JogandoSeriados

Como seria uma série de Starcraft? [Imaginação]

Meus amigos dizem que eu tenho a imaginação fértil, e eu concordo inteiramente com eles. Já criei várias “obras” na minha cabeça, desde animes a filmes e seriados, só na imaginação, principalmente quando era menor. Não, eu não sou doido, apenas não conseguia evitar que minha mente começasse a trabalhar com roteiros e cenas de ação quando não tinha nada pra fazer, no banho, no sofá de casa, deitado… Hoje em dia estou bem mais ocupado, mas vez ou outra eu continuo pensando e amadurecendo as idéias para começar a escrever meu próprio livro.

Pensando sobre esta questão de criatividade e tal, resolvi fazer esta coluna que debate como seria o elenco (cast) de determinada adaptação para série ou filme de alguma obra literária ou gamística. Muitas pessoas já devem ter pensado nisso, tem atores que são a cara de personagens, seja fisicamente ou no próprio jeito, e se não pensaram por este ângulo, talvez tenham imaginado como aquela história ficaria encaixada na película de um filme ou numa série.

Estreando a coluna, resolvi pegar o grande clássico Starcraft e teoricamente imaginar como seria uma série com o seu nome. Estejam avisados que o post conterá revelações sobre o enredo do primeiro game e sua expansão, portanto, se não for alérgico à spoilers, acompanhe o resultado se você

Primeiro de tudo, porque um seriado e não um filme? Acredito que por ter uma história bem extensa em suas seis campanhas (original + Brood War, a expansão), fora os eventos anteriores, ficaria de certa forma muito resumido e a história acabaria correndo rápido demais sem criar muita chance para admnistrar a característica e nuances de seus personagens.

Pensei em dividir a história em temporadas, sendo que a primeira introduziria os personagens principais(pelo menos a maioria) e contaria de forma mais aprofundada a primeira campanha do game. Seguindo a onda de temporadas curtas, acredito que dez episódios são mais que suficiente para contar a trajetória de Raynor de Marshall ao rebelde que luta contra a força da Confederação.

Antes de mais nada, vamos escalar o cast desta grande obra televisiva e ver como vai ficar o resultado:

Marshall James “Jim” Raynor – O boa praça Jim viu sua vida mudada ao ir de frente contra as regras da Confederação e destruir um centro de comando infestado pelos Zergs. Ele se alia à organização rebelde chamada de “Os filhos de Korhal” liderada por Arcturus Mengsk. Raynor tem um passado muito rico antes dos eventos do próprio Starcraft, quando lutava ao lado de Tychus Findlay e antes de se tornar Marshall, passado este que seria muito interessante ver representado na série por meio de flashbacks.

O Jim Raynor do primeiro jogo em termo de visual é totalmente diferente do Jim do segundo game, parece que de alguma forma ele faz com que mais cabelos nasçam de sua cabeça e dá uma repaginada total em suas feições. Até parece outra pessoa! O que a guerra não faz com um homem? Para escalar o ator, optei por pegar inicialmente alguém parecido tanto com o primeiro Jim, aquele mais calvo, mas de uma forma que mais para frente, depois do salto de tempo, ainda seja parecido com o Raynor que a galera conhece de Starcraft 2.

Michael Rosenbaum, o eterno Lex Luthor seria um bom Raynor. O ator sabe alternar entre aquela interpretação mais intelectual para momentos de drama. Acredito que em Smallville ele acabou sendo o grande nome do elenco, e não acho que em Starcraft possa ser diferente.

Sarah Kerrigan – Kerrigan teve uma mudança um pouco notável também entre versões, mas a da primeira simplesmente era muito feia. Prefiro mesmo a Sarah do segundo game, que podemos ver perfeitamente na foto que Raynor carrega durante o jogo. Sarah foi integrante do grupo de Fantasmas da Confederação, e depois seguiu Mengsk se tornando a segunda em comando nos Filhos de Korhal e ao encontrar com Raynor seu interesse romântico. Kerrigan é capturada pelos Zergs e se torna a auto-proclamada Rainha das Lâminas, um dos mais mortais inimigos de Raynor, seu antigo amado

Alyson Hannigan é a atriz perfeita, a Lily de How I met your mother que também trabalhou em American Pie e Buffy sabe interpretar bem momentos emotivos e dramáticos (quem assiste o sitcom da CBS sabe do que estou falando) e não é só voltada para o lado cômico. Sem falar que sua beleza encheria a tela, sem contar de ser muito parecida com a Sarah dos games.

Arcturus Mengsk – O homem que é sinônimo de terror e que cuja existência representa aquela famosa frase que “Os fins justificam os meios”. Mengsk é um homem violento que não deixa que nada fique em seu caminho, mas sem perder o charme e a inteligência. Um arquétipo perfeito de vilão, um grande personagem.

Jeff Bridges com certeza é o nome certo para Mengsk. Pô, dá uma olhada nos dois, são idênticos, sem contar que o Jeff Bridges sabe interpretar perfeitamente o tipo de personagem que Mengsk é, aquele tipo manipulador que não mede esforços para atingir seus objetivos.

Edmund Duke – Duke é um dos generais da Confederação e comanda o Esquadrão Alfa, autoritário, e militarmente experiente, ele defendeu Tarsonis em mais de trinta batalhas no passado. Se aliou à Mengsk depois de ter sido salvo por ele, e juntos lutaram pela queda da Confederação.

P.S – Desculpem a imagem pequena de Duke, é a única possível de se encontrar. Isso porquê só conhecíamos o rosto dos personagens através de suas pequenas fotos na interface de controle ao se selecionar a unidade. Mas dá pra ter uma idéia mais ou menos de como ele é né?

Alan Dale, o Charles Widmore de Lost parece ser um bom indicado para o papel, são parecidos e pelo que Alan interpretou em Widmore, sabe ser um personagem autoritário e rígido, coisa que o Duke é e sobra.

Tassadar – Tassadar é um dos High Templar(decidi não traduzir) e Executor responsável pela frota expedicionária que encontrou os Zergs pela primeira vez Interessado pelo poder dos Dark Templar, fez uma aliança deles com Aiur de modo a ajudarem na guerra contra os Zergs e o Overmind(Super Mente).

É difícil escalar um ator para fazer Tassadar, quando o mais indicado seria usar um dublê e criar o personagem através de computação gráfica mesmo. O personagem não aparece durante a primeira campanha, mas se faz a necessidade de ele ser introduzido ainda na primeira temporada pela importância que ele tem em todo o decorrer da história.

O elenco principal está escalado, pelo menos os que vêm direto do game. Mas uma série não se faz com tão poucos personagens como mostrados acima. Claro, que outros secundários acabam sendo inseridos no enredo nos mais diversos núcleos. Raynor, seja quando era Marshall, ou quando era rebelde dos Filhos de Korhal, teve sua equipe de soldados, e acho que se isso fosse bem explorado nas telas, essa idéia de companheirismo, ficaria muito legal. Me lembro daquela série das antigas, Tropas Estelares, onde cada personagem do grupo tinha suas próprias características. Outro núcleo que poderiam ganhar mais personagens é o da Confederação, porque no game pouco é falado sobre ela, e a única face que realmente se destaca ali era a do general Edmund Duke, tanto que quando ele saiu dela, a Confederação ficou meio sem identidade, sem alguém para representar o que é a organização. Além disso ainda, na cronologia de Starcraft existem outros personagens que não foram citados no game, mas que existiram e podem ser aproveitado também de forma satisfatória.

Elenco escalado, vamos à contagem de episódios. Como disse, dez episódios devem ser suficientes para contar a trajetória de Raynor, Sarah e Mengsk durante sua rebelião contra a Confederação. É possível notar três grandes momentos que permeiam toda a primeira temporada, o início, o momento em que Jim vira rebelde, e o momento em que Jim decide se virar contra Mengsk, após os eventos do desaparecimento de Kerrigan. Pensando nisso a divisão dos episódios tem de ser feita de uma forma em que nem o telespectador fique muito perdido, e nem o seriado fique muito arrastado, tá aí o porquê de dez episódios serem o ideal.

 

Episódio 01 – 02 – O início

Raynor e seu bando são introduzidos. É mostrado a afinidade que o Marshall tem com sua arma e sua moto (a vulture), paralelo à isso, os Protoss liderados por Tassadar esterelizam a superfície do planeta Chau Sara para conter os Zergs que ameaçam se expandir. Raynor é confrontado pelos zergs pela primeira vez, e desobedecendo Duke, destrói um Centro de Comando infestado por zergs. Raynor é preso por Duke na nave-prisão de Merrymake e logo depois resgatado para ser recrutado para os Filhos de Korhal por Arcturus Mengsk.

Episódio 03-08 – Os Filhos de Korhal

Raynor é designado para liderar o grupo mais novo dos Filhos de Korhal, nomeado não-oficialmente como “Raynor’s Rangers”. Ele conhece pela primeira vez Matt Horner, um homem dotado de fortes princípios morais e que mais tarde viria a ser um grande aliado seu. Depois Jim invade a Instalação Jacob para recuperar o que pareciam ser designs de armas que estavam sob o comando da Confederação e descobre que os confederados estão mantendo os Zergs em segredo para pesquisas enquanto ocultando a sua existência para as outras pessoas. Então Raynor conhece Sarah Kerrigan e juntos eliminam a presença confederada em Antiga Prime, colônia que estava na eminência de uma revolução mas estava sendo suprimida pelo Esquadrão Alfa, de Edmund Duke. Raynor se torna mais próximo de Sarah adquirindo novos laços.

Em meio a isso tudo, a nave do general Duke, a Norad II é abatida por Zergs, e Raynor contra a sua vontade, mas mandado por Mengsk corre para salvar Duke antes que os Zergs façam dele e seus soldados o prato principal. Logo depois Edmunde se junta à Mengsk. Após mais operações pelos Filhos de Korhal, descobre-se que Mengsk tem o interesse por disruptores psiônicos capazes de controlar os Zergs. O plano de Mengsk é usá-los para lançar eles em ataque aos confederados. Raynor e Kerrigan se aproximam cada vez mais criando laços mais amplos.

Raynor começa a se incomodar com a sede de poder de Mengsk e seus métodos, ainda que grato de ter sido resgatado outrora. E essa incomodação vira contestação quando Kerrigan é enviada para defender os Zergs de um ataque Protoss em Tarsonis, pois Mengsk queria protegê-los para usar em seu ataque à Confederação. Raynor não pôde convencer Kerrigan a desistir da missão…

Episódio 09-10 – A revolta de Raynor

Com a missão de Kerrigan aparentemente cumprida, Mengsk ordena que as tropas comecem a recuar. Mas algo dá errado e de repente os Zergs começam a se virar contra Sarah. Raynor desobedece Mengsk e junto de Michael Liberty, um aliado, e suas tropas vão ao encontro de Sarah para tentar resgatá-la, porém são interceptados por Duke e sua nave Hyperion. Raynor consegue passar por ele, com a ajuda de seu amigo, mas é em vão, ele não encontra Kerrigan. Raynor abandona o grupo de Mengsk e seguido por um grupo de homens seus, de confiança, os Raynor Rangers, agora conhecidos como Raynor Raiders (Saqueadores) se vêem às voltas com Mengsk começando a pegar as rédeas de uma Confederação recém- destruída.

O elenco principal está montado, o roteiro está aí! E vocês, o que acharam? Starcraft seria uma boa série? Gostaram do protótipo da primeira temporada? Não deixem de comentar!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Raphael Meltoh

Bio: Gamer desde a infância, mas precisamente desde os 5 anos. Amo séries (comecei pela influência de Lost), e animes. Jogador de RPG e apaixonado por cinema. Descobri recentemente também o gosto por HQ's. Ah! E é claro, fã confesso de Phoenix Wright!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios