Lendo

Soldado, descansar (em paz)!

Criador do Capitão América morre aos 98 anos

O dia de hoje será sempre lembrado como o dia em que Joe Simon faleceu. Um dos últimos artistas representantes da Era de Ouro dos quadrinhos que ainda estava vivo, Simon parecia ter tomado o Soro do Super Soldado, o soro que conferiu mais vitalidade e força ao Capitão América, personagem que foi criado por Simon e Kirby no distante ano de  1941.

Digo isso pois Simon tinha 98 anos, e apesar disso, ainda comparecia de vez em quando em feiras e eventos de quadrinhos. Ainda me lembros das diversas entrevistas que ele deu no meio desse ano, por conta da estréia do filme do Capitão América nos cinemas. Simon estava feliz em ver sua criação encantando multidões por todo o mundo, e até chegou a brincar dizendo que “dessa vez fizeram tudo direito“.

Esse ano também marcou o lançamento do livro de memórias “Joe Simon – My Life in Comics“. Não posso evitar o pensamento de que sua morte veio na sequência desses dois grandes lançamentos, como se assim encerrasse um ciclo, sabem? Joe Simon faleceu em Nova Iorque aos 98 anos e de causas naturais (já falei que acho esse termo esquisito?), e vale lembrar que Jerry Robinson, o criador do Coringa, faleceu no último dia 7, também em Nova Iorque, aos 89 anos. Eduardo Barreto, desenhista uruguaio famoso por sua passagem pelos Novos Titãs, também faleceu hoje. Os últimos dias foram tristes para os fãs de quadrinhos.

Por tudo o que realizou em sua carreira, Joe Simon é um dos grandes mestres da nona arte. Deixo aqui meu muito obrigado ao Simon e ao Robinson, cujas criações encantaram a mim e ao mundo, Capitão América e o Coringa são dois personagens que eu gosto muito, e que sempre estarão por aí para me lembrar o quanto a imaginação humana é incrível e eterna.

Quando criança, eu não gostava muito do Capitão América, preferia sempre ler qualquer coisa do Homem-Aranha. No começo da adolescência, naquela fase onde a revolta contra tudo e todos, passei praticamente a ignorar o personagem. Mas não teve jeito, deixei de lado essa babaquice de achar que achar que o Capitão era “propaganda do imperialismo americano blá-blá-blá” e recuperei o tempo perdido perdido, e hoje o Capitão tem um lugar de destaque na minha lista de melhores personagens já criados.

Descanse em paz, mestre Simon.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.