JapãoReflexões & Opiniões

PARA TUDO! One Piece na Crunchyroll BR!

SIM! Oficialmente, legendado, transmissão simultânea com o Japão. o/

Que notícia maravilhosa! Admito que rolou uma lágrima de emoção ao saber que nunca mais vou precisar me dar o trabalho de baixar One Piece em links de qualidade questionáveis, de ter todo o trabalho de codar para assistir na TV. A partir do próximo dia 03 de novembro. Só vou precisar ligar meu Xbox 360 e dar play! Assim como já faço com Naruto há exatos 1 ano!

Mas antes dos pormenores, acredito que valer relembrar aos mais desatentos o que diabos é a Crunchyroll. Já falei sobre esse serviço aqui no blog, exatamente há um ano atrás, quando ele oficialmente estreou no Brasil (texto 1 aqui). Aí um mês depois fiz uma nova avaliação, aproveitando as melhorias do serviço (texto 2 aqui). E há seis meses atrás, tive novamente que voltar a falar de como a coisa estava crescendo e ficando cada dia melhor (texto 3 aqui). Hoje, 01 de novembro de 2013, a Crunchyroll completa 1 ano do lançamento oficial no Brasil e por mais inacreditável que possa parecer, ela está ainda maior e melhor! 

Para quem ficou ainda mais perdido, a Crunchyroll (http://www.crunchyroll.com/) é um serviço semelhante ao poderoso Netflix, porém ela é dedicada exclusivamente a animês e live-action japoneses (lá fora também começou recentemente um serviço de mangás digitais, mas isso ainda não chegou por aqui). Mas não é um serviço que trabalha exatamente como a Netflix. Um dos diferenciais e destaques são os animês com transmissão simultâneas com o Japão. Ou seja, o episódio da semana é exibido no Japão e no mesmo dia, com apenas algumas horas de diferença, ele é liberado no serviço, já legendado para que seus assinantes possam assistir. Não há portanto animês dublados (não é essa a pretensão do serviço, até pela impossibilidade de algo em tempo real com a ideia de transmissão simultânea, quanto com o custo aos assinantes), todos os animês são licenciados com áudio original e com a legendas no nosso idioma.

Onde se assiste os episódios? Basicamente aonde você quiser. Assim como a Netflix, a Crunchyroll tem aplicativos em múltiplos devices. Os principais são os consoles atuais, como o PlayStation 3 e Xbox 360. Há algumas marcas de Smart TVs que também possuem o suporte ao serviço (e eles estão sempre tentando adicionar novos modelos e marcas de aparelhos). E também existem os apps para celulares do sistema iOS e Android. E para quem não tem nada disso, sempre vai ter a opção de assistir pelo computador. Não é necessário fazer o download, todo o serviço roda via streaming, novamente, tal qual a Netflix. E os episódios ficam ali, ao seu bel prazer, para ver e rever quando quiser.

O sistema é inteligente. Ele sabe quais episódios você assistiu e existe dentro dos menus a opção de continuar assistindo a partir do ponto que parou, sendo até mesmo continuar do meio de um episódio interrompido. Naruto, que estou acompanhando há um ano no serviço, já nem esquento mais em ter que lembrar qual o número de episódios que parei de ver, pois o serviço deixa marcado o ponto que parei de ver (já que não assisto toda semana porque… bem é Naruto em animê… tem toda aquela embromação e fillers além do que deveria ser permitido um animê ter).

Mais lindo ainda é saber que tudo isso custa pra mim míseros R$ 10 por mês! Cai todo mês no meu cartão de crédito de forma automática, então nem tenho que me estressar em lembrar de pagar todo mês. Lindo, né?

Para não parecer babação de ovo (apesar de que os caras merecem isso sim, porque onde é que temos tamanha atenção aos animês no Brasil, de forma oficial e com um custo-benefício tão honesto quanto?), há aqueles que reclamam de que as vezes o streming é um pouco inferior que o da Netflix, ou que alguns animês não chegam por eles (uma pena que Attack on Titans, por exemplo, tenha ficado de fora pois não liberaram o licenciamento pra eles) e até tem aqueles que se incomodam um pouco com a tradução das legfendas. Sinceramente pra mim isso é tudo bem irrelevante. Minha internet é uma merda e 95% das vezes em que usei o serviço, tudo rolou perfeitamente, com qualidade excelente na minha SmartTV. quando travou, era meu Speedy que estava tão ruim que só chorando mesmo, mas isso já aconteceu com o Netflix e também com jogatinas online no X360. Não é o sistema que é ruim, mas a internet muitas vezes precisa ser reiniciada nestas situação. Normal vindo desses serviços horríveis de banda larga oferecidos no Brasil. Quanto a legenda, eu não sei japonês, e tudo que leio pela que a Crunchy traduz faz sentido. Nunca fiz erros grosseiros de português, ou termos e coisas dos universo deste animês que acompanho em traduções estranhos ou erradas, como é comum as vezes ver nas traduções dos mangás aqui no Brasil, por exemplo. Eu vejo muito mais coisas grosseiras em legendas de alguns fansubs no que no trabalho da Crunchyroll. Mas esse sou eu, um mero fã de animês em áudio japonês, porem que nada entende da língua em si. E quanto a falta de alguns títulos no catálogo, bem One Piece está aí para provar que tudo tem seu tempo. Pra não dizer que não reclamo de nada, acho as redes sociais da Crunchyroll aqui no Brasil uma porcaria (eles ainda não entenderam a pegada e propósito de um Facebook ou Twitter, ou talvez tenham carência de pessoal com afinidade para tal), mas é algo que pode ser acertado sem maiores problemas com o tempo.

A Crunchyroll em 1 ano já tem animês de peso no serviço. Tem Naruto e One Piece, os episódios atuais e aos poucos estão correndo atrás dos antigos. Tem Gintama, que é um animê xarope de se achar pela internet. Tem Bleach, que também teve seu auge. A nova versão de Hunter x Hunter estrou recentemente por lá, com os episódios atuais e também já correndo atrás dos primeiros. Magi, uma das estreias dessa rodada no Japão está lá também (por enquanto apenas a 2ª temporada). Para um serviço que começou com cerca de 30 títulos, hoje o catalogo todo já possui 150 títulos para serem degustados aos fãs dos desenhos japoneses (são 33 de transmissão simultânea e 117 dentro do catálogo).

Sim, ainda faltam algumas coisas, como Toriko e Saint Seiya Ômega, mas com o tempo tudo se ajeita. One Piece há um ano atrás disseram que era impossível ser liberada pro Brasil e vejo só! Não faria mal também se Fairy Tail, quando voltar desse hiato (e espero que volte mesmo) também consiga o licenciamento oficial pela Crunchyroll. Enfim. Bacana demais e é por isso que mereceu que eu perdesse um pouco da minha noite de sono para que pudesse ter um tempinho para trazer essa notícia, relembrar tudo isso que já havia comentado por aqui e indicar para vocês que querem ver animês no Brasil ganharem um respeito maior do que apenas esse nicho informal e ilegal de consumo gratuito pela internet.

Nós já perdemos os animês na TV aberta e na TV paga. Os fansubs como os conhecemos quando surgiram meio que estão morrendo ou vivendo de doações e nunca sabemos quando os atrasos vão pegar naquelas séries que curtimos. Os produtos relacionados a esse universo só importando com preços caríssimos ou pegando piratas de qualidade duvidosa. Todas essas coisas geram uma vibração ruim no que diz respeito a cultura das animações japonesas e a Cruchyroll veio para dar uma chance aos brasileiros, cobrando um preço que é sim uma mixaria, e mostrando que podemos pagar para ver tudo isso que ficamos anos sofrendo para baixar pela internet, tudo de forma oficial e legal! Dando uma chance ao mercado oficial, para quem sabe que isso cause outras reações como a vinda de produtos oficias, da abertura do Home Video e até mesmo do cinema (Dragon Ball não foi para as telonas esse ano, quem imaginaria isso há um ano atrás?). Ou seja, os animês merece essa chance de provarem e se mostrarem que podem ser viáveis ao Brasil e que não precisamos sofrer como sofremos por anos e anos com títulos em atraso e dependendo de fansubs, que apesar de terem quebrado o galho da gente por anos e anos, não é e nunca será a mesma coisa que ter a oportunidade e compromisso de apoiar um produto de maneira oficial e ver toda a reação de mercado que isso acaba afetando por tabela. Então sim, eu curto demais o fato de que existe a Crunchyroll no Brasil brigando por animês de forma oficial e da maneira que sempre curtimos ver pela internet (áudio original e legendado).

Alias, falando em furada, quem não se lembra dos anos que One Piece aqui no Brasil tinha um buraco nos episódios velhos e novos em exibição? Existia por fansubs até a saga de Arabasta e depois outro fansub pegou de Water 7 pra frente. Que pesadelo foi essa época. Gintama também por muito tempo sofreu do mesmo mal pela internet, esburacado e totalmente atrasado com a exibição japonesa. Até mesmo Katekyo Hitmam Reborn que no último episódio, atrasou e ficou meses uma galera esperando um fansub lançar o último episódio do animê.  Quem nunca teve um caso assim, de fansubs morrendo ou entrando em hiato. Era um sofrimento. Não que eu torça para a extinção deles atualmente. Mas prefiro muito mais o modelo mais atual e moderno que existe com a chegada de serviços como Netflix e Crunchyroll. Lá fora tem até outros, como o Neon Alley, que também é dedicado a animês. Pra mim, a Crunchy está abrindo as portas para uma nova era de animês de um formato mais oficial e com um compromisso mais profissional. Deixo aqui meus parabéns ao serviço. Sou assinante desde o Day One e não pretendo cancelar enquanto estiver nesse nível de qualidade.

E recomendo que acessem este link na Crunchyroll onde eles mencionam tudo que conquistaram nesse 1 ano de serviço, tem link lá também para todas as mais de 30 estreias dessa temporada de outubro, link de todo o catálogo e mais algumas coisas valem a pena dar uma olhada. Fica a dica!

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!
Botão Voltar ao topo
Fechar

Adblock detectado

Por favor, considere apoiar-nos, desativando o seu bloqueador de anúncios