Kenshin Himura em carne e osso!

Se você não gosta das minhas divagações, pare por aqui. Eu não consigo evitá-las

Eu ando mais cético e mal humorado do que deveria ultimamente. Primeiro porque os últimos jogos de animes que tenho visto não tem só o defeito de estarem saindo apenas para PlayStation 3, mas sim porque eles também parecem sair da mesma fábrica de idéias mofadas. Me pergunto se os produtores de Bleach Soul Ignition, Saint Seiya Senki e One Piece Kaizoku Musou não são exatamente as mesmas pessoas. Provavelmente não né? Mas que parece, parece. O outro motivo pelo qual ando muito cético, mas longe de estar mal humorado é o filme de Rurouni Kenshin. As comemorações de 15 anos de Battousai: O Retalhador já renderam um game para PSP no ano passado, um projeto de uma série de OVA’s para os cinemas e o menos importante: um live action. Menos importante porque ainda me dá calafrios pensar num anime que seja bem adaptado para a vida real. Dragon Ball Evolution feito pelos americanos por exemplo me deu vergonha, enquanto o Dragon Ball feito pelos chineses me causou um ataque incontrolável de risos. Não dá, tem coisa que fica ridícula demais se for adaptada, mas se cortarem para conciliar as coisas com o que consideramos aceitável também não há dúvida de que vai haver uma legião reclamando que algo ficou faltando no resultado final. Sem contar no duro dilema de agradar os fãs, um público novo que possa se interessar e gerar mais lucro na bilheteria do filme ou a duas coisas ao mesmo tempo.

É complicado, e quando o projeto cai nas mãos de quem nem sabe com o que está trabalhando fica pior ainda. Da última vez que ouvi falar no assunto Akira e Cowboy Bebop estavam sendo cotados para ganhar uma versão americanizada nos cinemas. Cowboy Bebop eu até que gostaria de vê-los tentar. O clima sempre diferenciado e a diversidade cultural que existe no grupo que compôe a trama faria com que a adaptação nem fosse muito sentida, talvez eu estranhasse mais é se visse só japoneses interpretando os personagens. Sem falar que não teria como dar errado, primeiro porque o estúdio da Sunrise já vetou qualquer possibilidade de alguma coisa esdrúxula aparecer na produção com a presença dela na jogada, e tem também o criador, que já revelou que o único ator que ele deseja para o papel do Spike num filme da obra infelizmente já morreu. Rá, vão ter que suar pra fazer porcaria com isso aí. Particularmente gostaria de ver o Keanu Reeves no papel, mas enfim, é esperar pra ver se a coisa sai ou não do papel. Quanto a Akira, a coisa já parece mais séria, já que a intenção pelas últimas notas que andei lendo é a de americanizar tudo, a começar por mudar a cidade de Tóquio para Nova York. Aí né… sem comentários. Gosto bem mais de pensar que Akira está muito mais para o Japão do que para qualquer outro lugar do mundo. podem até seguir o enredo e encher de atores americanos, mas por favor antes de anunciar o filme mudem o nome, caso contrário será algo intragável na minha opinião.

Ultimamente torço muito mais pelo avanço do cinema japonês nessa área. Mencionei neste outro post o quanto me impressionei com o live action de Space Battleship Yamato. Pelos trailers já deu para ver que a produção não deixou nada a dever em questão de iluminação, efeitos especiais e afins se comparado aos blockbusters americanos. Se o enredo não acompanha essa qualidade a história já é outra. Outro exemplo legal e outro filme que ainda espero que algum fansub espalhe pela rede devidamente legendado é Gantz, que se não me engano vai ganhar uma sequência em algum momento deste ano. Outro dia assisti Kaiji, esse é menos conhecido da galera, mas quem viu o anime deve ter gostado do resultado final, eu achei show, inclusive outro filme está a caminho este ano. Mais um que está na minha lista é Ashita No Joe, não curti muito a escolha do ator e já ouvi por aí que desvirtuaram a essência e a verdadeira mensagem que o anime antigo passava, mas não deixo de estar curioso.

Putz... Kenshin com carinha de Michael Jackson!

E nesse bolo enfim chegamos ao assunto que dá titulo a este post (me desculpem, é que o EXP me faz divagar demais), Rurouni Kenshin. Porque ele só veio aparecer agora? Porque mesmo me mantendo cético em relação ao filme, gostei do que vi no teaser e acho que ele se encaixa perfeitamente nesse bom momento das adaptações de animes no Japão. O trailer é pequeno, mas já dá uma dimensão da ambientação que me parece muito bem transportada para a realidade. Período de guerra, o fim do Bakumatsu, não sei como vai ficar a questão do sangue, mas aparentemente todo o passado do Kenshin vai ser retratado. Difícil vai ser me acostumar com o visual dele, o cabelo do Kenshin é algo muito caricato pra mim, é quase como o cabelo do Goku, mas apenas quase, longe de ser a mesma coisa. A cara do ator também não me convence muito, não enxerguei nele aquela variação de ódio e tranquilidade no olhar do retalhador, mas acho que isso só quando o filme sair para tirar a prova (ou sou apenas eu chorando pelas perfumarias do anime, não sei bem). Pelo que andei lendo é o mesmo ator de Kamen Rider Den-O, o que não melhora muito a ficha dele comigo já que não morro de amores pelos Kamen Riders da era Heisei e seus protagonistas de visual androgeno e vozinha irritante.

Mas voltando ao ficou bom na minha opinião, gostei da dinâmica que vão ter as lutas, Kenshin dando pirueta e tudo vai ser legal, se bem que ele já fazia isso e mais um monte de coisas meio absurdas no anime, então já era mais do que esperado. Mas a curiosidade fica por conta dos ataques especiais com espada. Como o Amakakeru Ryu No Hirameki vai ser retratado no filme por exemplo? Mistério. O visual dos outros personagens também vai causar um certo impacto de alguma forma, bem como a relação de cada um. Acho que chega daquela variação entre momentos felizes e sérios demais, o teaser ao menos me dá a sensação de que a produção não terá espaço para isso. Gostaria de ter visto uma amostra da trilha sonora também, mas acho que só vai rolar quando o trailer full for liberado. Seria lindo se pudessem fazer algo bem próximo do que foi no anime, aquele som ao piano embalando os momentos melancólicos do Kenhin e a Kaoru por exemplo deixa qualquer cena linda e merecedora de ser lembrada. Mas enfim, meus dedos já pedem por socorro, fica o espaço nos comentários para quem quiser adicionar algo que eu não vi no trailer ou discordar de algo que andei falando aqui. Aliás, alguém viu o Yahiko no trailer? Essa é a terceira vez que dou play nesse vídeo e não acho o moleque, será que ele vai ficar de fora?

Isso também pode lhe interessar

9 Comentários

  1. Ficou muito bem estruturado, se a historia for bem desenvolvida, junto com Dororo, vai entrar para a lista de ótimas adaptações japonesas. Enquanto isso no lado ocidental do mundo os norte americanos teimam em cria adaptações de desenhos ou mangas japoneses, para quem viu o fiasco que foi Dragon Ball já sabem o que nos aguarda com Akira.

  2. Possivelmente passarei longe desse live action. Não por que eu achei ruim ou coisa do tipo(até pq analisar de 41 segundos é complicado), mas sim por que da última vez que tentei ver uma adaptação de mangá em live action, acabei dropando em 20 minutos(Kimi ni Todoke é de vc mesmo que estou falando), de tão ruim que estava achando. Levando-se em conta que KnT seria bem mais fácil de se adaptar e o resultado não foi dos melhores, nada me faz crer que não vá achar o filme de Samurai X uma bomba.

  3. Poderiam fazer um filme em animação invés de um Live Action… ah, é minha opinião, mais tem gente que gosta neeh!?
    Os 41 segundos do vídeo são muito pouco, mais não gostei… :S

  4. Verei, com ctz!

    Mas um filme desse gênero, e baseado num game, que simplesmente adorei, foi o Azumi.
    Simplesmente D-E-Z e se este filme do Kenshin for 70% parecido, já ficarei extremamente feliz!

  5. Pelos 41 segundos, até achei interessante, mas não fui muito com a cara do ator.
    O filme do Gantz achei bem legal e interessante e me fez gostar mais da série (eu não curto muito o traço do autor). A continuação a qual você se referiu do Gantz por acaso seria o Perfect Answer?

  6. Kon, não é que eu não goste de suas divagações, em O Palhaço foi muito divertida de ler, acontece que você abusou do menosprezo pelo trabalho do Kurumada, e a meu ver a altura que chegou acabou por desnecessário. Foi disso que reclamei. Já li em comentários da equipe que vocês escrevem de forma livre, por ser algo mais livre. rs Não quis passar por ignorante/chato, qualquer coisa me desculpe. o/ Gosto do trabalho de vocês, criei até o habito de entrar aqui todo dia.

  7. Não foi só por vc que escrevi isso Rodrigo, depois do seu comentário eu pensei e realmente achei desnecessária a citação num post que era pra homenagear o Shingo Araki, vc tinha toda razão. Mas quando falo do Kurumada fica difícil não trazer junto a mágoa que tenho dele pelo que foi feito com a fase inferno e elíseos (o traço dele é mais birra minha mesmo). Daí deixei o aviso no post pro caso de uma legião de descontentes com a postagem anterior ter crescido depois do que eu escrevi, mas não tem grilo não, inclusive editarei essa parte quando puder pra deixar o texto como se deve. E não, não achei ignorante o seu comentário, na verdade sem vcs a gente não faz nada por aqui, portanto sempre que achar que deve falar, fique a vontade, essa é idéia aqui no nosso espaço, compartilhar idéias, dar sugestões e por aí vai. Um abraço!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.