AssistindoJapão

Grandes Clássicos | A origem de Astroboy

Você conhece o Astroboy? Se para você ele é aquele personagem que mais parece uma cópia do Mega Man, sinto muito, mais você está errado! O robozinho azul da Capcom é que é inspirado em Astroboy. Ao ler a história de Astroboy, é impossível não fazer comparações com Mega Man, pois seu criador, Keiji Inafune, já confirmou em diversas entrevistas que Mega Man é a sua homenagem ao trabalho de Tezuka em Astroboy. Até hoje não entendo como a Capcom não foi atrás dos direitos de Astroboy para fazer um jogo com os dois personagens, seria histórico! Por falar em histórico, assim como Mega Man, Astroboy possui nomes diferentes no Japão e no ocidente. No Japão, ele é o Tetsuwan Atom, algo como O Poderoso Átomo. Para facilitar, vou usar somente o nome Astroboy no post, ok?

A idéia toda surgiu da cabeça de Osamu Tezuka (1928 – 1989), o consagrado Deus do Mangá (para saber mais, que tal ouvir nosso podcast sobre HQ?). Astroboy nasceu como um personagem de mangá, no ano de 1951, publicado nas histórias Captain Atom publicadas na Shonen Magazine. Não era o personagem principal, mas logo chamou a atenção do público e no ano seguinte ganhou seu proprio título (o qual só chegou ao ocidente em 1992 pela editora Dark Horse, em uma versão revisada), e daí em diante rapidamente conquistou o status de ícone no Japão. Detalhe interessante é que Tezuka possuia uma grande amizade com o nosso Mauricio de Souza, ambos visitavam os seus estúdios, e planejavam uma animação conjunta estrelada por Astroboy e A Princesa e o Cavaleiro, de Tezuka, com a Turma da Mônica, de Maurício.  Porém, um pouco depois a morte de Tezuka parou o projeto, que só foi concluído pelo brasileiro na forma de uma HQ, que será lançada pelo desenhista brasileiro no meio desse ano por aqui e até o fim do ano no Japão. É a única obra estrangeira licenciada pela família de Tezuka que usa os famosos personagens do mangaká, mais um motivo de orgulho para nós, após 20 anos de espera por esse projeto!

O mangá de Astroboy se destaca por sua abordagem, mostrando Astroboy como um robô que luta apenas pela paz, sem caçar bandidos ou defender insteresses próprios em nome de alguém. O ar inocente do mangá era valorizado pelos suaves traços de Tezuka, que usava e abusava de expressões variadas e detalhistas, gerando um estilo único e genial Embora fosse em tese um mangá voltado para o público jovem, Astroboy evoluiu, trazendo temas como racismo, egoísmo, o uso da tecnologia para fins malignos.  De fato, Astroboy durante suas aventuras foi desmembrado, torturado, aprisionado e exposto a assassinato de pessoas de quem era próximo, genocídio, e diversas outras crueldades. Tudo isso contribuiu para tornar o personagem em um ícone do mangá, de uma maneira que nenhum outro personagem chegasse perto de sua importância até mesmo nos dias de hoje.

Ler as aventuras de Astroboy é uma experiência cheia de diversas nuances ricas. É um mangá divertido, sério, bem-humorado, simples, perturbador, enfim, é uma leitura obrigatória para aqueles que gotam de curtir uma boa história. Conforme o passar dos anos, Astroboy ganhou diversas reinterpretações, mas em linhas gerais, a história é a seguinte:

Astroboy é criação do gênio robótico Dr. Tenma, que preside o Ministério da Ciência. Tobio, o jovem filho do Dr.  Tenma, acidentalmente foi morto por um carro robô. A tragédia afetou profundamente o Dr. Tenma, gerando uma obsessão em recriar Tobio a todo custo, usando qualquer recurso que pudesse dispôr. Sua meta era recriar Tobio na forma de um robô-réplica perfeito, que fosse capaz de ter sentimentos e a mente de um ser humano. E para a genialidade dele, essa era uma meta que poderia ser ser concretizada, e então ele abraçou esse projeto de corpo, alma, e  principalmente, com sua mente.

E o incansável cientista conseguiu! Astro realmente assumiu o lugar de Tobio na vida do Dr. Tenma, mas algum tempo depois eles se separaram, e Astro se tornou um escravo de um circo robótico, até ser resgatado pelo Dr. Ochanomizu (também conhecido como Dr. Elefun ou Dr. Oshay), cientista que havia assumido o lugar do Dr Tenma no Ministério. Tenma foi deposto do cargo devido suas ações que resultaram na criação de astro, pois nem tudo o que fez foi de maneira legal. Caçado pela polícia, Dr. Tenma desapareceu.

O bom Dr. Ochanomizu reconstruiu o debilitado Astroboy, e acabou por isso se tornando uma espécie de pai adotivo, já que o Dr. Tenma passou a rejeitar Astro, pois achava que um dia os robôs iam se rebelar contra a humanidade tendo como líder o proprio Astroboy! Não havia quem não acreditasse que o Dr. Tenma havia sucumbido à loucura.

Astroboy tinha então duas figuras paternas, mas para lhe fazer companhia o Dr. Ochanimizu criou Uran (ou Zoran) para ser a irmã robótica de Astro, e ela teve um papel fundamental em ensinar a Astro sobre os valores familiares, relações humanas e sua responsabilidade com o mundo em que vive. Como o Dr. Ochanimizu não é tão genial quanto o Dr Tenma, Zoran não é tão sofisticada quanto Astro, e ao contrário de seu irmão, ela só tem uma habilidade especial, que é a de poder se comunicar com os animais.

Mais tarde Dr Ochanimizu criou um irmão para os dois, Cobalt, porém o robô se sacrificou para salvar o mundo em uma das suas aventuras com Astro. Outros “parentes” foram criados para servirem de referência familiar para Astro, porém todos falharam, já que Astroboy era tão único e dotado de “bom coração”, ao contrário dos novos robôs, que não entendiam o mundo da mesma maneira que a sua.

Mas uma outra criação do Dr. Tenma, Atlas, foi quem mais se aproximou de Astro, e os dois robôs eram quase considerados como verdadeiros “irmãos gêmeos”, sendo que a sofisticação de Atlas era tão superior aos demais robôs quanto Astro, porém Atlas não reconhecia as leis da robótica que faziam Astro ser tão amigável como os humanos, pois o Dr. Tenma criou Atlas para ser o pilar da rebelião dos robôs, sendo realmente o único adversário digno de lutar com Astroboy no mesmo nível.

Essa é mais ou menos um bom resumo da origem de Astroboy. O personagem foi adaptado para outras mídias diversas vezes, ganhando acréscimos ou alterações nos acontecimentos vividos por Astro. Tivemos nos anos seguintes novos animês, mangás, jogos, adaptações live-action, etc. Mas o carisma de Astroboy sempre foi determinante para sua fortíssima empatia com o público, em especial o japonês, que nunca se cansa de se deslumbrar com as aventuras de um pequeno robô com jeito de gente. E aos poucos, Astroboy vai ganhando cada vez mais fãs no ocidente. É nesse embalo crescente que estréia essa semana a animação Astroboy, produzida pelo estúdio Imagi (TMNT). Eu vou com certeza assistir o filme e postar as minhas impressões aqui no Portallos, pois adoro o personagem, já comprei até o McLanche Feliz desse mês, que vem com uma série de bonecos baseados na animação que está entrando em cartaz.  Por enquanto, ficamos por aqui, mas deixo no post alguns vídeos com episódios dos animês.

Isso também pode lhe interessar

Mauri Link

Um gamer inveterado desde a primeira geração de consoles, aficcionado por histórias em quadrinhos, nerd de carteirinha, e super-herói nas horas vagas!
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.