Hierarquia da guilda exposta, Ilha Galuna, Deliora e o passado de Gray! [Fairy Tail Vol. 4] [MdQ]

Depois do postão avaliando a edição nacional com os três volumes lançados, agora os MdQs podem ser de um em um, né? Volume #4 chega com o terceiro arco da história, depois de Lullaby e Daybreak, mas o primeiro a ter uma relação mais interessante em termos de personagens. Volume muito gostoso de ler, então vamos a ele!

Bom, primeiro deixa eu dizer que, até que os volumes nacionais cheguem onde parei de ler pela internet (em algum lugar da saga Oración Seis), dificilmente vocês verão algum comentário meu do tipo “nossa, me surpreendeu!!” por motivos óbvios, mas isso não quer dizer que eu não esteja gostando do mangá, muito pelo contrário, ok? Bom, o primeiro capítulo foi bacana por colocar a Fairy Tail em contato com o conselho e nos dar uma noção da flexibilidade das regras deles com essa história de fingimento de culpa na Elza. Foi divertido ver o Natsu (Macao) mini jacaré e todo o clima que ficou na guilda com a prisão da Titânia, mas se foquem na relação entre ela e Siegrain que foi revelada, porque é isso o que o capítulo teve de realmente relevante. Quem já leu/assistiu sabe do que tô falando, mas acredito que quem viu como inédito também se deu conta, ainda mais com o tease de ele quase beijá-la sussurrando pra manter segredo, né. O Mashima não é muito sutil em dar dicas importantes, hahaha.

Em seguida, nos deparamos com os fortões da guilda: Mystogun e Laxus. Por hora é só isso mesmo, o autor nos dando uma noção da hierarquia, mas mais pra frente teremos seus arcos específicos. O segundo andar é mostrado e temos a primeira cena com uma Mirajane mais irada… essa personagem é foda, acreditem e esperem! E o Natsu obviamente tem a brilhante ideia de roubar uma missão nível S mesmo que possa resultar em expulsão. Lucy o segue por interesse, Gray acaba metido e a Elza tá a caminho. O time formado novamente. Nesse ponto me lembro de Naruto na fase criança quando o Time 7 se depara com a missão do Zabuza, sendo muito mais perigosa do que deveria ser, e não para o nível Genin deles. Acho que faz parte de algumas narrativas shonen colocar um objetivo aparentemente impossível frente os protagonistas, só para nos surpreendermos quando o completarem. Nada contra, mas o ruim disso é que o “topo” de dificuldade se esvai muito facilmente. Missões SS? Missões SSS? Não, né… E nesse sentido, quando tivermos, sei lá, no volume #15, vamos ver os personagens principais incrivelmente mais fortes e pensar “Pqp, quando eles eram fracotes já venciam missões S? Em que nível estão agora? Aquilo não deveria ter sido nível D?”, e assim o autor tem que abandonar o sistema rankeado de missões e passar a Guildas das Trevas, magias perdidas, etc. É um erro de planejamento, talvez de abordagem. Isso, claro, na minha opinião, mas comparem com o universo de One Piece ou, digamos, Hunter x Hunter, em que a evolução dos personagens, apesar de quantificada de certa forma, nunca é limitada por algum conceito da série. Uma narrativa mais inteligente e, principalmente, convincente.

Sobre o arco da Ilha Galuna em si, acho a história da maldição bacana. Mostrar o passado de Gray, o erro do garoto que acabou matando a mestra mesmo que indiretamente (Curiosidade: só eu sempre adoro os mestres? A Izumi Curtis de Fullmetal Alchemist por exemplo será uma das minhas personagens favoritas ever, e a Ur, mesmo aparecendo MUITO rapidamente, também me dá vontade de saber mais.), e colocar seu rival de infância como antagonista é algo que funciona. Pode ser clichê no sentido da coincidência absurda, mas sendo agradável à leitura acho que é o de menos. Bom, Lyon (PS: com capacete = foda; sem capacete = genérico) se mostrando meio overpower (não vai durar muito), mas fora o fato de aparentemente ser mais forte que o Gray, o que acho legal mesmo do personagem é que suas criações são vivas. O Gray faz uns ataques bacanas com certeza, mas poxa, animais de gelo eu acho muito mais “cool” se é que me entendem. Tem mais limitações à medida que não pode ser algo adaptado ao corpo do usuário, e o Ice Make do Gray vai ir ficando bem bacana, mas nesse momento inicial o do Lyon chama bem mais atenção.

Falando em Ice Make, viva, galera!! A JBC desistiu de deixar “moldar agora!” pros ataques! Nossa, que bom ver que ao menos algumas reclamações eles tão aceitando. A essa altura não dá mais pra mudar o “é” do Happy (e no primeiro quadro da página 92 tem um exemplo de como isso é triste), mas “gelo, faça”, apesar de literal, ficou bem melhor. Ao menos é o sentido cru, e não alguma frase de efeito estilo Power Rangers. Fiquei mais contente. Quanto às gírias, achei tudo bem fluido, no padrão do volume #3 mesmo. “Nesse mato tem cachorro.” e “Senta aí, come e engasga.” acho que foram as únicas coisas que eu pensei que “pô, não precisava”, mas nada demais.

Sobre o volume como um todo, super engraçado e gostoso de ler. Na parte em que o pessoal tá caindo nas ruínas, a Lucy pede pro Happy salvar o povo e ele aparece com o osso entalado na garganta eu ri alto, tanto quanto do sofrimento do pobrezinho nos quadros seguintes. Esse gato, no geral, é o que mais me faz rir no mangá, gosto muito do personagem. A historinha com ele e a Lucy no final também foi bem cômica! Outra coisa que me deu na telha de falar é sobre as “mini revelações” do volume. Em um tankobon, coisas como “Vocês terão que destruir a lua!!” são logo desmentidas no próximo capítulo, nem 5min de leitura depois, e perdem muito do impacto que deveriam ter. Imaginem, porém, essa frase sendo o final de um capítulo cuja continuação só poderemos ler uma semana depois. É assim que o mangá é originalmente lançado, e dá uma ideia melhor do que o autor quis fazer com a situação. Pensar “COMO ASSIM?!” por uma semana inteira e ir seco pra ler o próximo cria uma expectativa que no tankobon some quase por completo, o que é uma pena. Outra coisa pequena mas bacana foi a sacanagem do filho fantasma do líder da vila (PS: me lembrou Dragon Ball em sua forma demônio). Quem tinha pensado nessa possibilidade quando ele sumiu? Sério que alguém cogitava isso?

Pra terminar, pendências pro próximo volume: subalternos do Lyon indo atacar a vila, Lucy com algum plano maluco, Elza chegando pra, teoricamente, enquadrar os quatro quebradores de regras, Natsu congelado e Gray ferido indo pra vila, Deliora podendo reviver a qualquer momento e Lyon não sabemos o que vai fazer a seguir. Bastante coisa! Agora só em abril. Mas tudo bem, né, já escrevi demais mesmo.

Isso também pode lhe interessar

32 Comentários

  1. Não pude comprar os 3 últimos volumes T.T
    Mas acabei de assistir esse arco no anime ontem e a Ur é foda.
    Mas odeio isso de se fode pra criar um poder e depois sai um animal…é só criar um bagulho de gelo pontudo e fura o cara no meio PÔ!!!
    Mas não digo que não é legalzinho.

      1. não seria nada mal mesmo.
        Agora eu to afim de ver o que a Mirajane faz(no anime).
        E também é mais fácil que dá 50 socos no cara e ele não morre,mata logo essa desgraça!8D
        Não sei porque,mas Fairy Tail tá me conquistando mais e mais.

        1. essa parte que vc quer ver do que a Mirajane faz achei que deu mais emoção no mangá do que no anime pelo menos para mim

          1. No capitulo especial do manga (nem lembro qual xD), mostra ela quando pequena… eu imaginei que ela era forte quando falaram que ela era classe S mas nada dakele tipo q eu vi no anime/manga o.O

  2. o logos de Fairy Tail na capa de cada edição tem um trabalho gráfico que deixa desejar né? tb comprei o volume 4 hoje e assim como os anteriores, vem essas linhas riscadas na impressão do logo.

    JBC não tem verba pra comprar uma impressora que não faça isso? Fala sério!

  3. Ainda to confuso com Fairy Tail. Às vezes acho legal, às vezes acho que não é tão legal, às vezes lembro do que já vi no anime e penso como no mangá deve ser legal, e como mais pra frente deve ter coisas ainda mais legais…
    Esse arco da ilha Galuna por exemplo, legal o Gray ganhar um passado – e mais pra frente sei que a Lucy e a Elza também – mas… sei lá, não vejo um conteúdo interessante… será que to enjoando de lutinha ou Fairy Tail que é enjoado?
    Acho que vou ler outras séries e quando FT tiver super famoso e nos seus 300/400 capítulos eu volto a ler..

    1. Já pensei dessa forma mesmo…cheguei em uma certa altura da qual animes com lutas não me agradam tanto como antes. Fairy Tail está longe de ser épico. Tem excelentes momentos dramáticos e de superação, porém não é nada que não vemos em outras séries. As próximas sagas são muito interessantes, porém falta algo na série que destaque, falta algo mais…bem é o que sinto, uma opinião minha.

      1. Isso sempre que assisto ou leio sinto que ta faltando alguma coisa… Fairy Tail é diferente, pra mim, na maioria dos shounens temporadas duram muitos e muitos episodios, lutas duram muitos e muitos episodios e em FT nao… eu sinto falta de ter aquele gostinho de misterio e saber o que é FT nao me surpreende. A serie em si é boa mas nao acho que possa virar um grande serie como Naruto, Bleach, One Piece e etc

    2. Pra mim Fairy Tail é um mangá muito mais “rápido”, digamos assim. Nenhuma saga realmente grande ou impactante, tudo se resolvendo rápido demais e tal. Gosto muito dos personagens, alguns mais do que outros, e curto o jeito que o Mashima conta a história. É super clichê e tem vários defeitos, mas é um mangá super leve e engraçado, e mesmo assim não é gag, e sim shonen. Gosto bastante.

  4. Fairy TaiL até a saga da Oracion Seis não tem aquela importância toda de uma saga, a saga em si é boa. A próxima saga vai definitivamente esquentar as coisas xD

  5. eu to gostando mais e mais de FT, não é algo ÉPICO igual a One Piece (nao mesmo), mas é uma leitura muito divertida, e se o Mashima trabalhar e desenvolver bem a série, tem um GRANDE potencial .. (afinal, one piece no inicio não tem nada demais).

    Eu fui o único que antes deles verem o Deliora pensei: “Caraca, vai ser um monstro congelado” ?

    E quando bati o olho nele, lembrei na HORA do Oz em Thriller Bark.. haha mas é só um detalhe, nada que estrague a leitura ..

  6. É ainda ta frio o manga, so apresentação e evolução dos personagens nada que me deixe muito ansioso, as proximas temporadas prometem(ser bem melhores que essa :P), não sei porque mas FT na minha mente vem como Bakugan…o autor tentou pegar as melhores partes de outros mangas/animes para fazer o seu, pode nao ser verdade mas a todo momento sinto isso, no enredo, nos personagens, no cenario,… em tudo

  7. Pra mim a graça em ler FT está no Happy mesmo XD os personagens e a história não me agradam muito e às vezes as piadas e o modo de pensar da gulida imitam o estilo de One Piece…
    Além disso a Mirajane ser super foderosa eu já esperava ‘-‘ sei lá, quando mostram o passado em que ela era nível S (apesar de isso ser bem conturbado em FT como você mesma disse) vi que o Mashima estava guardando ela pra um arco importante e também ela nunca mostrava o tipo de magia… raramente acontece algo no anime ou no mangá que eu fico WOW O_O
    O anime é meio tenso na luta do Gray contra o Lyon, ele perfura a barriga do Gray até o outro lado com o gelo e só ficam uns tracinhos pra mostar que tem ferimentos ¬¬

  8. Pra mim a historia começa a ficar boa nesse volume, arco da elza começa a aparecer xD …

    Alguem aí q é assinante já tem o mangá em casa? aq já chegou na banca mas nada de chegar aq em casa

  9. Vc está enganada Dakini, mais tarde explicam que tem missões de Rank maior, SS (se não me engano), missões de 10 anos e missões de 100 anos (!)

    Não aguentei só acompanhar pelo anime e pela edição nacional e já li na net até o último capítulo lançado no Japão (CDM cairia bem agora) putz tá perfeito, épico mesmo, até a saga Laxus FT cresce constantemente, Oracion Seis e Edoras cai um pouco, mas a saga atual chegou pra rebocar com tudo, tá sensacional!

  10. Bom, eu gosto de Fairy por achá-lo um mangá divertido e tranquilo.
    A história tem muito potencial para crescer. Nesse quarto volume, é um pouco de apresentação da estrutura da guilda e da história do Gray.

    Quando o autor dividiu as missões em ranks, achei bem interessante. Isso demonstraria o crescimento posterior dos personagens. Porém, penso ter sido um pouco forçado o Natsu conseguir pegar uma missão de rank S, agora, por mais impulsivo que ele seja. Até mesmo ele respeita o Makarov e já está ali a algum tempo.

    No decorrer do volume, tem um pouco de mistério sobre o que eles vão encontrar na ilha, mas não é uma situação que gere muita angustia. No geral o volume foi razoável a leitura.

      1. Obrigada! Quanto a ser critica eu não sei… rsrsrs!
        Eu adorei esse espaço do Portallos, porque podemos debater muito nossas idéias e ver novos argumentos com outras pessoas tão críticas quanto nós!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.