Conversa de Mangá: Bleach 594

Rubb-Dolls

Bleach590 - Confronto

| Texto recomendado para quem está acompanhando os capítulos semanais de Bleach e que já tenha lido até o de número 594, ou para aqueles que não se importam com spoilers. |

Bem, particularmente prefiro muito mais quando Bleach quebra um pouco sua narrativa para mostrar outras situações. Irrita um pouco, é claro, quando algo que já está estava se arrastando por severos capítulos, de forma exclusiva, corta sem uma dita resolução. Não que para o Mayuri a chegada de mais zumbis tenentes e capitães agrave muito sua posição. O personagem parece que não se importa muito com números, já que luta de uma forma bem peculiar. Isso só reforça pra mim a ideia de que ninguém ali vá morrer, e que todos irão retornar a forma normal depois de derrotar a guria (que não é guria, mas esse fato já foi esquecido) quincy.

O capítulo corta para a luta do Byakuya, que andou fazendo uma pequena limpa nos números do inimigo. Porém não chega a mostra muita coisa em termos de ação. Há mais alguns quincys que acredito que ninguém esteja realmente tentando decorar os nomes. Mas não posso deixar de comentar como é curioso a ideia de poderes bizarros que o Kubo dá para os personagens do universo de Bleach desde que ele inventou as bankais.

Só que pra mim fazia sentido quando as espadas se materializavam em algo especial, super foda no melhor estilo shonen. Seja um poder estranho, um treco enorme ou sumia e virava outra coisa. A escalada de poderes e habilidades foi crescendo até então, até chegar aos quincys. E como estes quincys não lembram em nada aquele tipo de poder e habilidade que o Ishida usava lá no começo do mangá. É tudo tão estranho, tão bizarro e tão grotesco que eles mal parecem a ideia de quincys que me venderam lá no começo da história de Bleach. Poderiam ser arrancars, poderiam ser qualquer desses inimigos bizarros e anormais que o mangá fica reinventando. Me pergunto se os japoneses realmente não se importam com esse aspecto que torna Bleach um pouco incoerente com aquilo que se apresentava lá em suas origens. É realmente tão estranho.

Alguém talvez vá justificar estas habilidades e tal. É muito possível que tenha sido dado alguma justificativa para esse monte de poderes estranhos, mas se houve, já esqueci. Enfim, em todo o caso, mais uma figura estranha quincy, um cara que faz as pessoas se apaixonarem pela próprio inimigo e passa a controlar elas. Mais um oponente que controla inimigos. Tá criativo, hein Kubo?

Não que julgue Bleach incoerente na escalada de poderes que os personagens possuem. Certamente o sistema overpower que existe em Naruto me irrita muito mais do que aqui, mas ainda assim entendo que o autor do mangá faça isso para manter a diversidade de lutas e cenas de ação, mas o problema é não acerta quando algo ficou muito exagerado e estranha a imersão da coisa. Se os shinigamis eram os caras de espadas, já não dá para dizer que os quincys são os caras das flechas. E eu gostava desse conceito original do mangá. Que pena.

Bleach594 - Pepe

Isso também pode lhe interessar

45 Comentários

  1. Acho que nem o Kubo lê Bleach. Esse capítulo sintetiza toda a falta de ideia que autor ja estava tendo desdo começo da saga ou melhor desdo tempo que a Jump falou pra ele terminar esse mangá qu estava mega arrastado. O Kubo quer fazer um mangá “arte” com paginas inteiras só mostrando uma cena qualquer, com capítulos arrastados e que a história já ficou previsivel se não tediosa.
    Realmente esse conceito dos arcos dos quincies foi jogado no lixo. Lembro que na saga arrancar que o Ishida usou uma arma que se parecia com uma espada mas na realidade era um arco e o próprio Ishida disse que quincies só usavam arcos. Agora o que temos? Um quincie zumbi que usa sangue, um quincie que usa boca pra mastigar os outros e um que usa a imaginaçao e nem pra imaginar algo com arco ou flecha pra ter o minimo de coerencia com a própria especie/clã.
    Esse quincie gordão usa o “amor” para controlar os inimigos, da mesma forma que o arrancar que também usava os olhos pra controlar o inimigo e toda hora só ficava gritando “amor, amor” e por ventura também foi inimigo do byakuya.
    Acho que o Kubo está usando crack ou coisa do genero pois começou a copiar até os cliches de Naruto, o golpe do mayuri é um clone do izanami onde o adversario entra em um looping infinito, sempre repetindo as mesmas ações com uma ou outra variaçao até que algo pare o looping. Nos capitulos passados, tem a ceninha do Ishida baldeando pro lado dos viloes e subindo pro reino do rei shinigami etc, nisso o Ichigo da uma de Naruto e grita pro Ishida não ir (só faltava a diagramacao do manga errar o nome e escrever “Sasukeee” no lugar de “Ishidaaa”.

      1. Sei que são dois mangás totalmente diferentes apesar de serem shonens etc mas poxa quando vi a cena do meteoro em Bleach, me veio logo a cena de Naruto feita meses atrás. Pode até ser coincidencia mas bem que poderiam ter usado o poder da imaginação um pouco melhor e não o poder do plágio (ok ok eu sei que não é…rs)

        – meteoro do Gremmy (com menos detalhes…)

        http://www.mangastream.to/bleach-chapter-590-page-19.html

        – meteoro do Madara (feito vários meses antes…)

        http://www.mangastream.to/naruto-chapter-560-page-17.html

        ps: só lembrando que não acho que seja plágio dos mangás mas como leio ambos os mangás não tive como não perceber a semelhança em certos pontos. rs

    1. O que mais irrita em Bleach é o maldito auto plagio, é quase do nível de cavaleiros do zodíaco. Tudo parece ser sempre a mesma coisa, mesmo diálogos chatos durantes as lutas ( isso é uma das coisas mais detetáveis em Bleach ) sempre passa a impressão de “Eu já não vi isso antes”

  2. A única coisa que eles mantiveram foi o fato de se denominar quincy. Acho q o arco ta desperdiçando lutas e tratando tudo e todos de modo muito descartável como se fosse acontecer algo como ressureição lááá na frente.

  3. Considerando a história do chefão Quinci, que ele empresta poder e recupera tudo o que a pessoa sabe, explicaria a diversidade de poderes dos Quincies, mas ainda assim fica muito estranho e chato por ter quebrado a origem dos quincies. Tá parecendo é que os Quincies nada mais são do que usuários de Akuma no Mi.

  4. Eu parei de ler Bleach no cap em que o Ichigo descobre que além de Humano, Shinigami, Filho de um Capitão foda, Vaaizard por vontade própria também era Quincy e pelo que vi, até agora não perdi nada =)

  5. Caramba, eu gostava de Bleach, alias, eu gosto de Bleach. Eu
    não sou fanboy cego pela montanha monumental de estrume que a obra se tornou,
    mas por algum motivo eu ainda gosto, é um “gostar meio bandido” hahaha.

    Eu sou muito, mas muito fã do traço do Tite e vejo que ele tentou, no passado
    hoje não parece tentar mais, desenvolver personagens e pra mim até foi de uma
    forma bacana… Lembro de momentos muito legais como o Renji angustiado sem
    poder pra salvar a Rukia e com inveja do Ichigo, da Orihime com inveja da Rukia
    porque ela era forte, dela mesmo se despedindo, Grimmjow querendo assumir ser o
    rei que ele era reconhecido pelos comparsas dele mas era só o 6º Espada, Ulquiorra
    tentando entender o coração, até alguns momentos bons que apareceram depois que
    a série desandou (pra mim ela desandou após a luta do Uquiorra, vou voltar
    nisso) como o Stark quis fugir da solidão, o sacrifício do Gin ou até mesmo a
    despedida do Ichigo e da Rukia que só ocorre depois daquele horrendo arco dos
    fullbringers.

    O que eu digo é que PARA MIM Bleach tinha tudo pra ser épico, uma mitologia que
    como dito no texto está sendo jogada privada a baixo, um plantel de personagens
    interessantes, você podia se identificar com shinigamis, humanos, vaizards,
    arrancars… (sinceramente não acho que ninguém se afeiçoe por fullbringers e
    quincys) e dane-se até das poesias e simbolismos eu gostava e muito!

    Mas sei lá, a impressão que eu tenho é que o Kubo tentou ir fundo demais, ser
    criativo demais, profundo demais, criar personagens e sub-plots demais, fugir
    do lugar comum demais.

    Esse eu acho que é o problema de Bleach, inventou demais, diferente da maioria
    das pessoas que acham que desandou depois do arco de resgate da Rukia, entre
    vários percalços, eu gostei bastante até a luta do Ulquiorra, mas talvez a um
    dos fatores da popularidade do primeiro grande arco seja simplesmente o fato de
    ele não inventar, ser direto ao ponto de uma forma mais linear, resumidamente
    eles entram na Soul Society e saem no pau com todo mundo, totalmente shounen e
    fim. No meio disso todo rola o desenvolvimento do pessoal, mas tudo de uma forma
    leve e natural. Após isso ele já começou a trupicar bastante, inventa Pivaron
    Espadas que ninguém dá à mínima, tenta até hoje explicar o que o rukogonai faz
    ao invés de simplesmente entregar o que todo mundo quer, luta e bankai!

    E é por isso que até a luta do Ulquiorra eu conseguia apreciar, porque tinha
    essa sensação que todos aqueles anos de hueco mundo eram para o Tite posicionar
    suas peças e eu achei até que bem feito, mas aí que ele cagou no pau bonito, só
    ver como para mim TODOS OS PERSONAGENS da guerra de inverno foram mal
    aproveitados, sem exceção.

    Ao invés de fazer um simples bankai x resurrecsion x vaizard ele ficou
    miguelando poder, o Shinji não colocou a máscara uma vez na guerra, você entrega
    que 10 Vasto Lordes seriam o suficiente para tomar a Soul Society, em algum
    lugar fala que a partir do 3º ou 4º Espada é só Vasto Lorde, e na luta com o
    primeiro Espada você bota os adversários dele de shikai, mal usando as
    máscaras.. Quer dizer um personagem cool igual o Stark acabou morto de uma
    forma escrota sem moral nenhuma, ou então por que você passa X anos fazendo o
    Ichigo ter a máscara, treinar, melhorar, controlar ela e aí quando é pra ir pra
    guerra ele nunca mais coloca? E até hoje quantos personagens ainda não tem
    bankai revelada?

    É isso, fullbringer é desnecessário, foi um filler em um manga, sem sentido
    algum e agora esses quincy, como já disseram até ele se perdeu e sabe disso,
    tanto que nem tenta mais desenvolver alguém, só taca eles torto e direito manda
    habilidades escrotas achando que tá sendo criativo e dane-se.

    Por fim é isso que pra mim faltou em Bleach, ser mais linear, inventar menos
    (cara o Ichigo é shinigami, com pai shinigami, quincy por mãe, vaizard por
    Urahara {que alias isso ele nem é mais né} e fullbringer pela mãe também PRA
    QUE ISSO??), ter dado o que todo mundo queria, não ter só cortado braços e
    matado personagens quando eles tinham importância (não depois que ninguém liga
    vide Kira, isso se morreu por que ninguém morre) e não ter pisado em toda a
    mitologia que tinha sido criada…

    Uma pena, vou levar pra sempre comigo os traços, as poesias o simbolismo e
    alguns personagens da obra, mas tudo isso sempre vai ter um enorme gosto de “podia
    ter sido bom, mas não foi”.

      1. Eu entendo esse “olhar bandido”, também tenho isso tanto em Bleach quanto Naruto, apesar de gostar das obras acho que já chegou a hora de nos despedirmos delas, com seus altos e baixos. No caso do permanecer lendo a obra mesmo estando ruim é aquele sentimento de “ja que to no inferno mesmo, entao abraca o capeta”. Ja que aguentei ate agora,entao vamos ver ate onde esse trem vai.

    1. Concordo com muita coisa dita, pra mim Bleach foi mto bom até a luta com o Ulquiorra, com o arco do Hueco Mundo sendo o mais divertido, acho que mais por ser fanzaço do Grimmjow (O cara era o grande vilão do Ichigo). Depois disso tudo caiu, a batalha de inverno foi bem arrastada e desinteressante, o Stark (logo o Espada com mais desenvolvimento dali) como tu mesmo disse, foi humilhado por dois capitões merdalhões de um jeito imperdoável e o Aizen foi bem mal aproveitado. O arco dos Fullbringers eu tinha curtido muito a premissa de explorar o drama de um Ichigo inútil, eu teria adorado eles se não tivesse tido aquele plot-twist manjado de serem os vilões da vez (que eu desejei pra não ser verdade), mas o Kubo só conseguiu mostrar quão fraco é com um enredo dali pra frente, e como ele se aceita assim. Agora com a baita queda de popularidade do mangá ele tocou o foda-se porque sabe que não vai conseguir fazer algo pra melhorar, triste isso, mas o autor já perdeu o interesse na própria obra e vai terminar de qualquer jeito.

      1. Não sei porque mas sempre que vejo quando um vilão (seja qual for o anime/manga) deixa a forma humana e se torna em um ser monstruoso é sinal que ele já vai morrer. =(
        Infelizmente foi assim com o Aizen, quando começou a virar um monstro, já vi que não iam acrescentar mais nada na história dele. Eu achei que muitos plot twists foram horriveis na saga arrancar, pra mim Ulquiorra foi o vilão/anti-heroi dessa saga, foi de longe o melhor personagem que apareceu na saga. O Yammy ter virado o tal espada 0 achei pessimo, ele já era considerado um vilão retardado e dizer que no nivel espada seria mais forte que o Stark ai ja é demais. E o papo de dizer que o sequestro da Orihime não serviu pra nada, tipo era só pra chamar a atenção da Soul Society e nada mais? Que desfecho brochante… Eu esperava uma maluquice tipo, revelar que ela na realidade o espada zero ou qualquer coisa do genero ou que os poderes dela não eram nem de origem humana-hollow e nem quincie, sei la que fosse o fullbringer dela. Inventassem algo bom, não fazer um drama inteiro e no final o autor esquecer o real propósito de sequestar ela, já que nesse periodo todo de lengua lengua se passaram uns 2 anos de publicação desdo começo do arco.

  6. como comentaram, tite kubo não lê o próprio mangá..

    além de poderes repetidos, tem também casos onde ele passa por cima da regra que ele mesmo criou, acaba com que o leitor não leva a sério o enredo, é uma pena, até mesmo a saga dos fullbrings que todo mundo dizia que foi a decadência eu curtir, depois disso se tornou difícil de acompanhar, logo,logo eu largo essa série de vez…

    1. Eu achei a saga dos fullbringers ruim no contexto geral, apresentou personagens que foram irrelevantes (o que era aquela chefe do trabalho do Ichigo? putz…) mas de certa forma eu achei interessante quando o Ichigo despertou os poderes de fullbringer. Naquele momento do mangá Eu achei interessante não só a aparencia do Ichigo como também uma mudança nos poderes, no caso, ele teria que lutar de outra forma, usando a velocidade etc. Mas no final foi um baldão de agua fria porque ele voltou naquela mesmice de getsuga tenshou pra cá e pra lá. Gostaria sim que o Ichigo voltasse a lutar mas com os poderes de fullbringer, dando um ar de novidade tendo que re-aprender a lutar e se possivel tambem misturasse um pouquinho da parte hollow.
      Não sei se é estranho dizer isso mas eu achei os fillers de Bleach algumas vezes mais interessantes que a historia main stream. Gostei da saga filler das zanpakutous ganharem forma humanoide etc mas acho que no final a produção do anime ficou tão de saco cheio de ter que reinventar o mangá que decidiram cancelar tudo e talvez só voltar quando o mangá terminar de vez. Além de que Bleach já não dá tanto ibope mangá-anime como dava no começo, disse isso pro publico japones mesmo.

      1. ainda acho que o que pecou mesmo foi continuar com ichigo..

        o fim do arco dos arrancars com a despedida da rukia com ichigo foi sensacional, para mim a história deveria acabar ali e ponto final, caso ele quisesse continuar, porque ele tivesse medo de criar algo que faria tão sucesso com bleach, ele poderia se focar em outro protagonista por exemplo, acho que encaixaria muito bem no mangá dele, já que a história do ichigo pelo menos foi encerrada, jojo bizarre´s adventure funciona bem com troca de protagonista, porque bleach não funcionaria?

        1. Realmente vendo por esse lado, ficaria legal se tivessem terminado o mangá naquela despedida do Ichigo e a Rukia (apesar de que terminaria meio “entao e isso, obrigado pelos peixes e tchau…haha”) mas seria um bom ponto pra terminar o arco do Ichigo.
          O autor não tem muito imaginação visto que todos os grandes arcos giravam em torno de “salvar alguém”. Primeiro a Rukia, depois Orihime e agora Ishida?!? aff
          Poderiam ter terminado o arco Ichigo e talvez focar na irmã dele a Karin que era a que mais tinha desenvolvido os poderes, poderia rolar um time-skip e mostrar o desenvolvimento dela como protagonista. Poderia ser cliche mas se seguissem por esse lado, talvez fizessem um arco onde alguem sequestrasse o Ichigo sem poderes pra fazer sabe-se la o que e a Karin resolvesse se tornar uma shinigami e ir atras do irmao.

          1. ou então nos apresentar um personagem novo, no momento que aizen invade a real karakura, ele teria inúmeras possibilidades, como por exemplo, o poder do aizen foi tão grande que afetou boa parte das pessoas que começaram a enxergar espíritos, acredito que todo caminho era válido sem necessidade de utilizar a história do ichigo novamente, já que nessa parte, o ciclo dele já se encerrou.

            Ele ganhou poderes de shinigami para proteger as pessoas de sua volta e ainda sacrificou os poderes de shinigami para proteger sua cidade natal, não tem mais simbolismo que isso, o ciclo está fechado, encerra a obra, ou, conta a obra na perspectiva de outro personagem…

  7. Vou tentar aprofundar uma discussão aqui, que talvez nem tenha tanto a ver com esse capítulo em específico, mas fui motivado em função de alguns comentários aqui presentes…

    O conceito mais antigo de quincy pode ser verificado na página 3 do capítulo 49: http://www.mangastream.to/bleach-chapter-49-page-3.html

    Em outras palavras, um quincy é nada menos que um ser humano capaz de manipular reishi (Ou partículas de energia espiritual, em bom português) e, a partir disso, criar uma arma espiritual. O autor é muito claro nessa passagem; ele especifica a zampakutou como a única arma dos shinigamis… Mas não há qualquer especificação para as armas que os quincys podem criar. É por isso que na saga atual vemos um cara ali usando espinhos, outro aqui usando pistolas, e até mesmo o rei quincy usando uma espada: http://www.mangastream.to/bleach-chapter-524-page-17.html

    Vejam bem, a conceituação mais primária permanece inalterada. Os quincys continuam usando reishi para moldar suas armas. E as novas técnicas? Bem, Vollstanding, Sklaverei, Blut Vene… Tudo isso ainda é manipulação de reishi. Tudo isso ainda se encaixa na definição dada no volume 6. E depois é o Kubo quem não lê o mangá…

    Quanto aos poderes, a origem de tudo é o rei quincy, Yhwach. Ainda bebê, ele era capaz de conceder pedaços de sua própria alma a quem o tocasse, curando qualquer enfermidade. E, em troca, quando o “abençoado” morresse, tudo que pertencesse a este indivíduo retornaria a Yhwach, fazendo com que ele supere suas próprias limitações (Ele nasceu cego, mudo, surdo, etc) e se torne cada vez mais poderoso. Mas ao passar dos anos ele descobriu uma forma mais eficaz para conceder uma porção muito mais significativa de sua alma… Seria “escrevendo” através de um ritual a inicial do poder que ele queria passar adiante.

    De algum modo, os pedaços de alma que ele saiu doando despertaram uma sensibilidade espiritual em todos os humanos que receberam tais pedaços. Uma vez despertados, humanos começaram a ver espíritos… hollows… E, finalmente, começaram a compreender e manipular reishi.

    Mas tem algo muito intrigante nessa história toda: http://www.mangastream.to/bleach-chapter-579-page-11.html

    Quincys manipulam reishi na atmosfera… Mas Yhwach começou manipulando a própria alma! Ele já nasceu com esse poder. E como são chamados os humanos que já nascem com a habilidade de tirar poderes da própria alma? Fullbringers. http://www.mangastream.to/bleach-chapter-447-page-11.html

    É por isso que acho engraçado quando dizem que Bleach deveria ter acabado com a derrota de Aizen ou que o arco dos fullbringers foi um filler. O tema central de Bleach é sua própria mitologia. Não existe uma harmonia na convivência entre humanos, quincys, hollows, fullbringers, shinigamis. As fronteiras entre essas classes não são muito bem definidas. E pior, as coisas caminham para a mera destruição. Hollows matam humanos, quincys matam hollows, shinigamis matam quincys. Onde está o Rei das Almas e por que ele permite essas coisas? O próprio Aizen não se conformava com o estado atual da coisa toda. http://www.mangastream.to/bleach-chapter-434-page-18.html e http://www.mangastream.to/bleach-chapter-434-page-19.html

    Enfim, só acho que Bleach não é um mangá tão ~~perdido~~ como muitos gostam de bradar. Tem muitas passagens mal conduzidas, mal escritas, sub-aproveitadas… Mas consigo enxergar claramente o objetivo principal da obra. E, melhor, vejo Bleach rumando a esse objetivo.

    1. O problema não é o conceito e explicações existirem, mas pegar algo que faz sentido e ser coeso e exagerar foda nos limites de tudo isso. tudo bem os quincys manipular as partículas, mas daí isso dizer que faz sentido e tudo bem um moleque que basta imaginar coisas ou esse aí da semana que manda amor nas pessoas e tal… é força a coesão da lógica a meu ver.

      porque então de que adianta criar regras e explicar as coisas, se chega num ponto em que basicamente tudo é possível, independente da origem de tal poder.

      1. Sim, não nego que alguns poderes horrorosos foram dados (A luta do Gremmy com o Zaraki é possivelmente a pior de Bleach, inclusive), mas acho que tá havendo uma confusão aqui e pelo visto não ficou claro no meu comentário.

        Esses poderes das letrinhas foram doados pelo Yhwach. Pertencem a ele. E o Yhwach não é um quincy comum (Ele tinha um habilidade de nascença), até que o Kubo me contradiga, ele nasceu como fullbringer. Você até falou que esses poderes parecem de arrancars e tal (que em essência são hollows), e os fullbringers têm poderes que se assemelham muito aos hollows (Como dito na página que linkei). Ainda tem coisa pra ser explicada sobre o Yhwach, mas sinceramente, não vejo nada aqui que destoe tanto do que foi visto em Bleach até hoje.

        Até o Zommari lutava usando o Amor também. lol (E antes que me acusem de ser defensor de Bleach, eu sei que repetição de poderes em um battle shounen atual é uma péssima ideia)

        1. eu entendi seu comentário e concordo com vc com as explicações e contextualizações. por esse ponto de vista, que está correto acredito, Bleach não desamarrou suas regras. só que pra mim, essa pode tudo dos poderes, que não tem mais limites para bizarrices, meio que tornam os limites e regras do universo uma galhofa pura. não importa mais se é arrancar, vaizards, quincy, hollow. todo grupo tem um poder nada a ver, um exagero, uma forçada de barra. e mesmo que as origens das classes se misturem na essência… é a forçação do Kubo com os poderes exagerados e sem noção, que fazem a qualidade do mangá se perder atualmente. (é um dos fatores, não é o único). na minha opinião claro.

          1. Acho que finalmente entendi seu ponto. Não é algo que me chateia, acho que pra mim isso passa longe de ser um dos maiores problemas que vejo Bleach. Mas acho que consigo entender os motivos de quem não curte como essa escalada de poderes se deu.

          2. Tem mais ainda, Juha back pode ter no passado despertado poderes shinigamis, o fato dele se manifestar e simular que era um avatar de uma zampakuto, abreria as portas para isto.

        2. mas até mesmo os arrancars, tinha um certo padrão, o fato de utilizar o ressurrection e retornar como era antes tornava os vilões mais coeso..

          mas os quincies não, é tanto poder carnavelsco que nem consigo identificar um quncy mais, pela ideia que o autor deu era que eles manipulavam reishi, ótimo, mas se a soul society é feita dessas particulas(provada no momento da luta do ishida contra o Mayuri que o ishida foi desintegrando as placas de lajes e transformando em energia) ele torna todo o quincy que poderia destruir essa sociedade em algo mais raso, ou seja, o cara pode tacar um meteoro na soul society mas desfazer ela e transformar em energia não….

          Sem contar com a facilidade de invadir a seireitei, antes o pessoal bolava um plano para invadir, agora virou casa da mãe joana, todo mundo entra e sai de boa…

          e tem muitas outras citações, zaraki sendo derrotado porque convém para o autor, dar mais dramacidade na cena, o que não precisava, principalmente a tristeza de ver um dos personagens mais fortes da soul society ser derrotado por simples figurantes…

          A ideia de tirar a bankai foi excelente, mas ele do nada retorna com a ideia porque criaram a neosaldina que nem precisa ingerir, só encostar nela e recupera a bankai de volta, e depois os quincys me falam que não era necessário roubar bankai, que eles iriam se virar com o próprio poder…

          então porque raios roubou a bankai, se não era necessário fazer isso?

          enfim, esse arco prometia muito, mas se tornou uma grande decepção para mim pelo menos, isso porque eu estava muito animado após ver o arco dos fullbrings que para mim, foi um ótimo arco.

          1. É, antigamente os poderes se justificavam pela liberação de shikai/bankai/ressureccion e os quincys atuais não parecem respeitar nenhum tipo de “condição” para usar seus poderes, mas eu consigo relevar isso justamente pelo Yhwach ser a fonte desses poderes. E, bem, ele ainda é uma incógnita. Tem muita coisa pra ser explicada sobre ele.

            O Kubo tem tempo para justificar essas habilidades de modo que não pareçam tão aleatórias assim. (E eu até tenho uma teoria sobre isso) Mas se isso nunca for explicado, aí sim eu dou o braço a torcer e passo a criticar essas letrinhas. Até lá, não me incomoda porque ainda tem tempo pra ser “consertado”.

            Sobre o roubo de bankais, a intenção era “contaminar” os shinigamis com um fragmento da alma do Yhwach. Ele provavelmente inseriu tais fragmentos nas bankais e só esperou que elas retornassem aos seus donos para que estes recebessem parte da alma dele. E por que ele fez isso? Porque aqueles que recebem um pedaço de sua alma e depois morrem têm toda a sua essência transferida para Yhwach, deixando-o mais forte. Então não importa se quem morre nessa guerra é quincy ou shinigami, o Yhwach fica ainda mais poderoso em qualquer uma das situações. http://www.mangastream.to/bleach-chapter-579-page-14.html

            E por fim, não nego os problemas dessa saga. Eles são gritantes. Mas surpreendentemente, a mitologia de Bleach, aqui, ainda permanece um ponto forte da obra. (E foi exatamente isso que me manteve preso a este mangá durante todos esses anos)

          2. sim, a mitologia de bleach é realmente forte, concordo contigo, mas o que mais me incomoda foi o que citei, os poderes extravagantes dos quincys, se ele apenas criasse esses quincys com o conceito apenas de arco e flecha(que foi como você disse, na fala de ishida, ele mesmo disse que os quincies baseiam suas habilidades em arco e flecha) poderia muito bem criar uma diversidade de arcos e flechas, como tem uma diversidades de espadas no lado do shinigami, ficaria mais interessante e não tornaria a fala do ishida uma falácia.

          3. e mesmo que ele tenha explicado que os ensinamentos do ishida pararam no tempo, em que os quincies agora podem ter poder mais canavalesco possível, isso faz com que esses vilões percam sua identidade…

            como eu identificava um quincy, manipulação de reishi, utilizar arco e flecha…

            agora, o único que usou perfeitamente o reishi para coletar o poder do cenário foi aquele maluco nazista que estava de boas no hueco mundo, deviam ter levado uns três daquele cara para a soul society para eles destruírem o lugar apenas absorvendo reishi

          4. Sei lá, é complicado, cara. Analisando a evolução do arco do Ishida… Dificilmente teria uma diversidade se outros quincys também lutassem do mesmo jeito. Porque toda a evolução dele se deu em função da força bruta das flechas que ele atira e da velocidade com a qual ele pode atacar (O que acaba influenciando também o número de disparos). Não tem muito espaço pra evoluir esse estilo de luta. É exatamente por isso que o Ishida ficou muito abaixo do nível de força dos grandes inimigos do Hueco Mundo.

            E por questões de tensão e dramaticidade, seria péssimo se os quincys atuais estivessem nesse mesmo nível do Ishida-Hueco-Mundo, porque seriam uma ameaça muito mais fraca do que os arrancars.

          5. mesmo que o ishida fosse fraco do que os outros personagens, ainda ele se virava na base de inteligência, como a vez que ele encurralou aquele cientista arrancar com uma armadilha de reishi e o explodiu por exemplo….

            Acredito que os quincys não seriam tão fracos assim se usassem apenas a inteligência, não esqueça que Aizen cuidou de quase todos os capitães na base da inteligência.

          6. Cara, mesmo com toda a estratégia do Ishida, isso não levou a lugar nenhum. Szayel continuou firme e forte. Tanto que se não fosse a chegada do Mayuri, Ishida e Renji já teriam morrido ali mesmo.

            Esse é o ponto aqui. As lutas de Bleach, salvo raríssimas exceções (No momento, só consigo pensar em Mayuri vs Szayel), não se resolvem na base da estratégia. Porque a força bruta, os poderes, são muito, mas muito mais importantes.

            E isso se aplica inclusive ao próprio Aizen. A Kyouka Suigetsu é uma shikai TÃO apelona que o Aizen não precisa nem de bankai.

        3. Eu concordo com o seu ponto de vista e muito deles realmente estao corretos mas o que me deixa chateado com o mangá,no momento, é essa falta de limites de poderes dos quincys ver.2.0. Eu lembro do fato deles terem o poder emprestado pelo Yhwach etc, quincys serem otimos em manipular reishi pra isso e aquilo mas ate então esse era um poder utilizado mais pra suporte (seja pra aumentar os poderes das flechas ou pra extrapolar os limites fisicos) e não como um poder novo.

          O que o autor tinha nos mostrado até então e que era caracteristica dos quincys eram os arcos e flechas como armas. A primeira caracteristica que você tem quando ve um quincie são eles lutando com flechas e usando reishi do ambiente pra fortalecê-las. E esse foi o detalhe que em sua maioria foi esquecido nesses novos quincys que poderiam ser chamados de qualquer outra raça já que a caracteristica básica foi pro limbo. Até mesmo os arrancars-espadas etc tinham mesmo que minima a presença da mascara hollow ou o resquicio dela e isso que separava eles de não serem qualquer outra coisa menos hollow.

          Em quesito arma quincy até então o próprio autor nos disse que quincys só usavam arcos e flechas como armas, só que parece que ele jogou essa caracteristica quincy no limbo.

          http://www.mangastream.to/bleach-chapter-258-page-18.html

          1. Não, cara. Como explicitado no capítulo 49, a característica que de fato define alguém como quincy é a capacidade de manipular reishi. Não há especificação de armas ou técnicas. Ponto.

            “Aah, mas o Ishida fala que quincys só usam arco e flecha”

            E isso já caiu por terra logo nos primeiros capítulos da atual saga:

            http://www.mangastream.to/bleach-chapter-505-page-9.html

            http://www.mangastream.to/bleach-chapter-505-page-10.html

            Em outras palavras, a família do Ishida parou no tempo. Ele estava terrivelmente desatualizado quanto à classe dele. Tipo, 200 anos atrasado. O avô dele, responsável por seu treinamento, ensinou de acordo com suas próprias convicções. Ele achava que quincys deveriam lutar só com arco e flecha e fez o Uryuu pensar assim. E foda-se Vollstanding, Blut Vene, Sklaverei, etc. É exatamente por ser um pensamento antiquado que são poucos os quincys que ainda lutam com arco e flecha.

            E o próprio Kubo, só pra dar uma reforçada no que define MESMO um quincy, faz isso aqui no mesmo capítulo: http://www.mangastream.to/bleach-chapter-505-page-16.html

          2. Bom sinceramente Eu já não espero mais nada vindo de um quincy hoje em dia. Como o Kubo é o autor ele pode inventar ou reinventar conceitos quantas vezes ele achar necessário e se isso é bom ou não vai do gosto de cada um. Não acho que seja errado ou incoerente com o que o autor criou mas essa liberdade total do autor permite que amanha ele resolva dizer que todos os quincys são hermafroditas. Isso não deixa o mangá pior mas fica aquela sensação “Okayyy….. o.o”.

          3. essa falta de identidade que me incomoda, ele poderia ser criativo limitando apenas no arco e flecha, sem contar que o ishida por si só é um personagem “criativo” ele utiliza muitas bugigangas para interceptar o inimigo, o que eu prezava nos quincys era a inteligência, por não ser tão fortes, eles usavam estratégias para encurralar e matar o inimigo, mas agora não, é todo mundo brutamontes trocando golpes sem um pingo de estratégia possível.

          4. Hehehe, aí entra o conceito de falseabilidade http://pt.wikipedia.org/wiki/Falseabilidade

            Não dá pra dizer que todos os quincys lutavam com arco e flecha prezando pela estratégia porque, durante muito tempo, nós só conhecíamos apenas um quincy, o Ishida.

            Entendo que muitas pessoas tenham se deixado levar pelo Ishida, que foram induzidas a pensar que todos os quincys lutavam daquele jeito. Mas, dentro da obra, não tinha nada que efetivamente provasse isso. No máximo, dava pra dizer que o Ishida lutava assim, não todos os quincys.

            Mas aí reside um dos maiores problemas do Kubo, a meu ver. Ele deveria ter trabalhado com cuidado desde o início o núcleo dos quincys e dos fullbringers (Representados por Sado e Inoue). Ele optou por trabalhar hollows e shinigamis ao mesmo tempo e deixou esses outros dois grupos em segundo plano.

            Talvez venha daí todo esse estranhamento com os quincys atuais, porque nada disso foi apresentado gradualmente ao longo do mangá, foi jogado tudo de uma vez Embora não contrarie nenhuma regra definida anteriormente, o leitor não foi preparado pra esse momento. Falha do Kubo como storyteller aqui, mas pela milésima vez, não é problema da mitologia em si. hahaha

          5. mas foi questão de falta de organização o fato de jogar tanto personagem com poder extravagante, seria mais aceitável todos os quincys terem o estilo de luta do ishida, mesmo não parecendo e mesmo não dando o devido valor, ishida consegue se virar bem apenas na estratégia, e pelo fato de eles manipularem reishi, eles seriam os seres mais poderosos na seireitei, ou não lembra quando ishida absorveu o reishi das lajes para atingir uma flecha no mayuri no arco da soul society…

            Pode ter certeza que os quincies seriam imbatíveis se utilizasse apenas esse recurso, não era necessário um lutchador, uma nazi moe e o cabeça de galo soltando poderes coloridos e saltitantes…

          6. Pensa bem, pô. Tem certeza mesmo que ele se virava bem só na estratégia? Porque pra derrotar o Mayuri, teve que pegar um power-up e atirar uma flecha gigante pra dar conta da bankai dele. E, veja você, só não morreu porque a Nemu se comoveu e o ajudou.

            Contra o Szayel, sofreu pra caralho contra a versão “normal” dele. Veio o ressureccion e, de novo, se não fosse a ajuda do Mayuri, ia morrer também.

            Ele tá sempre um degrau abaixo dos grandes inimigos. Mais uma vez, só estratégia, em Bleach, não basta. Isso aqui não é JoJo’s Bizarre Adventure. Precisa ter força bruta, precisa ter poderes, precisa mais do que só estratégia.

            Talvez pelo fato dos quincys não terem esse algo a mais que eles foram massacrados 200 anos atrás, pelos shinigamis.

          7. Orra
            Vlw Raphael, no final das contas provou que o Tite manteve a coerência o tempo todo, só não soube por tudo na mesa de forma coesa.

          8. Se a teoria de usar arcos como armas fosse usada o Kubo perdeu a oportunidade de usar o poder “amor” do quincy gordão em uma flecha estilo cupido. Na questão equipamentos eu achei muito interessante o aparelho que rouba bankai, se o autor tivesse se apegado mais a esse fato seria condizente com o esquema quincy de usar inteligencia ao invés de poderes A-Z.
            Um arco não necessáriamente precisa ter forma de um arco convencional, vide ao Ishida usando a Seele Schneider que se parecia com uma espada mas na real era um arco. O autor poderia utilizar imaginação e criar uma variação de arcos não convencionais ao invés do vamos dar qualquer poder pra um qualquer e chamá-lo de quincy. São simbologias básicas dos personagens, shinigamis tem zampakutou, hollows máscara e quincys arcos. Podem dizer que a zampakutou vira qualquer coisa mas na sua essência ela é uma espada e não uma raquete de ping pong.

            Nada muito contra a receber pedaços da alma do nazi quincy lider e ganhar novos poderes mas pelo menos usasse um arco ou um equipamento pra liberar tal poder. Nem que o reishi das flechas após serem disparadas se tornassem algo diferente. Poderiam usar o próprio exemplo do Yhwach e criar um arco de reishi que dispara uma flecha em formato de espada (provavelmente com todo o poder acumulado até então). http://www.mangareader.net/bleach/510/15

            Os ensinamentos passados pro Ishida podem ser sim ultrapassados em 200 anos mas o minimo que fosse, eles são baseados em algo que existiu na cultura quincy. E quem foi o pai dos quincys, o patriarca? Foi o Yhwach! A teoria dos quincys usarem arcos teve como base o próprio patriarca e se depois de um tempo ele se corrompeu e acreditou que arcos não eram tão eficientes e resolveu liberar geral ai ja é outra história. O vovô Ishida que provavelmente era da paz e só tinha intenção de aniquilar os hollows, seguiu os ensinamentos iniciais mas após descobrir que a intenção do Yhwach era só criar discórdia e guerras para se tornar imortal, resolveu abandonar os novos ensinamentos.

            Mas fazer o que? Estamos falando de Kubo Tite que usa a formula shonen de manga porradeiro e vence quem faz o kamehameha mais forte. Estrategia ele tenta usar o maximo da capacidade dele pra usar nas lutas do Mayuri e isso só acontece uma vez em cada arco e como já estamos no último arco…
            Seria pedir demais pro Kubo aprender um pouco de battle shonen estrategia com o Togashi, poderia copiar tudo menos os hiatos.

  8. Uma coisa que eu estou odiando em Bleach é o descaso do Kubo com personagens coadjuvantes como Hisagi e os Vaizardz, esses últimos deviam ser personagens poderosos devido ao status de capitão e tenentes, e por terem poderes de Hollow, e até agora só estão levando surras de Quinces subalternos, e o pouco de poder que esses Vaizards mostraram foram Bankais horríveis.Já Hisagi esta se mostrando o imprestável dos imprestáveis, sendo salvo a todo momento, de ser morto por Quincies não tão poderosos.E a Bankai será que ele tem? e o Shinji não vai usar a sua própria? Até porque eu me lembro que ele estava lutando com aquele Sternriter do moicano(esqueci o nome)que atira fogo dos dedos.Aí der repente o cara já esta lutando com o Renji???? Detalhe que o Shinji apareceu pra dar uma força pro Zaraki quando os Quincies aparecem pra matar ele depois da luta com o tal Gremmy, aí eu pensei “pronto agora ele vai usar bankai e se redimir um pouco, pela sua participação ridícula nesse arco”mas não aconteceu, no minimo o Quincie o deixou estourado no chão.Me lembro de algo parecido no arco da guerra do inverno quando o Kensei estava lutando com aquele arrancar WonderWess, e de repente o arrancar já estava lutando com o Yamamoto. Enfim o autor simplesmente não sabe trabalhar com personagens secundários.

    1. O problema maior é que ele não sabe mas ele insiste em fazer isso. O elenco de Bleach é um absurdo de tão grande e todo arco ele tenta dar uma ponta de destaque pra todos os personagens. Isso por si só já deixa o enredo arrastado já que são vários personagens no mesmo espaço de tempo em ação e ele ainda soma isso a mania maldita de usar uma página inteira,as vezes duas, pra mostrar uma paisagem ou expressão diminuindo um espaço que ele próprio já havia tornado apertado. Fica difícil.

      São tantos personagens dispensáveis, tanto do lado dos vilões como dos mocinhos, que eu admito não lembrar o nome de quase nenhum. E parece que nunca diminui, vai sempre só aumentando e eles sendo cada vez mais inúteis. Eu lembro os nomes de praticamente todos os personagens que já apareceram em Naruto e One Piece, mas Bleach é difícil pq o personagem aparece uma vez, faz algo e fica meses sem aparecer/ser citado ou de no mínimo ter algo no mangá que nos remeta a alguma de suas ações.

    2. Ele simplesmente não consegue.
      Pra mim ele só mandou bem com vários personagens até a invasão do Hueco Mundo (e olhá-la) dando um tempo bacana para quase todos que ele tinha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Botão Voltar ao topo

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.