JogandoMiscelâneaReflexões & Opiniões

O mesmo controle, porém muito mais bonitão!

Major Nelson revela os controles “Special Edition Chrome Series Wireless Controllers

Controle do Xbox 360 ganha edição limitada. E com isso, que tal lembrar um pouco quais os melhores controles já criados para os videogames? Quais foram amor à primeira jogada?

Na minha opinião o controle do Xbox 360 é um dos melhores controles já desenvolvidos para um videogame. Não estou dizendo que o Xbox 360 é o melhor console. Releve as questões de franquias exclusivas, de quem pode mais, quem pode menos, de limitações daqui e ali ou do que a concorrência faz que a outra não faz. Estou dizendo que eu gosto da “pegada” do controle que a Microsoft fez. O design e o conforto que tenho com esse controle. E isso não é tarefa fácil.

Depois do continue segue um pouco mais da minha história com controles de videogames. Mas já adianto a pergunta: E para vocês? Qual ou quais os melhores controles de videogames que já colocaram a mão?

Se for pensar eu tenho alguns controles favoritos ao longo de anos de jogatina. Por exemplo, eu adoro o controle do Super Nintendo. É simples, porém funcional. Considerando que ele veio antes da era dos analógicos, o D-pad do SNES é ótimo, os botões flexíveis e os botões superiores (o que a gente chama de gatilhos atualmente) não apresentavam qualquer desconforto. Logo depois, ainda com a Nintendo veio aquele controle bizarro do Nintendo 64. Mas bizarro mesmo apenas no visual porque eu sempre achei ele extremamente confortável de jogar, apesar de que o D-pad não era muito usado em meus games favoritos (Mario 64, Star Fox, Mario Kart). Depois disso a Nintendo conseguiu fazer algo ainda melhor: surgiu o Gamecube e aquele controle perfeito! Nossa como adorava o design do controle do Cube. Parecia encaixar com precisão na minha não. Os botões A, B, X e Y eram meio malucões, mas os jogos eram desenvolvidos pensando nesse layout incomum, os gatilhos eram macios e suaves e os analógicos perfeitos.

Por outro lado eu nunca gostei dos controles da Sony. Tive um PSOne e um PlayStation 2 e em ambos não me sentia bem jogando naquele “caroço” de controle. Nunca curti a posição dos analógicos. Na era do SNES fazia sentido o D-Pad como parte principal de um controle, mas depois dos games 3D e da importancia das alavancas nos controles para rodar cenários em 360 graus, sempre me incomodou a forma como a Sony ainda assim deixava o D-Pad como destaque. Nem mesmo os botões superiores achava confortáveis. Veja que já na era Gamecube a tendencia era que eles funcionassem mesmo como gatilhos e não simplesmente botões de apertar. E o pouco que já joguei num PlayStation 3 continuo achando o controle da Sony horrível. Sei que ele possui seus fãs e até suas qualidades, como os games de luta, mas não consigo gostar.

Depois do Gamecube, tive um Wii e depois daqueles 15 minutos de êxtase de “ohh que legal”, percebi que o controle não era tão genial como seu antecessor. O nunchuk com fio sempre foi um incomodo, o próprio Wiimote é super desconfortável em certos tipos de jogos. Jogar Super Mario Bros Wii nele, como se estivesse segurando um controle de SNES não chega aos pés do controle original dos tempos de Super Nintendo. No fim, acabei migrando para o Xbox 360 e aí novamente encontrei um novo amor de controle.

O controle do Xbox 360 é tudo aquilo que já era bom no do Gamecube. Alavancas (ou analogicos) perfeitos, precisos e confortáveis, e que são resistentes ao tempo, não ficando molengas ou perdendo a precisão (o do Nintendo 64 tinha esse problema de estragar com o uso). Os gatilhos superiores são melhores também, pois eles descem em formato de curva até o controle, enquanto o do gamecube descia em linha reta. Adoro também o botão do meio, apesar de meio exagerado, que abre o menu da dashboard do console a qualquer momento. Parece besta, mas é um das melhores opções do controle, ainda mais para quem joga com ele online. Ver amigos, mensagens ou conquistas pela dahsboard, sem precisar sair do game é uma mão na roda. Também gosto da posição mais clássica dos clássicos X, Y, A e B.

Outra coisa que me anima mais no controle do Xbox 360 do que o do Gamecube é que o wireless dele é muito melhor. O Wavebird, como era chamado no Cube, era grandalhão, pesado e não podia ficar assim tão longe da TV quanto o do X360 aguenta. O controle com fio do Gamecube era perfeito, levinho e prático, mas a evolução dos videogames pedia por controles sem fio. O do Xbox 360 é muito melhor do que o Wavebird nesse sentido, o que é justo, já que ele veio depois. Meu controle sem fio chega até a cozinha da minha casa, que fica ao lado da sala. Posso jogar em pé no balcão da cozinha, enquanto preparo algo pra comer. A única defasagem do console do xisboca talvez sejam as pilhas. Hoje em dia os eletrônicos apostam mais em baterias recarregáveis, com grande durabilidade. Existe mesmo o kit play & charge com bateria para o controle, mas sinceramente eu gostaria muito mais que isso viesse oficialmente com o console e não que fosse uma opção a parte. Mas no meu caso, nada do que algumas pilhas regarregáveis, da amiga Sony, não resolvam. Ao menos as pilhas duram bastante antes de ter que recarregar.

Por último, talvez a única coisa que seja problemático no controle do Xbox 360: o D-Pad. E a Microsoft parece que sabe disso, tanto é que as novas versões do controle possuel o “tranforming D-Pad”. Nunca ouviu falar? É isso aqui:

Infelizmente esse D-Pad 2.0 não aposentou o antigo modelos e apenas sai em edições especiais , seja com games, consoles ou sozinhos, como nessa nova série de controles cromados. Você já testou eles? Até o ano passado eu ainda não tinha tido a oportunidade, porém na minha febre por Gears of War 3 consegui no finzinho de 2011 o controle temático da série (este aqui) e finalmente pude testar o D-Pad 2.0. Realmente melhora e muito a jogabilidade quando se faz necessário usá-lo, mas ainda dá falhas as vezes em games de luta mais “nervosos”, onde a precisão precisa ser daquela que cria até bolhas nos dedos. Mas é um avanço louvável com certeza, eu nem depois mais o meu D-Pad da forma clássica, ele fica sempre “saltado” pra fora. nem sinto falta da outra forma.

Obs: olhando o texto, ficou parecendo que só malhei o controle da Sony. Achei injusto, já que de fato eu também nunca curti muito o controle do Mega Drive (achava-o exagerado e nem tão prático quanto do SNES), da mesma forma que tinha ódio do joystick tenebroso do Atari (e se a minha memória não falha, como os controles do Atari quebravam na minha mão). Controles ruins ou que não agrandam sempre vão existir. Atari, Sega e Sony não conseguiram me conquistar por seus controles. Agora por suas franquias, isso é uma história para outro dia, pois certamente há coisas memoráveis em cada plataforma que certamente me apaixonei por elas em algum momento do passado.

Ah, para terminar, abaixo estão as outras cores da nova série de controles sem fio do Xbox 360. Azul e vermelho. Bonitos, mais eu ainda achei mais fodástico aquele que abre este post. Estes três modelos sairão em maio lá nos Estados Unidos. Outras regiões também devem disponibilizar, mas ainda não sabe se serão todos os modelos de cores. O preço lá na terra do Tio Sam são salgados U$ 55.


Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.