Apoie!EditoriaisMiscelânea

Editorial | Se você curte, vale apoiar esse espaço? Sobre o futuro…

É curioso como a internet evoluiu e amadureceu ao longos destes últimos anos. Se você me perguntasse lá em fevereiro de 2008, no momento em que criei o Portallos, se o fiz pensando que num futuro o blog pudesse me prover qualquer tipo de retorno financeiro eu lhe diria não. Porém, como disse, a internet amadureceu e hoje, você pedir apoio para continuar um projeto criativo já não é mais algo vergonhoso ou um pouco humilhante. Pelo contrário, é mostrar seriedade e que está disposto a assumir riscos para que este projeto não só continue existindo, mas que também cresça de maneira que no passado jamais seria possível.

E é exatamente por isso que estou vindo aqui anunciar que o Portallos, assim como tantos outros espaços legais na internet que já se utilizam de tais sistemas, está criando uma conta lá no Patreon, que é um sistema de financiamento coletivo e recorrente para apoio de criação de conteúdo original para qualquer pessoa que produz algo legal e que precisa contar com a ajuda de fãs e amigos para continuar crescendo e aprimorando esse trabalho.

Página do Portallos no Patreon - Seja um Apoiador! - U$ (em dólar)

Página do Portallos no Apoia.se - Seja um Apoiador - R$ (em real)

UPDATE 15.08.2015 – Agora também há uma página do Portallos no Apoia.se, plataforma nacional de apoio recorrente para criadores de conteúdo. Para mais detalhes, veja o Update em vermelho mais abaixo desta página, ou clique aqui!

 Não se desespere, por favor, pois irei explicar direitinho o que pode ou não acontecer nesta próxima fase do blog. Esse é sim um momento chave para o Portallos, então por favor tente ler tudo até o fim, ainda que você talvez não tenha condições de colaborar.

– O blog irá acabar se não conseguir apoio financeiro de seus leitores?

De forma alguma. Não estou fazendo isso como uma forma de pressionar os leitores a pagarem pelo conteúdo que já crio aqui voluntariamente há anos. Ninguém será obrigado a contribuir. Você só ajuda se sentir vontade de dar aquela força a um espaço que curte muito e que deseja somente o melhor para seu crescimento.

– Vai mudar algo por aqui caso não existe qualquer apoio financeiro?

A curto prazo não. O Portallos existe desde 2008 e já teve diversas fases. Algumas mais movimentadas, outras mais calmas. Teve alguns hiatos e sumiços da minha parte, não há vergonha alguma admitir isso. A vida adulta as vezes faz o seu chamado, como já trabalhei com vários textos em torno desse assunto por aqui.

Se não houver leitores interessados e que possam dar esse suporte, nada vai mudar no blog na forma como ele vem sendo administrado desde 2008. Ela vai continuar como sempre foi, um hobby para me divertir, conversar com pessoas de gostos semelhantes e um espaço para expressar opiniões e sentimentos destas coisas que todos gostamos.

Vai ficar para sempre nesse ritmo em que foi renovado agora em julho deste ano, na qual rolou o lançamento de um novo layout? Eu sinceramente espero que o pique se mantenha, independente de qualquer sistema de financiamento, mas aí não dá para prometer ou assumir um compromisso de que o blog ficará acima de outras responsabilidades que a vida as vezes me impõe. Se é diversão, é diversão.

A história só passa a ser diferente quando compromissos e obrigações são impostas e é exatamente isso que um sistema de apoio financeiro e recorrente lhe dá. Ou seja, se não der certo, o Portallos vai continuar como sempre foi, fases movimentadas, sempre com a garra para que nunca acabem, mas sempre com o risco de algum infortúnio colocá-lo um pouco mais para baixo (temporariamente claro) da lista de prioridades que a vida as vezes te joga na cara.

– Se o apoio aparecer, o que vai mudar no Portallos?

Há algumas metas que todo leitor vai poder encontrar lá na página do Patreon e também aqui, basta continuar lendo a matéria até o fim. Resumidamente o que muda é a energia que esse tipo de estímulo causa em qualquer pessoa que gerencia um espaço que dificilmente dá qualquer retorno financeiro: animação, pique, disposição para continuar se reinventando, trazendo novos conteúdos e inovando, sempre!

Ter mais recursos significa outras coisas, como poder adquirir mais coisas que se tornam pautas aqui. Mais quadrinhos, mais games. Poder analisar mais, indicar mais, recomendar mais. Também significa trabalhar em aspectos técnicos, como layouts pagos (este novo é), servidores melhores, menos AD Senses pipocando para todo lado (dá até alergia as vezes, eu sei!), equipamentos que poderiam abrir as portas para outros tipos de conteúdo (como em vídeo e áudio) etc. Enfim, as possibilidades são bem maiores para o que eu realmente quiser fazer, sem ter que me preocupar com uma carteira com apenas traças no final do mês.

– Por que pedir apoio financeiro neste momento?

Talvez a melhor resposta a isso seja com outra pergunta “por que não pedir apoio?“. Se você é um leitor recorrente aqui sabe um pouco da história do Portallos ou já percebeu um pouco como são as pautas e os ritmos das coisas aqui. Há um custo para boa parte dos materiais que servem como pauta para muitos dos assuntos abordados. Games que são jogados, quadrinhos que são lidos, filmes que são resenhados. Claro que boa parte de tudo que adquiro o faço porque sou colecionador, porque gosto e porque até o momento tinha condições de bancar tudo do meu bolso. Só que existe sempre aquele pedacinho de mim que está sempre falando “pegue aquele game o quanto antes, para poder escrever no blog“, “leia aquele quadrinhos primeiro pois é um ótimo assunto para se escrever e recomendar ao pessoal do blog“, “corre para o cinema e veja aquele filme que você sabe que tem leitores querendo saber o que você achou“. São pequenos exemplos que deixam claro que existe uma influência em boa parte do que adquiro e consumo justamente em pró de poder escrever e discutir com os leitores por aqui.

E sendo sincero, até então dinheiro nunca foi exatamente um problema pra mim. Afinal trabalho desde os 14 anos, num emprego totalmente estável. Porém há 3 anos atrás, meu filhinho nasceu e isso resultou em dois eventos na minha vida: o custo de um filho não é como o de alimentar uma coleção de games ou quadrinhos. É talvez 10x maior! E a minha esposa recentemente precisou largar seu emprego, que era satisfatoriamente bem remunerado, justamente para ficar em casa e curtir estes primeiros anos da maternidade. E digo que vale a pena esse tipo de decisão para qualquer casal. Claro com isso o custo familiar aumentou e a renda diminuiu consideravelmente. E o que a gente corta para equilibrar as contas? Exatamente o que você pensou: as tralhas de consumo de entretenimento. Não é o fim mundo por sinal, você se acostuma e se vira como pode – obrigado compartilhamento online – porém eventualmente você sente saudades de algumas coisas, como adquirir lançamentos no day one com mais frequência (Rare Replay, me espere).

Outro ponto. Felizmente, neste momento o blog não me gera altos custos para mantê-lo no ar. Domínio é anual e o servidor não é caro (graças ao Dadah, um amigo dos tempos de NGM e antigo colaborador do blog). Porém não é de hoje que o servidor dá sinais de que eu deveria migra-lo para um plano melhor, mais robusto, deixando assim o blog mais rápido e estável. Ele não anda mais saindo do ar, e se sai, não fica off line por mais de 5 minutos. Se futuramente o servidor começar a se tornar insustentável nos custos atuais, é algo que certamente vai me preocupar financeiramente. Porém bate aí na madeira três vezes – toc, toc , toc – e vamos torcer para que isso não seja preciso pelos próximos anos.

Fora que ter recursos extras me permitiria trabalhar um pouco com a divulgação do blog. O Google cobra, o Facebook cobra. O alcance de novas audiências e leitores sem ter que pagar por esse tipo de divulgação não anda fácil. Melhor dizendo, anda quase impossível. E isso não é algo que ainda tenho recursos para bancar. Infelizmente. Aumentar a comunidade é muito importante, pois gera mais sugestões, mais interações, mais comentários. E como você descobre um novo site hoje em dia? Google, Facebook ou boca a boca. Porém como nossa comunidade do boca a boca é pequena, é difícil os números aumentarem exponencialmente como a internet as vezes requer para tornar o blog viável financeiramente por outras portas (aí nessa realidade talvez o Patreon não fosse preciso).

E a última razão que me motivou a pedir um apoio financeiro é pelo simples fato de que existem pessoas que não se importam em ajudar, em contribuir e que torcem pelo espaço, que é muitas vezes apreciado e que querem ver crescer ainda mais. E não existe melhor maneira do que esta, dizer ao dono do espaço “cara, seu esforço em manter tudo isso é tão incrível, que eu te ajudo com o maior prazer!“. Você olha o tamanho de um blog como o Portallos e sabe que ele não é feito pelas coxas, de má vontade ou de qualquer jeito. Há um carinho e cuidado que tenho pessoalmente com ele. E é óbvio que desejo vê-lo crescer e mais do que tudo, se tornar cada vez mais atraente e confortável aos leitores, que são parte fundamental do blog. Se não fosse assim, eu não teria tanto trabalho e esforço em continuar aprimorando o Portallos por tantos e tantos anos!

– E precisa ser pelo Patreon, que funciona em dólar? Por que não usar uma plataforma de financiamento nacional? (UPDATE 15.08.2015)

UPDATE: Após alguns dias, e alguns contatos que me ajudaram, a página do Portallos no Apoia.se está no ar! Agora dá para apoiar o blog contribuindo com 1 real! Cartão de crédito nacional e terá as mesmas metas e recomendas do Patreon, além de todo o conteúdo exclusivo compartilhado por bastidores! Para saber mais detalhes , clique aqui!

Página do Portallos no Apoia.se - Seja um Apoiador - R$ (em real)

Eu gostaria muito que existisse um site tão grande como o Patreon no Brasil. Há alguns que estão tentando criar uma base e sistema semelhante, mas ainda estão começando, são burocráticos e pouco práticos. Conheci o Apoia.se algum tempo atrás porque vi o Ryot do RyotIRAS migrando para lá após começar no Patreon e depois de um semestre no Apoia.se ele teve que retornar ao Patreon. Porém agora ele se mantém em ambos. As pessoas meio que já se acostumaram com o Patreon, possuem já suas contas lá e já ajudam sites e projetos por lá, o que torna tudo mais prático para alguns.

Pra ser sincero eu estou tentando abrir o projeto de contribuição também pelo Apoia.se, porém lá é meio lento o processo. Enquanto no Patreon você monta a sua página e ela fica no ar imediatamente após o cadastramento, no Apoia.se você meio que preenche um Google Forms e são os responsáveis pelo site que vão montar e lhe notificar quando tudo estiver pronto. Bem, dias se passaram e até o momento não tive qualquer resposta. E as redes sociais e twitter do Apoia.se não são tão movimentadas quanto achei que seriam. Como é tudo novo, parece que eles ainda estão aprendendo como devem fazer. Na real? Isso tudo ainda é tudo meio que novidade aqui no Brasil. Eu gostaria muito que o Catarse, que é um que já está consolidado por aqui e todos conhecem, acabasse criando uma versão nacional do Patreon, porém ele ainda é apenas para projetos únicos, seguindo o modelo do Kickstarter lá fora.

Enfim, eu estou de olho em plataformas nacionais de financiamento coletivo e que seja recorrente (mensal) como o Patreon. Dá até para dizer que demorei para entrar nesse formato porque tinha esperanças de que alguém faria isso no Brasil de forma rápida e eficiente. Ainda não rolou e como não dá mais para esperar esse foi o jeito, além de que todo mundo continua cada vez mais apostando no Patreon, que anda dominado por projetos nacionais de muita gente bacana na internet BR. Mas eu continuo aguardando o contado do Apoia.se. (obs: leia o update acima)

– E de quanto (em valores) seria este apoio que está sendo pedido?

Na boa? Se você apoiar com apenas U$ 1 no Patreon ou R$ 1 no Apoia.se já estarei pulando de alegria. Não precisa ser mais do que isso. Sério! Existe mais opções lá na página, porque existem pessoas que podem ajudar mais e não se importam em colaborar com um pouco mais, porém um dólar ou real é mais do que suficiente.

Vale reforçar que o Patreon não é como Catarse ou Kickstarter, onde uma pessoa ajuda uma única vez. O Patreon é uma ajuda recorrente, ou seja, você doa um valor mensalmente. Se você optou por U$ 1, você vai doar esse valor uma única vez por mês, até decidir não contribuir mais. Você para quando quiser.

Claro que o ideal é ter apoiadores que possam colaborar de forma recorrente e contínua, e por isso o valor é baixinho. Não quero ninguém assumindo uma dívida que vai lhe causar problemas ou lhe gerar algo maior do que poderia bancar. Então tenha em mente isso quando for apoiar. Não escolha um valor alto demais e que depois isso vai pesar na sua consciência. Repito, 1 dólar ou 1 real é mais do que suficiente!

Claro que não vou fazer muita coisa com 1 dólar por mês. Parece pouco é verdade, mas lembre-se que é sistema coletivo. Quanto mais pessoas entrarem, mais o cofrinho vai enchendo e mais os recursos vão entrando. Então se U$ 1 não vai lhe fazer e você acha que o Portallos merece esse apoio, contribua! Entre lá no Patreon, faz seu cadastro e registra que quer dar 1 dólar por mês ao blog. E pronto! O sistema não vai ficar te ligando todo mês para te cobrar 1 dólar, você não vai precisar ficar indo lá todo mês. É prático, assim como a internet é hoje em dia!

Se você não tem Cartão de Crédito Internacional, dá para usar Pay Pal. Se não tem nenhum dos dois, há uma ferramenta do Pay Pal que te permite criar uma carteira virtual (como é na PSN e Live dos consoles atuais) onde você coloca um dinheiro e ele vai sendo usado conforme você o definir. Dá até para pagar o Patreon com Boleto Bancário ou Cartão de Crédito Nacional dessa forma. Por exemplo, você define 12 dólares na sua carteira, e 1 dólar para o Patreon e pronto, você apoiou alguém por 1 ano inteiro lá! Que foda, não?

– Haverá recompensas para os apoiadores?

Sim, porém diferente de campanhas como o Kickstarter ou o Catarse que tem como objetivos a criação de um produto específico, lembre-se que aqui trata-se de apoiar o processo criativo de uma pessoa. E neste caso um blog na internet. O objetivo aqui é melhorar o site – conteúdo, qualidade, suporte etc – para o leitor. Esta é a melhor recompensa que a iniciativa pode gerar, e ele é coletiva. Todo mundo acaba ganhando dessa forma, sendo um apoiador ou não.

Não faz sentido promover recompensas que custariam dinheiro e custos das metas, como entregar brindes como camisas e canetas, que despenderiam tempo de confecção, produção e envios. Isso acabaria custando também esforço e tempo, que deveriam estar sendo aplicados diretamente no blog e não em recompensas de alguns apoiadores. Não que eu descarte estes mimos no futuro, mas no momento estão fora de cogitação.

Nesse sentido, de promover algo que possa aprimorar a experiência dos leitores do blog e que também me ajudaria no processo criativo tomei a decisão de que todos que apoiarem o Portallos neste projeto terão acesso a um grupo privado no Facebook, para que possamos conversar sobre assuntos que as vezes não viram posts, compartilhar vídeos, opiniões, sugestões de pautas, fofocas de bastidores do blog e muito mais. É uma forma de estender parte da vivência que todos possuem aqui num espaço mais social e fechado, sem que você sinta-se amarrado a um tema ou post específico, além de conhecer melhor alguns dos leitores que compartilham de gostos semelhantes, fazer novas amizades. E claro que eu também participarei ativamente do grupo, usando-o também para gerir conteúdo novo para o blog em si. Todos que contribuírem, independente do valor, vão entrar nesse grupo. E quanto mais apoiadores, imagino que mais divertido esse grupo poderá ser!

Lá na página do Patreon haverá os valores disponíveis de contribuições e a discriminação dos níveis de recompensas. No momento eu pensei em três níveis apenas, para poder começar e entender a viabilidade da iniciativa. O nível 1, que vai para as contribuições de 1 ou 2 dólares, dará acesso ao grupo no Facebook (e do mural exclusivo do Patreon). O nível 2, que será para apoiadores de 3 ou 6 dólares, que além do acesso ao grupo, serão pessoas que terão o poder maior de sugestão de pautas e temas, na qual irei criar algumas regras, e entre o que esse grupo pedir, selecionarei as melhores sugestões e estas se tornarão posts no blog (no mínimo de 4 posts mensais).

Por último, o nível 3, apoiadores de 15 dólares (limitada somente a 10 pessoas), e que acredito que quem esteja nesse nível é porque gosta muito do blog e quer apoiar ao extremo, sendo que a melhor recompensa é vê-lo crescer. Para esse seleto grupo estou pensando num programa de cadeia de comando, algo como um co-editor honorário. Mandou escrever sobre algo, tem que rolar. Não é apenas sugestivo como o nível 2, é pra ser mesmo uma outra etapa na cadeia de comando. Penso mais a frente em melhorar esse nível, mas por enquanto são os tipos de recompensas que não me roubariam tempo ou me desvincularia do objetivo principal de toda essa iniciativa, que é aprimorar vários aspectos do Portallos.

E antes de qualquer coisa preciso primeiro ver quantos apoiadores surgirão, quantos se manterão recorrentes e quantos vão interagir comigo e no processo de criação de novos conteúdos no Portallos. Aí sim conseguirei melhorar metas e recompensas e seus formatos.

No fim, a melhor recompensa é ter um melhor Portallos, e parte desse processo será interagir mais com os leitores que irão topar apoiar essa ideia! Isso sim é realmente foda!

– E haverá metas para os valores conquistados?

Claro! Elas talvez sejam até mais importantes do que as recompensas em si. Talvez as metas sejam melhores recompensas, e serão coletivas, todos ganham, apoiadores ou não!

Para começar estipulei sete metas. E não se preocupe com as metas maiores. Não é algo que imagino conquistar tão cedo, alias nem tão longe, já que realmente não faço ideia de como será a reação dos leitores aqui do blog com essa iniciativa. As metas maiores servem para que você possa ter noção da dimensão do que pode vir a ser as coisas, quanto mais metas conquistadas, melhor serão os próximos objetivos!

1ª meta (U$ 65 por mês) – Sem Pausas ou Hiatos – Esta é a meta inicial é para começar a esquentar a coisa! E a meta que chamo de “esforço reconhecido”. Nesse valor posso me comprometer que o blog nunca terá hiatos ou ficará parado por semanas. É um compromisso assumido de que não haverá sumiços ou desculpas esfarrapadas para não criar conteúdo regularmente!

2ª meta (U$ 100 por mês) – 60 Posts Mensais – Essa é a meta do “ritmo preciso”, ou seja, o blog terá no mínimo 60 posts mensais! O que em média significa 2 posts diários. Inclusive haverá sempre posts nos finais de semana, sábado e domingo. Sem descanso! Felizmente essa é uma meta meio que atingida atualmente, independente de ter apoiadores ou não. Julho passado o Portallos teve 70 posts! Entretanto é o que disse acima, compromisso assumido e meta a ser levada a sério. 60 posts, no mínimo e cravados! Sem furos ou desculpas!

3ª meta (U$ 150 por mês) – Removendo Publicidade 1 – Essa é a meta do “xô publicidade”. Não é o momento para discutir os ADs e propagandas que permeiam o layout do blog, mas fique sabendo que nem eu gosto de algumas e da forma como são usadas lá. Elas existem porque é um mal do sistema e muitas vezes a única forma de monetizar alguns trocados e de também de calcular e monitorar a rentabilidade do site para outros parceiros ou anunciantes. Porém com essa meta, eu corto dois tipos de ADs que não me agradam atualmente no blog, o AD do selo lateral de todas as páginas (que fica pulando na tela à direita) e os ADs em textos (os verdinhos) que estão dentro do corpo dos posts. Basicamente é um adeus Hotwords! Tem quem não se incomoda, mas eu ficaria feliz em limpar isso do blog. E isso provavelmente deixaria o carregamento do site alguns segundos mais rápidos!

4ª meta (U$ 250 por mês) – Removendo Publicidade 2 – É a segunda meta “xô publicidade”. O Ad Sense do Google é o tipo de AD que atualmente menos me incomoda. Mas tem um AD específico do Google que eu ficaria mais do que feliz em eliminar do blog: aquele que fica sempre na esquerda dos textos dentro das postagens! Como eu sonho com o retorno de posts limpinhos, sem ADs!

5ª meta (U$ 350 por mês) – Novos Conteúdos em Vídeos ou Áudios – Aqui a coisa esquenta e começa a ficar bem séria. Nesse valor eu posso desengavetar muitos dos projetos que tenho, tanto em vídeo quanto em áudio para testar no blog. Não posso revelar muito sobre o que faria, já que o que tenho hoje são ideias e rascunhos. Com essa meta conquistada eu começaria um laboratório de experimentação nestes novos formatos. E é algo que custará tempo e disposição, e aquisição de alguns equipamentos, por isso precisa estar numa meta elevada, até para que eu possa ir me planejando conforme as metas acima forem sendo conquistadas.

6ª meta (U$ 500 por mês) – Super Servidor – Com essa meta consigo dar uma bela turbinada no servidor. Deixando o blog mais lisinho e com um carregamento eficiente. Essa é a meta do “suporte técnico”. Não é algo que me preocupo no momento, pois o blog não fica fora do ar atualmente. Porém adoraria deixá-lo ainda mais rápido, responsivo e funcional para infinitos devices.

7ª meta (U$ 950 por mês) – Colaboradores Remunerados – Esta é a última meta porque é justamente a meta dos sonhos. Não acredito que consiga atingi-la facilmente ou a curto prazo, mas quando e se chegar vou chorar de alegria. Com o blog gerando em torno deste valor mensalmente finalmente poderia contratar colaboradores para criar conteúdo. Sim, você entendeu direito, contratar! Ou seja, poderia pagar para colaboradores escreverem para o blog! Não tenho número ou valores fechados e obviamente não seriam contratados fixos, mas algo como freelancers, mesmo assim seria incrível! Tem que estar na última meta mesmo, porque isso é uma das coisas mais difíceis de acontecer em pequenos blogs.

Pode vir a existir outras metas? Sim, é possível e não necessariamente de maiores valores além da sétima meta. Posso no decorrer da situação, criar metas intermediárias neste ranking, dependendo da necessidade, ou até de sugestões dos apoiadores. Quem sabe, naquelas dos sonhos impossíveis não poderia haver uma meta que me faça pedir demissão do meu emprego para trabalhar o dia todo e exclusivamente com o Portallos? Seria uma loucura de felicidade, sem dúvida. Porém não é algo que acho possível nem mesmo numa projeção dos próximos anos. Só não digo nunca porque nunca devemos dizer nunca.

– Restou dúvidas? Se sim, pergunte!

Bem pessoal, acho que é isso. Expliquei o que tinha que explicar, mostrei o que tinha que mostrar e justifiquei os motivos e razões que me levaram a ir adiante com essa ideia. Se você não puder colaborar financeiramente, não se sinta culpado ou desmerecido. Você ainda pode ajudar o Portallos de muitas maneiras tão importantes quanto. Leia aquele meu texto a respeito da importância do leitor de blog para entender melhor.

Desde já agradeço a atenção, a audiência e todos que gostam e seguem esse espaço que nutro com tanto carinho e dedicação! Se você achou bacana a iniciativa e puder apoiar, a página da campanha do Portallos no Patreon é esta aqui. Vai lá, faz seu cadastro, veja o texto lá da página e apoie! Maiores detalhes sobre o grupo do Facebook e os demais níveis de recompensa devo revelar depois de algumas semanas no caso da iniciativa vingar (fazendo figa aqui)! E se não vingar, eu também aviso aqui e a gente vai tocando a carroça como der. Hahaha.

Desde já deixo meus agradecimentos a todos que acompanham o Portallos e que acreditam neste espaço!

patreon-portallos

Curte do nosso conteúdo? Saiba que é possível ajudar o Portallos!
Siga-nos em nossas redes sociais: Facebook | Twitter | Instagram
(Novidade) Estamos começando, dê uma força: YouTube | Mixer
— Entre e participe do nosso Grupo de Leitores no Facebook!
Seja um apoiador no Apoia.se e tenha acesso a conteúdos exclusivos!
Etiquetas

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e do Ponto de Checagem (2014). 32 anos, formato em Direito, vivendo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Em busca de novos apoiadores que curtam estes projetos e a viabilidade deles crescerem!

Artigos relacionados

Fechar