Os tropeços do Jogo Justo…?

A simples lógica de não correr mais do que as pernas aguentam

Essa semana a coisa tá fogo. É gente raivosa pra tudo quanto é lado. Na área dos quadrinhos eu comentei ontem por aqui (link), mas tem outra bolha de pus que anda vazando pela web a semana toda e que preciso comentar. Não sei exatamente como começou, quando eu cheguei já tinham jogado a merda no ventilador. Acompanhei um pouco o que a Kotaku BR divulgou, e o bem humorado Mais de Oito Mil. Se tu tá chegando na roda agora, dá uma lida nesses links que citei. Eu espero… Pronto?

Então bora conversar após o continue…

Obs: Comentários de baixo calão serão deletados. Opinem, mas sem desrespeitar e ofender terceiros.

Ontem acabei tropeçando com esse print screen que abre o post. Não sei se é real, fui lá no Facebook do Moacyr e nada consta na sua linha de tempo. Em todo caso a Kotaku BR também mostrou, então não tem porque ficar escondendo a imagem. O caso é que tá toda essa muvuca na internet, gente com raiva do Moacyr, chamando o Jogo Justo de Jogo (In)Justo e todo aquele circo que o brasileiro adora. Mas e aí?

Veja bem, a grande polêmica é essa suposta intenção, que agora a Acigames está tentando oficialmente dizer “não é bem assim, calma“, de taxar e criar empecilhos aos gamers brasileiros de adquirirem games lá no exterior, seja por importação ou pelo Steam (formato digital). Mas peraí, vamos por partes, OK?

Eu também sou a favor de um melhor controle sobre o mercado cinza. De lojistas que compra lá de fora e vendem aqui dentro do país. Essa ideia de nacionalizar o Steam não é roubada, é bacana, porém existem outras questões, como os problema com o licenciamento individual de títulos, que, por exemplo, fazem nossa Live Arcade e PSN serem bem capadas de títulos. A Apple Store que finalmente começou a vender games oficialmente por aqui também abriu com pouca coisa em relação ao exterior. Porém no Brasil nem tudo é preto no branco.

O Moacyr também não é nem um pouco paciente. Adora dar uma cutucada injustamente nos gamers sem noção que ficam flameando ele. Me pergunto as vezes pra que ficar alimentando trolls? Pois é, nessa ele se ferrou, porque independente do que ele disse ou não, a merda tá feita e pegou mal pra caramba pra imagem dele toda essa fanfarrice em cima do assunto.

Em todo caso essa discussão estava também meio inflamada ontem no forum da equipe. De um lado o Mauri defendendo que precisa ter sim um controle mais duro sobre importações e compras vindas lá de fora. E o Pedro dizendo que não tinha nada a ver. Eu acho que nessas situação não adianta se radical ou extremista. O mercado nacional não vai florescer da noite pro dia, tem que dar passos de bebê.

O Jogo Justo já conseguiu baixar os tributos internos que deixam os games caríssimos? NÃO! O Jogo Justo já conseguiu tirar os games daquela lei escrota que os tratam da mesma forma que máquinas de caça-níqueis? Não! O que diabos o Jogo Justo fez no Brasil até agora? Nada? Não, também não é bem assim. E essa é a minha visão: o Jogo Justo conseguiu de uma certa forma fazer os lojistas nacionais acreditarem no potencial do mercado. Antes do Jogo Justo não se via com frequencia essas promoções e quedas de preços em games lançados aqui no país. Essa semana mesmo não vim aqui no blog mostrar uma promoção do Skyrim por 99 patacas?

O Jogo Justo na verdade não fez nada com relação ao Governo Brasileiro a meu ver. Não mudou lei, não abaixou impostos. Me pergunto até mesmo se conseguiu mudar a mentalidade de deputados e senadores em quantidade o suficiente para futuramente mudar algo mesmo. Mas na esfera das pessoas jurídicas, há uma óbvia mudança de mentalidade e isso vem desde o primeiro Dia do Jogo Justo. Mais promoções, mais apostas no mercado, mais expectativa. Isso o Jogo Justo ajudou e muito. Não fez sozinho, mas foi grande responsável.

Mas aí a gente volta na merda dessa semana. Ainda há muito que se fazer internamente. Quer dizer, pra que ficar trollando dizendo que vai mudar lei, alterar impostos pro pessoal que importa game ou compra no Steam? Tem olhar primeiro o próprio rabo. O Jogo Justo mal consegue mudar a nossa lei interna. Abaixar impostos e alocar os games numa lei correta para os mesmos, pra ficar tentando culpar e apontar o dedo pro pessoal que importa e fazer de conta que estes são os culpados? Não são! Primeiro você muda a lei, diminui os impostos. Permita que os games fiquem mais baratos, aí depois você vai brigar pela fatia das importações.

Fica parecendo que não sabem mais o que fazer. O Governo não muda nada, tem a mentalidade de uma velhinha de 90 anos, age e trabalha como tal alias. Não adianta atacar quem importa, se você não permite que essa fatia compre os produtos no Brasil a um preço JUSTO.

Entendo a urgencia de combater a pirataria, de querer criar barreiras ao mercado cinza. Mas vamos com calma, né? A lei não mudou, os originais ainda saem por aqui custando R$ 199. Se há títulos por menos que isso, não é mérito do Jogo Justo, mas da Microsoft Brasil e da Ubisoft Brasil que estão investindo pesado em autoração de games nos solos amazônicos do país. Para todos os outros estúdios, ainda dependemos de importadoras oficiais como NC Games e de seus salgados 199. Melhora isso Jogo Justo, aí depois vem cutucar o pessoal que compra lá fora.

Pra mim tudo que ocorreu essa semana é uma questão de ego, de trolls e de flames totalmente desnecessários. Não é a primeira vez que vejo o Moacyr cutucando desnecessáriamente e não será a última. O fato é que no Brasil tem muito “eu vou fazer, nós vamos mudar” sendo assoprado aos ventos e pouca coisa está realmente sendo feita.

Eu quero ver mudar a lei, abaixar os tributos para os originais daqui, depois que isso for feito, aí podem vir o Moacyr e todo mundo do Jogo Justo mandar a gente tomar naquele lugar pela encheção de saco. Mas antes disso pra mim eles deveriam ficar de boa e não encher o saco da galera que AO MENOS não está comprando produto pirata.

É mais fácil você convencer alguém que paga R$ 100 num game importado a vir comprar no Brasil se o preço cair, do que convencer alquém que paga R$ 10 num piratox a pagar R$ 100 num original. Deixa a galera do original em paz. Façam o que originalmente deveriam fazer: abaixem o preço dos originais aqui. Aí depois vai buscar o público das importações.

E Moacyr, sério, pare de alimentar trolls. Sério mesmo que a gente precisa dizer isso? Aff…

 

 

Isso também pode lhe interessar

74 Comentários

  1. Olha a Blizzard, vendendo a 99 reais o gigantesco Diablo III, e vai vender pra KCT, pq o preço é justo, mais que justo já que quem joga Diablo, joga por anos. E foi um dos poucos jogos que comprei original, e não tenho orgulho de falar isso, mas tenho certeza pra falar que se os preços fossem esses como da Blizz, eu compraria TODOS originais.

    1.  @GlauberAraujo Não sei mais como está os preço dos jogos para consoles, mas para pc principalmente pelo steam (comprando pelo nuuvem) tem alguns com excelentes preços (Como a coleção completa de Assassins Creed).  E tenho preferencia por comprar jogos da ubisoft por causa de ja serem traduzidos para portugues

    2.  @GlauberAraujo Eu ia comentar isso, hehehhe. Eu vou pegar o D3 essa semana, pela pré-venda da Saraiva. Tá vindo com uma camisa bacana, e o mesmo preço da Blizz Store

    3.  @GlauberAraujo Vendo vcs falarem de Diablo III agora que caiu a ficha… PC Game, né? Até aí não é muito novidade. O preço dos games de PC sempre foram muito mais em conta que os consoles de mesa.
       
      Mas sim, eu concordo quando dizem que todos os games por aqui tinham que custar em torno de 100 reais… mais que isso é pisar em ovos.

      1.  @T_thiago  @GlauberAraujo  Acho que 100 deveria ser o máximo e não a média.O mínimo deveria ser 50.Essa faixa seria a ideal.

        1.  @Jonzimma  @IsraelArraes 
          Mas isso seria o certo! 
          Sé lá fora o jogo custa 50 unidades de dinheiro, aqui deveria ser a mesma coisa.

        2.  @GlaucoDeCastilhoCarvalho  @Jonzimma  @IsraelArraes  Bem isso.
           
          Dolar é Dolar no EUA,  50 dolar é pra eles 50 reais nossos, mas pra nós 50 dollars são mais valiosos.
           
          Mas se o jogo esta sendo vendido aqui dentro, o preço lá de fora nao tem nada a ver, já que aqui se usa Reais, e não estamos pagando o jogo com preço em dollar.

        3.  @SrCoringa  @GlaucoDeCastilhoCarvalho  @Jonzimma  @IsraelArraes 
          Então quer dizer que se um jogo custa U$50 ele deve custar também £50 também?

        4.  @SrCoringa
          Quer dizer que um jogo que custa U$50 deve custar £50 também?
          Eles tem todo um custo operacional em dólares, acontece que os 50 dólares valem mais que os 50 reais. Quando os jogos chegam aqui com impostos, o imposto é sobre o dólar convertido em reais, e não como se o dólar valesse igual real. Se o custo deles é X, tem que ser X em várias moedas, e não por que o custo Brasil é baixo que o jogo tem que ser mais barato.Claro que isso seria ótimo se fosse verdade, mais não é assim que funciona. 

        5.  @SrCoringa 
           
          Quer dizer que um jogo que custa U$50 deve custar £50 também?
          Eles tem todo um custo operacional em dólares, acontece que os 50 dólares valem mais que os 50 reais. Quando os jogos chegam aqui com impostos, o imposto é sobre o dólar convertido em reais, e não como se o dólar valesse igual real.
           
          Se o custo deles é X, tem que ser X em várias moedas, e não vai ser  o custo Brasil que vai deixar o jogo mais barato.Claro que isso seria ótimo se fosse verdade, mais não é assim que funciona.

        6.  @SrCoringa 
           
          Quer dizer que um jogo que custa U$50 deve custar £50 também?
          Eles tem todo um custo operacional em dólares, acontece que os 50 dólares valem mais que os 50 reais. Quando os jogos chegam aqui com impostos, o imposto é sobre o dólar convertido em reais, e não como se o dólar valesse igual real.
           
          Se o custo deles é X, tem que ser X em várias moedas, e não vai ser  o custo Brasil que vai deixar o jogo mais barato.Claro que isso seria ótimo se fosse verdade, mas não é assim que funciona.

        7.  @Jonzimma  @SrCoringa 
          Mas muitas coisas já são assim cara.
          Pega o Ps vita por exemplo. 199 doletas nos EUA e 199 euros na Europa. 
          É pra isso que serve a produção nacional de qualquer produto, pra baratear pra todos e não só pro fabricante.
          50 dólares é um preço acessível pra um estado-unidense comum, então também tem que ser pra um brasileiro comum.

        8.  @GlaucoDeCastilhoCarvalho 
          Vamos lá então. Os valores são 249 dólares e 249 euros, realmente é igual, agora verifica quanto vale 249 euros convertidos em dólar

        9.  @Jonzimma 
          Sim, Euro vale mais do que Dólar, que vale mais do que o Real. Mas você não vê os estado-unidenses pagando quase 800 Dólares por causa da conversão monetária. Este é o problema.

        10. Sim, mas voce nao leva em consideraçao os custos. Na sua ideologia o psvita deveria custar R$249, agora me diga, quanto custa para produzir um psvita? Digo mais, para produzir o psvita aqui no Brasil com todo incentivo fiscal possivel e sem nenhum imposto, o preço final dele ainda seria R$249 ne?
          Mas vamos focar nos jogos, afinal e apenas uma midia prensada, deveria ser mais barato.  Porem uma empresa tem um custo X para vender esse jogo, sem precisar em varios custos eu digo pelo menos 3. Fabricaçao, Distribuiçao e lojista. Sem falar nos queridos impostos, afinal alguns dos nossos impostos sao os maiories do mundo.
          Me explica exatamente como funcionaria um jogo lançamento ser mais barato aqui do que la fora.
          Com isso os americanos iriam simplesmente comprar jogos daqui. A nossa moeda e desvalorizada cara, nao da para querer algo desse tipo assim de uma vez.
          Se eles tem um custo X em dolares, eu nao vejo como que podem vender abaixo disso so por causa do custo Brasil.
          Eu acho que no nosso cenario atual 100 reais em um lançamento e um OTIMO valor, Gears of War 3 chegou perto desse preço.
          Quem sabe um dia tenhamos jogos mais baratos e com base no custo Brasil.
           
           

        11.  @GlaucoDeCastilhoCarvalho 
           
          Sim, mas voce nao leva em consideraçao os custos. Na sua ideologia o psvita deveria custar R$249, agora me diga, quanto custa para produzir um psvita? Digo mais, para produzir o psvita aqui no Brasil com todo incentivo fiscal possivel e sem nenhum imposto, o preço final dele ainda seria R$249 ne?
          Mas vamos focar nos jogos, afinal e apenas uma midia prensada, deveria ser mais barato.  Porem uma empresa tem um custo X para vender esse jogo, sem precisar em varios custos eu digo pelo menos 3. Fabricaçao, Distribuiçao e lojista. Sem falar nos queridos impostos, afinal alguns dos nossos impostos sao os maiories do mundo.
          Me explica exatamente como funcionaria um jogo lançamento ser mais barato aqui do que la fora.
          Com isso os americanos iriam simplesmente comprar jogos daqui. A nossa moeda e desvalorizada cara, nao da para querer algo desse tipo assim de uma vez.
          Se eles tem um custo X em dolares, eu nao vejo como que podem vender abaixo disso so por causa do custo Brasil.
          Eu acho que no nosso cenario atual 100 reais em um lançamento e um OTIMO valor, Gears of War 3 chegou perto desse preço.
          Quem sabe um dia tenhamos jogos mais baratos e com base no custo Brasil.
          Sem contar que quem publica os jogos tem que pagar os royalties para as desenvolvedoras.

    4.  @GlauberAraujo Pra mim 100 Dilmas é muito a se pagar, alguns jogos merecem, mas a grande maioria ainda é um grande abuso na minha opnião.
       
      se eu acho os jogos do PC caro por 100 dilmas, nem queira saber o que acho dos games de console, que é uma grande lastima o preço que fazem nele.

  2. Thiago, primeiro que a imagem sim é verdadeira, eu vi o post no facebook antes de o Moacyr apagar. eu acho que você falou basicamente o que eu penso, com exceção disso da mentalidade dos lojistas. Veja bem, a Acidgames é patrocinada pelos lojistas. É óbvio que os lojistas não gostam do Steam, eu compro jogo pelo Steam mais barato que na loja.
     
    Eu não sei mas isso de o Moacyr entrar no ministério da cultura não sei se vai ser vantagem para nós gamers. O cara foi alçado la por puro marketing pelo Jogo Justo. E o que o Jogo Justo fez até agora? como você bem disse, praticamente NADA. Aliás fez sim, fez as lojas venderem um monte de jogos e limparem seus estoques. Aquilo de que elas venderam com prejuízo, como o Moacyr alegou algumas vez é conversa pra boi dormir convenhamos.
     
    É sério, o cara falou abertamente que as coisas vão piorar para quem importa jogos. Porra a gente que importa já paga 60% de imposto, é uma taxa altíssima. Se não é cobrada quase nunca por não ter funcionários suficientes para verificação e taxação não é uma problema nosso, a taxa existe e quando é taxado, pagamos certinho.
     
    No finalboss publicaram uma matéria explicando como toda essa polêmica começou, deem uma olhada la para entederem certinho como tudo ocorreu.

  3. Concordo com tudo do post. Comprei 2 jogos(Batman Arkham City e Record of Agarest War, PS3) no Reino Unido que juntos deram 150 reais. Se fosse pegar esse jogos aqui no Brasil "oficialmente"(não sendo pelo Mercado Livre) ia gastar mais que o dobro. O Batman demorou 3 semana para chegar e o Agarest já se vão mais de 1 mês e 1 semana e nada de entrar no sistema dos correios. Com certeza se cada jogo aqui no Brasil oficialmente fosse no máximo 100 reais(tá pode chegar em 110). Eu pegaria sem problemas. Ai eu me pergunto que raios de incentivo é esse que eles querem para industria nacional? Só estão me incentivando a comprar um tabuleiro de WAR, ir pro cinema, bar, alugar filme, menos comprar um jogo de videogame.

      1.  @T_thiago Para console? Se for foi um ótimo negócio, eu tenho um PS3 é mais fácil achar promoções para XBOX do que para consoles da Sony. Mas é um bom preço mesmo assim.

        1.  @Lokopive Sim, pro X360. E realmente a plataforma X360 tem mais promos por aqui do que o PS3 (sorte a minha). 😛 – Essa promo rolou na epoca no Submarino, Americanas, Ponto Frio e Walmart 🙂

  4. Como já estamos acostumados com a corrupção dos políticos e com as cobranças abusivas e desnecessárias de impostos e mais impostos qualquer comentário que nos leve a entender que teremos mais imposto ainda gera revolta e indignação. Acredito que deveriam adotar medidas praticas para abaixar os impostos da industria games dentro do Brasil, o que iria facilitar que games de US$ 50 não fossem vendidos por R$ 199. Obviamente importar continuara sendo a forma mais barata de comprar ate que estes absurdos nos preços acabem. Aumentar os impostos de importação somente ira gerar revolta e não vai levar este pais a lugar nenhum, pois todo mundo sempre desconfia que estes valores dos impostos acabam indo para algo obscuro, ou melhor para um compartimento que as calças tem e que costumamos chamar de bolso..

  5. Eu não acredito nesses discursos "vamos juntos mudar a situação X". Já cansei de ver isso dar errado, dos envolvidos agirem de maneira a buscar interesses próprios, etc. Infelizmente, hoje eu também penso de maneira individual, compro onde for melhor PARA MIM.
     
    Não vou apoiar Live Nacional quando o conteúdo é capado…. não vou comprar jogo a 99 reais no dia da promoção, quando consigo por menos de 60 se importar ou trouxer dos EUA.
     
    Esse tal do Moacyr, antes de querer mudar a situação de todos, pode ter certeza que tem algum interesse ou objetivo principal maior… o dia que ele atingir aquilo que ele deseja vai pisar em cima de quem apoiou… talvez este já seja o momento.Fato é que a maior parte da galera se preocupa com o próprio dinheiro no bolso, do que fazer o bem para um grande número de pessoas… há exceções, mas que apenas confirmam a regra geral.
    Sim, sou bem pessimista e desiludido neste assunto mesmo.

    1.  @andregnreis ''Esse tal do Moacyr, antes de querer mudar a situação de todos, pode ter certeza que tem algum interesse ou objetivo principal maior… o dia que ele atingir aquilo que ele deseja vai pisar em cima de quem apoiou''
      Com todo, ou pouco, respeito, é ignoracia julgar a pessoa sem você realmente ter certeza.
      Ninguem aqui sabe o que ele realmente tem em mente, e eu gosto de acreditar que ele quer sim, ajudar o Brasil em relaçao a ter um preço justo, se todo mundo for egoista e só pensar nos seus problemas agente vai ficar…pera, é assim que estamos agora…pois é.
      Hora de mudar.

      1.  @GlauberAraujo Não estou julgando, não sou juiz. Estou apenas comentando como me parece que ele lidou com toda a situação, enganando todo mundo,  e se assemelhando com os que os políticos fazem.
         
        Quanto ao resto, você também pode acreditar que o tiozinho que levava dólares na cueca era para comprar merenda… ou que o Moacyr deseja o bem dos consumidores dificultando a importação e indo atrás de uma regulamentação (+ taxação) das vendas digitais.
         
        Ser ingênuo também é uma opção válida.
         

      2.  @GlauberAraujo  @andregnreis  Concordo em parte contigo quando tú fala que todos nós não devemos ser egoísta,porém acho graça da sua inocência em acreditar nesse homem.Ele está agindo muito rapidamente e isso é suspeito.

  6. Bom, eu só discordo dessa parte:
     
    "o Jogo Justo conseguiu de uma certa forma fazer os lojistas nacionais acreditarem no potencial do mercado. Antes do Jogo Justo não se via com frequencia essas promoções e quedas de preços em games lançados aqui no país. Essa semana mesmo não vim aqui no blog mostrar uma promoção do Skyrim por 99 patacas"
     
    Acho que essa frequência de "promoções" (entre aspas, porque o preço justo de um lançamento é de no máximo R$ 90,00) é consequência da visão que o Brasil vem tendo economicamente lá fora com toda essa crise. O país tem potencial de crescimento e as produtoras estão vendo isso fazendo pesquisas de mercado de acordo com o poder aquisitivo tupiniquim que está em ascensão.   

  7. Imposto na Steam a gente já paga, que é o IOF. A taxa de 60% sobre produtos importados também é mais do que justa, ao analizarmos de um ponto de vista econômico.
     
    Eu realmente não sei o que o cara quer dizer com "regularizar", pelo menos nas entrelinhas. Se ele quer usar do poder que tem agora pra defender as vendas em lojas (quem vai pagar preço absurdo em lojas quando se pode comprar mais barato online?), por conseguincia querendo proteger a própria empresa dele, ele pode esquecer. A compra de produtos digitais (leia-se, baixando pela internet) é o futuro. As lojas que tem que se adaptar a isso. Ou ele quer que o governo lucre com esse mercado, fazendo com que a taxação seja igual a dos jogos de caixinha vendido. O que faz bastante sentido, visto que é um nicho grande que não paga muito imposto. Tem potencial pra lucro.
     
    Eu ainda jogo a maioria dos meus jogos pirata (e não tenho vergonha de dizer), comprando só os que realmente gosto ou pra jogar online. E a maioria das minhas compras são por Steam ou Live, comprando pouca coisa por mídia física. Acredito que se realmente taxarem a Steam, eu e muita gente vamos parar de comprar jogos at all, visto que a tendência é do preço ficar extremamente caro, igual os jogos em mídia física atuais.

  8. Sobre a imagem:
    "terá que mudar para o PC, que não durará muito tempo"
     
    é uma triste realidade TOTAL, PC já foi esquecido como uma forma de Plataforma gamer, sai uns pingos da agua de jogo para os PC, o que é triste, com os Consoles adiquirindo cada vez mais a propria rede, e facilitando jogar com os amigos, e a evolução da TV (que eu vi em algum lugar que planejam adicionar alguma forma de navenar na Web pela TV) o PC foi extinto, e sera, em não muito tempo, caso esse projeto da TV-Internet de certo, é o passo final pro PC morrer.
     
    sobre os jogos, Acho muito Injusto qualquer jogo aqui passar de 90 Mangos, é um absurdo, se la nos EUA, os jogos saem por media de 10 doletas, o que é isso que ocorre aqui, absurdo é pouco.
     
    UM jogo JAMAIS, deve ultrapassar o preço dele importado, caso importar o jogo, ou qualquer coisa, saia mais barato que comprar em um territorio nacional, não é mais um absurdo, é puro e simples ROUBO em cima de uma comunidade pequena, não pago mais que 60R$ em um jogo, por que sei que acima disso estou sendo roubado.
     
    O unico jogo que comprei fora dessa linha, foi WoW, por ser 3 em 1,mesmo sendo só 1, que saiu 85 Dilmas ( ou um pouco menos), na promoção de natal de quando ele veio para o Brasil, que saiu cada  as duas primeiras expansões pro 25 reais, e a terceira por 35 reais. 
     
    Isso é um preço justo,uma midia de PC que quase nao se tem gasto em coisas fisicas, em transporte e nem nada, o que diminui CONSIDERAVELMENTE os preços de  custo, pagar 100 mangos para baixar isso é CARO.

    1.  @SrCoringa Vc não entendeu, ele não quis dizer que jogo para PC vai acabar algum dia, quis dizer que vai acabar a mamata de comprarem jogo para PC via Steam a preço bem mais baixo.

      1.  @simiano percebi algumas hora depois em que resolvi ver melhor a imagem, so tinha lido os dois grifados, e na verdade dei bem mais enfoque no que ele tinha dito xD.
         
        acabei por intrepetar errado mesmo.

  9. "Mas antes disso pra mim eles deveriam ficar de boa e não encher o saco da galera que AO MENOS não está comprando produto pirata." <– Essa frase descreveu tudo pra mim. *curtir texto mil vezes*

  10.  É verdade,esse Moacy tem que ver que a "merda" ainda está no Brasil antes de tentar limpa la lá fora.Cara totalmente sem noção das coisas.

  11. Eu nunca entendi essa ideia de que temos que continuar comprando jogos a preços altos pro preço um dia baixar. Se conseguirem vender jogos com esses preços, porque eles mudariam?

    1.  @Red9ro Somos dois. O pior que esse argumento nessa o nosso direito como consumidor, de escolher e comprar onde for mais barato e interessante para a gente.

    2.  @Red9ro Somos dois. O pior que esse argumento nega o nosso direito como consumidor, de escolher e comprar onde for mais barato e interessante para a gente.

  12. Bem, acompanho a trajetória do Moacyr, já conversei pessoalmente com ele, e sabe que tem meu apoio irrestrito, e só gostaria de deixar registrado aqui o comentário do jornalista Flavio Croff:
     
    "Moacyr disse em uma entrevista que essa regulamentação seria melhor ser realizada da forma correta do que por alguém que só quer "foder com o mercado de games". Não duvido, vide as ideias do senador Valdir Ralpp. No entanto, o que eu acho mais engraçado é: Como as pessoas querem que os impostos diminuam, que o mercado de games realmente seja algo visto pelo Governo, seja levado a sério, se até a porra da imprensa [especializada] fica de mimimi quando alguém levanta a bunda pra fazer alguma coisa?"

    1.  @Mauri Link Atacar primeiro a questão de baixar jogos online via Steam ou qualquer outra ferramenta sem pagar mais impostos, porque já pagamos o IOF, sem antes ter feito nada que tenha tido resultados efetivos,  como ser revista essa questão de videogames serem taxados da mesma forma que máquina niqueis?  Você acha realmente que isso está certo? Jogo Justo até agora foi nada mais que um saldão de jogos que deu é muito lucro para as lojas, que por sinal estão por trás da Acidgames né.
       
      Faço a mesma pergunta que fizeram acima, se todo mundo começar a comprar jogo a 200 reais, porque eles vão baixar o preço? Estamos comprando mesmo.
       
      É o mesmo problema que temos com carros, porque aqui compramos os carros mais caros do mundo? Impostos? Então como um Civic produzido no Brasil(com toda sua carga tributária) e exportado para Argentina sai quase 30 mil reais mais barato? Simples, porque nós pagamos o que cobram. Isso dito com todas as palavras pelo presidente da Fiat no Brasil. Carro é caro porque pagamos o que eles cobram, então porque eles vão baixar? Um Gol custa 8500 reais para ser fabricado e é vendido a quase 30 mil. E vende muito.
       
      Então não tem mesmo que comprar jogo a 200 reais aqui, já que diferente de carros podemos importar, comprar pelo Steam. Ou compra usado ou quando entra em promoção. Quem compra jogo a 200 reais não está ajudando em nada o mercado nacional, muito pelo contrário.

      1.  @simiano Cara, na boa, conheço o mercado varejista de games há mais de 10 anos, e entendo que se algumas coisas não mudarem, ficaremos sempre em segundo plano. O comércio está doente e precisa de remédio. E geralmente remédio tem um gosto ruim. A criança esperneia por causa do gosto, mas depois vai sorrir quando poder voltar a brincar mais saudável.

        Brinquei com essa analogia, mas o fato é coisas precisam acontecer. Erradas e certas, mas precisam acontecer. A situação atual não está boa para ninguém, mas deixar como está não é solução. Se vencer os desafios econômicos fosse fácil, não teríamos tantas falhas nos planos e regulamentações econômicos que tanto castigam a maioria dos países.

        1.  @Mauri Link  @simiano "O comércio está doente e precisa de remédio". "A criança espernei por causa do gosto."
           
          Considerando que a "CRIANÇA" somos nós consumidores, mas quem está doente é o "COMÉRCIO", não seria o caso de aplicação do remédio na pessoa errada?
           
           

        2.  @Mauri Link  O comércio varejista (pelo menos o de jogos de PC) está doente sim, mas não precisa de um remédio. Precisa é de uma injeção letal. Taxar a Steam como tentativa de vender mais jogos "de caixinha" é retrocesso. O comércio mudou, as empresas tem que se adaptar a isso ou vão perder dinheiro.  Ele tá fazendo isso pra melhorar a própria empresa, aparentemente. E se não está, caso esteja fazendo isso só pra arrecadar mais imposto por governo, então é de burrice ou ele vai ganhar a parte dele, porque não vejo como isso pode vir a melhorar o estado atual do mercado de games brasileiro.
           
          Sobre importação, é a mesma coisa. Se forem criar novas taxas para jogos importados, quem vai engordar o bolso é o governo e talvez o Moacyr ganhe a parte dele. De qualquer forma, o mercado dos jogos vai estagnar por aqui, já que a maioria não compra os jogos novos que saem a R$200. Então provavelmente vão recorrer pra pirataria.

        3.  @Mauri Link Bom conhecer a tantos anos não quer dizer nada, porque se for assim eu comprei jogo original de NES e isso faz quantos anos mesmo?
           
          Você tem todo direito de ter sua opinião a respeito desse caso, apesar de não saber exatamente que opinião é essa já que você não a expõe claramente nem a defende. Você acha que devemos comprar jogos originais aqui no Brasil apenas certo? E se acontecer o que falei acima, se estão vendendo porque mudar? Como fazer? Paramos de comprar? Mas aí não é melhor já fazermos isso então?
           
          As empresas de games estão carecas de saber que o Brasil olhando apenas pelo lados dos consumidores, tem muito potencial e é uma mercado mais forte que a muitos dos países em que eles estão inseridos. Mas todos são unânimes em falar que com a carga tributária e o problema de pirataria é inviável vir para cá.
           
          Em minha opinião o primeiro ponto a atacar é os impostos, com jogos mais baixos é mais fácil argumentar com os piratas. Pirataria no PC é uma praga no mundo inteiro, por isso muitos jogos de consoles não saem para PC. Mas esse quadro melhorou muito de uns anos para cá e o maior responsável por isso foi o Steam. Aplicando bons preços, promoções excelentes e também o atraente mercado de jogatina online que faz com que as pessoas comprem originais. Mas tudo começa com bons preços.

        4.  @Mauri Link  @simiano  Entendo os fins mas não acho o mais eficaz dos meios para isso. Como disse anteriormente, aumentar a dificuldade/preço dos jogos importados/digitais só está me incentivando a comprar menos jogos importados/digitais, qual o incentivo que estou tendo de comprar um jogo aqui? Sei lá, pelo menos eu não sou assim, comecei como gamer  ainda bem criança na época do Atari/MSX(entregando idade), não é pq os preços lá foram ficaram os mesmo 200 reais que aqui  no Brasil que eu vou comprar o jogo aqui e nem lá, não vou comprar  o jogo em nenhum lugar e pronto(ou irei esperar uma "promoção") vou jogar pelo facebook, baixar algum torrent, etc… Deveriam incentivar a compra aqui no Brasil, baixe um pouco os preços, diminuam impostos, sei lá, mas incentivar a comprar os jogos aqui e não desestimular a compra lá fora.  Resumindo, a intenção pode ser boa, mas não gosto dos meios utilizados. Ou pelo menos da "ordem" de pensamento deles, essa medida seria mais efetiva se aplicada depois(ou junto) com uma redução de preços por aqui, só teríamos que torcer para lançarem algum jogo de uma franquia querida por aqui, curto muito os jogos da franquia Disgaea, e está muito dificil de achar o quarto jogo por aqui(até MercadoLivre as vezes não tem o produto).

    2.  @Mauri Link "Moacyr disse em uma entrevista que essa regulamentação seria melhor ser realizada da forma correta do que por alguém que só quer "foder com o mercado de games". Não duvido, vide as ideias do senador Valdir Ralpp. No entanto, o que eu acho mais engraçado é: Como as pessoas querem que os impostos diminuam, que o mercado de games realmente seja algo visto pelo Governo, seja levado a sério, se até a porra da imprensa [especializada] fica de mimimi quando alguém levanta a bunda pra fazer alguma coisa?"
       
      Lógico que vou reclamar, se eu quero menos Impostos no nacional porquê teria que aplaudir quem quer colocar mais impostos no estrangeiro? São duas coisas completamente diferentes.
       
      E concordando com o @simiano e o @andregnreis Eu vou muito bem comprando fora! quem vai mal com isso são as lojas nacionais, então quem precisa de remédio são elas!
       
      Mas no Brasil sempre foi assim, política Burra do Protecionismo, vamos proteger o mercado Nacional aumentando o preço do que vem de fora! opa pera ae Não temos produtoras de jogos de Expressão no País! Logo todos os jogos Vêm de fora de um jeito ou de outro! ou eu compro la fora ou Alguma empresa Licencia Traduz (geralmente porcamente) e Vende aqui dentro.
       
      Percebem Que Jogo NÃO É UM PRODUTO NACIONAL? Logo comprar de fora é o certo! A briga em questão é, Eu compro fora? Ou alguém Rico revende mais caro pra mim?
       
      Mas Brasil é Brasil! quando querem proteger os ricos de dentro taxam os de fora, quando querem o Capital de fora, fodem o de dentro (Gurgel, montadora de carros, manda lembranças).

      1.  @Jonatas P Mattos  @Mauri Link  @andregnreis  É muito mais fácil prejudicar os outros do que forçar as coisas aqui a melhorarem né.
         
        Pego o exemplo da indústria automobilistica novamente. Os chineses vieram vendendo carros completos bem mais baratos que as carroças da Volks, Fiat, Ford e Chevrolet. O que elas fizeram? Melhoraram e baixaram os preços dos seus carros? Nãããããão. Choraram para o governo, que foi lá e aumentaram 30% o IPI para carros importados. Pronto os chineses tem que subir os preços, as montadoras nacionais continuam vendendo suas carrocinhas e os trouxas aqui é que se fodem.

    3.  @Mauri Link Só uma coisa, o Moacyr é colecionador de games, será que todos os seus jogos e consoles são puramente licenciados e comprados "legalmente no Brasil"?
      A questão é que apesar da "boa" intenção dele com os comentários prá lá de estranhos e comprometedores, alguma coisa melhorou, os estoques encalhados dos lojistas não estão tão mofados assim…
       

  13. Esse discurso de se "proteger a indústria nacional" existe há séculos, literalmente, e é sempre foi invocado em outras áreas do mercado antes de ser usado na indústria gamer.
     
    O que não faz sentido nesse caso é que a indústria defendida aqui não é a de produção de jogos, mas sim a dos intermediários, donos de "lojas físicas". Eu até entenderia querer aumentar impostos para tentar se criar uma indústria nacional de games, mas aumentar impostos para defender os varejistas? No que isso beneficia o país ou os consumidores?
     
    Acho que a pergunta que dever ser feita é:
     
    As lojas físicas de games respondem por um percentual tão alto de empregos e arrecadação de tributos a ponto de ser coerente sobretaxar compras virtuais apenas para proteger o varejo de games nacional?
     
    Eu acredito que não. O caixa do governo deve encher bem mais com compras em lojas virtuais recolhendo Imposto sobre Operações Financeiras e as importações recolhendo Imposto sobre Importação. Simplesmente porque essas opções de compra são mais vantajosas para o consumidor final.
     
    A lição que fica é que uma associação de LOJISTAS defende lojistas. Gamers precisam de uma associação de GAMERS e também buscar legisladores e represetantes no executivo dipostos a defender os seus interesses.
     
     

    1.  @TiagoLopesdeOliveira Não é querendo defender a atitude do Moacyr não, mas acho que o objetivo dessas manobras não devem ser apenas proteger o varejo de games nacional… o negócio é criar mecanismos para que as empresas se voltem para o Brasil mesmo. Não só trazendo empregos e tudo mais, mas principalmente regionalizando seus jogos, por exemplo, com dublagens, traduções em portugues-br, servidores brazucas, de modo a valorizar a comunidade gamer brasileira. Fomentando esse tipo de atitude eu acho que seria natural que os preços por aqui baixarem, mas também não tenho certeza. Meu medo é que o jogo justo esteja se voltando mesmo a proteger os lojistas, conforme vc disse, se for isso nós já estamos perdidos…

  14. Querer mexer com o mercado digital (que vai bem, obrigado) antes de fazer alguma coisa concreta, foi um tiro no pé. Ainda mais quando todos sabem do tamanho da "participação" da UZ na ACIGAMES. Mercado engatinhando? Esse cara é um brincalhão.Lógico que os motivos ficariam expostos. Dedos indicadores de jogadores todo o país voltaram-se para uma única direção: Moacyr.Antes de querer mexer em time que esta ganhando e dar declarações ~passíveis de interpretações~ duvidosas, deveria mudar algo, de fato. Não vimos projetos com grandes chances de aprovação e muito menos leis sendo modificadas. A única boa notícia nisso tudo foi mostrar às grandes lojas que existe mercado nacional. Hoje temos uma tonelada de "promoções" (com aspas, mas ainda assim, promoções) todos os meses. E isso é, até certo ponto, positivo. Infelizmente o sistema sempre vence. Se tinha (tem) varejista encabeçando a ACIGAMES, a merda estava prevista. Por mais que em algum (raro) momento futuro as coisas façam sentido, ele terá muito trabalho para mudar essa imagem criada em poucos dias. O ser humano ~quase~ sempre morre pela boca.PS: Lembremos que o projeto de lei que "passou", nada tem a ver com o Jogo (in?)Justo.

  15. Querer mexer com o mercado digital (que vai bem, obrigado) antes de fazer alguma coisa concreta, foi um tiro no pé. Ainda mais quando todos sabem do tamanho da "participação" da UZ na ACIGAMES. 
    Mercado engatinhando? Esse cara é um brincalhão. Lógico que os motivos ficariam expostos. Dedos indicadores de jogadores todo o país voltaram-se para uma única direção: Moacyr.
     
    Antes de querer mexer em time que esta ganhando e dar declarações ~passíveis de interpretações~ duvidosas, deveria mudar algo, de fato. Não vimos projetos com grandes chances de aprovação e muito menos leis sendo modificadas. A única boa notícia nisso tudo foi mostrar às grandes lojas que existe mercado nacional. Hoje temos uma tonelada de "promoções" (com aspas, mas ainda assim, promoções) todos os meses. E isso é, até certo ponto, positivo. 
     
    Infelizmente o sistema sempre vence. Se tinha (tem) varejista encabeçando a ACIGAMES, a merda estava prevista. Por mais que em algum (raro) momento futuro as coisas façam sentido, ele terá muito trabalho para mudar essa imagem criada em poucos dias. 
     
    O ser humano ~quase~ sempre morre pela boca.
     
    PS: Lembremos que o projeto de lei que "passou", nada tem a ver com o Jogo (in?)Justo.

  16. Querer mexer com o mercado digital (que vai bem, obrigado) antes de fazer alguma coisa concreta, foi um tiro no pé. Ainda mais quando todos sabem do tamanho da "participação" da UZ na ACIGAMES. 
    Mercado engatinhando? Esse cara é um brincalhão. Lógico que os motivos ficariam expostos. Dedos indicadores de jogadores todo o país voltaram-se para uma única direção: Moacyr.
     
    O mercado de jogos "físicos" é que está com problemas. Não o digital. Antes de querer mexer em time que está ganhando e dar declarações ~passíveis de interpretações~ duvidosas, deveria mudar algo, de fato. Não vimos projetos com grandes chances de aprovação e, muito menos, leis sendo modificadas. A única boa notícia nisso tudo foi mostrar às grandes lojas que existe mercado nacional. Hoje temos uma tonelada de "promoções" (com aspas, mas ainda assim, promoções) todos os meses. E isso é, até certo ponto, positivo. 
     
    Infelizmente o sistema sempre vence. Se tinha (tem) varejista encabeçando a ACIGAMES, a merda estava prevista. Por mais que em algum (raro) momento futuro as coisas façam sentido, ele terá muito trabalho para mudar essa imagem criada em poucos dias. Mas lembrem-se que "nós colocamos" o sujeito lá. E o que aconteceu essa semana, prova que também podemos tirar. Fiquemos de olho e vamos tentar evitar que a política se intrometa a fundo nesse assunto.
     
    O ser humano ~quase~ sempre morre pela boca.
     
    PS: Lembremos que o projeto de lei que "passou", nada tem a ver com o Jogo (in?)Justo.
     

  17. Sei não pessoal. To com o Moacyr nessa. Tudo bem que todos nós somos consumidores e nosso único objetivo é adquirir o produto final pelo menor preço possivel, beleza. Mas acho que ele está pensando mais é no nível macro do negócio mesmo. Regular a distribuição digital e dificultar a aquisição de jogos importados só tem a contribuir com o Brasil. Por um tempo sofreremos muito porque os jogos são extremamente caros, entretanto o Brasil é um dos maiores mercados de games do mundo, dificultar a aquisição de jogos importados e distribuição digital é um meio de forçar as empresas de games a investir no Brasil e trazer seus jogos para dentro de nosso territorio. É um efeito em cadeia, as empresas vindo para cá, ou querendo entrar no nosso mercado, darão um jeito de abaixar o preço dos jogos para competir, isso é natural.
     
    Não tem como negar isso. Pegamos como exemplo o Starcraft II e o Word of Warcraft, que estão sendo comercializados no brasil mais barato do que nos outros lugares do mundo. É fato que quando as empresas do exterior vêem no Brasil um mercado promissor, elas dão um jeito de entrar nesse mercado e tirar um grande proveito disso. Acredito que é pensando desse jeito que o Moacyr está querendo regular os negócios e estabelecer limites. Mas tem que tomar cuidado com o que fala, parece que ele virou conselheiro do Governo ou algo do genero, mas é aí que deve tomar mais cuidado na hora de lidar com esses assuntos, pois uma bola fora dessa deixa uma instabilidade gigantesca na comunidade gamer…

    1.  @Ricardo_Cayous Se você mesmo admite que mesmo na conjuntura atual, é possível e interessante para empresas virem ao Brasil e praticarem preços competitivos e razoáveis, por qual razão eu primeiro tenho que me ferrar (com maior dificuldade através da regulação digital e rigidez na importação) para só depois a situação melhorar? É absolutamente incoerente sua argumentação. Como o Thiago falou, primeiro reduz o preço, depois combate a importação, não o contrário.
       
       

    2.  @Ricardo_Cayous É sério brasileiro tem que se foder mesmo, quando leio essas coisas. Cara nós já somos o país que mais paga impostos em tudo. TUDO! Você acha mesmo que temos que pagar mais ainda para melhorar uma coisa, uma lei rídicula que qualquer imbecil vê que não tem o mínimo sentido?
       
      Na boa meu, da desânimo de ver pessoas como você ou o Mauri defendendo uma coisa dessas. Só posso crer que vocês não tem que pagar, ainda, 25% do que vocês ganham o ano ralando muito para noss querido Governo. Ou se você tem uma empresa isso passa para 40%. Não pagam IPVA, IPTU, DPVAT, INSS, Contibuição Sindical, etc, etc, etc.
       
      Não muito obrigado, não acho que esse seja o caminho.

  18. Essa situação vai ser sempre a mesma, pq as atitudes de todos não são suficientes ou melhor, não existe uma real atitude.
    Ta mais do que provado por todos os anos de existência do país brasil, que aumentar impostos não resulta em melhorias. Simplesmente pq os frutos de mais impostos, é uma margem maior para nossos comandantes esbanjarem, mais quantidade pra desviar, mais verba para assessores para ajudar a administrar tal campo.  O brasil atual pode cobrar uma carga tributária de 90%, que vai continuar a mesma coisa, pq nosso dinheiro é despejado bueiro abaixo. Esse é um ponto.
    Outro ponto é que somos um povo apolítico, aqui os ditos indignados não tiram a bunda da cadeira, como eu! Todos acham que protestar pela net, é sua parte, o torna um verdadeiro revolucionário. Obvio que a internet tem o seu poder e ja houveram vários casos onde o peso da opinião pública vindas da web foi decisiva, mas isso não é o caminho mais rápido e eficiente.
    Mesmo as pessoas que reclamam, como a maioria nos comentários, são as mesmas que não se privarão de seus jogos se o que é citado no texto acontecer. Citaram o ramo automobilístico, os mesmos que clamam por preço justo, que sabem que mesmo com a taxação os carros não deveriam ser tão caros, não deixam de comprar! Vão, reclamam para o vendedor, protesta entre os amigos e compram! Essas pessoas serão as mesmas que não ficam sem ter os seus lançamentos de games, mesmo com o preço. Vão falar que não é justo, que eles trabalham e tem o direito de ter os produtos que lhes proporciona horas de lazer e descontração, que o errado é o governo, não estão errados, mas enquanto vcs comprarem, isso vai acontecer, Enquanto ninguem mobilizar uma multidão para ser ouvida, ou deixar de comprar MESMO o que não acha justo, tudo vai ser igual. Enquanto o jogo ta caro, eu simplesmente não compro, não morro por isso, fiquei com três jogos de ps3 por 5 anos, e sobrevivi muito bem. Não tenho carro até agora, antes pq não tinha dinheiro pela faculdade, agora depois de formado, pq eu não acho justo o preço cobrado pelos carros.
    Se acho que meu "protesto" vai surtir efeito? não, sozinho tenho tanto poder como uma lesma. Vou ficar sem carro até morrer enquanto isso não for resolvido? não sei, mas por enquanto sofro em transporte público em são paulo mas não pago o que não acho certo.

  19. Vou Repetir só mais uma vez o que penso dessa Situação:
     
    Não temos produtoras de jogos de Expressão no País! Logo todos os jogos Vêm de fora de um jeito ou de outro! ou eu compro la fora ou Alguma empresa Licencia Traduz (geralmente porcamente) e Vende aqui dentro. Jogo NÃO É UM PRODUTO NACIONAL? Logo comprar de fora é o certo! A briga em questão é, Eu compro fora? Ou alguém Rico revende mais caro pra mim?
     
    Mas Brasil é Brasil! quando querem proteger os ricos de dentro taxam os de fora, quando querem o Capital de fora, fodem o de dentro (Gurgel, montadora de carros, manda lembranças).
     

  20. Vou Repetir só mais uma vez o que penso dessa Situação:
     
    Não temos produtoras de jogos de Expressão no País! Logo todos os jogos Vêm de fora de um jeito ou de outro! ou eu compro la fora ou Alguma empresa Licencia Traduz (geralmente porcamente) e Vende aqui dentro. Jogo NÃO É UM PRODUTO NACIONAL! Logo comprar de fora é o certo!
     
    A  questão é, Eu compro fora? Ou alguém Rico revende mais caro pra mim?
     
    Mas Brasil é Brasil! quando querem proteger os ricos de dentro taxam os de fora, quando querem o Capital de fora, fodem o de dentro (Gurgel, montadora de carros, manda lembranças).
     

  21. Pelo visto nós nos ferraremos durante mais alguns anos. Eu estava otimista que na próxima geração as coisas já ficassem num patamar acéitavel, mas pelo visto esse governo de merda que o nosso dinheiro para continuar roubando é fodz viu. Atualmente meu PS3 é bloqueado e é meu primeiro console assim desde do Mega Drive, no entanto, meu PS3, Meu controle, e 90% dos meu jogos foram comprados no mercado cinza e esse é o preço de quem quer ter um console original, tem que mandar o governo e seus jogos de 180-200 reais para PQP.

  22. Falou Tudo Thiago . A jogo justo tem que mudar os impostos antes de querer acabar com a importação , mas que lei é essa que bota os jogos junto com os caça niqueis ????????????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.