, acredito que essa também não tenha, mas é bom ver algumas curiosidades dos bastidores do mundo editorial Disney. Quem sabe numa próxima vez, a gente deixa de lado estas questões de “mimimi” dentro das publicações Disney e possamos discutir outras curiosidades sobre o processo de seleção e escolha de HQs e coisas desse tipo de filosofias editorias.

Sobre as mensais…

TMT: [Pato Donald] Marco Rota continua agora regularmente na revista do pato por mais um bom tempo?

Maffia: Sempre que possível estaremos trazendo material novo do Rota. Sou um dos maiores fãs dele, acho o desenho dele espetacular e se depender de mim publicaremos o que ele produzir!

TMT: [Pato Donald] William Van Horn vai retornar a bater cartão na revista, voltará apenas regularmente ou entra de férias por um tempo?

Maffia: O William Van Horn já esta com mais de setenta anos, e eu tenho notado que por causa disso a produção dele deu uma diminuída (não de qualidade, mas de quantidade), mas o que ele produzir a nós publicaremos

TMT: [Zé Carioca] Urtigão continua marcando presença na revista, certo? Existe a posibilidade ver as HQs da série “Zé no Brejo” e “Urtigão in Rio” saindo cronologicamente na revista mensal, nos moldes como está sendo feito com Comando Laser?

Maffia: Sim claro, nada contra.

TMT: [Zé Carioca] As HQs com o visual reformulado em 1994 do Morcego Verde, podem ser republicadas? Recentemente a BIG trouxe uma HQ dessa fase (DB#8: “ACácio: o bandido chocante”). Porém, o melhor dessa fase são histórias como “O Cavalerio das Dívidas” e “A Piada sem Sal”. Estas HQs podem sair novamente? Seja na mensal, no almanaque ou em BIG?

Maffia: Acho uma material excelente, tanto “O Cavaleiro das Dívidas” como “A Piada sem Sal” poderiam sair em um especial, que sabe em uma edição do Almanaque do Zé. É uma questão de se pensar.

TMT: [Mickey] A edição de dezembro do camundongo trouxe a HQ “Neve Colorida” onde apresentou aos leitores brasileiros o vilão criado por Casty chamado Pegadinha. Entretanto a HQ de origem do vilão permanece inédita por aqui. Há planos para traze-la para cá? (HQ: Topolino e il magnifico Doppioscherzo)

Maffia: Sim claro, nada contra.

TMT: [Mickey] E o Indiana Pateta? Você que tem contato com e-mails e cartas dos fãs… eu sou o único fã de carterinha do personagem? XD – Por que fico muito triste de ver apenas uma HQ inédita do personagem por ano na revista mensal do Mickey. Não dá para aumentar essa média? E a HQ de origem, ainda inédita no Brasil?

Maffia: O único fã eu não diria, mas o mais apaixonado, sem duvida!(hahaha) Agora com a nossa linha de publicações crescendo, é lógico que o Indiana Pateta deve pintar mais por aqui. Sobre a HQ de origem do personagem, já recebi um “pedido” do meu diretor para que ela seja publicada aqui no Brasil finalmente, só estamos bolando qual a melhor maneira de fazer isso.

TMT: [Mickey] Tirando Casty, tirando Indy, tirando as HQs curtas produzidas na Dinamarca, alguma grande HQ do Mickey vindo para o Brasil de algum outro artista? Parece que não há muito espaço paras HQs da série “Maquina do Tempo”, não acha?

Maffia: Discordo, há espaço para tudo, por exemplo, no segundo volume de Disney Gol termos uma HQ inédita da série “Maquina do Tempo”, com mais de 70 páginas, é uma questão de oportunidade e necessidade.

OBS: A HQ que o Maffia se refere provavelmente é: Il mondiale scomparso de 1998 (Inducks)

TMT: Ah sim, como a CLD, que trouxe um monte de inéditas desta série. Mas eu estava me referindo exclusivamente a revista mensal do personagem. Ou você acha que essa série, em específico, não combina muito com a mensal do personagem na linha editorial atual?

Maffia: Acho que a série “Maquina do Tempo” tem tudo haver com a linha editorial da revista do Mickey. O problema é que atualmente, as HQs do Mickey passam por uma fase excelente em se tratando de qualidade de roteiros, e não estou falando só de Casty, então eu costumo dar prioridade para HQs recentes, deixando as mais antigas para os especiais.

TMT: [Tio Patinhas] As duas HQs, puladas na cronologia de Donald Duplo, irão sair mesmo em Tio Patinhas? Existe a previsão de quando sai? (HQs: Prima Della Prima e Souvenir de Paris)

Maffia: Ainda não há previsão, estou esperando que seja confirmado um novo especial do agente, para que eu programe estas duas HQs para a revista do Tio Patinhas, como uma espécie de “esquenta” do especial.

TMT: [Tio Patinhas] Já existe data certa para quando estréia na revista do Tio as HQs do Ducktales da Boom Studios? E aquelas antigas e ainda inéditas HQs do Peninha?

Maffia: As antigas e ainda inéditas HQs do Peninha devem começar a sair muito breve. Já Ducktales da Boom Studios a coisa é mais complicada: A Boom já atrasou o lançamento do primeiro número (que era para a última semana de abril, e acabou saindo dia 21 de maio), e existe um forte boato no mercado que a licença deles com a Disney só vai até julho, então, para não termos supresas desagradáveis, num primeiro momento estou planejando a estréia para a edição de dezembro do Tio Patinhas (como um presente de natal para os leitores). Em tempo: já tive a oportunidade de ler o primeiro numero, e gostei muito!

TMT: [Tio Patinhas] Saudades de histórias inéditas da Maga Patalógika versus Tio Patinhas. Tem alguma da personagem programada para sair nos próximos meses?

Maffia: Sim!

Sobre Especiais…

TMT: Pateta Faz História – Coleção Completa! Já existe previsão de lançamento? Sai em 2011 ainda?

Maffia: Pateta Faz História começa em julho, com 20 edições semanais no exato formato de Clássicos da Literatura Disney . O Brasil será o segundo país do mundo a ter a série completa reeditada, depois da Alemanha. Mas com um diferencial: O último volume trará a gênese de Pateta Faz História: a publicação completa das HQs produzidas entre 1965 e 1966 parodiando livros, lendas e mais (uma série conhecida como Teatro Disney, desenvolvida por mestres como Paul Murry e Tony Strobl, entre muitos outros).

Obs: Não chega a ser uma notícia bombástica a resposta acima, pois dias atrás o Planeta Gibi já havia revelado estas informações sobre a coleção do Pateta (veja aqui). Mas eu mandei essa pergunta antes do anúncio do Planeta Gibi (senão, não teria feito é claro). Até iria tirar da entrevista, mas como oficialmente não comentei sobre ela por aqui, resolvi deixar.

TMT: Donald Duplo, Disney Gol, Disney Gigante e agora essa regularização dos almanaques, Big bimestral e duas novas mensais. Depois de tudo isso, ainda tem mais espaço para edições especiais das publicações Disney? Existe medo de saturar o bolso dos leitores?

Maffia: Sempre existe o medo de saturar o bolso dos leitores, diferente de outras editoras de quadrinhos, não acho legal cobrar mais de cem reais por uma edição, mesmo sendo “ de luxo” ou por vender em livraria. Quadrinhos para mim tem que ser uma coisa relativamente barata. Respondendo a sua pergunta, por causa de Pateta Faz História, não devemos lançar especiais no segundo semestre de 2011.

TMT: Foi mencionado várias vezes desde o ano passado o tal encadernado especial do Morcego Vermelho. Será que sai em breve? Está entre os próximos especiais ou ainda teremos que esperar um pouquinho mais? Será um volume único?

Maffia: Este especial não deve sair mais este ano. Estamos reavaliando como e quando ele deve sair.

TMT: Disney Treasure (revista + DVD) é outra coleção que os fãs pela internet não esquecem. Ainda existem planos de lançamento dessa coleção ou acabou engavetado?

Maffia: Esta coleção tem uma negociação complicada, então ainda não temos uma data definida!

TMT: E aquele “Disney Essencial”? Continua no forno para os próximos anos?

Maffia: 2012.


TMT: Já teve contato com um encadernado recém lançado na Itália chamado “Disney Fantasy“? Senão me engano serão 4 volumes (400 páginas) recheadas com HQs desse gênero Fantasia (Magos, Dragões, Cavaleiros e Lendas). Esse é um gênero que as vezes não tem espaço no Brasil devido ao grande número de páginas que estas epopéias italianas possuem e nossas revistas são pequenas em numero de páginas. Mas existe alguma chance de dividir alguns volumes italianos e lançá-los no Brasil ou talvez algum especial seguindo essa ideia de HQs de Fantasia?

Maffia: Por enquanto não há planos para essa publicação.

TMT: Ok, mas já que estamos nesse tema, HQs de fantasia, qual a sua opinião sobre elas? Porque elas realmente são diferentes das HQs normais dos personagens Disney. Por exemplo, eu sei que muita gente até hoje não consegue esquecer a excelente “Espada de Gelo”, um clássico das HQs, que saiu uma única vez no Brasil, em 1985, na Natal de Ouro #7. Você não acha que elas possuem uma certa “mágica”, além das HQs normais?

Maffia: Não ligo muito para o gênero da HQ (fantasia, humor, FC, etc), para mim o importante é ter um bom roteiro. Dentro desta linha, de Fantasia, existe, HQs, excelentes, e algumas não tão boas. É tudo uma questão de seleção.

TMT: O Mistério dos Signos foi uma vez considerado a republicação, depois foi desconsiderado, e agora no começo do ano, devido a belíssima edição italiana Tesori Disney, a série foi considerada novamente sair no Brasil. Desta vez Mistérios sai mesmo? Já existe a previsão?

Maffia: Também esta programada para 2012.

TMT: Uma das mais famosas coleções européias de quadrinhos Disney é a “Hall of Fame“. Existe alguma possibilidade de algum dia essa coleção vir para o Brasil?

Maffia: Esta coleção, infelizmente, não será publicada no Brasil.

TMT: Donald Duplo foi resgatado da extinta Aventuras Disney, existe planos de resgatar Os Mágicos de Mickey? Porque ainda há HQs inéditas dessa série…

Maffia: Por enquanto não há planos para isto.

Sobre algumas polêmicas…

TMT: Eu tenho duas perguntas relacionado a datas. Vou devagar nesta questão. Primeira a mais simples. Agora que a Distribuição Setorizada acabou, as revistas Disney voltarão a trazer no expediente da revista, a data de lançamento delas?

Maffia: Sim, as datas estarão já nas edições de junho. Simples assim!

TMT: A outra questão sobre as datas, agora é relacionado ao ano de produção das HQs. A revista do Zé Carioca é a única que informa ao leitor quando a HQ foi produzida. Porque essa linha editorial não é utilizada em outras revistas, em especial as de republicação, como os Almanaques e BIG?

Maffia: Nos especiais, como CLD e outros sempre vem essa informação, só não vejo motivo para gastar tempo e trabalho colocando esta informação nos Almanaques ou Disney Big (para essas publicações, na medida do possível, podemos responder estas dúvidas nas nossas seções de cartas).

TMT: Outra questão que sempre gera muito barulho entre grupos de discussão na internet é a respeito da Almanaque Disney. A Editora Abril até tentou nesta década retornar com a revista. Mas infelizmente não deu certo, e até hoje tem quem peça por seu retorno. Você acha que o modelo editorial da Almanaque Disney ficou ultrapassado?

Maffia: Não sei se está ultrapassada, mas no momento, não temos nenhum plano de trazer a publicação de volta. Alias isso nunca esteve nos nossos planos. Diverti-me muito no final de 2010, com leitores afirmando que era 100% certo a volta da publicação.

TMT: Atigamente as revistas costumavam trazer, ao lado dá página de expediente, tirinhas Disney, aquelas com 3 ou 4 quadros. Por que a Abril parou de publicar as tirinhas?

Maffia: Hoje, os expedientes de todas as revistas do Grupo Abril são padronizados, o que impede a publicação das tirinhas Disney.


TMT: De uns dois anos para cá, o mercado brasileiro parece que voltou a dar um pouco mais atenção a estes quadrinhos em tiras ou de HQs de uma página. Editoras como a da Turma da Mônica, ou até mesmo a linha de Pockets da LPM apostam nesse segmento e parece que vem dando certo. A Editora Abril não pensa em algo assim? Uma nova revista (ou coleção) apenas com tiras de 3 quadros ou de 1 página inteira, principalmente aquelas clássicas do Al Taliaferro ou do Floyd Gottfredson?

Maffia: Não temos planos para isso no momento.

Obs: A tirinha acima, peguei “emprestada” lá no Blog Esquilos Scans. 😉

TMT: Há planos para se aprimorar o portal na web da linha de quadrinhos Disney? Não digo em relação aos personagens (porque provavelmente isso caberia a Disney mesmo), mas em relação as revistas. Um portal onde os leitores possam comentar sobre as publicações, possam ser visualizados prévias das edições nas bancas e talvez, um pouco sobre a história dos quadrinhos Abril/Disney. O que falta para isso acontecer por aqui?

Maffia: Nosso site segue as regras do nosso contrato com a Disney. O resto caberia a Disney mesmo.

TMT: A Abril anda ampliando seu portofólio de revistas para o meio digital (a Veja já tem assinatura somente digital). Existe alguma negociação com a Disney para se trazer a Disney DigiComics (http://www.disney.co.uk/digicomics/) para o Brasil?

Maffia: Não temos planos para isso no momento.

TMT: Para terminar, não farei uma pergunta agora. Só gostaria de agradecer, Paulo, pela gentileza em dar esta entrevista. Acho que esse contato, atenção e carinho que você tem com os fãs dos quadrinhos Disney hoje em dia contribui e muito para essa fase saudável que as revistas estão passando. Qualidade é importante sim, mas saber que os leitores podem mandar sugestões, assim como criticas e saber que estão sendo ouvidos é algo que só faz termos mais e mais respeito por quem faz as revistas e a apoiar o mercado. Então fica esse espaço para você mandar uma mensagem para todos os leitores Disney:

Maffia: Gostaria de agradecer o apoio de todos os leitores da Disney no Brasil. Abraços !

Lembrando pessoal que qualquer um pode entrar em contato com a Editora Abril para mandar sugestões, elogios ou críticas. O e-mail é disney.abril@atleitor.com.br! E até o próximo post Disney aqui no Blog!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.