Japão

Recomendação de anime e mangá: Nana!

Música, drama, amizade e romance!

Esses dias estava pensando em uma pauta para escrever algo aqui no blog e ouvindo algumas músicas de animes para ver se vinha inspiração, de repente toca músicas do anime Nana na minha playlist do celular! Pronto, o tema para o post dessa semana estava decidido.

Decidi indicar esse super anime para vocês! Já digo que sou super fanboy e o texto é super parcial e pessoal. Filosofia EXP total, mas é uma recomendação honesta e sincera.

Saiba mais sobre Nana após o Continue Lendo!

O que é Nana?

Nana foi o primeiro anime Josei/Shoujo que assisti e por isso tenho um imenso carinho pela obra. Nana foi criado pela mangaká Ai Yazawa e serializada na revista Cookie.

Ai Yazawa também criou Paradise Kiss, uma obra Josei bastante elogiada, que ainda não tive o prazer de conhecer, mas está na lista.

A história de Nana gira em torno de duas garotas que curiosamente tem o mesmo, adivinhem qual é o nome das duas? É claro que é Nana!

Komatsu (Hachi) Nana é uma garota comum, daquelas que apenas querem se casar, ter um bom marido e ser feliz.

Já Oosaki Nana é uma garota que foge dos padrões normais, é vocalista de uma banda de punk-rock (seria um j-punk-rock-melódico?) e seu sonho é ser uma grande cantora, além de viver exclusivamente de música, apesar de no fundo também querer viver com seu grande amor.

Logo no início da trama, as duas vão morar juntas em um apartamento, que no futuro se tornará o local de muitas lembranças, de uma convivência jamais vista na história dos mangás e animes, uma história de amizade incrível entre duas pessoas tão diferentes.

Dando uma sinopse rápida das duas protagonistas, pode dar a impressão da história ser muito simples e melosa, e na verdade em muitos momentos realmente é, mas o detalhe é COMO essa história é contada e como as personagens principais e os vários secundários que vão surgindo tem um carisma absurdo!

É até meio vergonhoso admitir isso, mas em uma determinada cena entre as duas Nanas em que elas reencontram um personagem muito querido por uma delas ao som da banda desse personagem em um show, as lágrimas me vieram e olha que me considero um cara durão que raramente se emociona com algo, nunca havia chorado em um anime antes.

Só me emocionei com dois animes, Ano Hana com sua trama triste, no “inchorável” último episódio e em Nana, apenas por estar extremamente absorvido pela história e aqueles personagens carismáticos, pois Nana não é uma história triste como Ano Hana.

Em uma outra cena que vale ser mencionada, Oozaki Nana está compondo seu maior sucesso (também o maior sucesso de Anna Tsuchiya), uma música chamada Roses, só que ela não canta a letra, ela apenas vai acompanhando a guitarra de Nobu (guitarrista da sua banda) com a voz, soltando notas,murmurando, imaginando o que poderia vir a ser a música. Que cena espetacular, com ela em uma banheira, sua voz, a guitarra, a noite, a lua e os vizinhos reclamando!!!

Nana é cheio de momentos marcantes e você compra o sonho daquelas garotas, ao mesmo tempo em que acompanha os percalços que a vida as impõe, afinal a vida não é perfeita e Ai Yazawa nos mostra isso com maestria. Não é a toa que Nana é um dos mangás mais vendidos de todos os tempos, segundo a confiável Wikipedia, foram mais de 43 milhões de cópias vendidas até 2008.

Além das Nanas, podemos destacar os personagens que compõe as duas bandas da trama:

Black Stones – BLAST!

Nana Oozaki – Já falei sobre ela no início do post, mas vale ressaltar que é uma personagem interessantíssima, no início eu queria estereotipa-la por conta do seu visual meio punk, meio gótico, mas me surpreendi muito com a sensibilidade e carisma da personagem, confesso que curto mais a Nana Hachi, mas a Nana, vocalista dos Black Stones é uma personagem incível!

Terashima Nobuo (Nobu) – Esse cara inicialmente não parece ser grande coisa, mas a medida que a trama vai avançando você começa a perceber o que é atitude de homem, você percebe o valor desse grande personagem, além disso ele compõe a principal música do anime em sua guitarra!

Shinichi Okazaki (Shin) – Ele é o baixista prodígio do Black Stones, tem apenas 15 anos e possui uma relação muito intrigante com uma das personagens (não as principais), além disso é um cara super cool e interessante de se acompanhar no anime.

Takagi Yasushi (Yasu) – Ainda não tinha citado esse personagem, mas ele é importantíssimo para a trama. É o bateirista do Black Stones e o líder da banda. Um cara que inicialmente parece bem misterioso e tem uma aparência bem imponente, não posso falar muito sobre ele, pois é um personagem chave e não quero dar spoilers desnecessários na recomendação. Ele é foda!

Komatsu Nana – Vou incluí-la no Blast, pois ela é quase uma integrante da banda, a Hachi como é carinhosamente chamada, é muito parecida com a maioria das adolescentes em transição para a fase adulta que existem por aí, se eu que sou homem, consegui me identificar, imagine as garotas. Ela é confusa, meiga, a procura de um trabalho, de um amor, não tem muitos talentos, como os outros personagens e por isso se sente meio deslocada em alguns momentos, mas esse caráter humano, com muitos defeitos que ela tem, é o que a torna uma personagem apaixonante e a minha favorita, do lado Blast! Poderia falar muito sobre a Nana, mas sem dar spoiler é impossível, assistam e leiam!

Abaixo duas músicas da Anna Tsuchiya que inspira/compõe/interpreta as canções do Blast:

Vamos conhecer agora um pouco sobre os personagens que integram a banda Trapnest, pois são importantíssimos para a história do anime/mangá!

Trapnest

Honjo Ren – É o grande amor de Oozaki Nana e também é considerado um gênio musical. É o guitarrista do Trapnest, mas no passado foi baixista do Blast! (me ajudem nessa questão dos instrumentos nos comentários, pois não tenho certeza em relação ao que o Ren toca), claramente seu visual é inspirado no baixista barraqueiro dos Sex Pistols, Sid Vicious, mas tirando os acontecimentos “finais” (Ai Yazawa está doente e ainda não terminou a obra), ele até que é um cara tranquilo e gente boa. Na figura de Ren, que é super popular no Japão da história, podemos ver como é a vida de uma celebridade, inclusive o problema com os paparazzi e a pressão da fama. Ren não parece no início, mas é um personagem super complexo e importantíssimo pra trama. Rolam também umas cenas não recomendadas para menores, entre ele e Oozaki Nana, por essas e outras que considero o mangá Josei, com pitadas de Shoujo.

Ichinose Takumi – Líder, empresário e baixista do Trapnest, talvez um dos personagens mais importantes para a trama e apesar de alguns o considerarem um grande FDP e dependendo do ponto de vista o vilão da história, eu o considero um personagem foda! Nana não é um anime/mangá unidimensional, por isso as atitudes de Tá comi Takumi tem que ser muito bem analisadas antes de serem julgadas. Curto demais esse personagem e aqueles que assistirem, por mais que possam vir a odiá-lo, tem que admitir que é um ótimo personagem! Ah se eu pudesse ou quisesse dar spoilers!

Reira Serizawa – Sou suspeito para falar da Reira, que personagem complexa!!! Não tem como falar de Reira sem dar spoilers, apenas posso dizer que ela é vocalista do Trapnest, reponsável pelo sucesso da banda e dona de uma voz absurdamente linda, interpretada por Olivia Lufkin na parte musical e que me fez começar a gostar um pouco de canções japonesas mais tristes e góticas, é com uma das músicas do Trapnest, cantadas pela Reira, que chorei pela primeira vez vendo um anime. Podem zoar!!!!

Fujieda Naoki – É o bateirista do Trapnest e um cara na dele, único que não tem muito destaque entre os integrantes das duas bandas.

Abaixo duas músicas da Olivia Lufkin que inspira/compõe/interpreta as canções do Trapnest:

Ainda poderíamos citar vários personagens secundários que tem importância na trama como Endo Shouji (um dos namorados da Hacho no início da série e que faz algo muito comum de acontecer entre os jovens), Saotome Junko, Takakura Kyosuke (amigos principalmente da Hachi e que mostram pra ela o lado mais maduro da vida), Kawamura Sachiko (vale ser citada, mas não posso falar a sua importância, seria um baita spoiler).

Nessa incrível trama você vai se emocionar, pensar sobre a vida, sentir uma dose de nostalgia do fim da adolescência e início da fase adulta, ouvir belas músicas (virei fã da Anna Tsuchiya que faz as canções punk do Blast e principalmente fã da Olivia Lufkin que faz as canções góticas e melódicas do Trapnest), as aberturas e encerramentos são lindas, a arte de Ai Yazawa no mangá é linda, os personagem dão um banho de carisma, sou um fanboy descarado dessa obra por que ela merece!

Peço a todos que já assistiram/leram que deem seus depoimentos nos comentários e aqueles que não conheciam Nana ainda, corram e vão ler e assistir já! Eu vou rever e reler tudo!

Corre boatos que Ai Yazawa sua linda está prestes a voltar para terminar a obra e certamente você vai querer estar em dia quando isso acontecer, porque Nana é nota 1000!

Recomendadíssimo!

Até a próxima!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Rafael Gaara

Apaixonado por blogs, cinema, games, séries, músicas, animes e mangás, não necessariamente nessa ordem! The GodFather, Final Fantasy X, Pokémon Yellow, The Legend of Zelda, Atari, Berserk, Code Geass, One Piece, entre outros, moldaram meu corpo, minha mente e meu espirito.
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios