JapãoMiscelânea

Especial | Guia de como assistir Animês – Parte 01

Esqueça o preconceito e dê uma chance a eles

Dias atrás estava eu discutindo com alguns amigos sobre as animações japonesas, os famosos “animês”, cuja popularidade, de uns cinco anos para cá se estendeu pela internet a fora de forma impressionante. Diferente de mim que costumo acompanhar várias obras desse estilo, eles não seguiram o mesmo caminho, seu conhecimento sobre o tema basicamente se limitava a Dragon Ball, Cavaleiros do Zodíaco e Yu Yu Hakusho.

Com o desenvolver da conversa, notei que eles tinham uma ideia muito errada em relação aos animês. Não era uma ideia de quem tem preconceito com o tema, eles simplesmente não sabiam como funciona o sistema de exibição e acompanhamento das histórias.

Para eles, os animês eram desenhos animados baseados em porrada, sangue e violência, que duravam vários episódios, e de forma geral não tinham fim. Eram simples lembranças nostálgicas de sua infância, mas que atualmente perderam o sentido de se ver, pois não existem mais na TV aberta.

Esse pensamento não é de todo errado. Na verdade alguns animês são realmente desse jeito, mas a grande maioria não é, e por isso decidi escrever esse post para aqueles que desejam conhecer melhor esse “mundo”, deixar de lado o preconceito e dar uma chance no intuito de, quem sabe, descobrir uma nova forma de entretenimento. Ficou um pouco grande, mas a leitura é bem tranquila, vamos lá…

Primeiro de tudo é importante esclarecer uma coisa básica. Animês não são em sua maioria desenhos de criança. Isso é um mito criado na internet e divulgado na impressa brasileira. Esqueça as pessoas estranhas, em trajes esquisitos, fazendo coisas sem sentido e falando em “proteção do planeta”. Tem muita gente que às vezes extrapola o senso do ridículo e tenta enfiar a qualquer custo nas outras pessoas sua preferencia em determinado gênero. Nem é o caso de dar nome aos bois, até por que não existe um nome próprio pra isso, mas de qualquer forma, para aproveitar ao máximo as dicas que darei daqui pra frente, limpem suas mentes. Encarem os animês como se fossem séries de TV, filmes, desenhos animados, produções da Disney ou qualquer forma criada para entreter, passar o tempo.

Acredito que esse guia será útil pra qualquer pessoa, principalmente: 1) Para aqueles que sabem o que é animê e quando crianças já assistiram  os transmitidos na TV aberta; e 2) Para aqueles que realmente nunca assistiram nada do gênero e desconhecem o assunto.

Aos integrantes do grupo 01, é importante esclarecer que os animês transmitidos no Brasil não se moldam ao “padrão” japonês de exibição. Ao menos não ao padrão atual. Os animês que aqui passaram eram longos, tinham normalmente mais de 60 episódios, possuíam exibições diárias, e as reprises eram mais que comuns, sem contar o fato de que em alguns casos não eram transmitidos na sequência correta. Esses casos fogem totalmente a regra no Japão. Um animê que tem muitos episódios, normalmente, já é sucesso através de outra mídia (mangá, visual novel, etc), e já tem seu público alvo bem consolidado. Em tempos de crise, não é viável apostar em coisas incertas, inovadoras, portanto, animês longos e “infinitos” são minoria na indústria de animação japonesa.

Estreias, forma de exibição e número de episódios.

O método de exibição dos animês é basicamente o mesmo das séries americanas, divido por temporadas com um episódio exibido a cada semana. Existem quatro temporadas de estreias por ano, uma em Janeiro, outra em Abril, outra em Julho e a última em Outubro. Assim, um animê que, por exemplo, terá apenas uma temporada e estreará em Abril, ficará no ar de Abril até Julho, três meses, o que dá normalmente de 11 a 13 semanas, ou seja, de 11 a 13 episódios.

A grande maioria dos animês que estreiam tem apenas uma ou duas temporadas seguidas de exibição (03 ou 06 meses), e podem variar de 11~13 ou 22~26 episódios. Quando a série faz sucesso, ou tem bagagem pra continuar (história não finalizada totalmente), são criadas novas temporadas, que repetem o mesmo ciclo das anteriores.

Pode parecer que um animê com 13 episódios é grande, e demora pra ser assistido, mas é não é. Cada episódio tem em média 24 minutos. Desse tempo, podemos descontar +/- uns 3 minutos de músicas para abertura e encerramento, sobrando 21 minutos de exibição. A maioria possui um pequeno resumo do que ocorreu no último episódio, afinal quem acompanha semanalmente pode esquecer em que ponto a história parou, mas se você for ver um animê já finalizado, pode pular essa parte e ganhar, digamos 1 minuto. Conclusão, cada episódio tem 20 minutos de tempo “útil”, e considerando os 13 iniciais, é possível assistir a todos em cerca de 4 horas e 20 minutos. Parando pra pensar, não é muito tempo, se gasta isso pra assistir 2 filmes, e você não tem a obrigação de ver tudo numa tacada só.

Existem ótimos animês que possuem de 11~13 episódios, no futuro farei uma postagem mais completa com as descrições, publico alvo, resumo da história,  etc. Por ora vou apenas mencionar alguns cuja publicação é mais recente:

  • Ano Hi Mita Hana no Namae wo Bokutachi wa Mada Shiranai, ou simplesmente AnoHana (11 episódios): É um drama. Tem uma história bonita, alguns personagens carismáticos, e foi feito especialmente para emocionar o telespectador. Tem pessoas que curtem o gênero, mas é importante frisar que em certas ocasiões a história apela muito para o lado emocional. Teve muita gente que derramou litros de lágrimas assistindo esse animê. Download: Aqui pelo Dollars Fansub (Recomendo) // Aqui pelo PA Fansub.
  • Usagi Drop (11 episódios): Um animê voltado para um público mais adulto, em especial aqueles que querem ter (ou já tiveram) filhos. A história se baseia na dificuldade que pais solteiros enfrentam para criar e educar uma criança. O animê em si é muito bonito, tenho certeza que agradará a todos que assistirem. Download: Aqui pelo Dollars (Recomendo) // Aqui pelo Mdan (Torrent – necessita cadastro).
  • Tsuritama (12 episódios): Um animê mais leve, com comédia, aventura e fantasia. Muito divertido e pode agradar quem gosta de pescar, pois o esporte é bastante abordado na história, inclusive com explicações básicas para aqueles que nunca pescaram. Download: Aqui pelo Dollars (Recomendo) // Aqui pelo Punch.
  • Angel Beats!  (13 episódios): Um animê com muita ação, uma pitada de suspense e um final foda (com o perdão da palavra). É difícil detalhar a história, mas de forma resumida, posso dizer que a mesma se passa no purgatório, em algum lugar entre o Céu e a Terra, onde pessoas que morreram são forçados a ficar até que consigam abandonar as tristezas e arrependimentos que tiveram em vida, para então, reencarnar. Esse animê é muito maduro, e mexe com o espectador. Download: Aqui pelo PA (Recomendo) // Aqui pelo Ryuusei (Torrent – necessita cadastro).

Normalmente, os animês com 22~26 episódios são mais completos e possuem uma história mais estruturada, porém, como marinheiros de primeira viagem, recomendo assistir algo menor, que termine mais rápido, pois assim crescem as chances de realmente assistir tudo.

Como conseguir os episódios.

Os animês japoneses são dublados em japonês (dãããã… isso é lógico), e para entender o que é falado devemos recorrer as legendas. Existem muitos grupos de fãs que os legendam e disponibilizam os episódios para download já legendados para o português. Esses grupos são identificados como fansub’s e há vários na internet a fora.

Atualmente, acredito que o maior e mais conhecido fansub ativo é a Punch. Eles têm um catálogo gigantesco de animês já legendados e a cada temporada esse número aumenta, pois vão sendo traduzidos os episódios em exibição. O grupo, no entanto, é constantemente criticado pela qualidade das legendas que colocam em seus lançamentos. Existem erros de concordância e ortografia, além de frases que as vezes parecem sem sentido no contexto. Pelo menos pra mim, isso não atrapalha, é um trabalho feito de graça, você não paga nada e de forma geral a legenda é perfeitamente entendível, mas existem gostos e gostos, tem gente que detesta, e tem outros (eu) que relevam. Vai de cada pessoa.

Fora a Punch, existem muitos outros Fansub’s. Para citar alguns que costumo utilizar tem o Awarehouse, o Dollars, o PA,  o Heaven, o Aenianos. Tem também os que trabalham com download via mIRC como Anime no Sekai e Eternal Animes. Por fim existem ainda os Trackers que distribuem os animês por meio de torrent como a Mdan, a OMDA e o Fansubber. Portanto, se não gosta da legenda da Punch, opções de fansub é o que não falta, é só procurar outro.

Recentemente chegou ao país o Crunchyroll, que trabalha de forma parecida aos fansubs. Eles legendam os animês e disponibilizam os episódios via streaming (para assistir online). O serviço é pago (R$ 9,99 por mês) e tem como diferencial o fato de você contribuir com o autor da obra, afinal parte da quantia paga é (pelo menos dizem que é) revestida para os donos das patentes. Não vou entrar no mérito da Crunchyroll, porque o assunto já foi discutido no Blog em duas oportunidades, aqui e aqui, então, não vou repetir.

Uma coisa importante a ser dita é que a distribuição pelos fansubs de animês legendados não é “legal” perante a lei, mas infelizmente, pra quem não entende japonês e a obra a ser assistida não integra o catálogo da Crunchyroll, essa acaba sendo a única alternativa, afinal o mercado de animês no Brasil é praticamente inexistente.

Finalizando essa primeira parte do guia, acredito que com as informações passadas qualquer pessoa já sabe o principal, que é como conseguir os episódios legendados. Agora é só assistir. Nas próximas partes pretendo tratar de outros assuntos relacionados aos animês e caso algo não tenha ficado muito claro, tento explicar com outras palavras. Sugestões, dúvidas e troca de experiências são sempre muito bem vindas, por isso vamos usar os comentários pra ir complementando essa parte do guia.

Sobre os comentários, vou fazer um alerta que ninguém da equipe fez ainda: Se desmarcarem o quadradinho “Post to Facebook” na caixa de comentário abaixo, o que você escrever no blog não será publicado em seu Facebook. Vocês sabiam disso né? Se não quiser “aparecer” na rede social, basta clicar aí que ninguém vai te ver, só se entrar no post e ver sua fotinha xD.

Créditos da imagem acima ao usuário RadenWA do DeviantART, e da que abre o post à Charunetra do ZeroChan.

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Mailson SHiN

Adorador de muitas coisas que nem sempre possuem relação. O que me ocupa nas horas vagas? De forma simples e compacta? Lá vai: Cinema (Filmes), Games, Animes, Mangás, Música (Engenheiros do Hawaii / Pouca Vogal), Tecnologia, Computadores. O que me ocupa nas horas "não-vagas"? Contabilidade e Legislação Tributária. Uma coisa leva à outra... ou talvez não.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.