AssistindoReflexões & Opiniões

Hora de Aventura | Just you and me in the wreckage of the world

Simon_Petrikov_and_Young_Marceline

Não é exagero dizer que Adventure Time é um dos programas mais originais em exibição. O desenho faz uso da clássica estrutura do herói que salva princesas para desconstruir velhos arquétipos e desenvolver um roteiro aparentemente simples que esconde sob sua superfície um grau de profundidade e tragédia normalmente não visto em cartoons. E é justamente sobre esse aspecto sombrio e fascinante de Hora da Aventura que este texto tratará. Obviamente, haverá spoilers.

As aventuras retratadas no desenho se passam na Terra de Ooo, que é o que sobrou de nosso mundo depois de uma guerra nuclear. A detonação das bombas nucleares criou uma cratera gigantesca no planeta. Rastros da civilização humana são encontrados frequentemente durante o show. Os seres humanos foram praticamente extintos e as atuais formas de vida são resultado de mutações e magia. Nesse mundo, acompanhamos as vidas do garoto humano Finn e seu melhor amigo Jake, um cão amarelo que consegue aumentar e diminuir de tamanho, além de mudar de forma. Os dois estão quase sempre lutando contra monstros e vilões diversos, além de resgatar princesas sequestradas pelo Rei Gelado (Ice King), que sofre de solidão e tristeza, tendo apenas seus pinguins para fazer-lhe companhia. Nas horas livres, Finn e Jake se divertem com videogames, filmes e brincadeiras, sendo frequentemente acompanhados pela poderosa vampira Marceline (que apesar da aparência jovem, tem mais de mil anos de idade), que se alimenta da cor vermelha. A princesa mais importante da estória é Jujuba (Bubblegum), regente do Reino Doce e primeiro interesse amoroso de Finn. O enredo segue um caráter episódico (cada episódio possui 11 minutos de duração), existindo, contudo, elementos que rementem a uma estória maior que abarca e explica aquele mundo e as relações entre os personagens.

O elemento mais frequentemente citado desse background é a Guerra dos Cogumelos. Os únicos sobreviventes conhecidos da tragédia são o Rei Gelado e Marceline. Há teorias de que a guerra aconteceu devido ao processo de resfriamento do mundo, provocado involuntariamente pelo arqueólogo Simon Petrikov quando ele colocou uma coroa mágica sobre sua cabeça e começou a sucumbir à loucura que o transformaria no rei azul sequestrador de princesas mil anos depois. A razão pela qual Ice King sequestra princesas, aliás, é seu desejo subconsciente de reencontrar sua noiva Bettie, que o havia deixado (ou fugido dele) quando ele começou a perder a razão. Depois da detonação das bombas nucleares, Simon encontrou a pequena Marceline ainda criança, antes de ela virar vampira, e tomou conta dela, já que eles estavam sozinhos em um mundo em ruínas. A coroa lhe concedeu a magia necessária para sobreviver, mas em compensação a consciência de Simon foi se deteriorando até que ele esquecesse de quem era e Marceline se afastasse dele também. O Rei Gelado, apesar de ser utilizado para fins cômicos em quase todos os episódios, é o personagem mais trágico de Adventure Time.

Marceline também tem aspectos tristes em sua composição. Além de sua história com Simon, ela tem dificuldades de se relacionar com as pessoas. Depois de virar vampira em sua adolescência, ela vagou pela Terra de Ooo, lutando contra monstros, mudando constantemente de casa e estando quase sempre sozinha até conhecer Finn e Jake. Sabe-se que Marceline teve alguma espécie de relacionamento com Bubblegum no passado (cuja natureza não é explicada) e que elas se separaram depois de um briga, mas atualmente as duas dão sinais de estarem se reaproximando. A vampira tem uma relação conflituosa com seu pai, o demônio rei da Noitosfera (Marceline é só metade demônio), que tenta fazer com que a moça siga seus passos, não respeitando a vontade dela. Marceline expressa seus sentimentos através de canções, talvez por não saber como transmiti-los de outra maneira.

Finn foi encontrado em uma floresta ainda bebê e foi adotado pelos pais de Jake, sendo criado como irmão do cachorro.  A origem do menino é o maior mistério do programa. Se o garoto é o último dos seres humanos, de onde ele veio? O que houve com seus pais? Informações esparsas são fornecidas no decorrer dos episódios e a partir delas teorias são criadas. No episódio The Creeps, por exemplo, Finn vê o fantasma de uma mulher verde e coberta de algas marinhas que sorri para ele. O mesmo fantasma surge atrás dele em seu sonho no episódio King Worm quando o garoto está em uma cadeirinha de bebê. Somando-se isso ao fato de o rapaz ter um irracional medo do oceano, conjectura-se que o fantasma pudesse ser a mãe dele e que Finn a tivesse visto morrer no mar. O jovem herói tem um forte senso de justiça e uma moral incorruptível, mas ainda tem as características de um garoto comum. Ele gosta de se divertir e de ajudar aos demais, tendo poucos momentos de melancolia por não saber o que houve com os outros seres humanos. Finn sofreu de amor não correspondido por Jujuba durante as três primeiras temporadas, só superando o sentimento quando conheceu e se apaixonou pela Princesa Chama, considerada por seu pai como maligna e pelo jovem como apaixonada (no sentido de agir com paixão, não no sentido romântico). Eles vivem uma estória de amor complicada: a princesa é feita de fogo, o que resulta em Finn se machucando quando ele encosta nela diretamente. Por ser temperamental e instável, a jovem ficou trancada em uma cela por quase toda a sua vida. Bubblegum foi a pessoa que pediu isso ao Rei Chama.

Aliás, Bubblegum (Jujuba) é uma personagem dúbia. Ela é forte, decidida e inteligente, mas a moralidade da monarca não é tão simples quanto a de Finn. Ela não vê problemas éticos em torturar o Ice King se isso puder salvar seu povo, em fazer Finn e Jake acreditarem que ela seria decapitada se eles não entregassem as tortas reais em um evento, em fazer experimentos com cadáveres ou criar novas formas de vida.  A personagem parece sofrer de complexo de deus: devido a seu imenso intelecto, Bubblegum tende a achar que suas decisões são sempre corretas, que os fins justificam os meios que utiliza e que ela entende as coisas de maneira mais clara do que as outras pessoas, acreditando saber (e muitas vezes impondo) o que é melhor para todos. Ela é a representação do mundo dos adultos, onde não há respostas pré-determinadas para os problemas e deve-se tentar agir com responsabilidade, mesmo que isso signifique tomar decisões cruéis e fazer sacrifícios. Bubblegum é, por tudo isso, uma personagem complexa e fascinante.

Apesar de ter a mesma idade de Finn, por ser um cachorro, Jake já é adulto. Contudo, o cão não é um adulto exemplar. Ele é temperamental, emocionalmente instável, egoísta, preguiçoso, carente e tem poderes potencialmente perigosos. Jake já teve atitudes não louváveis, como roubar coisas de senhoras de idade, esperar demais para ajudar Finn quando ele estava em perigo – às vezes por esquecer que estava em uma missão de resgate e se distrair com outras coisas, outras vezes por demorar a entender que o amigo estava em perigo – e até conspirar para o assassinato de um burro (ou cavalo… não tenho certeza do que aquele bicho era). Jake tem características vilanescas, mas não seguiu o caminho errado por causa de Finn, tendo grande carinho e estima por seu irmão adotivo. Mas é bom frisar que pelo cão ter um senso moral mais flexível, ele não enxerga o mundo em preto e branco e consegue entender os pontos de vistas de personagens tidos como maus por outras pessoas, mas que só não tinham suas motivações compreendidas, como visto no episódio Princess Cookie. Ironicamente, o cachorro Jake é o personagem mais humano de Adventure Time.

Se há um personagem em Hora da Aventura que merece o título de vilão, esse sujeito é o Lich. Ele é um ser horrendo nascido dos dejetos nucleares que almeja a destruição de toda a vida (ele é resultado de uma arma de destruição em massa, afinal). A criatura havia sido derrotada pelo herói Billie e aprisionada no Reino Doce (Candy Kingdom) por um antepassado da Princesa Bubblegum. Um dia, ele conseguiu escapar e possuir o corpo de Jujuba, refugiando-se depois no corpo de uma lesma até conseguir matar Billie e tomar seu corpo. No fim da quarta temporada, o Lich se apoderou do livro dos heróis, o Enchiridion (outra relíquia que já esteve nas mãos de Simon Petrikov antes da guerra), um artefato que não só continha muitas informações acerca de Ooo, como também era uma ferramenta para se abrir um portal para o multiverso. O vilão conseguiu a façanha com a ajuda das gemas das jóias reais de diferentes reinos. No multiverso, o Lich encontrou uma sala dimensional onde havia um ser que atendia desejos. O vilão desejou pela extinção de toda a vida. Finn e Jake chegaram logo depois e o garoto desejou que o Lich nunca tivesse existido. O pedido do menino resetou a cronologia da série e uma realidade em que os seres humanos não foram extintos e o inferno nuclear não ocorreu foi mostrada. Esse novo mundo apareceu na season premiere dupla da quinta temporada de Adventure Time (Finn the Human / Jake the Dog).

Nesse mundo alternativo, Jake é um cachorro normal e Finn vive com seus pais e um irmão (ou irmãzinha) bebê em uma fazenda. Seus olhos são normais em vez de dois pontos, ele tem um nariz visível e um braço mecânico. O mundo claramente sofre os efeitos de uma recessão econômica (provocada por uma guerra) e uma gangue tenta extorquir dinheiro do pai de Finn. Quando o garoto estava a caminho da cidade para vender um animal de fazenda, ele encontra em uma caverna uma senhora idosa chamada Marceline, que estava junto do esqueleto de um homem de coroa esmagado por uma bomba congelada. Marceline explica que seu amigo Simon havia evitado uma explosão nuclear ao custo de sua própria vida e que a coroa que ele tinha era mágica. Finn não acredita e rouba a coroa para vendê-la. Mais tarde os bandidos ateiam fogo a sua casa com sua família dentro e o garoto, desesperado, põe a coroa sobre sua cabeça e recebe os poderes do Ice King. Sua sanidade começa a se deteriorar rapidamente ao mesmo tempo em que a bomba que havia sido congelada por Simon detona. A bomba mata Marceline e destrói os arredores, e os dejetos tóxicos transformam o cachorro Jake em um monstro: o Lich. O verdadeiro Jake (que estava na sala do ser que atendia desejos) ouve Finn chamando o monstro por seu nome e deseja para que o pedido que o Lich fizera tivesse sido para que os dois amigos voltassem para Ooo, apagando o mundo alternativo e salvando Finn. Esses foram, talvez, os dois episódios mais perturbadores do cartoon. Obviamente, a partir daí muitas teorias surgiram envolvendo as duas realidades, o que aconteceu com a família de Finn, o destino do Lich e a natureza do tempo e do espaço no multiverso do programa. Diga-se de passagem que as teorias tecidas pelos fãs são muito bem elaboradas e embasadas, o que me recorda das saudosas teorias de Lost. São visíveis o grau de crueldade a que os personagens estão sujeitos e a complexidade do show. Não há garantia de felicidade ou de segurança na Hora da Aventura para ninguém. Não se deixem enganar pela propaganda do Cartoon Network, pelos personagens coloridos e pelas estórias divertidas. A subversidade do desenho extrapola o que qualquer expectador comum esperaria e consegue despertar questionamentos sobre a existência, a vida, a loucura e a moral. Cada episódio desse show é especial e ajuda a construir uma estória grandiosa e épica, que não precisa de grandes efeitos especiais ou uma produção caríssima para ser contada. Um garoto de chapéu legal e seu cão amarelo falante são os protagonistas de um cartoon inteligente, provocativo, sensível, perturbador e magnífico. E não existem características melhores para uma estória.

 

It’s Adventure Time.

C’mon, grab your friends.

We’ll go to very distant lands.

With Jake the Dog and Finn the Human,

The fun will never end.

It’s Adventure Time!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Andreanekacs

Leitora voraz de livros e mangás, facilmente viciável em séries e frequentemente tecendo teorias estranhas sobre a vida, o universo e tudo mais.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios