Japão

Bleach: mangá não vai bem das pernas, mas o anime pode estar reservando boas surpresas!

Que o mangá de Bleach não vai muito bem das pernas isso nós já sabemos. Faz muito tempo desde a última vez que me senti realmente empolgado com o anime ou mesmo o mangá. Parando para recordar, a última vez que me senti feliz acompanhando a obra foi durante a luta do Ichigo com o Grimmjow que posteriormente recebeu um belo tratamento de animação no episódio 166, até hoje não me esqueço.

Mas depois disso a coisa desandou muito, o Aizen virou borboleta, perdeu toda aquela banca de vilão sereno e inatingível de uma hora para outra, sem falar no inexplicável fato do Ichigo usar seu último trunfo numa luta que ele conduzia sozinho, deixando uma sensação de que a perda de seus poderes foi algo bastante forçado pelo autor. Além disso, o destino de alguns personagens continua incerto. Afinal, o que houve com a Nell que foi uma das personagens mais carismáticas da saga? (e dá trabalho criar personagens assim, não?). O mesmo vale para o Grimmjow, que foi aquele tipo de vilão que mesmo sendo muito malvado ainda faz você gostar dele. E nem preciso lembrar do desaparecimento do Gin, preciso?

E foi assim, com muitos furos, perguntas no ar e um desfecho nada empolgante que fechamos a arrastada saga contra Aizen e seus Arrancars e demos início ao arco dos Fullbringers, cujo qual eu sinceramente ainda não sei bem o que esperar. Pois mais uma vez fica difícil se empolgar com uma história que pouco evolui a cada semana. Diria que se visse uma lesma correndo e Kubo Tite contando uma história logo ao lado, ainda não saberia qual dos dois é o mais lento. Mas enfim, torco para que o mangá volte aos bons tempos, aqueles de quando o produto nem era tão badalado assim e tinha originalidade e história envolvente como seu carro chefe.

Enquanto o mangá não me empolga, estou esperando ao menos ver algo interessante no anime. Quem tem saco roxo suficiente para acompanhar Bleach legendado toda semana, sabe que a coisa não está das mais animadoras. Toda vez que vejo uma sequência de fillers no anime, logo me vem à cabeça os anos nefastos pelos quais Naruto (a primeira parte da história) passou antes da fase Shippuuden. Felizmente um dos produtores do anime divulgou recentemente via twitter que uma nova saga estava para chegar e quem viu  o episódio 316 até o fim (ô sacrifício) já sabe que a notícia é realmente verídica.

A nova saga chama-se O exército de invasão das 13 divisões e fora o nome dela não se tem ainda nenhuma outra informação. Apenas as imagens que podem ser vistas no preview do episódio 317. Mas e quanto à qualidade do novo filler? O traço vai ser decente? História idem? Vão aproveitar alguém que anda sumido? Tudo isso ainda é dúvida, mas olhando para trás acho que podemos dar um voto de confiança à nova saga.

[nggallery id=453]

Eu não sei vocês, mas para mim os fillers de Bleach empolgam bastante (mas fã devoto é suspeito demais para falar). Não são algo excepcional, nada disso, mas acabam valendo a pena assistir. A saga dos Bounts foi algo que começou morno, mas terminou de forma bem emocionante. O único ponto a se lamentar é o fato de terem colocado o Ichigo para decidir o fim da saga contra o Kariya, mesmo depois de tudo o que o Ishida passou nela. O Quincy tinha um envolvimento bem maior na trama, e tinha motivos de sobra para encher o líder dos Bounts de porrada. Apesar disso, a dúvida que o vilão deixou no ar após morrer foi algo realmente memorável. Afinal, Kariya fez tudo o que fez para elevar o poder da sua raça ou simplesmente para morrer e dar enfim paz a sua alma? Nunca saberemos.

A saga das zampakutous também foi uma grande surpresa, não dei nada por ela inicialmente, mas acabou se revelando uma excelente ideia. Explorar os espíritos que habitam as espadas dos shinigamis acabou rendendo bons momentos e lutas muito bacanas, como a do Ichigo se transformando contra Zangetsu e Muramasa ao mesmo tempo em que se deparava mais uma vez com seu hollow interior (o melhor momento desta saga na minha opinião). O filler-cannon teria sido perfeito se não fossem duas coisas. A luta do Byakuya contra o seu ancestral poderia ter fechado tudo com chave de ouro, mas mais uma vez preferiram colocar o Ichigo para fechar a história. Resultado? Final chato e bem clichê. A segunda coisa que eu achei que estragou o fim dessa fase foi terem reaproveitado os personagens criados para aqueles episódios idiotas que vieram depois e não acrescentaram nada no fim das contas (tava bom demais né?).

Fora essas duas gratas surpresas, ainda houve o filler do Capitão Amagai, que ao contrário dos outros começou promissor e terminou uma porcaria. Com uma série de lutas sem sal que não preencheram a falta de uma história boa. A única coisa que se aproveitou nessa fase do anime foi a luta final do Ichigo (sempre ele) e o Amagai, que durou mais de um episódio e acabou valendo o esforço de perder 30 minutos em frente ao PC, mas foi só, porque até o fim que o candidato a capitão levou foi bem sem graça.

Em tempos onde o mangá não arreda o pé do chão e parece não chegar a lugar nenhum, acho que não falo só por mim quando digo que quem aprendeu a gostar da obra na época da saga da Sociedade Espiritual gostaria de ver a história mostrar algo interessante novamente. Talvez o que vem por aí seja algo decente o bastante para esquecermos o buraco no qual o mangá se enfiou.

O campo está preparado, o Ichigo usou o último Getsuga Tenshou, mas o anime saiu pela tangente explicando que a perda total dos poderes do protagonista pode acontecer em um dia, em um mês ou mesmo um ano. O que abre sinal verde para ao menos vermos o substituto de shinigami usar a Bankai sem nos importarmos muito com a cronologia das coisas.

No mais, a nova saga já tem início na semana que vem com uma nova abertura e encerramento, focados no novo arco com certeza. Vamos ver se ainda existe algo de interessante em Bleach ou se já é hora dos produtores frearem essa constante decida morro abaixo (cruzando os dedos). Abaixo está a imagem promocional da nova temporada, e tirando as caras desconhecidas nela só posso dizer que fico feliz em ver o Kon de novo (por que será?), aliás… pensando no mangá novamente, será que o Kubo se esqueceu dele no Hueco Mundo também?

Isso também pode lhe interessar

K o n S a m a

Do ser sem razão a essa explosão de emoção, do preguiçoso leitor ao (meia-boca) escritor, do tímido calado ao ator inquieto, do caminho já traçado à esquina do destino incerto. Tentei me definir, mas sem sucesso. Games, filmes, música, animes, são só o começo desse quebra-cabeça sem nexo.
Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.