Jogando

Ufa? Preview do GameTrailers de Final Fantasy XIII desmente algumas coisas ruins, mas confirma outras

Não faz muito tempo que postei aqui falando sobre os comentários negativos que a tão esperada 13ª fantasia da Square Enix vem recebendo nesses dias pós lançamento. Pois bem, ontem (dia 7, na verdade ainda é “hoje” pra mim) o site GameTrailers soltou o preview deles do jogo, e posso dizer que fiquei mais aliviada, embora nem tanto. De fato não existem vendedores nem cidades (juro, isso é dito), e para comprar itens é naquele esquema de acessar um save point que eu já tinha falado. Ainda se adquire loot dos inimigos, porém, e é citada a compra de novas armas de tempos em tempos, o que elimina a teoria de que ficaríamos sempre com as mesmas armas, apenas melhorando-as.

A party é fixa sim, e definida de acordo com a história, mas é dito que “eventualmente” isso muda e o jogador passa a poder escolher quem faz parte dela. Sobre as batalhas, é, o jogador só pode controlar um dos personagens, os outros dois ficando a cargo da IA. Cada personagem tem um summon diferente, e eles podem ser chamados a qualquer momento na batalha, porém apenas pelo personagem controlado pelo jogador. Quando evocados, substituem os outros dois personagens e lutam ao lado de quem o chamou até que seu HP chegue a zero (bem similar ao sistema de FFXII), mas antes disso o jogador pode ativar o “Drive Mode”, que consiste em fazer o personagem “montar” na forma veículo de seu summon, que é, segundo disseram, bem mais devastadora. Me chamou a atenção o baixo dano (na casa das dezenas) que o summon da Lightning, Odin, causava a um inimigo no vídeo, o que me leva a pensar que ele está com ela desde bem cedo no jogo, mas quer dizer que eles não farão parte da história como os Espers de XII, quero dizer, “ah tá, esses são ‘os humanos escolhidos’, e por isso eles têm esse bichos estranhos com eles”, ou haverá alguma explicação?

Não foi mencionado se é verdade que a party é totalmente curada ao término das batalhas, mas considerando a revelação de que você não perde nada com o game over (isso mesmo, se morrer não vai perder experiência ou voltar para o último save point, você renasce ali, bem ao lado da batalha que perdeu, seja ela contra chefe ou monstro normal, podendo então tentar de novo ou fazer outra coisa), talvez seja verdade. O sistema de evolução dos personagens é realmente parecido com o de FFX, porém dessa vez o que importa são os CP (Crystal Points), necessários para liberar novas habilidades ou melhorar os stats dos personagens. A principal diferença deste sistema em comparação ao Sphere Grid é que cada job tem melhorias e habilidades únicas, e eu gostei muito disso, já que deixar todo mundo igual como acaba acontecendo em FFX ou XII não faz a minha cabeça (sim, a Internacional Edition de FFXII “corrigiu” isso, tô sabendo).

Sobre a suposta linearidade, no início parece ser isso mesmo, e até falam que não há um “overworld” por assim dizer, mas depois de umas horas a coisa melhora e o jogador tem acesso ao vasto mundo do jogo, e não só a Cocoon. Uma coisa que achei bem legal é que o mundo parece bem “vivo”, com os monstros todos aparecendo no mapa, mesmo os bem distantes, do outro lado de montanhas. Em FFXII eles também apareciam na tela, mas devido às limitações do PS2, nunca tínhamos muita visão, só enxergando os inimigos mais próximos. Um monstro colossal aparece nessa hora no vídeo e mencionam caça a monstros, o que me deixa animada porque isso era muito divertido no XII, mas também dizem que no geral esse FF tem bem menos “mini-games” que o normal, citando apenas a possibilidade de andar em chocobos.

Antes de verem o vídeo, deixa eu avisar: de 0:31 a 1:10 é falado sobre a história do jogo, e posso considerar que isso inclui alguns spoilers iniciais, como o que são de fato os L’Cie e o que acontece à party nas primeiras horas de jogo, então talvez vocês queiram pular essa parte do preview. Bom, avisados, agora já podem assistir (de preferência em HD!):

Lendo de novo o post, tá soando bem negativo, né, mas na verdade eu continuo aguardando ansiosamente pelo jogo, só que sinto a necessidade de dizer o que escrevi aí em cima porque eu não sabia de nada disso, e algumas coisas… ahm… digamos que “não contribuem pro hype”. Se bem que isso pode ser bom, porque como Twilight Princess ensinou a todos, hype demais só atrapalha, então se eu esperar menos de Final Fantasy XIII, quem sabe não acabo gostando ainda mais dele? Comentem!

Isso também pode lhe interessar

Dakini

Viciada em RPGs, sejam eles Final Fantasy e Tales of ou Mass Effect e The Elder Scrolls! Fã incondicional de animês e mangás, e ousem criticar meus favoritos sem bons argumentos! Fora isso, podem me chamar de “a dama dos wallpapers”, hahaha.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.