Dando Nota!Jogando

Halo 5 Guardians | 343 Industries colocando tudo nos eixos novamente!

Antes de finalmente escrever esse derradeiro review de Halo 5 Guardians acabei lendo algumas opiniões e comentários a respeito do que alguns jogadores, comunidades e sites estão dizendo sobre o game. Afinal, como o jogo foi lançado há duas semanas atrás foi meio que inevitável isso.

E não que eu tenha tido problema com essas opiniões, afinal cada um tem a sua, sem mencionar que no geral Halo 5 foi muito bem elogiado como um Halo bem superior ao anterior que abriu esta nova trilogia proposta pela 343 Industries. Porém muitos tiveram ressalvas quanto a campanha principal, alguns dizendo que ela é muito curta, outras dizendo que não há um equilíbrio entre o tempo em que se joga com o time do Spartan Locke e com o time do Master Chief e há também aqueles que acharam até mesmo o marketing inicial do game meio exagerado, com aquela história de Master Chief sendo um traidor e tal.

Acho que são críticas válidas, porém não acho que elas desmereçam a qualidade do game. No momento em que escrevo essa matéria estou exatamente na missão 12 (o game ao todo 15 missões). Por que diabos não terminei antes de vir escrever? Porque tenho a intenção de escrever um outro artigo aqui no site, e aí com spoilers, a respeito da história da campanha de Halo 5 por si só. Para proposta deste review, eu já cheguei ao ponto de independente como a campanha final de Halo 5 Guardians termine, a minha opinião já está estabelecida.

Halo-5-Guardians

Uma campanha, dois lados de uma história!

Claro que não direi que a campanha é perfeita, sendo que ela tem sim certos problemas. É óbvio que gostaria de ter jogado muito mais com o Master Chief no geral, além de que adoraria mais missões tensas tal qual a segunda missão da campanha. A impressão que tenho é que não estou exatamente vendo o lado da história do Chief, já que ele não me diz o que se passa por sua cabeça. Talvez nem ele saiba, e nem faça questão de tentar descobrir. Achei Chief mais calado neste game, o que também é condizente com seu status de perda. Porém acredito que há um pequeno buraco narrativo em Halo 5 que torna as coisas um pouco apressada. A queda de Meridian, por exemplo, praticamente não é sentida pelo time do Master Chief, o que é meio chato a meu ver.

A meu ver, essa falta de tempo para mais histórias poderia ter sido facilmente sanado se Halo 5 Guardians tivesse duas campanhas, tal qual – puxando um exemplo bem antigo – Resident Evil 2 possuía. Afinal, se tem dois lados de uma história presa em uma única campanha e que precisa seguir um certo ritmo, o que funciona apenas parcialmente. O jogo poderia ter sido desenvolvido para funcionar com a primeira campanha sobre o aspecto do Locke e uma segunda campanha sobre o aspecto do Master Chief, já que essa é a parte onde o mistério tenta se segurar até o clímax do fim. E assim um último capítulo seria destravado apenas quando ambos os lados da história tivessem sido jogados e concluídos. Não teria sido bem mais interessante assim? Bem, eu acho.

Acredito que o problema é o curto prazo de desenvolvimento na qual a franquia Halo sofre. A 343 Industries cuida de tudo do universo de Halo. Do canal de notícias (Halopoint), de séries on demand (Fall of Reach), de spin-offs (Halo Wars 2) e da série principal (Halo 5). Por mais grande que seja o time do estúdio, imagino que não deva ser fácil conseguir fazer a manutenção de tantos aspectos de uma franquia como Halo está tendo atualmente. Fora os problemas na qual o estúdio sofreu ano passado com Halo Collection, que com certeza foi um problema inesperado e que levou muito mais tempo para se consertar do que se esperaria.

Já sabemos também que Halo 6 já está em desenvolvimento. E não me admira se a Microsoft não esteja querendo lançar o título em 2017, começando assim a intercalar um ano com Gears of War (na qual o Gears 4 sai em 2016) e um ano com Halo. Ou caso Halo 6 saia somente em 2018, com certeza um spin-off será lançado para preencher essa lacuna de 3 anos de espera, e não estou falando de Halo Wars 2, na qual a 343 Industries também está desenvolvendo.

Percebe com me parece um prazo apertado para um estúdio reinventar ou inovar uma franquia além do que já se espera? Eu sinto que Halo 5 Guardians tinha uma história que não conseguiu ser contada plenamente. Como se fosse um livro de 500 páginas e só houvesse tempo para 300 delas. Quem se lembra daquele teaser da E3 de 2013 com aquela cena (assista ao vídeo abaixo) no deserto com o Master Chief? Por que não tivemos aquilo no game? Em outra questão, por que aquele peso que existia no marketing pré-lançamento do herói à traidor não é tão mais dramática no game em si? Há algumas coisas que indicam que Halo 5 Guardians, se pudesse ter tido um maior tempo de desenvolvimento, poderia ter sido bem melhor executado, narrativamente digo.

** (teaser da E3 de 2013 que ficou de fora do game final – ainda que o conceito dela esteja presente) **

Não adianta, eu fico imaginando que diferente teria sido uma campanha com dois lados, sendo jogada duas vezes por aspectos distintos. Ainda que algumas fases se repetissem entre ambos os lados, isso decididamente não me incomodaria.

Só que mesmo com estes pormenores ainda posso dizer de boca cheia que esta é a melhor campanha de Halo no domínio da 343 Industries. Talvez o Halo mais tranquilo que já joguei. Não me frustrou (como alguns do passado já frustraram), não me irritou e foi o mais gostoso de se jogar. Personagens diferentes, situações diferentes. É inegável que tirando a parte da história, quando se pesa apenas no gameplay e na jogabilidade, esse é o Halo mais dinâmico já lançado. Você está sempre fazendo algo diferente, usando armas diferentes, andando em veículos diferentes e o jogo te apresenta desafios diferentes constantemente. É uma campanha prazerosa de ser jogada e quando você percebe, já foi quase tudo!

Halo 5 Guardians

Não achei a campanha curta, porém ela é tão gostosa de ser jogada que ela acaba rápido se você não se controlar. Em games anteriores existia aquele fator de morrer demais em alguns momentos e enroscar o ritmo e o tempo para encerrar o game. Em tempos onde boa parte dos jogadores não terminam as campanhas dos games até o fim, o fato de ter se passado duas semanas do lançamento do game e eu estar em vias de acabar a campanha de Halo 5 é na verdade um grande elogio! E pelo que vi, quem está curtindo Halo 5, também já acabou a campanha, e agora se delicia no multiplayer do game. Para um gênero de FPS onde se discute muito se eles precisam de campanhas porque os jogadores nunca a terminam, o fato de todo mundo estar terminando ou já ter terminado a campanha de Halo 5 mostra que algo de muito certo ela tem. Independente do problema narrativo da história, que apesar de tudo, você também acaba ficando curioso para ver aonde é que tudo vai dar.

Pense o quão diferente isso é de Halo 4, na qual muitos nem jogaram, ou quem jogou não chegou a terminar a campanha no período de lançamento do título. Sei que eu não consegui. Ou seja, há uma claro evolução na 343 Industries desde seu primeiro Halo!

No fim, Halo 5 Guardians pode não ter uma campanha excepcional e perfeita, porém é uma campanha honesta e funcional, na qual está conseguindo fazer os jogadores a começarem e irem até o seu fim! Talvez você diga que isso não deveria ser digno de mérito, mas quando penso nos jogadores atuais de videogames e nessa geração de You Tube que prefere assistir do que jogar um game, eu tiro sim meu chapéu pela 343 Industries conseguir uma campanha que a gente começa e quando menos se espera, ela acabou! E você fica querendo que ela durasse muito mais! Então sim, pra mim é um evento digno de ser mencionado. Antes você terminar um game com a sensação de que querer mais dele do que acabar de saco cheio, achando que ele já deveria ter acabado há muitas horas atrás (isso se não o abandonou pela metade mesmo).

Halo 5 Guardians (4)

Um Halo condensado, um Halo melhor!

Aqui entra a segunda parte desse review. Tenho a sensação de que Halo 5 Guardians parece um Halo mais condensado. Como assim? O lançamento do game foi trabalhado em 3 modos: história (que não é tudo o que se espera, mas te bota dentro de um universo fantástico de forma que você mal percebe que gamou) e dois modos multiplayer, o Arena, que é um estilo mais clássico da série e a Zona de Guerra, um novo jeito de jogar o multiplayer de Halo. E é só isso! Parece pouco, mas é nas entrelinhas que Halo 5 Guardians se sai bem. É nos detalhes que tudo vai se mostrando maior do que ele parece inicialmente.

Claro, as caveiras escondidas na campanha estão em algum lugar (eu não encontrei nenhuma, sempre foi muito ruim nisso), há pontos de colecionáveis também na campanha. Enquanto o multiplayer tem sistema de customização de personagem, que é bem incrível (meu Spartan está aí na imagem abaixo), bem detalhado e muito mais amigável e acessível do que os dos Halo anteriores. O modo Arena tem várias listas de game, cada uma com regras próprias e o Zona de Guerra tem duas vertentes, uma mais caótica e outra mais focada em dominação. Maiores detalhes do Arena você encontra aqui e do Zona de Guerra aqui.

Eu gosto que o game se apresente com esta simplicidade, acessível a qualquer um, e com o tempo você passa a perceber a profundidade dele. Não é um título que te assusta logo de cara, sem que você saiba por onde começar. Isso pode parecer bobo, mas eu realmente aprecio muito isso. Já perdi a conta de quantos games abandonei porque sinceramente sempre que o ligava me sentia intimidado, sem saber por onde começar, e pensando o quanto ele me tomaria de tempo e me deixava exausto só de pensar em tudo que eu precisava fazer. Halo 5 Guardias não é nada disso, ele se apresenta muito bem ao jogador inicial, enquanto o veterano já sabe para onde correr.

Novamente digo, é a 343 Industries finalmente aprendendo a lidar com uma franquia que dá sinais de cansaço desde quando ela ainda estava com a Bungie. Na minha opinião não se complica demais um título na qual já teve seu ápice. Fazer isso sempre é chance de errar muito alto. O que os jogadores querem agora é continuar jogando a série sem complicações. E isso Halo 5 faz muito bem!

Halo 5 Guardians (3)

O melhor multiplayer?

Nesse ponto é muito difícil chegar a um consenso. Deveria ser o melhor multiplayer de Halo? Não sei. Precisava funcionar e felizmente está funcionando e muito bem. Teve alguns problemas técnicos iniciais? Que jogo não tem hoje em dia! Por sorte não foi o papelão que Halo Collection teve e que sofreu duramente em 2014.

De todos os games da série, de todos os tempos, ainda acho que Halo 3 foi imbatível, mas talvez porque era um game com uma comunidade absurda de jogadores. Era muita gente, em uma época onde o Xbox 360 não tinha tantos games online, onde qualquer outro console da concorrência não tinha tantos jogadores online. Foi um outro momento, um outro acontecimento diferente, uma outra época, bem diferente da atual.

Realmente acho que esse é o melhor multiplayer que Halo tem desde Halo 3. Sim, eu sei que Halo Reach é incrível, mas pra mim a sua campanha é tão impecável que ofuscou um pouco seu multiplayer. Halo 4 nem sequer me lembro de como era o multiplayer, o que não é um bom sinal. E não vamos pensar em multiplayers dos remakes realizados, né? Tenho a impressão que Halo 5 é o game na qual finalmente voltamos a pensar em Halo como um game de multiplayer online na qual todos querem jogar e experimentar. Um game que você entra em qualquer hora do dia, em qualquer dia, e vai conseguir jogar online. E isso é um excelente indício de que deu certo!

O modo Arena é bacana, acessível, e divertido. Quem procura uma experiência mais clássica no competitivo de Halo pode encontrar no modo Arena, porém é no Zona de Guerra que Halo 5 realmente brilha e se destaca. 18 jogados em mapas gigantes, se enfrentando em dois times, com eventos de dominação e poderosos inimigos aparecendo para fazer as equipes pontuarem em cima deles. É realmente um modo caótico e divertido.

E o sistema de REQ (Requisitos) é uma ideia perfeita! Trocar de armas, usar veículos e mudar seu status de batalha é excelente em um modo tão aberto, tão massivamente online. Acho que o Zona de Guerra está para Halo 5 assim como o modo Horda está para Gears of War 2. São ideias que aprimoram a experiência dentro da franquia. Não duvido nada se eventualmente esse modo começasse a acrescentar elementos de Tower Defense, como torretas automáticas ou escudos de proteção. As torretas automáticas estão na campanha.

Realmente não tenho muito a criticar do multiplayer de Halo 5. Ele é tudo que se espera e mais um pouco. Funcional, divertido, abrangente e convidativo, seja você um jogador veterano ou novato na série. Mesmo quando você perde, você sente que se divertiu. Talvez se fosse para reclamar, diria que o Zona de Guerra precisa de novos mapas e uma melhora no sistema de rotatividade deles, mas isso é algo que a 343 Industries já disse que está trabalhando e irá liberar eventualmente. E totalmente de graça a todos. Então é só esperar!

Halo 5 Guardians (2)

Mas e o passo para o futuro da franquia?

Pode dizer que Halo 5 Guardians é o game mais “certinho” da 343 Industries. É o título que fez a franquia voltar aos trilhos novamente. Porém… e agora? Como você continua aguardando um Halo 6, pensando no que eles podem melhorar em relação a Halo 5? Posso ir mais longe ainda. Halo 5 é melhor do que Destiny, que é da Bungie, estúdio que cuidou por anos de Halo? Ah, aí a coisa se complica um pouco.

Uma coisa é certa: Halo 5 é muito menos burocrático do que Destiny. Isso é algo positivo, porém também pode ser uma desvantagem. Destiny é um bom ruim, já que ele te obriga a continuar jogando, correndo atrás de seu rabo, para ganhar mérito e continuar crescendo no game. Halo não tem nada disso. Não há a cenoura na ponta do nariz, como dizem que Destiny possui.

Isso não significa que Halo não pode aprender com Destiny. Um exemplo é que eu não veria mal algum em um sistema de Assaltos em um próximo Halo. Na campanha, quando o jogador encontra pela primeira vez o Warden Eternal, esse momento não soa um pouco como um Assalto em Destiny? Pense bem. Eu digo que sim!

Batalhas contra grandes chefes é um outro elemento que a Bungie criou com maestria para Destiny e que pela primeira vez eu realmente senti falta em Halo 5. Fiquei a todo momento pensando, enquanto fugia de um Guardian gigante em Meridian – “Caramba, me deixa lutar contra isso! Que não seja apenas fugir!“. Halo precisa de batalhas de chefes após Destiny mostrar que é totalmente possível de ser feito em um FPS. E pra mim esse pode ser um passo importante para aprimorar mais ainda a experiência dos próximos games.

Entretanto, não acredito que nesse momento Halo precise de elementos de MMO como Destiny possui, com áreas online de jogadores ou um Hub. Não acho que isso case com a essência de Halo. Poderia sim eventualmente adotar elementos disso, mas não sinto que a série precise disso hoje.

E para não ser injusto nessa comparação Halo versus Destiny, alegando que Destiny faz tudo melhor do que Halo, já aponto e digo que não acho que o competitivo de Destiny seja tão bom quanto o de Halo 5 é. Eu realmente aprecio o ambiente mais controlado de Halo 5, com diversos modos e balanceamento do sistema competitivo. Destiny é muito mais livre e a baderna é grande por conta disso e do sistema de força dos personagens. Não me entenda mal: apesar de gostar do competitivo de Destiny, apenas acho o de Halo 5 é melhor executado.

No fim, são games parecidos, porém diferentes. Um pode aprender com o outro. E espero que Halo 6 veja um pouco disso. Que ele não se limite a ser apenas um Halo 5 aprimorado com novos gráficos e apenas a continuidade da história dessa nova trilogia. Que ele traga novos elementos e novos rumos para a franquia.

Halo 5 Guardians não é um game inovador. Tenha isso em mente. O que a franquia precisava aqui era voltar ao seu eixo original. E esse é o grande mérito de Halo 5, e sim, isso é importante!

Você que nunca jogou Halo na vida, esse é um bom título para se começar. Tudo bem, a história vai te deixar um pouco confuso mesmo, achei que a 343 Industries poderia muito bem ter criado uma introdução explicativa antes da campanha do game começar, mas tal como toda ficção científica, não se atente a detalhes, vai indo, vai jogando, que o que você não entender de imediato, futuramente as peças vão se encaixando. Eu tive essa mesma sensação quando comecei a série por meio de Halo 3 e isso não me impediu de virar um fã desse universo e de seus games!

Devo jogar Halo: The Master Chief Collection primeiro? Se estiver com tempo, sim. Porém realmente acho que as campanhas dos games anteriores não são tão prazerosa e divertida quanto a de Halo 5, especialmente se forem jogadas hoje em dia. Realmente acho uma boa começar por Halo 5, se divertir, ser conquistado pela boa fluidez da nova campanha e aí sim, voltar e procurar as campanhas dos games antigos, que são um pouco mais desafiadoras e hardcore (o que podem frustrar um pouco os novatos). Não que eu defenda jogos fáceis, mas um primeiro impacto positivo deixado por Halo 5 é bem mais interessante do que jogar o primeiro Halo em pleno 2015 e querer arremessar o controle na parede. Eu joguei, terminei e foi uma vitória encerrar o primeiro game, mas eu realmente me diverti bem mais com Halo 5 nestas últimas duas semanas.

Em todo caso, se você tem um Xbox One, Halo é uma franquia que obrigatoriamente você precisa conhecer e, ao contrário de Halo 4 na geração passada, Halo 5 Guardians é um excelente pontapé inicial!

Halo 5 - Guardian

Textos anteriores sobre Halo 5 Guardians:

Sem spoilers!

A campanha do game em termos de gameplay não deixa a desejar em nada!
Porém a história em si... não é tudo que o marketing quis vender!
Você fica querendo ter mais momentos com o Master Chief
Modo Arena é um multiplayer mais clássico, coerente, e faz bonito!
Modo Zona de Guerra é tudo aquilo que se esperava e vai além!
O sistema de REQ (requisição) é muito bem bolado. Pena não funcionar em tudo!
Sabe a dublagem? Ela também merece pontos! Impecável!
Visualmente Halo 5 é estonteante, porém Destiny ainda é um pouco mais bonito

Halo 5 Guardians é impressionantemente o mais acessível Halo já criado!

Etiquetas
Isso também pode lhe interessar

Thiago Machuca

Fundador e editor do Portallos (2008) e criador do saudoso (e extinto) Fórum NGM. Tenho 35 anos, sou formato em Direito, e vivo desde sempre no interior de São Paulo (Vale do Paraíba). Casado e já papai. Games, quadrinhos e seriados são uma paixão desde a infância. Gosto de escrever e sempre estou sem tempo.
Botão Voltar ao topo
Fechar
Fechar

Adblock detectado

Dê uma ajuda ao site simplesmente desabilitando seu Adblock para nosso endereço.